Artigos & Informações
Portimão(Portugal): Doentes com Cancro recorrem mais a Terapias Complementares

Os doentes com cancro recorrem cada vez mais às terapias complementares. Esta foi uma das principais conclusões do Seminário de Terapias Complementares em Oncologia, realizado no passado sábado, em Portimão.

O evento foi organizado pelo Núcleo de Psicologia da Associação Oncológica do Algarve (AOA) e, segundo os responsáveis, “foi um autêntico sucesso”, contando com presença de cerca de 130 participantes, entre técnicos de saúde, pacientes e familiares, vindos de todo o Algarve e não só.

“Algumas das conclusões mais significativas que foram retiradas no final do dia poderiam ser resumidas da seguinte maneira: os doentes com cancro recorrem cada vez mais às terapias complementares; os médicos convencionais deveriam aprofundar os seus conhecimentos sobre as terapias complementares e estarem mais abertos para as debater com os seus pacientes; a alimentação correcta, o exercício físico apropriado e a gestão correcta do stress diário e dos traumas emocionais do passado podem contribuir para a prevenção e tratamento do cancro; a medicina tradicional chinesa pode dar um contributo importante no tratamento e prevenção do cancro; o CHI KUNG, a MEDITAÇÃO e o REIKI são terapias simples e acessíveis que os doentes podem aprender e utilizar regularmente para manter ou melhorar a sua qualidade de vida”, resumem os responsáveis da AOA(Associação Oncológica do Algarve) .

O seminário contou com o apoio da Junta de Freguesia de Portimão, Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio e Teatro Municipal de Portimão.


Por: NCouto - Jornal do Algarve

Publicado em: 13/07/2010

Fonte: http://www.jornaldoalgarve.pt/2010/07/portimao-doentes-com-cancro-recorrem-mais-a-terapias-complementares/

Dicas de Saúde - O que comer antes de dormir?

Durante o sono, vários órgãos têm seu funcionamento alterado, ficando mais lentos. O sistema digestivo praticamente para de funcionar. Portanto, é necessário tomar cuidado com o que se come antes de dormir. Os cuidados com a alimentação devem estar presentes em todas as refeições, devendo ser redobrados à noite.

No período noturno, nosso metabolismo é mais lento. Portanto, ao ingerirmos alimentos como carnes gordurosas, frituras, massas e doces, as calorias são armazenadas no organismo sob a forma de gordura. Além disso, escolhas inadequadas antes de dormir, como bebidas estimulantes, podem atrapalhar o sono e se refletir no dia seguinte em sonolência, cansaço e até irritação.

Truques
Um copo de leite quentinho, servido antes de dormir, ajuda a ter uma noite tranquila. Este recurso usado por mães e avós é comprovado cientificamente: o leite é rico em triptofano, substância que naturalmente induz ao sono, além de aumentar a quantidade de serotonina - neurotransmissor que, entre outras atribuições, funciona como sedativo no cérebro e, portanto, também colabora para uma noite de sono tranquila e relaxante.

Antes de ir para a cama
Quando se trata de fazer uma refeição antes de dormir, o mais indicado é comer pelo menos duas horas antes de ir para cama. Após esse período, o processo digestivo estará completo e serão evitadas complicações como sono agitado e pesadelos.

Processo digestivo
É bom lembrar que a digestão começa na boca. Para evitar aquele peso no estômago logo após a refeição, o ideal é comer lentamente e mastigar bastante os alimentos. O trabalho da digestão do estômago será facilitado.

Além disso, a mastigação estimula o hipotálamo (glândula de secreção hormonal interna localizada na base do cérebro), que avisa o organismo quando a comida está entrando. Normalmente, o corpo humano leva 20 minutos para “reconhecer” que foi alimentado.

Você sabia que:
O organismo leva, em média, quatro horas para concluir a digestão de uma refeição completa e rica em diversidade de alimentos.
Pessoas que sofrem de apnéia do sono - outra condição agravada pelo ‘comer noturno’- podem apresentar um sono agitado, roncos e até mesmo paradas respiratórias.
Além disso, pessoas que apresentam refluxo gastroesofágico (retorno do alimento do estômago para o esôfago) não devem comer e dormir antes que a digestão tenha terminado, evitando assim o mal-estar proporcionado pelas náuseas e pela popular “azia”.
Em alguns casos, comer à noite pode estar relacionado à ansiedade e à depressão, situações que agravam o ato de comer compulsivamente.
Ingerir alimentos leves, como a maioria dos legumes, saladas, carnes brancas como peixes e frango, gelatina, além de beber bastante líquido, matam a fome, não prejudicam o sono e são alimentos com baixos índices calóricos.
Alguns legumes, como pepino, berinjela e pimentão, são de difícil digestão e não devem entrar no cardápio noturno, assim como a pele que recobre o frango, que é muito gordurosa.

O que espanta o sono
Pelo menos quatro horas antes de dormir, evite tomar chocolate, café, chá preto ou mate, guaraná e refrigerantes à base de cola. Estas bebidas são fontes de xantina e cafeína, substâncias que estimulam o sistema nervoso central.
Ingerir à noite alimentos ricos em gordura, assim como molhos condimentados, atrapalha a digestão e, consequentemente, o sono.
Ao contrário do que se pensa, as bebidas alcoólicas não propiciam o sono. Altas doses podem ser prejudiciais porque estimulam o sistema nervoso.



Por: Dr. Clodoaldo Pacheco

Publicado em: 22/09/2010

Fonte: http://www.havid.com.br/conteudo.php?mnu=dicasdesaude_mostra&dica=dicas_comer_antes_dormir

Troca de roupa por sessão de Reiki

A Associação Portuguesa de Reiki está a promover uma acção de solidariedade muito original. A iniciativa propõe recolher roupa para os mais carenciados e desalojados fazerem frente ao frio e oferecem em troca... a terapia Reiki.

A campanha Projecto Reiki Solidário decorre de 10 a 23 de Dezembro, com a ajuda de terapeutas voluntários que trocam a terapia por pela roupa entregue. Quem estiver interessado em ajudar pode contactar um dos espaços envolvidos na iniciativa, seja para oferecer a terapia gratuitamente ou para entregar as roupas.

Os espaços envolvidos: Spaso Zen e Arte e Simplicidade, no Porto, Sakura, em Penafiel e Vila Nova de Gaia e o Espaço de Emilia Ribeiro, em Santo Tirso. A prioridade é dada a roupas quentes como cobertores, camisolas de lã, casacos, sacos-cama e meias, entre outros.

Em Lisboa, no domingo, a Fundação Gulbenkian vai ter ateliês e concertos. Tudo com entrada livre. Neste dia vai promover a angariação de instrumentos musicais usados, para enviar para crianças e jovens de Moçambique.

Até dia 23 de Dezembro, o Paço dos Duques de Bragança promove uma campanha de recolha de roupas, brinquedos e alimentos, para distribuir por famílias carenciadas do concelho de Guimarães. Quem quiser colaborar pode entregar as ofertas no Paço, de terça a domingo, das 10 às 18 horas.

Em Paredes, a autarquia vai promover uma recolha de alimentos, em algumas superfícies comerciais, de sexta-feira a domingo. Os alimentos são para distribuir em cabazes a famílias carenciadas do concelho.



Por: Jornal de Notícias - Susana Ribeiro

Publicado em: 09/12/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1730054

Refrigerantes podem aumentar pressão arterial

Açúcar aumenta pressão

O consumo de refrigerantes e outras bebidas com grande quantidade de açúcar traz risco de aumento da pressão arterial, segundo afirma um estudo realizado por especialistas americanos e britânicos.

A pesquisa, feita com 2,5 mil pessoas e publicada na revista científica Hypertension, afirma que beber mais de 355 ml diários de bebidas com gás ou sucos de fruta contendo açúcar é o suficiente para desequilibrar a pressão.

Embora o motivo exato desta relação entre pressão e refrigerantes ainda não seja clara, os cientistas acreditam que o excesso de açúcar no sangue prejudica o tônus das veias sanguíneas e desequilibra os níveis de sal no organismo.

Pressão sistólica e pressão diastólica

De acordo com a pesquisa, para cada lata de bebida com açúcar consumida por dia, os participantes tinham em média uma alta de 1,6mmHg (milímetro de mercúrio) em sua pressão sistólica (quando o coração se contrai e bombeia sangue no corpo).

Já a pressão diastólica - quando o coração relaxa e recebe o sangue do sistema circulatório - teve um acréscimo de 0,8mmHg para cada lata de refrigerante ou suco contendo açúcar bebido por dia.

Os cientistas descobriram que o consumo de açúcar era maior entre aqueles que tomavam mais de uma bebida açucarada por dia.

Além disto, segundo o estudo, os indivíduos que consumiam mais de uma dose diária de refrigerantes e bebidas açucaradas ingeriam em torno de 397 calorias a mais por dia do que as pessoas que bebiam produtos sem açúcar.

Na pesquisa, os participantes, com idades entre 40 e 59 anos, anotaram o que haviam comido nas 24 horas anteriores e fizeram um exame de urina, além de terem medida a sua pressão arterial.

Dieta açucarada

A entidade American Heart Association, sediada nos Estados Unidos, recomenda que não se consuma mais do que três latas de refrigerante de 355ml por semana.

Os cientistas também verificaram que, em geral, as pessoas que consumiam muitas bebidas açucaradas tinham dietas menos saudáveis e tinham uma tendência maior para o sobrepeso.

No entanto, segundo o estudo, a ligação entre refrigerantes e o aumento da pressão foi verificada nas pessoas entrevistadas independentemente destes fatores.

Sal e açúcar

No estudo, a relação entre bebidas açucaradas e pressão alta foi muito evidente em pessoas que consomem grandes quantidades tanto de sal quanto de açúcar. Médicos afirmam que o excesso de sal na dieta contribui para o aumento da pressão arterial.

"É amplamente sabido que, se você tiver muito sal em sua dieta, você terá mais chance de ter pressão alta", diz o cientista responsável pelo estudo, Paul Elliott, da Escola de Saúde Pública do Imperial College (Londres).

"Os resultados deste estudo sugerem que as pessoas também devem ter cuidado com quanto açúcar consomem", afirma.

A pressão alta é o maior fator de risco para doenças cardiovasculares. Médicos estimam que uma pessoa com uma pressão de 135mmHg por 85mmHg tem duas vezes mais chance de ter um enfarte ou um derrame cerebral do que alguém com 114mmHg por 75mmHg.

A entidade British Heart Foundation, com sede no Reino Unido, afirma que mais estudos são necessários para entender melhor a relação entre pressão arterial e açúcar.

A nutricionista-chefe da fundação, Victoria Taylor, diz que evitar o consumo em excesso de bebidas açucaradas é o melhor caminho para impedir a obesidade, outro fator de risco para doenças cardíacas.



Por: Diário da Saúde - Por Michelle Roberts - BBC

Publicado em: 02/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=refrigerantes-aumentam-pressao-arterial&id=6244

Meditação supera dança para harmonizar corpo e mente

Sintonia mente-corpo

Praticantes da meditação Vipassana, ou meditação da mente alerta, têm uma conexão mente-corpo mais forte do que aquela experimentada por dançarinos de balé clássico ou praticantes de dança moderna.

O estudo, realizado na Universidade da Califórnia, em Berkeley, sugere que os bailarinos profissionais de balé e os dançarinos de música moderna não estão tão emocionalmente em sintonia com seus corpos como estão as pessoas que praticam regularmente a meditação.

Observar em julgar

Os pesquisadores compararam as emoções dos dançarinos e meditadores com ritmos corporais, como a respiração e o ritmo cardíaco. Os participantes tinham entre 18 e 40 anos de idade.

Eles descobriram que os dançarinos que dedicam muito tempo e esforço para desenvolver a consciência e o controle preciso sobre seus músculos não têm uma conexão mente-corpo mais forte do que a maioria das outras pessoas.

Por outro lado, os praticantes experientes da meditação da mente alerta - uma técnica focada na observação de respiração, dos batimentos cardíacos, dos pensamentos e dos sentimentos, sem qualquer julgamento - apresentaram o maior vínculo entre mente e corpo.

"Todos nós falamos sobre as nossas emoções como se elas estivessem intimamente ligadas aos nossos corpos - como 'chorar de raiva' ou 'explodindo o coração de alegria'," explica Robert Levenson, principal autor do estudo. "Nós queríamos medir com precisão essa conexão, e descobrimos que ela é mais forte entre os meditadores."

Meditação como terapia

Os resultados oferecem novas pistas sobre o mistério da conexão mente-corpo.

Estudos prévios têm vinculado a dissociação entre mente e corpo a várias doenças médicas e psiquiátricas.

Segundo os pesquisadores, cada vez mais a meditação da mente alerta está sendo usada para tratar problemas físicos e psicológicos.

"Acreditamos que alguns destes benefícios para a saúde derivam da capacidade da meditação em aumentar a associação entre a mente e o corpo na emoção," disse Levenson.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 02/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-danca-harmonia-mente-corpo&id=6238

Maneiras de promover a desintoxicação do corpo

Não há nada como tomar banho. Deixar a água correr sobre os ombros, levando embora a sujeira e as angústias do mundo. Esse banho todo mundo toma. Mas e se fosse possível experimentar um banho interno? Limpar do avesso, ensaboar o corpo por dentro? Pois não só é possível, como tem muita gente que toma diariamente um verdadeiro banho interior.

Esse banho se faz cada vez mais necessário. É que todos os dias um cidadão médio ingere quantidades abusivas de veneno. Isso mesmo. E os vilões não são apenas aqueles alimentos que todo mundo condena, como sal, açúcar, álcool e gorduras. Existem mais formas de intoxicação do que supõe o senso comum. O ar das cidades, o cloro da água tratada, os resíduos de produtos, as crenças negativas, o estresse, as atitudes impensadas, as horas maldormidas, são todos fatores capazes de poluir nossos corpos e mentes. A gente tem a impressão de que nem se ficar de molho por horas dá para tirar tanta sujeira acumulada. Mas não é bem assim. Basta ingerir os alimentos certos, aqueles que equilibram o que está em excesso no organismo, e os efeitos são perceptíveis a olho nu. São as chamadas dietas curativas ou desintoxicantes, que limpam o organismo por dentro e por fora.

Todo mundo costuma pecar por excesso, ingerindo alimentos nocivos. Como não há como determinar a quantidade limite que um organismo suporta dos alimentos mais condenados (os já citados sal, açúcar, álcool e gorduras), o ideal é ter como hábito a ingestão do mínimo possível. Porque cada corpo é um corpo. “Os atletas precisam de muito mais carboidrato que um intelectual, que precisa de proteínas, como sementes e peixes”, diz a química Conceição Trucom, que escreve sobre temas voltados à alimentação natural.

O grande problema é que mesmo quem come direitinho acaba se intoxicando. Uma pesquisa realizada pelo Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sini tox) em 2008 identificou quantidades altamente nocivas de agrotóxicos em praticamente todos os alimentos analisados, entre frutas e verduras. Para piorar, hoje, os produtos orgânicos correspondem a somente 1% do faturamento total dos supermercados no Brasil e chegam à mesa de apenas 9% da população.

Limpeza geral

A medicina chinesa e a indiana preconizam a alimentação purificante como um hábito cotidiano, e que também pode ser aplicada como medida paliativa para a cura de alguma enfermidade. Meditação e limpeza do corpo como um todo são práticas que devem ser adotadas também. Mas aqui, no Ocidente, duas formas mais recorrentes de alimentação desintoxicante se propõem a equilibrar nossos organismos. São elas as baseadas em frutas e vegetais crus e as monodietas curativas, que tratam o corpo através de um só alimento, como as do arroz integral e do inhame. Mas, antes de prosseguir, vale o alerta da nutricionista funcional Daniela Jobst, membro do Instituto de Medicinal Funcional dos Estados Unidos: “As dietas desintoxicantes podem ser prejudiciais quando as pessoas a adotam e não param mais. Em 15 dias, pela carência de nutrientes, a pessoa pode se sentir fraca, ter dor de cabeça, dermatite. É fundamental a avaliação de um profissional”. Por isso, as monodietas têm tempo certo para acontecer, não devem passar de dez dias.

Como explica a especialista Conceição Trucom, é importante ficar atento aos riscos das dietas e adotar uma nutrição saudável como estilo de vida. Sem exageros nem comedimentos, apenas priorizando os alimentos crus. Com uma visão mais ampla do que significa comer, ela explica: “É preciso nutrir-se de energia telúrica, a energia da terra. Por isso é preciso comer raízes, sementes e fibras, que dão sustentação, além das frutas”. Conhecida por causa de suas receitas de sucos revigorantes, as dicas que ela dá vêm mudando a vida de muita gente. Como a de Jane Susie, que há três anos adotou a ingestão diária de alimentos crus e sarou de uma série de doenças. “Eu fazia fisioterapia para aliviar dores no cotovelo e com uma semana ingerindo um suco de maçã, ervas, cenoura e girassol, as dores sumiram. Com a mudança de toda minha alimentação, o resto mudou por completo: azia, prisão de ventre, rinite, minha pele ficou muito macia, sem espinhas. Fiquei com o coração mais aberto, sentindo uma alegria interna”, diz Jane.

Da boca para dentro

A felicidade a que Jane Susie se refere é compartilhada também pelos praticantes da monodieta curativa do arroz integral. “A dieta do arroz integral tem resultados imediatos para quem precisa desinchar e caber num vestido, por exemplo”, diz a nutricionista Heloisa Bernardes. Também é extremamente eficaz para eliminar toxinas. “Nada é mais desintoxicante que o arroz integral, que proporciona o equilíbrio entre sódio e potássio e tira o excesso de liquido das células”, diz Heloisa. “Algumas colheradas de arroz integral no primeiro dia, mudando gradativamente para um dia de alimentação exclusiva, são suficientes para limpar qualquer organismo.” A dieta do arroz integral pede muita mastigação. Mas há um cuidado todo especial no preparo do arroz. Ele deve ficar de molho de um dia para o outro, no escuro, para que os grãos germinem. Depois, deve-se cozinhálo o mínimo possível, sem deixar que a água levante fervura. Porque depois de fervido o arroz perde quase todas as vitaminas e nutrientes. Também não adianta encher de sal e cebola. Tem que ser preparado somente com água. É só na hora de comer que ele deve ser misturado a ervas ou verduras saborosas, como o agrião.

A dieta do arroz integral, segundo a nutricionista, promove a limpeza do sangue, recupera o metabolismo e restaura as funções orgânicas prejudicadas pela alimentação industrializada, que tem excesso de sal (veja a receita completa desta dieta no site www.revistavidasimples.com.br). Heloisa ainda adverte: “Qualquer congelado ou enlatado com longa data de validade tem quantidades abusivas de sódio para conservar o alimento. Os cubinhos de caldo de carne e frango são os piores”, diz a nutricionista. O melhor é evitar esse alimentos.

Ainda nas monodietas de alimentos cozidos, vale a pena experimentar a do inhame, um tubérculo com propriedades depurativas e desintoxicantes. Com o formato de gânglio, ele tem funções reguladoras e antiinfl amatórias e ajuda no tratamento de infecções e uma série de outras doenças. Basta começar a incluir inhame regularmente em todas as refeições, caminhando aos poucos para uma refeição exclusivamente à base de inhame – sem ultrapassar os dez dias –, para depois voltar a alimentação normal.

Beber os sólidos

Algumas comidas curam, outras condenam o metabolismo. Inúmeras enfermidades estão associadas aos vários tipos de alimentos. Assim como o sal é proibitivo para quem sofre de problemas cardiovasculares e o açúcar é fatal para o diabético, doenças crônicas e prosaicas, como a asma, vêm se mostrando diretamente relacionadas ao consumo de determinados produtos, ainda que naturais, como leites e derivados. Daí ficamos doentes. O passo seguinte é consumir remédios para neutralizar a ação da doença, mas, como afirma Conceição Trucom, esse é um caminho perigoso: “A doença nos indica que algo está errado. Deveríamos enxergá-la não como uma inimiga que deve ser combatida, mas sim como uma amiga sincera, que tem coragem de nos dizer que alguma coisa está errada”. E, quando a doença aparece, é hora de entender a quais fatores ela está relacionada e fazer uma investigação minuciosa da alimentação.

Por isso Conceição acredita que o corpo precisa de um banho interior diário. Um banho cheio de energia viva, que vem direto da terra. Para isso ela recomenda uma gama de sucos que misturam frutas diferentes, além do que ela costuma chamar de atitudes de bom senso. Entre elas, meditação, automassagem e banhos de mar ou rio. Para limpar o corpo em frente e verso, por inteiro.



Por: Correio do Estado

Publicado em: 03/03/2011

Fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/maneiras-de-promover-a-desintoxicacao-do-corpo_101624/

Arroz integral reduz a gordura abdominal

90 gramas ou 4 colheres de sopa bem cheias de arroz integral todos os dias. Essa é a medida recomendada pelos especialistas para reduzir a gordura abdominal e afastar males como o câncer.

Uma fina casca — para os olhos, essa é a única diferença entre o arroz integral e o branco. Para o corpo, no entanto, esse detalhe é fonte de inesgotáveis benefícios, que vão do controle do diabete à redução da gordura abdominal. Pelo menos essa é a conclusão de uma pesquisa feita por nutricionistas da Universidade Tufts, nos Estados Unidos, que analisaram a dieta de 2 800 pessoas. Entre elas, as que consumiam três ou mais porções de cereais integrais diariamente — e não abusavam dos refi nados — tinham até 10% menos gordura visceral, aquela que se deposita barriga adentro e recobre órgãos como pâncreas, intestino e fígado. À primeira vista, a redução pode parecer pequena, mas as vantagens são imensas.

A começar pela barriga, que dá uma enxugada. Em consequência, o coração é beneficiado: células gordurosas mais murchas significam menos inflamação nas artérias e, claro, menos trabalho para fazer o sangue circular. “Sem contar que, nos últimos anos, a ciência provou que a distribuição da gordura no corpo é importante para determinar o risco cardiovascular”, explica José Renato das Neves, cardiologista do Hospital Samaritano de São Paulo. “Pessoas que nem sequer têm peso elevado, mas apresentam a adiposidade nas vísceras ou órgãos internos, apresentam um risco maior.” Junto a tantas vantagens, existe ainda a menor probabilidade de aparecimento de tumores, como o de mama.

Agora resta a pergunta: como essa casquinha, que parece tão insignificante, consegue resultados tão surpreendentes? “A resposta está no seu teor de fibras. Quanto maior seu valor, menor é a quantidade de glicose e lipídios absorvidos. Esses fatores são importantes para evitar a deposição de gordura intra-abdominal”, esclarece Rosana Radominski, endocrinologista e presidente da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). É que as fibras formam uma espécie de goma quando entram em contato com a água e, assim, tornam a digestão mais lenta, fazendo com que o açúcar proveniente dos alimentos seja assimilado aos poucos. Se não fosse dessa forma, aumentaria a produção de insulina, hormônio responsável por mandar a glicose para dentro das células. Só que, em excesso, ele infla os pneus da barriga e, ainda, abre caminho para o diabete.

Quem come arroz diariamente costuma se alimentar de maneira mais saudável em todas as refeições — e aí o corpo agradece com todas as suas forças. Ao analisar dados de 1999 a 2004 sobre a dieta de mais de 25 mil crianças e adultos, pesquisadores americanos constataram que nos apreciadores desse cereal não havia carência de nutrientes essenciais para o organismo, como ácido fólico, potássio e outras vitaminas do complexo B. Muito pelo contrário.

O estudo, realizado por uma empresa de consultoria alimentar, baseou-se no National Health and Nutrition Examination Survey, um levantamento feito periodicamente pelo governo dos Estados Unidos. O resultado mostrou ainda que os consumidores regulares de arroz têm menor propensão a acumular quilos extras, 34% menos risco de hipertensão e 27% menos probabilidade de aumento na circunferência abdominal. “O arroz em si, principalmente o integral, é considerado uma boa fonte de fibras alimentares, de vitaminas do complexo B e de minerais”, confirma a nutricionista Patrícia Ramos, coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital Bandeirantes, na capital paulista. “A longo prazo, sua ingestão diminui mesmo o risco de diversas doenças.”

Os tipos integral e parboilizado também ganham destaque pelos teores de metionina, um aminoácido essencial que evita a queda dos cabelos e hidrata pele e unhas. “Sem contar que a metionina é precursora de um neurotransmissor, a serotonina”, conta Patrícia. Essa substância é uma espécie de antidepressivo natural. O aminoácido ainda auxilia na redução do colesterol e afasta a fadiga crônica. Com tantos benefícios, é triste saber que o cereal deixou de ser o preferido dos brasileiros na hora do almoço e do jantar. Segundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografi a e Estatística (IBGE) divulgado no fi nal do ano passado, hoje consumimos cerca de 40% menos arroz do que no início dos anos 2000. Mas, justiça seja feita, ele merece dar a volta por cima — e retornar para a sua mesa, principalmente na versão integral, é claro. “O ideal é ingerir o alimento na maioria das refeições”, sugere a nutricionista Renata Garrido, do Hospital Nove de Julho, em São Paulo. “Não há uma recomendação mínima, mas o correto é substituir o branco e incluir o integral aos poucos. Mas, como esse é um hábito novo para boa parte da população, o mínimo consumido já é válido”, conclui. Bom apetite!


Por: Lúcia Nascimento - RO Notícias - (Saúde Abril)

Publicado em: 01/03/2011

Fonte: http://ronoticias.com/site/?p=noticias_ver&id=318

Otimismo melhora saúde e faz viver mais

Uma revisão de mais de 160 estudos encontrou "provas claras e convincentes" que - tudo o mais constante - as pessoas de bem com a vida tendem a viver mais e ter melhor saúde do que as pessoas infelizes.

Esta é a análise mais abrangente já feita das ligações entre a forma de encarar a vida e seus efeitos sobre a saúde.

Ed Diener, da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, analisou estudos de longo prazo, testes experimentais feitos em seres humanos, experimentos com animais e estudos que avaliam o estado de saúde das pessoas estressadas por eventos naturais.

"Nós revisamos oito tipos diferentes de estudos", disse Diener. "E a conclusão geral de cada tipo de estudo é que o seu bem-estar subjetivo - ou seja, ter uma postura positiva sobre sua vida, não se estressar e não ficar deprimido - contribui para a longevidade e para uma melhor saúde entre indivíduos que não estão acometidos por outras doenças."

Valor do otimismo

Um estudo que acompanhou cerca de 5.000 estudantes universitários por mais de 40 anos, por exemplo, descobriu que aqueles que eram mais pessimistas quando estudantes tenderam a morrer mais jovens do que seus colegas mais otimistas.

Um estudo ainda mais longo prazo, que monitorou 180 freiras católicas do início da idade adulta até a velhice, descobriu que aquelas que escreveram autobiografias positivas aos 20 anos de idade tenderam a viver mais do que aquelas que escreveram relatos mais negativos de suas vidas na juventude.

Houve algumas exceções, mas a maioria dos estudos de longo prazo concluíram que ansiedade, depressão, falta de prazer nas atividades diárias e pessimismo, todos são associados com taxas mais elevadas de doença e uma vida mais curta.

Mesmo entre os animais há uma forte ligação entre estresse e saúde frágil.

De bem com a vida.

Experimentos em animais que receberam os mesmos cuidados, mas diferiam em seus níveis de estresse (como resultado de haver muitos machos em suas gaiolas, por exemplo) revelaram que animais estressados são mais suscetíveis a doenças cardíacas, têm sistemas imunológicos mais fracos e tendem a morrer mais jovens do que aqueles que viviam em condições menos estressantes.

Experimentos de laboratório em humanos descobriram que o bom humor reduz os hormônios relacionados ao estresse, aumenta a função imunológica e promove a rápida recuperação do coração após um esforço físico.

Em outros estudos, conflitos conjugais e hostilidade entre casais foram associados com cicatrização lenta de ferimentos e pior resposta imunológica.

Recomendações para uma boa saúde

"Eu fiquei quase chocado e certamente surpreso ao ver a consistência dos dados," afirmou Diener. "Todos esses diferentes tipos de estudos apontam para a mesma conclusão: que a saúde e a longevidade são influenciadas por nossos humores."

"A felicidade não é nenhuma bala mágica," disse ele. "Mas a evidência é clara e convincente que ela muda suas chances de contrair doenças ou morrer jovem."

As atuais recomendações para uma boa saúde estão focadas em quatro itens: evitar a obesidade, comer direito, não fumar e fazer exercícios físicos.

Talvez seja hora de "acrescentar à lista seja feliz e evite a raiva crônica e a depressão," defende o pesquisador.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 03/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=otimismo-melhora-saude-faz-viver-mais&id=6247

Massagem rejuvenescedora e revigorante

Considerada uma plástica natural, a massagem ayurvédica facial é uma ótima alternativa para mulheres que desejam evitar rugas e marcas de expressão. Além disso, a técnica traz bem-estar emocional, ajudando a tratar males como depressão e estresse.

Surgida na Índia há mais de sete mil anos e considerada a “mãe” de todas as técnicas massageadoras, a chamada massagem ayurvédica atua nos níveis físico, emocional e espiritual. O método ajuda a modelar o corpo e atua de forma a auxiliar a drenagem linfática, realinhar toda a estrutura ósseo-muscular, aliviar as tensões, fortalecer o sistema imunológico e desintoxicar o organismo, além de ter efeito contra o estresse e a depressão.
O procedimento pode ser realizado em todo o corpo, mas é na face, pescoço e colo que são sentidos de forma mais evidente os efeitos embelezadores e rejuvenescedores. Trata-se, portanto, de uma ótima opção para quem se preocupa com o surgimento de rugas precoces e marcas de expressão, em especial as mulheres.
“Na massagem facial é feita uma drenagem, que leva a energia presa para um ponto chamado ‘lixeira’, próximo ao ouvido. Usamos pontos específicos que, quando tocados, promovem a harmonização das energias em todo o rosto. Esse processo permite a tonificação e reconstrução da pele por si mesma, e é a forma natural mais efetiva para prevenir e tratar rugas”, explica o massoterapeuta Bento de Albuquerque.

Harmonia
Por meio do toque e da reorganização do fluxo energético no organismo, a técnica libera e cura os bloqueios, possibilitando uma vida mais harmoniosa e feliz. “A massagem faz a energia circular e limpa os canais. Assim como existem rios que precisam ser limpos, a mesma coisa é o corpo humano, que possui canais internos e precisam diariamente de automassagem para harmonizar, relaxar e desintoxicar. Depois de terminada a sessão, a pessoa está tranquila e percebe a diferença entre o antes e o depois. Fica mais jovem, renova sua energia e se sente melhor, bem disposta, com vontade de viver, independentemente da idade.

Essa massagem trabalha muito a depressão, melancolia e tristeza decorrentes da pressão da vida. É uma plástica natural, onde não se usa o bisturi, e sim, as mãos. Ela mexe no externo e toca no interno, onde está a essência divina”, garante Bento.

Marcas de expressão acentuadas, manchas, sinusite, expressão de tristeza e acne podem ser amenizadas com o tratamento facial ayurveda, que é fundamentado nos doshas. De acordo com o ayurveda, eles caracterizam o perfil biológico de cada um e são divididos em vata (pessoas com esse dosha possuem pele seca, áspera ou rachada), pitta (pele olesa, facilmente irritável, com sardas ou verrugas) e kapha (pele suave, muito oleosa, fria e úmida). Independentemente do dosha predominante, a massagem torna a pele sedosa, normaliza a temperatura e promove saúde e relaxamento.
Mente em equilíbrio



A proprietária do Nuwa Spa, Estela Boner, fala sobre a finalidade da técnica: “O acúmulo de toxinas acaba por se transformar em doenças. Por isso, o objetivo principal do procedimento é a promoção da saúde, evitando que a pessoa adoeça e, caso esteja doente, auxilia no tratamento. O método contempla também o aspecto emocional. Pessoas com males como síndrome do pânico, ansiedade e má qualidade do sono sentem bastante diferença após passarem pela massagem”, diz.
Segundo ela, a ausência de hábitos saudáveis causa impactos físicos e psicológicos, trazendo aspecto envelhecido e semblante carregado. “À medida que a pessoa se submete à massagem facial essa fisionomia é transformada automaticamente”, frisa Estela.
Uma das vertentes da terapia ayurvédica facial é a Shirodhara, que consiste em aplicação terapêutica de um fluxo contínuo de óleo aquecido na testa. Esse procedimento proporciona inúmeros benefícios, ajudando a tratar distúrbios relacionados à cabeça, como insônia, enxaqueca e falta de concentração. Também auxilia na manutenção do equilíbrio do corpo e da mente, fortalecendo o metabolismo e melhorando a digestão.

Estela afirma ser essencial o uso do calor para aplicar o método. “Toda a vida funciona com calor e isso é ensinado na medicina chinesa. Você cria essa condição para promover a desintoxicação e estimular a circulação”, esclarece. Para ela, a massagem é tão importante quanto outras necessidades básicas do ser humano. “Na Índia, da mesma forma que se come e dorme diariamente, você deve fazer massagem todos os dias. Graças a Deus, as pessoas do Ocidente estão descobrindo aos poucos essa realidade. É um procedimento muito completo, transformador mesmo”, afirma.

Vale destacar que a ayurveda facial é um técnica indolor e extremamente relaxante. Algumas celebridades são adeptas dessa prática milenar, como a atriz Demi Moore, a cantora Madonna e a atriz Maitê Proença, que inclusive viajou para a Índia para conhecer de perto a técnica oriental.



Por: Comunidade VIP - Seção: Viver Melhor

Publicado em: 05/03/2011

Fonte: http://comunidadevip.maiscomunidade.com/conteudo/2011-03-05/vivamelhor/1904

Conheça os benefícios da dieta desintoxicante para o seu corpo

Manter uma alimentação balanceada nem sempre é tarefa fácil, principalmente quando a opção de uma ou mais refeições acabam sendo os famosos fast food e comidas industrializadas. Para alcançar o verdadeiro equilíbrio do corpo e manter o organismo saudável e no peso certo, a PhD em nutrição e coordenadora do Centro de Pesquisa Sanavita, doutora Andrea Dario Frias, indica alguns alimentos fáceis de incluir na nossa rotina diária e que fazem bem à saúde.

Segundo a especialista, a alimentação inadequada, regada a excessos, muitas vezes sobrecarrega o organismo e o deixa mais vulnerável a adquirir algum tipo de mal estar ou até mesmo doença.

— O consumo exagerado de alimentos ricos em açúcar, sódio e gorduras saturadas ou do tipo trans, ou ainda que apresentam excesso de aditivos químicos como conservantes e corantes artificiais, pode causar reações que agridem as nossas células e desencadear alterações que certamente prejudicarão a saúde física e mental ao longo da vida — comenta.

A especialista afirma que a presença ou até mesmo a quantidade dessas substâncias pode ser monitorada facilmente, pois os rótulos de alimentos e bebidas trazem este tipo de informação na lista de ingredientes ou tabela nutricional. E que o consumidor precisa saber interpretar essas informações.

De acordo com Andrea, uma alimentação desintoxicante acaba sendo uma importante aliada para quem deseja manter o corpo leve e em equilíbrio e pode amenizar o estrago que esses excessos e toxinas causam às nossas células.

— A desintoxicação não é voltada especificamente para o emagrecimento. Uma alimentação desintoxicante tem o objetivo de facilitar a saída de impurezas que não fazem bem ao organismo. A perda de peso é consequência de um corpo mais saudável — explica.

Para isso, alguns alimentos funcionais se transformam em elementos-chave para alcançar o equilíbrio do organismo.

— O processo de desintoxicação envolve a retirada de alimentos altamente processados do cardápio, além de alimentos refinados, ricos em sal, açúcares e gorduras prejudiciais à saúde, como as gorduras animais e gorduras trans. É importante também manter distância de alimentos que contenham corantes artificiais, conservantes e aqueles que empregam o uso excessivo de agrotóxicos, por exemplo — diz.

Andrea dá dicas de alimentos que auxiliam no processo de desintoxicação.

— A linhaça dourada é uma importante aliada, pois é rica em fibras e fonte natural de nutrientes como ômega 3, lignanas e antioxidantes. As fibras ajudam a arrastar várias substâncias nocivas à saúde, como o colesterol por exemplo, e os demais nutrientes ajudam a neutralizar a ação de radicais livres e auxiliam tanto na renovação celular como na melhora do funcionamento do intestino — indica.

Já os chás a base de Camellia sinensis, mais conhecidos como Chá Verde, Branco, Vermelho e Amarelo são fontes de polifenóis conhecidos como catequinas - substâncias que apresentam poder antioxidante superior ao das vitaminas C e E.

— Além de serem diuréticos, o que ajuda na eliminação de impurezas, estudos mostram que a ingestão diária dessas bebidas é capaz de reduzir o risco de várias doenças, além de acelerar o metabolismo, facilitar a queima de gordura e aumentar as defesas imunológicas — acrescenta.

Os polifenóis presentes nesses chás podem também atuar como neutralizadores de radicais livres devido ao seu alto poder antioxidante.

— Como a atividade metabólica natural do nosso corpo acaba produzindo uma espécie de lixo metabólico que nem sempre o organismo consegue eliminar devidamente, os polifenóis representam uma fonte viável de eliminação desse lixo metabólico tornando mais lento até o processo de envelhecimento celular — finaliza.



Por: Zero Hora - On line - Seção: Bem Estar

Publicado em: 02/03/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3226651.xml

Dieta mediterrânica é seguro de vida para coração saudável

A dieta mediterrânica é a mais saudável para o coração e para controlar colesterol, triglicéridos, pressão arterial e glicose, concluem 50 estudos divulgados nesta segunda-feira pela revista do Colégio norte-americano de Cardiologia.

O número de Março da revista publica uma meta-análise que inclui os resultados de 50 investigações sobre a dieta mediterrânica, que a apresentam como "um seguro de vida" para ter um coração saudável.

Demóstenes Panagiotakos, professor da Universidade ateniense Harokopio e coordenador do estudo, salientou, citado pela agência Efe, que a comunidade médica detetou que a síndrome metabólica "está a aumentar rapidamente em todo o mundo, ao mesmo tempo que a incidência crescente da diabetes e da obesidade".

Por síndrome metabólica designa-se o conjunto de doenças ou fatores de risco que aumentam a possibilidade de se vir a sofrer doenças cardiovasculares. O excesso de peso é um desses fatores.

Segundo os dados analisados por Panagiotakos e Christina-Maria Kastorini, a dieta mediterrânica tem um dos padrões mais conhecidos e bem estudados e demonstrou estar associada à diminuição da mortalidade devido a doenças coronárias, diabetes tipo 2 e alguns tipos de cancro.

Os peritos definem a dieta mediterrânica como correspondendo a um padrão alimentar que inclui uma dose diária de fruta, verdura, cereais integrais e laticínios com pouca gordura, além de um consumo semanal de peixe, aves, frutos secos e legumes, com um consumo relativamente baixo de carne vermelha e moderado de álcool, normalmente às refeições.



Por: Angola Press

Publicado em: 07/03/2011

Fonte: http://www.portalangop.co.ao/motix/pt_pt/noticias/internacional/2011/2/10/Dieta-mediterranica-seguro-vida-para-coracao-saudavel,6b0f3181-3c2f-4d7d-8cb6-d5b92171fe7a.html

Hortelã trata e inibe surgimento de úlceras estomacais

Hortelã contra úlcera

Cerca de 10% da população mundial tem ou já enfrentou um quadro de úlcera péptica em algum momento da vida.

Esta doença, que causa danos e desconforto ao estômago, acomete principalmente indivíduos com idade entre 30 e 70 anos, e seu desenvolvimento está fortemente relacionado com a digestão alimentar.

Isso quando há sobreposição de fatores que agridem a mucosa gástrica - ácido clorídrico e pepsina - em relação aos fatores que a protegem - muco e bicarbonato, por exemplo.

A bióloga Christiane Takayama, da Unicamp, descobriu que o hortelã pode ser uma opção viável para amenizar os sintomas das pessoas que sofrem com as úlceras.

A pesquisadora testou um óleo essencial da espécie Hyptis spicigera, popularmente conhecida como catirina, hortelã, cheirosa ou cheirosa-de-espiga.

Inibição das úlceras

Em sua pesquisa, Christiane forneceu os resultados preliminares que deverão confirmar, após novos testes de toxicidade, mais detalhes sobre o óleo desta planta e essa propriedade farmacológica.

O fato é que ele chegou a inibir praticamente em 100% a formação da lesão ulcerativa.

A primeira contribuição da bióloga foi concluir - em modelos animais - que tal planta possui sim atividade antiulcerogênica.

"Assim sendo, parte deste contingente da população mundial poderá ser contemplado com os benefícios desta pesquisa, depois que ela ultrapassar a fase de testes e adentrar a indústria farmacêutica", prevê ela.

Acidez estomacal

O trabalho da pesquisadora, orientada pela professora Alba Regina Monteiro Souza Brito, consistiu em avaliar os mecanismos desta atividade na base testada de 100 mg/kg.

Ao se aumentar o muco gástrico, a camada responsável por proteger o estômago contra o suco gástrico (que contém pepsina e ácido clorídrico, os quais maltratam a mucosa estomacal), ele conseguiu defender o órgão contra a formação de lesões ulcerativas, não somente reduzindo-as, mas também impedindo a sua formação.

"Foi um resultado encorajador", comemora. Segundo ela, não existia na literatura científica provas cabais dessas atividades. "O que havia era apenas indicação popular, contudo nenhum estudo comprobatório desse potencial do óleo."

Atividade antioxidante

Christiane descobriu mais.

Outro mecanismo encontrado foi o de atividade antioxidante, capaz de abrandar a formação de espécies reativas de oxigênio por mecanismo de transferência de hidrogênio. Esta atividade foi avaliada tanto in vitro quanto in vivo em ratos.

Além disso, o óleo exibiu ainda um forte potencial de cicatrização, conseguindo reduzir praticamente em 90% a área da lesão de úlcera nos animais.

Para que isso acontecesse, houve a elevação dos níveis dessas substâncias que promovem o processo de cicatrização, que são a COX-2 e o EGF (fator de crescimento epidermal). O óleo da Hyptis spicigera aumentou mais que duas vezes a produção do EGF. Mostrou-se que, na prática, elas interferem aumentando a proliferação celular e, por isso, estimulam a cicatrização na mucosa gástrica dos animais e, possivelmente, em humanos.

O estômago produz ácido clorídrico e outras substâncias que se encarregam do processo de digestão. O conteúdo desse órgão torna-se, portanto, mais ácido, podendo lesionar a parede do estômago, caso os mecanismos de proteção do estômago estejam reduzidos.

De acordo com a bióloga, o estômago contém células produtoras do muco que recobre a parede estomacal. Junto com ele, a secreção de bicarbonato é outro fator protetor, por ajudar a neutralizar o ácido.

Pois bem, tais mecanismos de produção de muco são controlados graças à ação das prostaglandinas. Contudo, é sabido que determinados anti-inflamatórios as limitam, retirando a proteção do estômago e do duodeno. É por esta causa que muitas pessoas sentem dor quando tomam este tipo de medicamento ou derivados.

Óleos essenciais

Esse e outros estudos têm sido possibilitados e sustentados por uma grande aliada - a área de óleos essenciais, que está em franca expansão nos cinco continentes.

Por terem um odor agradável, são empregados em geral na indústria de perfumes, sendo ainda adotados na indústria de cosméticos, produtos de limpeza e também no setor alimentício.

Neste caso, ele apresenta uma marcada atividade antioxidante, de modo a reduzir as espécies reativas de oxigênio, os radicais livres, que agridem os tecidos e são protagonistas em sua degradação.

Os óleos essenciais são extraídos de partes de plantas, particularmente caule, folhas, raízes, flores, inflorescências, frutos ou sementes. São óleos voláteis (que evaporam mesmo em condições normais) e, em geral, aromáticos.

Mais recentemente, muitas investigações reforçam suas atividades farmacológicas. Por este motivo foi que Christiane resolveu analisar este óleo essencial.

Do popular ao científico

Conforme a pesquisadora, a matéria-prima do óleo é utilizada como indicação popular desde a Antiguidade. Os estudos científicos, porém, começaram a se intensificar mais a partir da década de 1980.

A questão envolvendo o setor farmacológico e de atividade antioxidante são ainda recentes. Advêm da década de 1990. "Com a descoberta dessas atividades em óleos essenciais, as perspectivas futuras são as melhores, restando encontrar uma melhor maneira de administrá-los em seres humanos", assinala a bióloga.

Quando trabalhava com os experimentos animais, ela colocou em prática, como forma de administração, um veículo a priori aplicável em animais: o tween. Por se tratar de um óleo essencial, uma substância lipofílica (aquela que não é solúvel em água), ele precisava apenas de um veículo que o solubilizasse. "O próximo passo será encontrar um jeito de fazer a sua administração em humanos por via oral", revela Christiane.

Até o momento, acredita-se que o que pode render um melhor resultado é a produção de medicamentos em microcápsulas, trabalho hoje desenvolvido pelo professor Marcos Salvador, que atua na área de Fisiologia Vegetal. Ele avalia a viabilidade dessa forma de administração, já que diversos outros medicamentos corroboram a sua aplicabilidade e eficácia.

Com certeza, acentua Christiane, mais investigações serão necessárias para apurar a toxicidade contida nesse óleo. No caso do presente estudo, a bióloga realizou um screening de doses, separando a mais efetiva, que foi aquela de 100 mg/kg. Analisou apenas dois, dos muitos, parâmetros toxicológicos - a evolução ponderal dos animais e órgãos vitais como o fígado, o coração, os pulmões e os rins.

Pelas análises desenvolvidas até aqui, não foi verificado nenhum sinal de toxicidade, pelo menos não na dose estudada. A pesquisadora pontua que esses resultados fazem parte de testes pré-clínicos e que existe um longo caminho para se chegar à análise em humanos, que pode demorar algo em torno de cinco a dez anos, estima.

Hortelã

O gênero Hyptis apresenta diversidade morfológica e é encontrado no Cerrado brasileiro, com cerca de 300 a 400 espécies registradas, segundo Harley (1988).

Atualmente, é consenso que elas são eficazes no tratamento de infecções gastrointestinais, câimbras, dores e infecções da pele.

Além do mais, possuem efeito anestésico, antiespasmódico, anti-inflamatório e abortivo.

No caso de Hyptis spicigera, trata-se de uma erva daninha e aromática, uma espécie de hortelã, diferente da comumente usada para fazer chás e infusões.

Tem como característica peculiar a inflorescência, que a diferencia das demais espécies de Hyptis.

A inflorescência, afirma Christiane, é a parte da planta onde se localizam as flores, descrita pela forma como se dispõem umas em relação as outras. Normalmente aparece como um prolongamento que se assemelha ao caule, provido de folhas modificadas chamadas brácteas. Nas axilas destas brácteas, localizam-se as flores.

Muitas famílias botânicas, frisa, se distinguem facilmente pelo seu tipo de inflorescência. "Na verdade, ela integra um conjunto de flores, não apenas uma", explica.

Na mata, logo se observa que ali existe essa planta, graças ao seu aroma característico. O óleo que Christiane trabalhou foi o comercial, encontrado em empresa produtora de óleos essenciais.

O seu trabalho integra a linha de pesquisa "Atividade Antiulcerogênica de Produtos Naturais", coordenada pela professora Alba Brito, que é ainda responsável pelas linhas sobre a colite e as inflamações.



Por: Diário da Saúde - Isabel Gardenal - Jornal da Unicamp

Publicado em: 09/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=hortela-ulceras-estomacais&id=6262

Pessoas que se sentem amadas dão menos valor às coisas materiais

Amor e aceitação

Pessoas que se sentem mais seguras em receber amor e aceitação por parte dos outros atribuem menos valor monetário aos seus bens.

A conclusão é de um estudo realizado por cientistas das universidades de New Hampshire e Yale, nos EUA, liderados pelo Dr. Edward Lemay.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas com sentimentos de segurança interpessoal mais intensos - uma sensação de ser amado e aceito pelos outros - acreditam que seus bens têm menos valor do que as pessoas que não compartilham desses sentimentos.

Sensação de proteção e segurança

Nos experimentos, os pesquisadores mediram o quanto as pessoas valorizavam itens comuns, como um cobertor ou uma caneta.

Em alguns casos, as pessoas que não se sentiam seguras deram um valor a um item cinco vezes maior do que o valor atribuído ao mesmo item por pessoas mais seguras.

"As pessoas valorizam suas posses, em parte, porque esses bens lhes dão uma sensação de proteção, segurança e conforto," explica Lemay.

"Mas o que descobrimos foi que, se as pessoas já têm um sentimento de serem amadas e aceitas pelos outros, o que também fornece uma sensação de proteção, segurança e conforto, esses pertences perdem valor."

Sovinice e brigas por herança

Os pesquisadores acreditam que os resultados do estudo podem ser usados para ajudar pessoas com distúrbios de acumulação de bens materiais.

"Essas descobertas parecem ser particularmente relevantes para compreender porque as pessoas guardam bens que não são mais úteis.

"Elas também podem ser relevantes para entender por que membros da família muitas vezes brigam por bens que sentem que são deles por direito, mesmo que já estejam usufruindo deles.

"Bens de herança podem ser especialmente valorizados porque a ameaça de morte associada ameaça a segurança pessoal," diz Lemay.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 09/03/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=pessoas-amadas-menos-valor-coisas-materiais&id=6260

Tai chi chuan pode aliviar doença em idosos, diz estudo

O tai chi chuan, prática oriental que mistura meditação e elementos de arte marcial, combate a depressão nos idosos.

É o que aponta um estudo da Universidade da Califórnia, publicado no "American Journal of Geriatric Psychiatry".

Ao todo, 73 pessoas com mais de 60 anos e que tinham a doença foram selecionadas para tomar um antidepressivo padrão e complementar o tratamento ou com sessões de duas horas semanais de tai chi ou com aulas sobre saúde.

Quatro meses depois, a melhora no grupo que praticou a terapia oriental chegou a 94%; no outro, não passou de 77%.

Por: Agência de Notícias - Jornal Floripa

Publicado em: 21/03/2011

Fonte: http://www.jornalfloripa.com.br/CienciaeVida/index1.php?pg=verjornalfloripa&id=510

Bebida de farinha de uva reduz doenças do envelhecimento em mulheres

Redução do estresse oxidativo

Uma bebida desenvolvida a partir da farinha do bagaço da uva tem potencial para prevenir ou reduzir, em mulheres saudáveis, o estresse oxidativo e suas consequências: envelhecimento precoce, doenças cardiovasculares e alguns tipos de cânceres.

Isto ocorre devido à existência de ácidos fenólicos na bebida, substâncias antioxidantes que protegem o organismo contra a ação de radicais livres que provocam estes tipos de doenças.

A descoberta é fruto da pesquisa realizada por Marcela Piedade Monteiro e Elizabeth Torres, da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP).

Uva com jeito de açaí

A bebida foi desenvolvida a partir de um subproduto do suco de uva, e foi testado em mulheres saudáveis.

Para a obtenção da bebida, a pesquisadora utilizou uma farinha de bagaço de uva, um produto desenvolvido na própria USP em 2008.

A farinha é produzida com o bagaço, que é formado por cascas e sementes, obtido das uvas prensadas após a separação do suco concentrado a ser engarrafado.

A produção da bebida ocorre a partir do acréscimo de água a aproximadamente 4,8% da farinha e da homogeneização feita por técnica industrial. Segundo a pesquisadora, essa bebida "possui aparência semelhante ao suco de açaí."


Açaí tem antioxidantes naturais benéficos à saúde

Gosto da bebida

O próximo passo da pesquisa foi identificar a aceitabilidade da bebida.

Para isso foi feita análise sensorial com o uso de uma escala hedônica estruturada de 9 pontos em que havia a observação de parâmetros como odor, aroma, sabor e gosto.

Para cada critério, a pontuação varia de 1 ("desgostei muitíssimo") a 9 ("gostei muitíssimo"), sendo a média 6 ("gostei ligeiramente"). A bebida obteve nota igual a 6 em todos os quesitos, o que a definiu como aceitável. Por isso, a etapa seguinte passou a ser realizada.

Por meio de análises físico-químicas foram testados pH, cor, grau Bricks (quantidade de açúcar presente na bebida) e a capacidade antioxidante, que significa proteger contra o ataque de radicais livres. Assim, foram quantificados os compostos fenólicos, que possuem propriedades antioxidantes.

Teste dos efeitos sobre a saúde

A segunda etapa da pesquisa foi experimentá-la em uma intervenção que envolveu 15 mulheres jovens e saudáveis.

Esta fase foi dividida em quatro etapas. Inicialmente, foi feita a coleta de sangue como amostra controle para verificar as modificações ao longo das demais fases.

A seguir, as mulheres foram divididas em dois grupos. A primeira metade ingeriu por 15 dias a bebida de farinha. Posteriormente, não beberam nada que contivesse uva por 15 dias. Nos últimos 15 dias, ingeriram um suco comercial em pó de uva de baixa caloria, equivalente à bebida em estudo.

Já o segundo grupo intercalou o suco em pó, nada e a bebida. A cada etapa o sangue era novamente coletado. Foi recomendado a todas as mulheres que não modificassem a dieta, apenas que não se bebesse mais nada que pudesse conter uva e interferir na análise.

Benefícios para as mulheres

Nenhuma modificação significativa pôde ser percebida após a ingestão do suco em pó em relação à amostra controle de sangue.

Já quanto à bebida, a melhora foi significativa no que se relaciona à capacidade antioxidante.

"O que é muito bom, explica a pesquisadora, porque indica que pode contribuir na prevenção ou redução de doenças relacionadas ao estresse oxidativo, tais como envelhecimento precoce e doenças cardiovasculares."



Por: Diário da Saúde - com informações da Agência USP

Publicado em: 08/07/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=bebida-farinha-uva-reduz-doencas-envelhecimento-mulheres&id=6697

Altruísmo aumenta massa cinzenta do cérebro

Altruísmo no cérebro

Cientistas descobriram que pessoas altruístas apresentam um significativo incremento na massa cinzenta do cérebro.

"Este é o primeiro estudo a relacionar a anatomia do cérebro e a ativação do cérebro humano para o altruísmo," disse Ernst Fehr, da Universidade de Zurique.

"Os resultados sugerem que o desenvolvimento do altruísmo através de um treinamento adequado ou práticas sociais pode ocorrer através de mudanças na estrutura cerebral e das ativações neurais que identificamos em nosso estudo," prevê ele.

Holismo científico

Descobertas recentes das neurociências têm revolucionado o conhecimento que temos do cérebro.

Mas, depois de décadas de determinismo biológico - a crença de que somos o que somos devido unicamente à nossa biologia - a ciência tem timidamente começado a ceder espaço para percepções mais integrais do ser humano.

A descoberta de que o cérebro é altamente adaptável levou a descobertas como a de que as mudanças no cérebro podem ser induzidas voluntariamente, dando sustentação a novas pesquisas na área de psicoterapia e meditação, entre outras, abrindo caminho para terapias não-medicamentosas de alta eficácia.


Cérebro é mais do que uma máquina e se "liberta do corpo", diz cientista

O presente estudo não se insere diretamente nessa linha, mas lhe dá um forte suporte experimental.

Empatia e altruísmo

Pessoas com elevada empatia e capacidade de compreensão dos outros são mais altruístas.

Por sua vez, a capacidade de compreender as perspectivas dos outros já havia sido previamente associada com a maior atividade em uma região do cérebro conhecida como a junção temporoparietal.


Sentimento da empatia é detectado no cérebro

Com base nestes resultados passados, Fehr e sua equipe levantaram a hipótese de que o tamanho da junção temporoparietal e seus níveis de ativação poderiam dar pistas sobre diferenças individuais quanto ao altruísmo.

A interpretação subjacente é de que o altruísmo é a empatia posta em ação, assim como a caridade é o amor em movimento.

As imagens de tomografia cerebral não deixaram dúvidas: quanto mais difícil é o ato altruístico - o experimento envolvia dar até todo o seu dinheiro para os outros - maior é a ativação da junção temporoparietal, algo não percebido naqueles que simplesmente preferem ficar com seu próprio dinheiro.

Além disso, essa maior ativação é suportada por uma junção temporoparietal fisicamente maior.

Treinando o altruísmo

"Nós elucidamos a relação entre o hardware e o software do comportamento altruístico humano," comemora Yosuke Morishima, coautor do estudo.

"Esses resultados são muito entusiasmantes para nós. Entretanto, ninguém deve ir logo tirando a conclusão de que o comportamento altruístico é determinado apenas pelos fatores biológicos," alerta o Dr. Fehr.

Segundo ele, os resultados levantam a questão fascinante de se é possível promover o desenvolvimento de regiões cerebrais que deem suporte ao comportamento altruístico.

A meditação parece ser um bom ponto de partida para tentar responder essa questão:



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/07/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=altruismo-aumenta-massa-cinzenta-cerebro&id=7966

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR