Artigos & Informações
"Acúmulo de funções aumenta o estresse entre as mulheres"

Felipe Torres
Jornal Hoje em Dia:

Estudo revela que 52,8% das entrevistadas têm rotina apertada entre trabalho, filhos e casa. Dormir bem, fazer exercícios e alimentar-se bem combate o estresse; atividades como YOGA e REIKI também são indicadas

O relógio marca 7h e Renata Gonçalves, 29 anos, já está de pé. Moradora do Bairro Havaí, Região Oeste de Belo Horizonte (Minas Gerais), ela não demora muito para se produzir, pois às 8h em ponto, com ou sem trânsito complicado, o trabalho a espera em uma concessionária de máquinas, localizada no Bairro Califórnia, Região Noroeste da capital. E assim que a jornada de negócios termina, às 17h30, Renata retorna apressada à sua residência. O tempo é calculado. Minutos depois, o destino será o curso universitário de Gestão Comercial.

Vou deitar quase meia-noite, exausta. É tanta pressão que o estresse me parece inevitável.

Renata é apenas mais uma das brasileiras que se revelam cada vez mais estressadas, segundo pesquisa da seguradora SulAmérica Saúde. O último levantamento mostra que o número de mulheres que sofrem com o estresse passou de 50,6%, em 2008, para 52,8% no ano seguinte. Isso significa que mais de 13 mil das 24.708 entrevistadas em 12 estados do Brasil, incluindo Minas, afirmaram viver uma rotina “apertada”, que acabou interferindo na saúde mental e física.

O acúmulo de funções, as cobranças e os desafios vividos pelas mulheres são apontados pelo professor de Psiquiatria da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Maurício Viotti, como as principais causas dessa percentagem significativa. Viotti acrescenta que a mulher, além de lidar com as obrigações inerentes ao trabalho, muitas vezes ficam presas às responsabilidades do ambiente familiar.

Elas têm que cuidar da casa, dos filhos e dos maridos. Sem falar na disputa profissional e cotidiana, que envolve o trânsito, as contas e frustrações. Isso ocasiona uma sobrecarga, e a maioria não consegue suportar o excesso de informações e tarefas.

É preciso encontrar atividades que aliviam o estresse
Regina Borges, 60 anos, lamenta ter se conscientizado tarde, após testar todos os seus limites. Por mais de 25 anos acumulando o papel de mãe de três filhos e o desgaste do emprego em uma empresa mineradora, a aposentada lembra que nem ligava para a sua qualidade da vida.

Hoje, faço sessões de REIKI e YOGA. Consigo relaxar e aliviar a minha mente, o que vem me ajudando muito. Mas, nas últimas décadas, prejudiquei o meu lado social. Vivia estressada, irritada e de mau humor. Sentia também enxaquecas e um vazio constante dentro de mim, já que dormia pouco, era ansiosa e não tinha vontade de fazer nada.

E é para esses sintomas que o professor Maurício Viotti insiste em chamar a atenção. Segundo ele, tanto as mulheres quanto os homens altamente estressados correm o risco de desenvolver outros tipos de doença.

O estresse afeta as glândulas (produção de hormônios), desestabilizando o organismo e órgãos vitais. Portanto, a sensação de ‘esgotamento’ e nervosismo pode levar à falta de imunidade, úlceras, problemas cardíacos e de pressão arterial, entre outras enfermidades”, detalha Viotti.

Um estudo da bióloga Ana Cristina Magalhães, ex-doutoranda da UFMG, divulgado neste semestre pela Universidade de Ontário, no Canadá, reforça ainda que os comportamentos do estresse e de disfunções psíquicas – depressão e a ansiedade, por exemplo – possuem relação direta entre si.

Mas, então, diante das dificuldades do dia a dia, é possível prevenir e combater o estresse? Maria José Marinho traz a resposta na ponta da língua: “sim”. Professora de yoga e reiki, ela fala com a propriedade de quem recebe em sua clínica muitos adultos, jovens, crianças e idosos, de ambos os sexos, que buscam relaxamento e “um pouco de paz”.

A primeira coisa é saber dosar e absorver os obstáculos rotineiros, valorizando o convívio com os amigos, a família, ou seja, os momentos de lazer. Dormir bem, se exercitar, alimentar de forma saudável, evitar o fumo e bebidas alcoólicas também são lições fundamentais.

O professor de Psiquiatria Maurício Viotti avaliza as palavras de Maria José e aconselha, como complemento ao tratamento médico, as práticas terapêuticas alternativas. MASSAGENS, ENERGIZAÇÃO, YOGA e ESPORTES, segundo ele, “revigoram as pessoas e as estimulam a enfrentar as exigências cotidianas”.

O número de estressados também cresceu 5,6% em 2009 no universo masculino. Mais de 30% dos 41.500 entrevistados pela pesquisa (em 2008 foram 26.011) disseram sentir estresse. Segundo, isso causa nos homens, em geral, sintomas como cansaço, irritação, baixo apetite sexual, falta de concentração e resfriados consecutivos.

A diferença em relação às mulheres é que os homens não absorvem as requisições do lar.


Por: Portal R7 - Seção: Notícias/Saúde

Publicado em: 19/06/2010

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/acumulo-de-funcoes-aumenta-o-estresse-entre-as-mulheres-20100619.html

Estresse materno durante a gestação pode prejudicar a qualidade de vida do bebê no futuro

Dicas para relaxar e encontrar mais tranquilidade durante sua gravidez.

Enquanto aguarda a chegada de Pietra, Juliana Galego, 28 anos, se prepara com meditação, ioga e exercícios físicos específicos para gestantes. O objetivo é manter o estresse controlado para que, antes e depois do nascimento, Pietra seja um bebê calmo e saudável.

— Acredito que meu bem-estar vai influenciar a qualidade de vida dela. A ioga e a meditação são fundamentais para dialogar com o bebê. Quero que ela sinta todo o carinho e amor que tenho — explica.

A mãe está certa. De acordo com a psicóloga Helena Morais, especialista em neonatologia, o estresse já faz parte da rotina de grande parte das mulheres modernas, mas, em excesso, afeta também a qualidade de vida do bebê antes mesmo que ele nasça.

— É normal estar ansiosa. O estresse vai ocorrer, principalmente porque a maioria das mulheres mantém uma rotina de trabalho e afazeres pesada. No entanto, quando a angústia é grande e a mãe não se sente feliz, esse sentimento negativo pode ser prejudicial para o bebê — diz a profissional.

Depressão, problemas familiares, gestação indesejada ou na adolescência são os principais casos de estresse grave que afetam as mulheres. A comunicação entre mãe e feto ocorre durante todo o período gestacional e, assim como as substâncias ingeridas por ela entram em contato com o bebê pelo cordão umbilical e pela corrente sanguínea, os impulsos psíquicos e químicos causados pelo estresse serão sentidos pelo bebê. Isso ocorre porque a instabilidade emocional provoca alterações neuro-hormonais e na pressão arterial.

Em quadros assim, o sistema nervoso da mãe passa a liberar em maior quantidade as chamadas substâncias catecolaminas, das quais a adrenalina é um exemplo. Essas substâncias passam pela corrente sanguínea até o bebê, provocando perturbação semelhante àquela vivida pela mãe.

— O feto entra em contato com sentimentos de temor e angústia. A tristeza profunda também faz com que a mãe se isole, mostrando-se pouco disponível. A comunicação entre ela e filho se perde, e o pequeno pode sentir-se sozinho e inseguro — explica a psicóloga.

Em casos extremos, o hormônio cortisol, também liberado durante períodos de longo e forte estresse, ao chegar ao cérebro do feto, pode causar mudanças funcionais e estruturais.

— Tirar alguns momentos do dia para conversar com o bebê, fazer atividades físicas, relaxar, ouvir música, interagir afetivamente com a criança são coisas aparentemente simples, mas que influenciam diretamente na felicidade da mãe, e consequentemente, na do bebê — explica a especialista.

Faça o teste

:: Escolha um ambiente onde se sinta à vontade
:: Sente-se em uma posição confortável, procure relaxar e esquecer os problemas
:: Mantenha os olhos fechados enquanto respira pelo nariz, deixando que apenas o abdome se contraia, evitando forçar a respiração pelo tórax
:: Inspire e expire lentamente, aumentando o tempo da respiração
:: Com as duas mãos, envolva a barriga e visualize o bebê, dizendo a ele mentalmente o que sente. Leve sentimentos de calma e proteção ao seu bebê
:: Permaneça no exercício por pelo menos cinco minutos

Pós-parto
Maria Isabel Tafuri, psicóloga e membro da Sociedade Brasileira de Estudos sobre o Bebê (Abebê), explica que o ambiente em que o filho cresce também determina a qualidade de vida.
:: Ela afirma que se a mãe passa por um momento difícil, o ambiente onde essa criança se desenvolverá propiciará maior estresse também para ela. O bebê não sentirá uma relação de proteção da mãe.
:: A psicóloga ressalta que é importante estabelecer um ambiente de harmonia para a chegada de uma nova criança e que um bebê com estresse pode desenvolver distúrbios alimentares e de sono. As marcas deixadas se transformarão em memórias negativas. Dependendo do grau de estresse, algumas características podem determinar a personalidade do filho na infância.



Por: Correio Braziliense - ClicRBS - Seção: Notícias

Publicado em: 28/09/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3054460,Estresse-materno-durante-a-gestacao-pode-prejudicar-a-qualidade-de-vida-do-bebe-no-futuro.html

Acupuntura pode ser utlizada no tratamento do colesterol

Com a estimulação periférica, a técnica ajuda o organismo a eliminar o colesterol ruim e a produzir o colesterol bom.

Depois de constatados níveis altos de colesterol no sangue, a principal atenção deve ser dada à alimentação, pois os hábitos alimentares ruins são os principais responsáveis pelo excesso do LDL (conhecido como colesterol ruim) no sangue. Além da redução de alimentos de origem animal, o paciente com colesterol alto precisa adicionar na sua dieta uma combinação adequada de frutas, vegetais, cereais integrais e oleaginosas. Neste novo estilo de vida que precisa ser adotado, a acupuntura pode ser uma grande aliada, pois promove o equilíbrio do sistema endócrino e melhora a circulação sanguínea.

Com a estimulação periférica, a técnica ajuda o organismo a eliminar o colesterol ruim e a produzir o colesterol bom. O próprio corpo, quando estimulado, promove o equilíbrio das substâncias. Os pacientes que já tomam remédios para tratamento de problemas com colesterol não têm contra-indicação para o uso da acupuntura, muito pelo contrário. A técnica ajuda na absorção de diversas substâncias, inclusive de medicamentos, potencializando os seus efeitos. Para os que têm medo de agulha, uma boa notícia: a acupuntura é apenas um dos ramos da medicina tradicional chinesa. A fitoterapia, a auriculoterapia, tui-ná, eletroacupuntura e outras técnicas também apresentam benefícios semelhantes e não envolvem as picadas.

Por: Bond News - Saúde Folha de Londrina

Publicado em: 13/12/2010

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-27--67-20101213&tit=acupuntura+pode+ser+utlizada+no+tratamento+do+colesterol

Saiba o que uma geleia deve ter para não colocar sua dieta em risco

Alimento ajuda repor as energias de quem pratica exercícios físicos e das crianças.

Cada vez mais, as pessoas buscam um estilo de vida saudável e, para isso, acabam modificando os hábitos alimentares e acrescentando exercícios físicos ao seu dia a dia. Mas o que muitos ainda não conseguem é abrir mão de comer doces em alguma parte do dia, devido à sensação de seu cardápio ficar incompleto.

No entanto, segundo a nutricionista Audrey Abe, colaboradora da rede Natural em Casa, empresa especializada em produtos naturais, existem alternativas saudáveis para saciar o paladar. As geleias de frutas, por exemplo, são ótimas opções de fonte de energia.

— As geleias de boa qualidade, além de darem um toque especial aos pratos, são importantes porque contém pectina e fibras solúveis, que são responsáveis pelo aspecto gelatinoso do produto, e que têm atuação reguladora no intestino — destaca.

— Essas fibras presentes na geleia são importantes porque serão consumidas pelas boas bactérias que vivem no intestino grosso e, após esse processo, substâncias saudáveis, conhecidas como ácidos graxos, são produzidas pelo intestino, ajudando a eliminar as bactérias maléficas e impedindo a absorção de substâncias carcinogênicas ingeridas por meio da alimentação — explica.

Conforme a especialista revela, atualmente, a maioria dos fabricantes não utiliza grande quantidade de açúcar nesses produtos, tornando esse alimento mais saudável. Nas versões diet, por exemplo, utiliza-se a sucralose, que mantém o sabor do açúcar, sem deixar resíduo amargo e artificial, como acontece com os demais adoçantes.

— A sucralose, ao contrário da sacarina e do ciclamato, não contém sódio na sua composição, por isso as geleias diet são indicadas também para pessoas que sofrem com hipertensão — explica a nutricionista.

— E por ser extraída do próprio açúcar, a sucralose não tem contra indicações para gestantes e crianças — diz.

Existem ainda outras versões, que são adoçadas com suco de fruta e menor quantidade de açúcar, sendo uma ótima opção para quem busca saúde, sem abrir mão do sabor.

A especialista alerta, no entanto, que, apesar de todos os seus benefícios, a geleia deve ser consumida moderadamente.

— Para praticantes de exercícios físicos, elas são excelentes, pois são facilmente assimilados e absorvidos pelo organismo, fornecendo a energia necessária. Para as crianças, elas repõem o alto gasto energético, além de trazer o delicioso sabor de diversas frutas.


Por: Jornal Zero Hora - On line

Publicado em: 21/02/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3215985.xml

Óleo de Cártamo para perder peso

Na corrida pela boa forma, essencial para uma vida saudável e preventiva contra doenças, muitos produtos são apresentados na mídia. Mas que tal um complemento natural que ajude a perder gordura? Uma boa opção é o óleo de cártamo.

Vendido em cápsulas semelhantes ao chá verde, é extraído das sementes da planta Carthamus tinctorius L., bem parecida com o girassol. A planta é rica em ácidos graxos e polifenóis, o básico de uma alimentação balanceada. Até aqui nada de novidade, mas o fato é que a planta tem uma série de benefícios que ajudam no emagrecimento.

Estudos realizados comprovam que o óleo de cártamo estimula na quebra da gordura no sangue. Ou seja, um ótimo auxiliar no emagrecimento. Além disso, é rico em vitamina E, que ajuda na limpeza de substâncias oxidantes no corpo.

Um outro ponto positivo citado pelos especialistas é o controle do apetite, pois o óleo é estimulante e ajuda a enviar a mensagem mais rápida ao cérebro do ato de comer, trazendo a sensação de saciedade mais rápido.

O cártamo pode ser encontrado em diversas lojas de produtos naturais por preço médio de R$ 50 o pote com 60 cápsulas. Porém, sempre é aconselhável a procurar um médico antes do início de qualquer tratamento.



Por: Sobre isso

Publicado em: 23/02/2011

Fonte: http://sobreisso.com/2011/02/23/oleo-de-cartamo-para-perder-peso/

Previna-se de cinco doenças típicas da gestação

Saiba o que é cistite, vulvovaginite, pré-eclampsia, diabetes gestacional e anemia ferropriva.

Enjôos, vômitos, queimação, dores lombares, fraquezas, desmaios e salivação são alguns dos sintomas mais comuns relacionados ao início da gestação. Entretanto, no decorrer da gravidez, a mulher também pode sofrer com outros problemas de saúde, que precisam de cuidados e tratamentos especiais.

— Durante o período gestacional, a futura mamãe não deve se preocupar apenas com o bebê, mas também consigo mesma. Afinal, seu bem estar influencia diretamente no desenvolvimento saudável da criança. A mulher precisa estar atenta a todas as mudanças que ocorrem em seu corpo, além de cuidar de sua alimentação, atividade física e descanso — explica a ginecologista Rosa Maria Neme, doutora em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, clínica de São Paulo especializada no tratamento da doença.

— Como é um período de mudanças intensas no corpo, para evitar ou mesmo detectar qualquer problema de saúde. É primordial que a mulher faça o pré-natal, a fim de impedir qualquer complicação, pois muitas gestantes acabam desenvolvendo algumas doenças que são típicas da gestação, as quais podemos prevenir ou tratar precocemente — afirma a médica.

Para saber quais são estas doenças, as razões que levam ao seu aparecimento, sintomas e como tratar, entrevistamos a ginecologista Rosa Maria Neme.

VULVOVAGINITE
O que é: trata-se de uma manifestação inflamatória ou infecciosa do trato genital feminino inferior, região que envolve a vulva, a vagina e o colo uterino. A mais comum delas é a candidíase, causada pelo fungo Cândida albicans.
Principais sintomas: corrimento, dor ao urinar, coceira.
Por que surge na gravidez: “Devido à queda na imunidade da gestante, a cândida, que habitualmente vive no intestino e faz parte da flora vaginal normal, prolifera e passa para a vagina provocando a infecção”, explica a Dra. Rosa Maria Neme.
Como prevenir: higiene adequada e adoção de medidas que melhorem a imunidade, como atividade física e alimentação balanceada.
Tratamento: são prescritos cremes vaginais antifúngicos por até sete dias para aliviar o incômodo. Não há riscos para a mãe ou o bebê.

CISTITE
O que é: infecção das vias urinárias.
Principais sintomas: desejo freqüente de urinar, sensação de ardor ao urinar, dor no baixo ventre, sangramento.
Por que surge na gravidez: a progesterona (hormônio predominante na gravidez) provoca uma dilatação das vias urinárias que impede a bexiga de se esvaziar completamente, favorecendo a infecção.
Como prevenir: ingestão de líquidos e não prender a urina.
Tratamento: o antibiótico é prescrito após exame de urina para identificar o agente responsável pela infecção. Se não for tratada rapidamente, esta doença pode atingir os rins (pielonefrite), provocar ruptura da bolsa ou até parto prematuro.

PRÉ-ECLAMPSIA

O que é: aumento da pressão arterial após o quinto mês de gestação (essa elevação é restrita à gravidez, após o parto a pressão volta ao normal).
Principais sintomas: inchaço, espuma na urina, dor de cabeça e de estômago, convulsão, dores abdominais, vista embaralhada.
Por que surge na gravidez: ainda não se sabe, mas está relacionada à presença da placenta.
Como prevenir: acompanhamento pré-natal, principalmente no final da gestação. Nos casos mais graves, que podem evoluir para a eclampsia, o médico pode antecipar o parto, pois há risco de morte para a mãe e o bebê;
Tratamento: repouso, controle da pressão arterial, medicamento e dieta com pouco sal.

DIABETES GESTACIONAL

O que é: alteração nas taxas de açúcar no sangue que aparece ou é detectada pela primeira vez na gestação. Pode persistir ou não depois do nascimento do bebê.
Principais sintomas: sede, aumento na quantidade de urina, náusea, vômito, infecções freqüentes, visão embaçada.
Por que surge na gravidez: ainda não há um consenso. Dentre os fatores de risco estão histórico familiar de diabetes, obesidade ou excesso de peso na gravidez, um filho anterior com peso acima de 4 quilos ou deformação congênita, pré-eclampsia e idade avançada materna.
Como prevenir: controle do peso e exame de sangue.
Tratamento: dieta adequada e, eventualmente, injeções de insulina.
— Quando descompensado, o diabetes gestacional pode antecipar o parto ou até mesmo provocar a morte do feto — diz a especialista.
O exame para detectar o diabetes gestacional deve ser feito entre a 24ª e a 28ª semana da gestação.

ANEMIA FERROPRIVA
O que é: deficiência de ferro que interfere na formação de hemoglobina e glóbulos vermelhos.
Principais sintomas: fraqueza, palidez, falta de fôlego, sono excessivo.
Por que surge na gravidez: dieta inadequada, falta de reposição de ferro e diluição natural do sangue na gestação, dado ao aumento de retenção de líquido.
Como prevenir: suplementação de vitaminas e dieta balanceada, rica em agrião, espinafre, lentilha, feijão branco, frutas secas, gema de ovo, fígado, escarola, melão, abacate, entre outras fontes de ferro.
Tratamento: medicamento oral ou injetável à base de ferro e dieta balanceada.



Por: ClicRBS - Rosa Maria Neme

Publicado em: 23/02/2011

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/donnadc/19,0,3212086,Previna-se-de-cinco-doencas-tipicas-da-gestacao.html

Uso prolongado do celular altera atividade cerebral

Campos magnéticos

Um novo estudo sugere que o uso de telefones celulares por um período prolongado pode afetar o funcionamento dos nossos cérebros, ainda que não haja conclusões sobre os efeitos disso na saúde.

Os cientistas dos Centros Nacionais de Saúde dos EUA (NIH) notaram que, após 50 minutos de conversa no celular, havia 7% mais consumo de açúcar no cérebro nas regiões próximas à antena do aparelho.

A presença de glicose é um sinal de aumento na atividade cerebral.

A pesquisa, feita com 47 pessoas e publicada no periódico Journal of the American Medical Association, é uma das primeiras a investigar os efeitos fisiológicos do celular ao observar os efeitos de seus campos magnéticos.

Uso intensivo do celular

Os participantes do estudo ficaram com dois celulares colados a seus ouvidos, um desligado e um ligado (mas sem volume, para que eles não notassem a diferença entre cada aparelho).

Durante 50 minutos, os pesquisadores monitoraram, com um escâner, a diferença nos níveis de glicose e observaram que, no lado do cérebro próximo ao telefone ligado, a presença de açúcar era maior.

Mas o estudo não oferece nenhuma conclusão sobre possíveis riscos para a saúde contidos no uso do celular.

"Esses resultados não provam potenciais efeitos cancerígenos (do celular) ou a ausência deles", diz a pesquisa.

Os resultados de outros estudos têm sido controversos, mas tem sido uma unanimidade entre os cientistas que mais estudos de mais longo prazo são necessários para descobrir eventuais efeitos.

Sensibilidade do cérebro

Para o professor Patrick Haggard, do Instituto de Neurociência Cognitiva da Universidade College London, o estudo americano traz conclusões interessantes, mas lembra que "flutuações muito maiores nas taxas metabólicas do cérebro ocorrem naturalmente, por exemplo enquanto bebemos".

"No entanto, se próximos estudos confirmarem que o sinal do celular tem um efeito direto no metabolismo, daí será importante investigar se esses efeitos terão implicações na nossa saúde", agregou Haggard.

"Não podemos determinar a relevância clínica do estudo, mas nossos resultados mostram que o cérebro humano é sensível aos efeitos dos campos magnéticos em exposições (prolongadas)", disse Gene-Jack Wang, um dos responsáveis pela pesquisa, ao site especializado MedPage Today.

Mas Wang adverte que "mais estudos são necessários para avaliar se os efeitos que observamos podem ter consequências potenciais de longo prazo".



Por: Diário da Saúde - Com informações da BBC

Publicado em: 24/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=celular-altera-atividade-cerebral&id=6227

Óleo de lavanda combate infecções causadas por fungos

Antifúngicos

O óleo de lavanda é eficaz no combate à crescente incidência de infecções resistentes a antifúngicos.

A pesquisa, realizada na Universidade de Coimbra, em Portugal, foi publicada no Journal of Medical Microbiology.

O óleo essencial de lavanda mostrou um potente efeito antifúngico contra as cepas de fungos responsáveis por infecções comuns da pele e das unhas.

Dermatófitos e candidíase

Os cientistas usaram o óleo de lavanda destilado a partir da Lavandula viridis.

O óleo foi testado contra uma variedade de fungos patogênicos e se mostrou letal para uma grande variedade de cepas patogênicas que atacam a pele humana, conhecidos como dermatófitos, bem como para várias espécies de Candida albicans, fungo causador da candidíase.

Os dermatófitos causam infecções na pele, unhas e cabelos, uma vez que usam a queratina presente nesses tecidos para obter nutrientes. Eles são responsáveis por doenças como a micose pé de atleta e a dermatofitose e também podem levar a infecções do couro cabeludo e sob as unhas.

As várias espécies de Candida coexistem com a maioria dos indivíduos saudáveis sem causar problemas, mas podem causar candidíase mucocutânea - ou afta - em algumas pessoas.

Em pacientes imunocomprometidos, algumas espécies de Candida podem causar infecções graves se as células fúngicas entrarem na corrente sanguínea.

Óleo de lavanda

Atualmente, existem relativamente poucos tipos de drogas antifúngicas para o tratamento de infecções, e as que estão disponíveis muitas vezes têm efeitos colaterais.

Lígia Salgueiro e Eugénia Pinto, que conduziram este estudo, explicam porque novos fungicidas são urgentemente necessários:

"Nos últimos anos tem havido um aumento na incidência de doenças fúngicas, particularmente entre pacientes imunocomprometidos," afirmam elas em seu artigo. "Infelizmente, há também um aumento na resistência às drogas antifúngicas. Estudos realizados pelo nosso grupo e por outros mostraram que os óleos essenciais podem ser alternativas eficazes e baratas, com efeitos colaterais mínimos".

Os óleos essenciais destilados do gênero Lavandula (alfazema) já são amplamente utilizados em alimentos e na indústria de perfumes e cosméticos.

Estudos das atividades biológicas desses óleos demonstram propriedades sedativas e antiespasmódicas, além de serem potentes agentes antimicrobianos e antioxidantes.

Twitter Facebook Orkut MySpace Digg Blogger Mais...

Por: Diário da Saúde - Laura Udakis

Publicado em: 22/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-lavanda-infeccoes-fungos&id=6214

Alho controla a pressão alta

Que o alho é excelente para diversos problemas de saúde, isso não é novidade. Recentemente, um estudo a Universidade de Adelaide, na Austrália, constatou outro benefício da planta. Constatou-se que ele também é bom para controlar a pressão alta. Porém, o alho ideal para evitar a hipertensão é o extrato de alho envelhecido, encontrado em cápsulas. O que diferencia o alho convencional do extrato para este caso é a forma de preparo. Ao cozinhar o alho fresco, o ingrediente responsável pela redução da pressão arterial desaparece, disseram os cientistas australianos. Os pesquisadores ressaltaram, no entanto, que o extrato de alho envelhecido não deve ser a única maneira para controlar a doença e sim, mais uma dela, associado aos medicamentos prescritos pelos médicos. Há mais de 7 mil anos a medicina tradicional da Índia, a Ayurveda, usa o alho no tratamento da pressão alta. O bulbo é um agente antiespasmódico. Por isso, ele reduz a pressão nas artérias, causada com a ação do bombeamento do coração durante a circulação sanguínea, criando um ritmo no bombeamento do coração. A pressão arterial elevada é um dos principais responsáveis pelas doenças cardíacas. Ela também causa doenças cardíacas, derrames e insuficiência cardíaca. A doença também afeta os vasos sanguíneos, coração, cérebro, olhos e rins. Os sintomas da pressão alta são dores no peito, fraqueza, dor de cabeça, tontura, zumbido no ouvido e perda de sangue nasal. Para evitá-la, os médicos recomendam uma vida saudável: atividade física diária, bons hábitos alimentares e evitar gordura na alimentação.


Por: Carolina Abranches - Diário do Grande ABC - Seção: Bem Estar

Publicado em: 24/02/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5868663/alho-controla-a-pressao-alta.aspx

Existem seis tipos de massagens que ajudam a aliviar o estresse

Quem não gosta de uma massagem relaxante após um dia cansativo de serviço? A massagem, além de ajudar a melhorar a circulação e aliviar a musculatura, pode contribuir com o alívio do estresse. São seis tipos de massagem terapêutica que prometem contribuir com a saúde física e mental das pessoas.

“A massagem ajuda no equilíbrio do organismo de forma geral, além do alívio do estresse provê benefícios emocionais”, ressalta a tutora do Portal Educação, Caroline Ueno. Além do mais, seus benefícios incluem amenizar a dor, fadiga e má postura. Porém, é preciso tomar cuidado com a massagem após cirurgia, inflamações e outras doenças graves.

Entre as técnicas que ajudam a promover o relaxamento estão o Shiatsu. De origem milenar, a técnica que utiliza os dedos e a palma das mãos para fazer pressão sobre a pele, foi desenvolvida pelos orientais. Tem como propriedade o relaxamento, energização, liberação dos pontos de tensão muscular e melhora da função dos órgãos internos.

Já a Reflexologia é a estimulação dos pontos dos pés com pressão, fricções e massagens. Como os órgãos, músculos e glândulas têm pontos nos pés, sua estimulação promove um reequilíbrio. Ainda existem as massagens clássicas, realizadas em determinadas regiões para aliviar a dor. Já a massagem relaxante utiliza os movimentos suaves, com óleos aromáticos, proporcionando uma sensação de conforto e descanso.

O Reiki é a transmissão de energia pela simples imposição das mãos em posições específicas na cabeça, no tórax, no abdômen e nas costas. Seus benefícios são físicos, mentais e espirituais com alívio no estresse. Ainda, de acordo com especialistas, existe a comprovação de cura em ferimentos, cortes, queimaduras, dores de cabeça, TPM e muitos outros.

Por último, há ainda a terapia das pedras quentes que relaxa a musculatura por meio de energias do corpo com massagem de pedras vulcânicas e sedimentares. Produz reações fisiológicas e orgânicas, além de provocar respostas sedativas.



Por: Pantanal News - Seção: Saúde

Publicado em: 16/02/2011

Fonte: http://www.pantanalnews.com.br/contents.php?CID=66422

Massagens orientais

Nos últimos vinte anos, as técnicas orientais de massagem têm, gradativa mas firmemente, conquistado espaço no Ocidente. Por vezes ainda prejudicadas pelo descrédito dos círculos médicos oficiais, há muito que podem oferecer, pois constituem métodos altamente eficazes para a prevenção e o tratamento de muitas enfermidades.

Nas últimas décadas passaram a ser assimiladas pelas técnicas ocidentais, sendo que um dos resultados dessa fusão foi o surgimento de um novo tipo de massagista, mais informado e flexível. Essa mescla não é, entretanto, um processo acabado. No Brasil, por exemplo, elas ainda permanecem muito ligadas à imagem da própria pessoa massageando, em si mesma e com as pontas dos dedos, alguns pontos específicos. Na China e no Japão, porém, massagem é algo muito mais amplo. Acredita-se que o conceito restrito que se faz dessa modalidade terapêutica seja decorrência da maneira como foi levada aos Estados Unidos (de lá vindo para estas Terras de Santa Cruz), onde, para evitar problemas com a medicina oficial, limitou-se praticamente à automassagem.

Em meados da década de 70, a Organização Mundial de Saúde, visando minorar os problemas de saúde dos povos subdesenvolvidos, pronunciou-se no sentido de que cada nação não se esquecesse de sua Medicina tradicional local e incentivou pesquisas que viessem (ou não!) a confirmar as tradições populares. A atitude tomada por esse órgão internacional destacou a importância da prevenção, campo onde a massagem oriental vem atuando, em todo o mundo, com resultados excelentes. Já na China de antanho, antes do início de cada estação, os médicos visitavam seus pacientes, em geral famílias inteiras, para estimularem por meio de massagem e Acupuntura os órgãos que esperava-se serem mais sobrecarregados no período. Caso os pacientes atendidos viessem a adoecer o médico não recebia seus honorários.

Mas a massoterapia, no Oriente, sempre foi mais que isso, caracterizando-se, também, como poderosíssimo meio de comunicação interpessoal. Muitas famílias japonesas, por exemplo, ainda mantêm o saudável hábito do toque, se bem que seguindo certos padrões: os avós massageiam os netos, que massageiam os pais, os quais, por sua vez, massageiam os avós. Tal costume, além de aproximar as gerações, toma mais fácil o entendimento entre as pessoas. A comunicação íntima que acontece por meio da massagem é o que a toma especial frente às outras modalidades de tratamento. Igualmente à Acupuntura, ela é capaz de tratar e sanar males físicos e mentais, no entanto, quando se trata de problemas emocionais, o toque humano, sem dúvida, oferece ajuda mais eficiente do que as frias agulhas.

Alguém que esteja, por exemplo, sofrendo com a perda de um ente querido, poderá manifestar disfunção de determinados órgãos e, além disso, possivelmente terá necessidade de um apoio de base sensorial que a massagem pode promover. A postura do profissional dessa atividade parece estar sendo a principal responsável pelo crescente sucesso que ela vem obtendo. Essa postura traduz-se pela maneira com que se dá o contato com o doente, atento e afetivo, pois tanto para o massagista quanto para os demais especialistas que trabalham com as diversas formas de “terapias suaves” (Homeopatia, Acupuntura, Oligoterapia, Florais, etc), é necessário conhecer muito sobre o paciente: sua vida, seus hábitos, os antecedentes do problema apresentado, etc. Além disso, observa-se uma atitude de incentivo ao poder de autocura do enfermo, o que fortalece sua autoconfiança.

Tanto o Do-in quanto o Shiatsu têm como base os mesmos elementos da Acupuntura, com o reconhecimento da existência de uma energia vital (ou Chi) caracterizada pelas polaridades Yin-Yang, que circula no organismo por meio de Meridianos, verdadeiros canais de energia, os quais conectam pontos que apresentam propriedades específicas. Também levam em conta a relação existente entre tais canais e os órgãos do corpo humano, assim como o efeito decorrente de estímulos aplicados em certas áreas da pele sobre determinados órgãos. No Do-in estimulam-se apenas alguns pontos do canal energético em desequilíbrio, ao passo que no Shiatsu o canal inteiro recebe estímulo através do massageamento de toda sua extensão. Ademais, ao invés de ser aplicada em todo o corpo, pode-se fazer uso apenas de pés, mãos e orelhas, que possuem zonas reflexas de todos órgãos e vísceras interiores.



Por: Tribuna do Norte - Dr. Jorge Boucinhas - Seção: Artigos

Publicado em: 06/02/2011

Fonte: http://tribunadonorte.com.br/noticia/massagens-orientais/171988

Aprenda a melhor técnica para fazer meditação em casa

A prática da meditação, adotada por um número cada vez maior de pessoas, pode ser feita em casa, sem nenhum prejuízo à atividade. Andy Puddicombe, especialista em meditação, ensina alguns passos rápidos para quem quer começar o dia com tranquilidade e energias renovadas.

Ao todo, são seis passos para realizar a prática oriental no conforto da sua casa. A primeira etapa é a da preparação. Escolha um lugar tranquilo da residência. Em seguida, sente-se com as mãos sobre os joelhos e mantenha as costas retas. Deixe o pescoço relaxado e o queixo ligeiramente abaixado.

O próximo passo é trabalhar a respiração. Olhe para um ponto fixo e tente não pensar em nada. Inspire pelo nariz e expire pela boca cinco vezes seguidas. O objetivo do exercício é esquecer dos problemas do dia a dia.

A “observação” é a terceira etapa a seguir. Preste atenção no seu corpo. Primeiro observe a sua postura, as sensações do corpo e o peso dos braços e das mãos. Depois fique atento aos cheiros e aos barulhos que estão a sua volta.

Em seguida, concentre-se nos seus pensamentos e observe por 20 segundos cada parte do seu corpo. Por mais 30 segundos, reflita sobre o objetivo desta meditação. Esta é a quarta parte do processo.

A quinta e penúltima etapa é “sentir a respiração”. Silenciosamente, conte as suas respirações e observe como você inspira e expira o ar. Não apresse a respiração, deixe-a seguir o próprio ritmo. Por fim, pense nas partes do seu corpo por mais 30 segundos. E durante o dia concentre-se nas tarefas com calma.


Por: e-Band - Jornalismo - Seção: Saúde

Publicado em: 01/03/2011

Fonte: http://www.band.com.br/jornalismo/saude/conteudo.asp?ID=100000405355

Acupuntura é o remédio para alívio de cólicas, diz estudo

Cinco em cada dez mulheres em idade reprodutiva no mundo sofrem mensalmente com esse incômodo que tira a pessoa do sério. As cólicas menstruais, que também podem vir associadas a irritação excessiva e dor de cabeça, têm sido motivo de estudos recentes mundo afora. Publicado no Journal of Obstetrics and Gynecology, o mais recente estudo sobre o tema realizado na Coréia com mais de três mil mulheres concluiu que a acupuntura – técnica chinesa que estimula diversos pontos do corpo por meio da aplicação de agulhas próprias – é excelente no alívio a esse mal.

Segundo os estudiosos, as agulhadas podem ser mais eficazes, inclusive, do que analgésicos e suplementos naturais, pois trata a dor por meio da estimulação da produção de endorfina e serotonina no sistema nervoso central – hormônios que promovem bem-estar. O órgão americano National Institutes of Health (NIH) também recomenda a acupuntura como uma das formas de controlar a dor causada pelas cólicas menstruais.



Por: Correio do Estado - Seção: Viver Melhor

Publicado em: 02/03/2011

Fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/acupuntura-e-o-remedio-para-alivio-de-colicas-diz-estudo_101354/

Especialista destaca importância da acupuntura para a libido

Especialistas afirmam: namorar é tão importante para manter o equilíbrio hormonal como alimentar. Atualmente muitas são as causas da perda da libido como, por exemplo, desequilíbrios hormonais, nódulos, infecções, uso de medicações que causam efeitos colaterais, tanto no homem quanto na mulher, porém, 10% das causas são psicológicas geradas pela dificuldade em lidar com pressão por melhor desempenho profissional, prazos, contas a pagar, além da atenção às questões familiares. O resultado são crises de ansiedade, enxaquecas, irritabilidade, insônia e surgimento de doenças crônicas, como hipertensão, perda de memória e de concentração.

Quando existe desequilíbrio entre as energias Yin e Yang, também acontece desequilíbrio no interesse pelo sexo e disposição para atividades recreativas. A acupuntura preconiza que a saúde mental e do organismo físico, como um complexo interligado, estão intimamente ligadas à saúde sexual. “É o desequilíbrio dessas forças que causam dores, gerando pessoas deprimidas, irritadas, impacientes e sem sono. As agulhas na acupuntura desobstruem canais de energia, restabelecendo a distribuição adequada a cada indivíduo e sua atuação”, explica a fisioterapeuta Nelbia Jerônimo Ribeiro. O sexo é tão importante quanto a alimentação, o sono, a sede e as necessidades fisiológicas, já que a atividade nos torna mais felizes.

O tratamento para trazer de volta a libido através da acupuntura, promove o aumento da produção dos hormônios do prazer como a endorfina que relaxa, acalma e nos torna felizes, a serotonina que tem ação profunda no efeito do humor e da ansiedade e a noradrenalina que induz a excitação física e mental ativando o centro do prazer, além de aumentar o estrógeno e a testosterona, hormônios importantes para a libido.

Cada ponto do nosso corpo tem uma função local e outra sistêmica. A especialista destaca que avaliação completa, buscando descobrir a causa do problema, revela a energia em desequilíbrio ou canal obstruído e que pontos devem ser abordados. Os efeitos do tratamento aparecem nas primeiras sessões, cada uma com duração de 30 minutos, sendo possível perceber melhoras significativas em aproximadamente três meses, dependendo do benefício almejado. “A agulha é mais fina que um fio de cabelo e descartável. De acordo com o objetivo, escolhemos até 10 pontos e colocamos as agulhas no corpo que atuarão em doenças respiratórias, circulatórias, do sistema nervoso, emocionais etc”, frisa Nelbia.


Por: JM On Line

Publicado em: 21/03/2011

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,42909

Duas formas de lidar com as emoções negativas

Lutar ou fugir

Uma grande parte da arte de bem lidar com a vida consiste em ter uma reação flexível com os altos e baixos com que todos nos defrontamos.

Contudo, as pessoas respondem de forma diferente aos fatos, dependendo de quão intensa é a emoção associada a eles, segundo um estudo publicado na revista científica Psychological Science.

Quando confrontadas com emoções fortemente negativas, elas tendem a preferir desviar sua atenção.

Com algo de menor intensidade, contudo, as pessoas tendem a pensar sobre o acontecido e procurar uma maneira de neutralizar a emoção.

Prós e contras das emoções

As emoções são úteis - por exemplo, o medo diz para seu corpo ficar pronto para fugir ou lutar em uma situação perigosa.

Mas as emoções também podem se tornar problemáticas - por exemplo, pessoas com depressão que não conseguem parar de pensar em ideias negativas.

"Felizmente, as nossas emoções podem ser ajustadas de várias formas", afirma Gal Sheppes, da Universidade de Stanford, que realizou o estudo juntamente com seus colegas Gaurav Suri, James J. Gross e Susanne Scheibe (Universidade de Groningen).

Controle das emoções

Sheppes e seus colegas estudaram duas formas principais que as pessoas usam para controlar suas emoções: distraindo-se ou reavaliando a situação.

Por exemplo, se você está na sala de espera do dentista, você pode distrair-se do desconforto iminente lendo sobre separações de celebridades: seria uma forma de ver que outros estão em situação pior do que a sua.

Enquanto muitos estudos anteriores instruíam diretamente as pessoas a empregar estratégias diferentes e mediam as consequências, os pesquisadores queriam saber quais estratégias de controle as pessoas adotam para si mesmas quando se confrontam com situações negativas de intensidades leve e forte.

Emoções fortes e fracas

Os experimentos mostraram que, quando a emoção negativa é de baixa intensidade, os participantes preferiam reavaliar - pensar sobre ela, dizendo a si mesmos por que não era tão ruim assim.

Mas, quando as emoções de alta intensidade surgiram, eles preferiram se distrair.

Segundo os pesquisadores, entender quais estratégias as pessoas saudáveis preferem usar para regular as emoções em contextos diferentes pode ajudar no tratamento das pessoas com depressão e transtornos de ansiedade.

Pode ser que elas tenham esses problemas justamente por terem dificuldade para ajustar de forma flexível suas emoções a diferentes exigências e situações.

Segundo Sheppes, talvez elas precisem aprender quando se envolver e quando manter uma certa distância das emoções.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 08/07/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=duas-formas-lidar-emocoes-negativas&id=6684

Poluição aumenta risco de aterosclerose mesmo com dieta saudável

Poluição na veia

A exposição à poluição atmosférica nos grandes centros urbanos durante a gestação e logo após o nascimento aumenta o risco de desenvolvimento de aterosclerose em indivíduos predispostos à doença.

Isso ocorre mesmo que esses indivíduos adotem uma dieta saudável, com baixos teores de gordura.

A aterosclerose é uma doença inflamatória, caracterizada pelo enrijecimento e obstrução dos vasos sanguíneos devido à formação de placas de gordura.

Seu agravamento ao longo dos anos pode causar problemas como infarto, acidente vascular cerebral e trombose.

Predisposição genética

"Diversos estudos apontam a poluição como fator de risco para a doença, mas, de acordo com a literatura científica, animais predispostos só desenvolveriam a placa aterosclerótica caso recebessem uma dieta rica em gorduras. Por isso os resultados que obtivemos surpreenderam", disse Mariana Matera Veras, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, responsável pelo estudo.

Mariana trabalhou com camundongos geneticamente modificados para desenvolvimento de aterosclerose - o que ressalta que as conclusões se aplicam a indivíduos com predisposição para a doença.

"Nos animais que receberam a dieta rica em gordura o efeito da poluição foi menos importante e obscurecido pela alimentação", disse a pesquisadora, confirmando o forte impacto da alimentação sobre a doença.

Poluição durante a gravidez

Já entre os camundongos com dieta balanceada, aqueles expostos à poluição durante a gestação apresentaram placa aterosclerótica três vezes maior que a observada no grupo controle.

Nos camundongos expostos aos poluentes apenas após o nascimento, a placa foi sete vezes maior e, quando somadas a exposição gestacional e a pós-natal, o aumento foi de 13 vezes.

"Os dados sugerem que a poluição funciona como um fator de modificação do ambiente uterino. A poluição pode programar esses animais, fazendo com que tenham maior risco de desenvolver aterosclerose mesmo que após o nascimento adotem dieta balanceada e vivam em um local com ar puro", disse Veras.

Outros estudos já demonstraram que a poluição atmosférica gera problemas na gravidez e que a poluição é causa do nascimento de crianças com peso baixo.



Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência Fapesp

Publicado em: 17/07/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=poluicao-aterosclerose&id=7978

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR