Artigos & Informações
Ameixa baixa açúcar no sangue

Um benefício positivo da sociedade competitiva dos Estados Unidos foi o desenvolvimento das pesquisas científicas. Enquanto que no Brasil as autoridades de saúde depositam o destino da saúde pública em velhos “conselhos”, nada democráticos, avessos ao que é novo, especialmente contrários ao conhecimento popular e holístico, além de não incentivarem as pesquisas científicas (seus julgamentos têm base no que os laboratórios farmacêuticos ditam) os norte-americanos, inclusive canadenses, pesquisam de tudo. A India também está avançada nas pesquisas científicas de todas as frutas tropicais para o uso na fitoterapia. O mais recente estudo foi divulgado pela Califórnia Prune Board (Algo como uma Sociedade da Ameixa), e publicado em 13/03/2010 pelo jornal indiano Delhi Times, intitulado “O projeto Ameixa”. Segundo esse estudo, a ameixa, já conhecida na fitoterapia (pesquisa ainda não publicada) como desintoxicante para viciados em maconha, além de ser deliciosa, combate colesterol, emagrece, é antioxidante, combate os riscos de doenças cardíacas, pulmonares e da velhice. Duas ameixas por dia proporcionam 4 por cento do ferro necessário ao corpo humano, além de facilitar a absorção do mesmo mineral. Ameixa contém fibras salubres e insalubres, as quais, juntas, baixam o nível do colesterol e da açúcar no sangue. Conhecida como um laxativo natural, a ingestão de ameixas diariamente regula o movimento do bolo fecal. Suas fibras e propriedades antioxidantes também são importantes no processo da menopausa. São já conhecidas como de vital importância nutritiva para adolescentes, mulheres grávidas e envelhecimento precoce. A ameixa também é tida, segundo o estudo, como um apoio à imunidade em geral. Vamos plantar mais ameixa no país inteiro? Por que a ameixa brasileira é tão pequena e cara? Que tal substituir gramados por pés de frutas? O Distrito Federal já planta, há anos, fruteiras nos canteiros da cidade. Até jaca dá nos canteiros e partes de Brasília e a população não depreda!

Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 13/03/2010

Fonte: http://www.joacir.com/categoria/fitoterapia/

Dicas alimentares para combater a enxaqueca

Popularmente conhecida como dor de cabeça, cefaleia é o termo médico utilizado para definir esse problema que pode afetar a maioria da população. Estudos mostram que 90% a 100% das pessoas têm ou terão crises de dor de cabeça ao longo da vida.

A cefaleia pode ser dividida em primária e secundária. Quando é o sintoma de alguma doença, é chamada secundária, como em casos de infecções, aneurismas, tumores cerebrais, entre outras situações. Quando a dor é por si só a manifestação principal da doença, é chamada cefaleia primária, como no caso da enxaqueca.

A enxaqueca é uma doença comum, incapacitante, caracterizada por crises de dor pulsátil e latejante em um lado ou em ambos os lados da cabeça. Uma crise pode durar de três horas a três dias, podendo ser precedida por alteração de humor, irritabilidade e depressão, alteração do apetite, alterações na visão com sensibilidade à luz, sensibilidade ao barulho, náuseas, vômitos, fraqueza, tontura e diarreia. A enxaqueca é uma das principais causas de incapacidade e perda produtiva no trabalho.

A interação entre enxaqueca e nutrição é um tema amplo e polêmico e existem muitos mitos e verdades sobre o assunto, que serão elucidados a seguir.

Fatores nutricionais desencadeantes da enxaqueca

Os alimentos mais citados pela literatura como desencadeantes da enxaqueca são: doces (açúcar), álcool, adoçantes, glutamato monossódico, nitritos, cafeína e alimentos que contêm tiramina. O jejum prolongado é considerado um comportamento alimentar que também pode desencadear o problema.

A suscetibilidade a determinado alimento depende de cada indivíduo, por isso é importante que o paciente preste atenção na alimentação e qual o alimento ocasiona uma crise de enxaqueca. Vários são os fatores alimentares desencadeantes de crises de enxaqueca, mas muito mais frequentes são os mitos relacionados a eles.

Os alimentos capazes de desencadear a enxaqueca possuem em sua composição substâncias capazes de provocar alterações no calibre dos vasos sanguíneos do encéfalo, primeiramente diminuindo-os e em seguida aumentado-os. São estas alterações do diâmetro das veias que provocam mudanças na visão e dores de cabeça, ou a enxaqueca clássica.

Doces, açúcar e álcool – Quando há um aumento do consumo desses alimentos, pode acontecer hipoglicemia. O organismo reconhece a carência de energia no cérebro para o funcionamento normal e utiliza outros mecanismos para manter os níveis de glicose cerebral. Um dos mecanismos é o aumento da produção de catecolaminas – gerando vasoconstrição (dos vasos sanguíneos) –, que tem como consequência o aumento da frequência cardíaca, da temperatura, irritabilidade e a produção de prostaglandinas, que causam vasodilatação e, por conseqüência, a enxaqueca.

Adoçantes – Segundo estudos da literatura, o consumo de 30 mg de aspartame por dia pode aumentar em até 9% o risco de enxaqueca em indivíduos predispostos.

Glutamato monossódico – Tempero muito utilizado nas cozinhas orientais, pode inibir a absorção de glicose por parte das células cerebrais, desencadeando o problema.

Nitritos – Utilizados para realçar a coloração e o aspecto dos alimentos, é utilizado em embutidos. Possuem ação vasodilatadora, ocasionando a cefaleia.

Cafeína – Está presente no café, chá mate, guaraná, cacau e chocolate. Tem ação vasodilatadora nos vasos sanguíneos do corpo e ação vasoconstritora dos vasos sanguíneos do cérebro.

Tiramina – Está presente em queijos amarelos, chocolates, vinagre, bebidas alcoólicas, iogurtes, lentilha, amendoim e sementes, que devem ser evitados por quem tem predisposição à enxaqueca.

Dicas alimentares para evitar episódios de enxaqueca

1) Adequar o consumo de carboidratos, especialmente os carboidratos complexos (cereais, massas, pães, farináceos, entre outros), já que o cérebro utiliza os nutrientes provenientes destes alimentos como fonte de energia em todas as suas funções.

2) É importante acrescentar frutas na dieta, pela maior quantidade de vitaminas, minerais e fibras que possuem, sendo esses nutrientes que atuam no bom funcionamento do organismo.

3) O selênio, um mineral envolvido no funcionamento do sistema nervoso central, também pode ser eficiente no controle do problema. O consumo de apenas uma unidade de castanha-do-pará é suficiente para se alcançar às quantidades recomendadas diariamente.

4) O fracionamento da dieta deve acontecer com a ingestão de seis pequenas refeições ao dia, evitando os jejuns prolongados, que são considerados causadores de crises de enxaqueca.

5) Todas as bebidas alcoólicas podem causar enxaqueca, porém os vinhos tintos são mais prováveis de provocar a dor devido ao seu conteúdo de taninos. Evitar o consumo de várias doses, pois pode aumentar a possibilidade de uma crise de enxaqueca.

6) Estudos sugerem que baixos níveis de magnésio facilitariam o desenvolvimento da vasoconstrição, que acarretaria a enxaqueca. Portanto é importante ingerir alimentos fontes desse mineral, como as folhas verdes escuras, soja, leguminosas, castanhas, cereais como aveia, arroz integral, pães integrais, carnes, peixes (salmão) e ovos.

7) Assim como o magnésio, a vitamina B2 seria eficaz na prevenção e tratamento da enxaqueca. O mecanismo pelo qual estes nutrientes agem na enxaqueca é incerto, mas é possível que ocorra estabilização de membrana celular e melhora da função mitocondrial. As principais fontes de vitamina B2 são leite, queijos (especialmente ricota e requeijão), iogurtes, carnes magras, ovos e vegetais verdes.


Por: Gabriel Miranda - Redação Saúde Plena

Publicado em: 20/08/2010

Fonte: http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_41/2010/08/20/ficha_saudeplena_dicas/id_sessao=41&id_noticia=27599/ficha_saudeplena_dicas.shtml

Acupuntura é promissora para mulheres com distúrbios hormonais

Síndrome do ovário policístico

Ficar grávida pela primeira vez foi difícil, mas quando Rebecca Killmeyer, de Charlottesville (Estado de Vancouver, Estados Unidos), sofreu um aborto durante sua segunda gravidez, ela não tinha mais certeza de que teria ter outra criança.

Quando ela decidiu participar de uma pesquisa que analisa o impacto da acupuntura em mulheres com síndrome do ovário policístico (PCOS), na Universidade da Virgínia, ela se viu às voltas com um verdadeiro milagre.

"Para nossa imensa surpresa, nós fomos abençoados com uma terceira gravidez durante a pesquisa da PCOS," disse Killmeyers. "Eu estou absolutamente certa de que os tratamentos com acupuntura me ajudaram a ovular regularmente, o que permitiu que eu ficasse grávida."

Acupuntura para aumentar fertilidade

Lisa Pastore, professora de ginecologia e obstetrícia e principal pesquisadora desse estudo, estava esperando por resultados como este. Seu objetivo tem sido ajudar mulheres com síndrome do ovário policístico a terem ciclos menstruais regulares.

A PCOS causa um desbalanceamento hormonal, interferindo com a ovulação e, em última instância, com a fertilidade. Com várias mulheres no estudo relatando terem engravidado, a Dra. Lisa acredita que a acupuntura possa ser uma terapia alternativa importante, sem medicamentos, para as mulheres que sofrem dessa disfunção.

"Ao longo do último ano nós temos visto mulheres que nunca tiveram um ciclo menstrual regular começarem a ter períodos regulares. Nós podemos também comemorar várias gravidezes desde que o estudo começou," diz ela. "Agora nós queremos recrutar mais mulheres para o estudo a fim de completar a pesquisa. É importante para o estudo ter participantes suficientes para garantir que os resultados são cientificamente críveis, e não devidos ao mero acaso."

Acupuntura pode ser eficiente na regulação dos hormônios

Cinco por cento das mulheres em idade reprodutiva são afetadas pela síndrome do ovário policístico. Os sintomas da PCOS podem incluir pequenos cistos nos ovários, sangramentos vaginais irregulares e não muito freqüentes, crescimento de pêlos tipicamente masculinos e acne. Também podem se desenvolver a resistência à insulina e o pré-diabetes.

Embora haja muitos medicamentos tradicionais e terapias para o tratamento dessa síndrome, esta pesquisa está avaliando se a acupuntura pode ser eficiente na regulação hormonal e na cura dos sintomas da síndrome do ovário policístico.



Por: Abena Foreman-Trice - Diário da Saúde

Publicado em: 02/10/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acupuntura-e-promissora-para-mulheres-com-disturbios-hormonais&id=3466

Consumo de soja previne a volta do câncer de mama

Mulheres na pós-menopausa são as mais beneficiadas.

Uma dieta rica em compostos de soja, chamado isoflavonas, pode reduzir o risco de recorrência do câncer de mama entre mulheres que já sofreram da doença, segundo uma pesquisa da Universidade de Medicina de Harbin, na China.

Pesquisadores descobriram que sobreviventes de câncer de mama na pós-menopausa que consumiam até 42,3 miligramas por dia de isoflavonas da soja, tinham uma considerável diminuição no risco de voltar a ter a doença, se comparadas com aquelas que consumiam menos, em torno de 15,2 miligramas por dia.

O novo estudo começou em 2002 com 524 pacientes, com idades de 29 a 72 anos, que tinham sido diagnosticadas com câncer de mama em estágio inicial ou avançado e que receberam terapia hormonal depois da cirurgia.

Os pesquisadores mostraram que compostos da planta podem afetar os níveis de estrogênio no corpo. Mas o resultado conflita com trabalhos divulgados anteriormente. Algumas pesquisas mostram o efeito protetor contra o câncer de mama, enquanto outros mostram que os compostos podem aumentar o risco da doença em algumas mulheres.

Na pesquisa chinesa, entre todas as mulheres que tiveram câncer de mama, o resultado foi positivo para receptores de estrogênio (ou seja, os tumores que cresciam em resposta ao estrogênio), receptores de progesterona (as células cancerosas que foram alimentados pela progesterona) ou ambos, de acordo com pesquisadores.

As pacientes estavam sendo tratadas com tamoxifeno ou anastrozol, duas drogas destinadas para travar o crescimento do tumor, afetando o estrogênio.

Elas também foram convidadas a preencher um questionário que incluía perguntas sobre seu consumo de produtos de soja, incluindo soja, tofu, brotos de soja e farinha de soja.

Os pesquisadores descobriram que a taxa de recorrência foi 12,9% menor entre as pacientes cujas dietas continham mais isoflavonas de soja do que aquelas cujas dietas tinham menos. Entre as mulheres na pós-menopausa que tomaram o anastrozol, o efeito foi mais acentuado - a taxa de recorrência foi 18,7% menor em mulheres que consumiam mais soja, em comparação com aquelas que consumiam menos.

Em comparação com a população asiática, para que a proteína de soja faz parte da dieta, apenas 37% dos americanos comem alimentos ou bebidas de soja, pelo menos uma vez por mês ou mais, de acordo com o relatório 2010 Atitudes do Consumidor Sobre Nutrição, divulgado nos Estados Unidos.

Mais de 12% das mulheres nascidas hoje serão diagnosticados com câncer de mama em algum momento de suas vidas, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer.

Os estudos precedentes examinaram a influência do consumo de isoflavonas de soja em pacientes com câncer de mama, no entanto, pouco se sabe sobre seus efeitos sobre essas terapias, tendo a base de hormônios, afirmam os pesquisadores.


Por: R7 - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/consumo-de-soja-previne-a-volta-do-cancer-de-mama-20101019.html

Argilas - Um Leque De Oportunidades que Voltam Poderosos Nos Tratamentos de Beleza

Apesar de antigo, volta a ser muito comentado hoje em dia nas clínicas de estética, os maravilhosos efeitos das Argilas, tanto para o rosto quanto para o corpo.

Antigamente nós só escutávamos falar de dois tipos: a Argila Verde e a Amarela. Agora temos um leque de opções que tratam: rugas, flacidez, excesso de oleosidade, controle da acne, celulite, gordura localizada, desintoxicação e muitas outras coisas.

Saiba como usar e quando usar cada tipo de argila.

Como usar as argilas:
Dilua a argila em água filtrada até atingir uma consistência pastosa; aplique-a sobre o rosto e/ou o corpo massageando suavemente; aguarde 20 minutos para secagem e retire com água fria ou morna.

Argila Amarela - Efeito hidratante- Aumenta a elasticidade e reduz inflamações

Informação:
Uso: Corporal, Facial e Capilar; Ideal para todos os tipos de pele.

A Argila Amarela é rica em Dióxido de Silício e Silício que é o elemento catalisador para formação da base de colágeno da pele, por isso é indicada para rejuvenescimento e tratamentos cosméticos. Tem alta capacidade de troca de cátions e ânions.

Mais Informações:
Combate e retarda o envelhecimento cutâneo, nutre com seus sais minerais necessários para um tecido mais rígido e saudável sem deixá-lo ressecado. Tem ótimo efeito tensor e melhora a circulação sanguínea. Rica em Dióxido de Silício que tem papel fundamental na reconstituição dos tecidos cutâneos e na defesa do tecido conjuntivo.

Argila Branca – Purificante, Adstringente, Anti-séptico e Cicatrizante

Informação:
Uso: Corporal, Facial e Capilar; Ideal para peles sensíveis.

A Argila Branca ou Caulim é uma argila primária composta de silicato de alumínio hidratado resultante da alteração de rochas lavadas pela chuva. Possui um PH muito próximo da pele e seus principais benefícios são: clarear, absorver oleosidade sem desidratar, suavizar, cicatrizar e catalisar reações metabólicas do organismo. É indicado para tratamento de manchas, peles sensíveis e delicadas.

Porque vai gostar:
Ótima para clareamento cutâneo. Pode ser utilizada em peles oleosas, pois não desidrata.

Tem ação purificante, adstringente e remineralizante. Reduz as inflamações, possui efeito anti-séptico e cicatrizante.

Mais Informações:
É a mais leve de todas, possui propriedades cicatrizantes, devido à elevada porcentagem de alumínio presente em sua composição. É a menos absorvente sendo indicada para peles sensíveis e também usados em máscaras faciais, loções e xampus para cabelos secos.

Argila Marrom – Purificante Adstringente e Cicatrizante

Informação:
Uso: Corporal, Facial e Capilar; Ideal para peles oleosas.

A Argila Marrom é uma argila rara, devido sua pureza. É eficaz contra a acne e espinha e tem efeito rejuvenescedor do tecido. Possui um efeito ativador da circulação, além de contribuir, com efeito, equilibrador e revitalizador celular.

Porque vai gostar:
Tem ação hemostática, purificante, adstringente, remineralizante, cicatrizante.

Ativa a circulação.

Mais Informações:
O Alumínio atua contra a falta de tonicidade, tem ação cicatrizante e inibe o desenvolvimento de stafilococos aureus em cultura.

O Silício tem papel fundamental na reconstituição dos tecidos cutâneos e na defesa do tecido conjuntivo.

Argila Preta - Estimulante, Nutriente, Redutor e Antioxidante

Informação:
Uso: Corporal e Capilar. Especial desintoxicação.

Argila Preta ou Lama Negra é considerada um material muito nobre. Raramente encontrada tão pura. Este material é retirado de uma profundidade maior que 4 metros. Devido ao alto teor de Alumínio e Silício e baixo percentual de ferro, pode ser usado tanto para cosmética como para tratamento de doenças.

Porque vai gostar:
Excelente agente rejuvenescedor. Argila de composição rica e diferenciada em sais minerais e oligoelementos muito importantes para o metabolismo da pele.

Mais Informações:
Seu teor de Titânio agrupado com elevados percentuais de Alumínio e Silício indica um material com excelente agente rejuvenescedor.

Tem ação antiinflamatória, anti-artrósica, absorvente, antitumoral e anti-stress. Melhora a circulação sanguínea periférica favorecendo a reprodução celular.

Argila Rain Forest – Hidratante, Antioxidante, Regenerador e Combate os Radicais Livres

Uso: Corporal, Facial e Capilar. Especial regeneração celular.

Argila nativa da Amazônia, de coloração branca acinzentada. Rica em nutrientes e sais minerais que ajudam a eliminar as toxinas da superfície da pele e ativam a regeneração celular. Possui nutrientes que combatem os radicais livres e canalizam energia positiva, além de possuir um alto grau de hidratação.

Porque vai gostar:
Possui com alto grau de hidratação, ação antioxidante, regeneração celular, ajudando a eliminar toxinas.

Mais Informações:
Ativa a regeneração celular. Formada nas ribanceiras dos rios após as inundações provocadas em época de chuva, a argila tem propriedades capazes de fortalecer o tônus da pele, reduzir as rugas e eliminar gorduras localizadas e celulite. Age de forma direta no combate aos radicais livres.

Créditos:
O Instituto Blanch Marie é uma clínica de estética e bem estar, para todos aqueles que procuram qualidade de vida, beleza e rejuvenescimento. Liderado pela esteticista e especialista em estética corporal e facial, formada em Medicina Chinesa e massoterapia, pós-graduada em Yoga pela FMU com especialização na Índia, Blanch Marie, o oferece em sua clinica, atendimento voltado para cuidados especiais com o cliente, objetivando os melhores equipamentos faciais, corporais e profissionais especializados. Blanch Marie também ministra em seu Instituto diversos cursos como: Iridologia, Florais de Bach, Oligoelementos, Auriculoterapia, Cromoterapia entre outros.


Por: Instituto Blanch Marie - Segs - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21945:argilas-um-leque-de-oportunidades-que-voltam-poderosos-nos-tratamentos-de-beleza&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Planta medicinal chinesa poderá substituir coquetel contra a AIDS

Da mesma forma que outros tipos de células, as células do sistema imunológico perdem a capacidade de se dividir à medida que envelhecem. Isto acontece porque uma parte dos seus cromossomos, conhecida como telômero, fica cada vez mais curto com contínuas divisões celulares. Como resultado, as células se alteram de muitas formas, e sua capacidade de lutar contra as doenças é comprometida.

Mas um novo estudo, feito no Instituto de AIDS da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriu que um composto químicos encontrado na raiz Astragalus, freqüentemente utilizada na fitoterapia chinesa, pode evitar ou retardar esse encurtamento progressivos dos telômeros, o que pode transformá-la numa arma chave na luta contra o HIV.

Erva chinesa no lugar de anti-retroviral

"Esta raiz tem o potencial tanto para ser adicionada ou possivelmente até mesmo para substituir a terapia anti-retroviral, que não é bem tolerada por alguns pacientes e também é muito cara," explica Rita Effros, co-autora do estudo.

O estudo será publicado na edição de 15 de Novembro do Journal of Immunology.

Telômeros e telomerase

Um telômero é uma região no final de cada cromossomo que contém seqüencias repetidas de DNA, mas não tem genes. Eles protegem as extremidades dos cromossomos e evitam que eles se fundam. Cada vez que uma célula se divide, os telômeros tornam-se mais curtos, eventualmente fazendo a células atingirem uma estágio chamado senescência replicativa, quando ela não consegue mais se dividir.

Isto parece indicar que a célula tenha alcançado um estágio final, mas, de fato, a célula se transformou em outro tipo, como novas características genéticas e funcionais.

Geralmente os telômeros são longos o suficiente para se dividirem muitas vezes sem problemas. Além disso, quando estão combatendo infecções, as células-T podem ativar uma enzima chamada telomerase, que impede que os telômeros se encurtem.

Terapia genética

"O problema é que, quando nós estamos lidando com um vírus que não pode ser totalmente eliminado do corpo, como o HIV, as células-T que estão combatendo aquele vírus não conseguem manter suas telomerase ligadas para sempre," diz Effros. "Elas são desligadas, e os telômeros se encurtam e elas entram nesse estágio de senescência replicativa."

Pesquisas anteriores mostraram que a injeção do gene telomerase nas células-T pode evitar que os telômeros se encurtem, permitindo que eles mantenham sua capacidade de combate ao HIV por mais tempo. Essa abordagem de terapia genética, entretanto, não é uma forma prática de tratar os milhões de pessoas que vivem com o HIV.

Fitoterapia contra a AIDS

No presente estudo, em vez de usar a terapia genética, os pesquisadores usaram um composto químico chamado TAT2, que foi originalmente identificado nos plantas utilizados na medicina tradicional chinesa e que melhora a atividade da telomerase em outros tipos de células.

Eles testaram o TAT2 de diversas formas. Primeiro, eles expuseram as células-T CD8 de pessoas infectadas com HIV ao TAT2, e descobriram que o composto não apenas retarda o encurtamento dos telômeros, mas também melhora a produção de fatores solúveis da célula chamados quemoquinas e citoquinas, que outros estudos já comprovaram ter a capacidade para inibir a replicação do HIV.

Eles então pegaram amostras de sangue de indivíduos portadores do HIV e separaram as células-T CD8 e CD4 - estas infectadas com o HIV. Eles trataram as células-T CD8 com o TAT2 e combinaram-nas com as células-T CD4 em laboratório - e descobriram que as células CD8 tratadas inibiram a produção do HIV pelas células CD4.

Doenças crônicas e envelhecimento

"A capacidade para melhorar a atividade telomerase e as funções antivirais dos linfócitos-T CD8 sugere que esta estratégia poderá ser útil no tratamento do HIV, assim como a imunodeficiência e a maior suscetibilidade a outras infecções virais associadas com doenças crônicas ou com o envelhecimento," afirmam os pesquisadores em seu estudo.



Por: Enrique Rivero - Diário da Saúde

Publicado em: 12/11/2008

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=planta-medicinal-chinesa-podera-substituir-coquetel-contra-a-aids&id=3566

Ioga é eficaz contra a fibromialgia

Dor crônica

Exercícios de ioga combatem a fibromialgia, uma desordem médica caracterizada por uma dor crônica generalizada.

A conclusão é de uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, e que acaba de ser publicada na revista Pain.

"Pesquisas anteriores sugerem que o tratamento mais bem-sucedido para a fibromialgia envolve uma combinação de medicamentos, exercícios físicos e desenvolvimento de habilidades de enfrentamento," explica o Dr. James Carson. "Aqui, nós nos voltamos especificamente para a ioga para determinar se ela deve ser considerada como um tratamento e em que medida ela pode ser bem-sucedida."

Ioga contra a fibromialgia

Neste estudo, os pesquisadores acompanharam 53 mulheres previamente diagnosticadas com fibromialgia.

As mulheres foram divididas aleatoriamente em dois grupos. O primeiro grupo participou de um programa de ioga de oito semanas, que incluía posições suaves, meditação, exercícios respiratórios e discussões em grupo. O segundo grupo - o grupo de controle - recebeu a medicação padrão usada nos tratamentos da fibromialgia.

A comparação dos dados dos dois grupos revelou que a ioga ajuda a combater vários sintomas da fibromialgia mais grave, incluindo dor, fadiga, rigidez, problemas de sono, depressão, memória fraca, ansiedade e falta de equilíbrio.

Todas essas melhorias se mostraram não apenas estatisticamente importantes, mas também clinicamente significativas, ou seja, as mudanças foram grandes o suficiente para terem um impacto prático sobre o bem-estar diário.

Por exemplo, no grupo da ioga, a dor foi reduzida por uma média de 24 por cento, a fadiga em 30 por cento e a depressão em 42 por cento.

"Uma provável razão para o aparente sucesso dessa terapia foi o forte empenho demonstrado pelas participantes. Não apenas a presenças nas aulas foi boa, como também a vontade de praticar ioga em casa," acrescenta Carson.

Sobre a fibromialgia

Fibromialgia é uma síndrome caracterizada predominantemente por dor muscular e fadiga.

A condição pode causar problemas de sono, cansaço e estresse psicológico. Outros sintomas incluem frequentemente:

rigidez matinal
formigamento ou dormência nas extremidades
dores de cabeça
problemas de memória


Por: Jim Newman - Diário da Saúde

Publicado em: 21/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ioga-contra-fibromialgia&id=5868

Meditação melhora o raciocínio em apenas quatro dias

Trocando o cafezinho pela meditação

Ao longo do dia, a maioria das pessoas toma um cafezinho, um chimarrão, ou alguma outra bebida que ajuda a "acordar" e fazer o cérebro funcionar melhor.

Mas uma nova pesquisa, publicada na revista científica Consciousness and Cognition, sugere que uma pequena pausa para meditação pode fazer o mesmo efeito, deixando-nos mais "cognitivamente afiados" sem colocar o estômago em risco.

Meditar sem virar monge

Embora várias pesquisas anteriores, utilizando neuroimagens cerebrais, tenham demonstrado que as técnicas de meditação podem promover mudanças significativas nas áreas do cérebro associadas com a concentração, é comum assumir que a meditação exige um treinamento contínuo e uma dedicação intensiva para alcançar esses efeitos.

Isso faz a maioria das pessoas desistirem antes de começar. Apesar de todos quererem aumentar suas capacidades cognitivas, acredita-se que a meditação exige uma disciplina monástica ou o tempo e o dinheiro que a maioria das pessoas não dispõe.

Surpreendentemente, todos os benefícios da meditação poderão ser alcançados sem essa trabalheira toda.

Mudando a mente pela meditação

Estudando uma técnica de meditação conhecida como meditação da mente alerta, os cientistas descobriram que os participantes no treinamento de meditação apresentaram uma melhoria significativa nas suas habilidades cognitivas críticas depois de apenas 4 dias de treinamento, em sessões diárias de 20 minutos.

Embora isso soe quase como um anúncio de algum produto "milagroso" para perder peso, a pesquisa realizada na Escola de Medicina da Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, sugere que a mente pode ser treinada no aspecto cognitivo de forma mais fácil do que a maioria das pessoas assume.

"Nos resultados dos testes comportamentais, nós estamos verificando algo que é comparável aos resultados que foram documentados depois de treinamentos muito mais longos," disse Fadel Zeidan, coordenador da pesquisa.

"Falando sinceramente, as melhorias profundas que nós verificamos depois de apenas 4 dias de treinamento de meditação são realmente surpreendentes," disse Zeidan. "Isso parece mostrar que a mente é, na verdade, muito fácil de mudar e facilmente influenciável, especialmente pela meditação."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 20/05/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-melhora-raciocinio&id=5220

Meditação é eficaz contra défice de atenção e hiperatividade

Meditação transcendental

A técnica de meditação transcendental pode se transformar em uma forma segura e eficaz para o tratamento da síndrome de défice de atenção entre estudantes.

Segundo uma pesquisa publicada no jornal científico Current Issues in Education, a meditação transcendental, uma prática inspirada nas tradições religiosas orientais, pode ser mais eficaz do que os tratamentos baseados em medicamentos.

Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade

O estudo foi feito com estudantes do ensino médio nos Estados Unidos, todos diagnosticados com Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade, ou ADHD na sigla em inglês (Attention-deficit hyperactivity disorder).

Depois de três meses, nos quais os estudantes praticaram a meditação duas vezes por dia na escola, os pesquisadores registraram uma redução de 50% no estresse e na ansiedade e melhoria nas avaliações dos sintomas da hiperatividade.

"O efeito foi muito maior do que esperávamos," afirma Sarina J. Grosswald, da Universidade George Washington. "As crianças também apresentaram melhoras na atenção, na memória funcional, na organização e no controle do comportamento."

Visão dos professores

O estudo também entrevistou os professores dos alunos que participaram das sessões de meditação transcendental. Os professores relataram uma maior facilidade para dar as aulas, a transmissão de um maior volume de informações e afirmaram que os estudantes estavam aprendendo mais porque se apresentavam menos ansiosos e menos estressados.

Estudos anteriores demonstraram que crianças com transtorno do défice de atenção e hiperatividade apresentam um desenvolvimento cerebral mais lento e uma capacidade reduzida para lidar com o estresse. "O estresse interfere com a capacidade de aprendizado - é como se ele desativasse o cérebro," explica William Stixrud, outro participante da pesquisa.

Medicamentos contra a hiperatividade

Remédios contra a hiperatividade são muito eficazes para algumas crianças, mas não produzem praticamente nenhum efeito em outras. Há situações em que os medicamentos chegam a piorar os sintomas de algumas crianças. Doses maiores não fazem efeito ou trazem efeitos colaterais sérios, que incluem problemas no crescimento e problemas cardíacos.

Os pesquisadores escolheram a meditação transcendental porque ela tem se comprovado eficiente em inúmeros outros estudos com adultos. E como ela não exige grande treinamento, ou altos índices de concentração e controle da mente, a meditação transcendental está se mostrando valiosa também para aplicação em crianças, mesmo naquelas que se apresentam as mais dispersas de todas.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 12/01/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-defice-de-atencao-e-hiperatividade&id=3692

Curso rápido de meditação ajuda a lidar com a dor

Meditação contra a dor

Viver com dores constantes é algo extremamente estressante. Mas um "investimento" de tempo surpreendentemente pequeno, envolvendo o treinamento mental, pode ajudar as pessoas que estejam passando por problemas de saúde ou mesmo aquelas que têm dores crônicas.

Um estudo realizado na Universidade da Carolina do Norte (EUA), examinou a percepção da dor e os efeitos de várias técnicas de treinamento mental e descobriu que um treinamento rápido e simples de uma técnica chamada meditação da mente aberta tem efeitos positivos significativos sobre a sensação de dor.

Benefícios da meditação

Esta mesma técnica, de origem budista e frequentemente utilizada pela ioga, já mostrou resultados positivos para ampliar as habilidades visoespaciais e até mesmo para diminuir a progressão dos efeitos da infecção pelo HIV.

Ao longo dos últimos dez anos, pesquisas relacionadas à dor têm mostrado extensivamente que a meditação pode ter efeitos positivos na redução da percepção e da sensibilidade das pessoas à dor.

Curso rápido de meditação

Mas nem todas as pessoas têm o tempo, os recursos financeiros ou mesmo o acesso a professores ou escolas de meditação.

Agora, este novo estudo demonstrou que uma única hora de treinamento, subdividida em três períodos de 20 minutos em três dias consecutivos, pode ter o mesmo efeito analgésico oferecido pela meditação mais intensiva.

"Este é o primeiro estudo a demonstrar a eficácia de uma intervenção tão breve na percepção da dor," afirma o Dr. Fadel Zeidan, um dos participantes da pesquisa. "Os participantes não apenas sentiram menos dores do que o grupo de controle durante a meditação, mas também durante os períodos nos quais eles não estavam mais meditando."

Efeitos da meditação sobre o cérebro

"Nós já sabíamos que a meditação tem efeitos significativos sobre a percepção da dor entre as pessoas que a praticam há muito tempo - o cérebro dessas pessoas revela alterações radicais. O que nós não sabíamos é que um excelente resultado poderia ser alcançado em apenas três dias, com apenas 20 minutos de treino por dia," diz Zeidan.

Os pesquisadores montaram seus experimentos de forma a eliminar os efeitos da distração, outro fenômeno que tem conhecidos efeitos sobre a sensação de dor. Mas não restaram dúvidas sobre os efeitos da meditação quando a diminuição da sensação da dor se estendeu por períodos fora do treinamento.

"Isto foi uma surpresa total, porque a mudança na sensibilidade geral à dor nem mesmo fazia parte de nossas hipóteses iniciais," diz o pesquisador.

Só na sensação de dor

Para tirar qualquer dúvida, os pesquisadores idealizaram dois outros experimentos, de forma a eliminar qualquer outra possibilidade de indução sobre os resultados.

Mas a conclusão - o treinamento de meditação de 20 minutos durante três dias diminui as sensações de dor - permaneceram consistentes em todos os experimentos.

Os pesquisadores destacam em seu artigo que a meditação causou uma diminuição na sensação de dor, mas não nas sensações em geral. No experimento envolvendo choques elétricos, por exemplo, todos os participantes do grupo que fez meditação reportou igualmente a sensação da eletricidade em seu corpo, mas a intensidade do choque registrada em seus cérebros foi muito inferior.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 17/11/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=curso-rapido-meditacao-contra-a-dor&id=4707

Reflexologia

Reflexologia nos pés promove relaxamento e bem-estar do corpo todo.

Prática surgida entre os povos milenares como os egípcios, incas e
monges budistas indianos, a reflexologia podal vem sendo cada vez mais
difundida nos dias de hoje. Ela considera que todo o corpo está
relacionado com os pés. Para isso, eles são massageados para ativar
pontos específicos ligados a cada um dos órgãos.

Segundo os terapeutas que a executam, a reflexologia podal ativa os
pontos energéticos e limpa o corpo das toxinas. Ela também melhora a
circulação e traz equilibro físico, mental, fisiológico e espiritual.
A reflexologia também ajuda os órgãos a entrarem em sintonia e a
trabalharem em conjunto, garantem especialistas.

A técnica baseia-se em massagens com as mãos, pressionando cada um dos
muitos pontos encontrados no pé e listados em um mapa. A maior parte
dos órgãos está representada nos pés. Sendo que os pontos do fígado e
da vesícula biliar estão no pé direito e no esquerdo, está o baço. A
reflexologia plantar alivia dores de cabeça, de coluna, diminui a acne
e ajuda no tratamento da depressão.

Por: Carolina Abranches - Globo.com - Seção: Bem Estar

Publicado em: 17/10/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3469

Cura pelo olfacto

Aromaterapia ajuda a melhorar estados de ânimo depressivos.

A memória olfactiva pode influenciar muito o nosso comportamento. Há cheiros que não suportamos, nos provocam dores de cabeça, ou nos causam repulsa, enquanto outras situações nos trazem uma série de memórias olfactivas agradáveis .

Os cientistas afirmam que a maioria dos odores são registados na infância, onde vamos associando várias memórias aos mesmos.

A aromaterapia aproveita para curar certos estados físicos e mentais através das propriedades terapêuticas das plantas e dos frutos. Ainda que o seu uso esteja tipificado recentemente, há muitos anos que este tipo de terapia se utiliza. Já noutras civilizações, como no Antigo Egipto, se faziam preparados para utilizar na medicina, na cosmética e também em cerimónias de cariz religioso.

Há vários óleos essenciais sendo que cada um tem uma propriedade terapêutica específica (ver ao lado). As utilizações mais comuns são os banhos, as massagens e também perfumar os espaços que habitamos.

Ao comprar óleos essenciais tente que venham em garrafas de vidro fosco, pois dada a sua volatilidade, as essências tendem a evaporar facilmente. Escolha numa loja especializada os seus aromas preferidos e utilize-os em sua casa e também para massajar e usar.



Por: Catarina Ferreira - Jornal de Notícias (Portugal)

Publicado em: 24/10/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Media/Interior.aspx?content_id=1693556

Homeopatia: alternativa à frustração

Pacientes desiludidos e cansados dos tratamentos convencionais compõem o perfil da maioria que opta por recursos mais naturais.

Mayze dos Santos, 46 anos, sofria de uma dor na coluna chata, insistente. Cansada da quantidade de medicamentos que era obrigada a tomar na tentativa de eliminar o sintoma, a fonoaudióloga deu início a um tratamento homeopático. Assim como Mayze, esse é o principal perfil da maioria das pessoas que decidem colocar os pés, pela primeira vez, em um consultório de um médico homeopata.

Entre elas estão, principalmente, portadores de doenças crônicas. Frustrados com o baixo retorno dos tratamentos convencionais se comparado à grande agressão que os medicamentos alopáticos tradicionais – como antibióticos, antialérgicos e corticóides - submetem o organismo, esses pacientes têm encontrado na homeopatia uma forma de atingir o resultado que procuram.

“A utilização crônica de medicamentos convencionais assusta os pacientes que têm medo de reações colaterais e também tem dependência deles. Quem procura a homeopatia costuma ser também aquelas pessoas descontentes com atendimento médico tradicional, muito rápido e sem individualização ou personalização do doente”, avalia o homeopata Sérgio Furuta, diretor da Associação Paulista de Homeopatia.

A individualização do paciente e o seu tratamento como um todo, e não apenas dos sintomas, estão entre os principais princípios norteadores da homeopatia, que procura tratar os indivíduos levando em conta suas características emocionais, psicológicas e físicas.

Sistematizada em 1796 pelo médico alemão Samuel Christian Hahnemann, a homeopatia considera que o homem é portador de uma energia vital, responsável pelo funcionamento saudável do corpo, coordenando suas defesas naturais contra as doenças.

Por meio de preparações bastante diluídas de substâncias naturais, normalmente de origem vegetal e mineral, destinadas a aumentar as capacidades curativas que o organismo possui, a homeopatia trata a pessoa dentro da sua globalidade.

Dentro dessa visão, a doença é concebida como um desequilíbrio interno e os homeopatas se esforçam para resolver os problemas subjacentes sem atacar unicamente os sintomas. “Trata-se de um tratamento realizado de dentro para fora, que procura eliminar aquilo que desequilibrou a energia vital do indivíduo”, explica o homeopata Admir Franzolin.


O tratamento

Segundo os especialistas, quanto mais os efeitos de uma substância se aproximam dos sintomas do paciente, mais suas virtudes terapêuticas são importantes na cura do paciente. Diferentemente da medicina tradicional, que atua pela “ação dos contrários”, a homeopatia é pautada pela lei dos semelhantes, que pressupõe que a chamada energia do medicamento deve ser igual a da doença. Ao mesmo tempo, quanto mais uma substância é diluída, maior será sua eficácia.

“O medicamento homeopático é resultado da transformação de uma matéria em energia e a energia que eu coloco em contato com o indivíduo simula a enfermidade que ele possui; é como se eu colocasse a doença dentro da doença. Na verdade, eu estou estimulando todo o sistema imunológico a combater a doença”, pontua o homeopata Celso Felício de Carvalho.

Segundo explica o médico, para que o medicamento gere resultados, além de semelhar-se ao comportamento da doença, precisa ser mais forte do que ela em potência. “À medida que eu diluo o medicamento, eu estou aumentando-o em potência, energia. Por ser mais forte que a doença, o remédio a elimina”, afirma.


A busca pelo medicamento adequado

Uma avaliação criteriosa que considere de sintomas físicos a emocionais, até características biológicas referentes ao temperamento e preferências alimentares, assim como reações ao clima ou acontecimentos, é primordial na busca pelos medicamentos mais adequados a cada pessoa que opte por um tratamento homeopático.

“Os médicos têm de saber fazer as perguntas corretas para conseguir saber do paciente o sintoma que ele precisa para fazer a leitura do remédio. E essa investigação inclui até, por exemplo, descobrir em que posição a pessoa dorme”, explica o homeopata Celso Felício de Carvalho. “Além dos sinais físicos, cores de cabelo, pele e olhos têm muito a dizer ao homeopata. Uma pessoa baixinha, gordinha e de dedos curtos, por exemplo, tem remédios que são mais frequentes para ela”, completa.

Embora existam espécies de “guias” onde médicos e leigos encontram sistematizados os principais medicamentos, suas características e o tipo de pessoas a eles relacionadas , a farmacêutica homeopata Tânia Negrão destaca a importância do acompanhamento médico.

“Conhecer as características dos medicamentos é importante para que as pessoas compreendam melhor como a homeopatia age. Mas muitos fatores são considerados para que o paciente seja diagnosticado e um remédio prescrito”, alerta.

“Nada de tomar o remédio receitado para o vizinho. Cada pessoa é única e uma mesma dor de cabeça pode ser tratada de diferentes maneiras, dependendo do paciente. Isso porque a homeopatia não trata, por exemplo, uma dor de cabeça, mas um indivíduo com dor de cabeça”, esclarece.

Por: Karla Beraldo - Redação: Jornal da Cidade Baurú

Publicado em: 28/11/2010

Fonte: http://www.jcnet.com.br/detalhe_geral.php?codigo=196818

Dieta mediterrânica é seguro de vida para coração saudável

A dieta mediterrânica é a mais saudável para o coração e para controlar colesterol, triglicéridos, pressão arterial e glicose, concluem 50 estudos divulgados nesta segunda-feira pela revista do Colégio norte-americano de Cardiologia.

O número de Março da revista publica uma meta-análise que inclui os resultados de 50 investigações sobre a dieta mediterrânica, que a apresentam como "um seguro de vida" para ter um coração saudável.

Demóstenes Panagiotakos, professor da Universidade ateniense Harokopio e coordenador do estudo, salientou, citado pela agência Efe, que a comunidade médica detetou que a síndrome metabólica "está a aumentar rapidamente em todo o mundo, ao mesmo tempo que a incidência crescente da diabetes e da obesidade".

Por síndrome metabólica designa-se o conjunto de doenças ou fatores de risco que aumentam a possibilidade de se vir a sofrer doenças cardiovasculares. O excesso de peso é um desses fatores.

Segundo os dados analisados por Panagiotakos e Christina-Maria Kastorini, a dieta mediterrânica tem um dos padrões mais conhecidos e bem estudados e demonstrou estar associada à diminuição da mortalidade devido a doenças coronárias, diabetes tipo 2 e alguns tipos de cancro.

Os peritos definem a dieta mediterrânica como correspondendo a um padrão alimentar que inclui uma dose diária de fruta, verdura, cereais integrais e laticínios com pouca gordura, além de um consumo semanal de peixe, aves, frutos secos e legumes, com um consumo relativamente baixo de carne vermelha e moderado de álcool, normalmente às refeições.



Por: Angola Press

Publicado em: 07/03/2011

Fonte: http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/internacional/2011/2/10/Dieta-mediterranica-seguro-vida-para-coracao-saudavel,6b0f3181-3c2f-4d7d-8cb6-d5b92171fe7a.html

Novas descobertas sobre o diabetes

Dois caminhos

Uma nova rota de sinalização que torna a célula beta liberadora de insulina mais sensível a altos níveis de glicose no sangue foi descoberta por pesquisadores da universidade sueca Instituto Karolinska.

Um segundo estudo, também inédito, revela um caminho possível para retardar a doença pela inibição de uma lipoproteína.

Acetilcolina

O primeiro estudo, publicado na revista Nature Medicine fornece novos insights sobre como as células beta reagem frente a concentrações elevadas de açúcar no sangue, que ocorrem, por exemplo, após uma refeição.

O estudo centrou-se na acetilcolina, um neurotransmissor chave na função da célula beta.

Embora a substância seja liberada pelos neurônios nos camundongos, os animais de laboratório mais utilizados nas pesquisas, o mecanismo humano não era claro até agora.

Estes novos resultados mostram que a acetilcolina no pâncreas humano é produzida pelas células alfa, que também produzem glucagon, o hormônio que aumenta os níveis de açúcar no sangue.

"O fato de que a acetilcolina tem um papel central a desempenhar na secreção eficaz da insulina em resposta a um aumento nos níveis de açúcar no sangue, e que agora entendemos como essa substância é liberada pelo pâncreas humano, torna esta via muito interessante do ponto de vista do tratamento do diabetes," diz o professor Per-Olof Berggren, coordenador da pesquisa.

Retardar o surgimento do diabetes

O segundo estudo, publicado na revista PNAS, também realizada pelos pesquisadores do Instituto Karolinska, apresenta um possível meio de retardar o surgimento do diabetes.

O diabetes tipo I coincide com altas concentrações da lipoproteína apolipoproteína CIII (Apo CIII) no sangue.

A equipe já demonstrou em ratos, que desenvolvem uma forma de diabetes tipo I semelhante à da espécie humana, que os níveis de Apo CIII sobem antes do início da doença, e que isso causa a morte das células beta produtoras de insulina.

Reduzindo a produção de Apo CIII, os pesquisadores conseguiram atrasar significativamente o aparecimento do diabetes - os ratos demoraram o dobro do tempo para desenvolver a doença.

A equipe conclui que um aumento nos níveis Apo CIII é um precursor significativo do diabetes.

Eles agora esperam que o início da doença possa ser adiado em indivíduos na zona de risco para diabetes tipo I, por meio da redução da concentração de Apo CIII em seu sangue.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 24/06/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=descobertas-sobre-diabetes&id=6633

Vitamina E protege contra o câncer, mas não em suplementos

Tipos de vitamina E

Cientistas norte-americanos e chineses recolheram evidências científicas de que a vitamina E tem forte efeito protetor contra várias formas de câncer.

Sobretudo duas formas da vitamina E - tocoferóis gama e delta - mostraram-se altamente eficazes na prevenção dos cânceres de cólon, pulmão, mama e próstata.

Esses dois tipos de vitamina E são encontrados nos óleos de soja, canola e milho, e em castanhas.

"Nossa mensagem é que a forma tocoferol gama da vitamina E, a forma mais abundante dessa vitamina na alimentação, e o tocoferol delta, encontrado em óleos vegetais, são benéficos na prevenção do câncer," afirmou o Dr. Chung S. Yang, da Universidade de Rutgers.

Veja o conteúdo dos suplementos

Contudo, há um grande porém na pesquisa realizada pela equipe do Dr. Yang.

"A forma alfa-tocoferol, a mais comum em suplementos de vitamina E, não mostrou qualquer benefício [na prevenção do câncer]," salientou o pesquisador.

As constatações foram feitas a partir tanto de estudos com animais de laboratório quanto de dados epidemiológicos humanos.

Na realidade, outros estudos já mostraram que os suplementos de vitamina E podem ter efeito oposto ao desejado:

Suplementos de vitamina E aumentam risco de câncer de próstata

Olhe o rótulo, ou coma melhor

É por isso, salienta o pesquisador, que é importante identificar as diferentes formas de vitamina E, o que exigirá pesquisas mais detalhadas sobre o efeito preventivo contra o câncer e outros efeitos biológicos de cada um dos tipos de vitamina E.

"Para as pessoas que acreditam que precisam tomar suplementos de vitamina E," diz Yang, "o mais prudente é tomar uma mistura de [tipos de] vitamina E que melhor imite aquela presente em uma dieta saudável."

Ou, como alternativa, ingerir uma dieta mais saudável e dispensar qualquer controvérsia.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 25/04/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vitamina-protege-contra-cancer-mas-nao-suplementos&id=7682

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR