Artigos & Informações
Dieta contra a gripe

Com o frio intenso chegado ao Rio Grande do Sul é hora de intensificar os cuidados para evitar gripes e resfriados tão comuns esta época.

Refeições balanceadas, ricas em vitaminas e minerais, são um santo remédio para fortalecer o sistema imunológico, aumentando a resistência às bactérias e vírus.

Uma dieta nutritiva, além de prevenir essas doenças, ainda ajuda a encurtar a duração delas quando contraídas, uma vez que as defesas orgânicas conseguem trabalhar de maneira mais eficaz contra esses agentes externos indesejados.

Confira, a seguir, como colocar em prática uma dieta contra a gripe. As orientações são de Jocelem Salgado, doutora em Nutrição e presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais (SBAF), da nutricionista Karine Oliveira Daud, coordenadora da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem-Estar, de São Paulo, e Daniela Kappes, médica e nutróloga de Caxias do Sul.

Água
Beber muita água é essencial porque ela hidrata o organismo, faz o transporte de nutrientes para as células e a remoção de resíduos do metabolismo. Se, com o frio, é difícil engolir um copo d’água, opte por chás, chimarrão e sopas.

Alho
Contém uma substância chamada alicina que é antibacteriana e antiviral. Pode ser introduzido na alimentação como tempero ou, se bem tolerado, em forma de chá.

Brócolis
É fonte de ácido fólico, vitamina A e E. Fortalece a imunidade, protege o cérebro e previne o câncer, segundo um estudo da Universidade de Pittsburgh. Outros alimentos que possuem propriedade semelhantes são: espinafre, couve e feijão.

Carne vermelha
É fonte de proteína e vitaminas B6 e B12, importantes na formação de anticorpos. Também são boas fontes desses nutrientes: frango, ovos e leguminosas.

Castanha-do-pará
É fonte de vitamina E, selênio e zinco, que retardam o envelhecimento das células. Fortalece a imunidade. Um dos estudo da Universidade de Loma relaciona o seu consumo ao baixo índice de obesidade e doenças coronárias.

Cogumelo Shitake
Contém lentinana, que estimula a produção e a atividade dos glóbulos brancos, defensores do organismo.

Gengibre
Tem poderes antioxidantes, antiinflamatórios e atua como protetor do organismo. Iogurte Estudos científicos mostram que os lactobacilos presentes no iogurte recuperam a flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico.

Laranja
A cor amarela indica que a fruta é rica em vitaminas A e C, antioxidantes naturais. Um estudo do Instituto Americano de Saúde mostrou que a vitamina C fortalece a imunidade e previne o câncer. Além da laranja, são boas fontes: cenoura, mamão, goiaba, damasco e beterraba.

Peixes
Peixes de águas profundas, como sardinha, salmão e atum, são ricos em ácidos graxos Ômega-3 e melhoram o sistema imunológico. Também reduzem o risco de doenças cardiovasculares e antiinflamatórias.


Por: Clic RBS - Seção: Vida Saudável

Publicado em: 14/07/2010

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/vidasaudavel/2010/07/14/dieta-contra-a-gripe/?topo=87,1,1,,,87

Fibra de laranja ajuda a perder até 2,5 kg por mês

A proximidade do verão desperta o desejo de um corpo com tudo no lugar e as academias ficam lotadas de pessoas com o mesmo objetivo: eliminar os quilinhos extras. Também é a época de tirar da gaveta aquela dieta milagrosa ensinada por alguma amiga. Na maioria das vezes, de tão restritiva, até faz efeito num primeiro momento, mas depois a briga com a balança continua – podendo até piorar. Por este motivo, muitas pessoas têm recorrido a emagrecedores naturais.

Um dos mais populares dos últimos tempos é o alimento encapsulado à base de fibra de laranja, composto por fibras e óleos essências da fruta. Tire algumas dúvidas com Kali Nardino, consultor farmacêutico da Divine Shen, sobre essa pílula supostamente “mágica”.

Como é a ação da fibra da laranja no organismo?
A laranja possui um tipo de fibra solúvel chamada pectina, que é capaz de absorver água e outros líquidos, tornando-se uma espécie de gel, que promove saciedade e impede a absorção e acúmulo de açúcares e gorduras. Além disso, o produto possui alguns óleos essenciais presentes na casca da laranja, o citral e o limoleno, que promovem o equilíbrio da energia corporal e aceleram o metabolismo.

É possível emagrecer apenas tomando a fibra?
As cápsulas de fibra de laranja ajudam a eliminar peso e reduzir medidas de forma saudável, porém aconselhamos uma mudança de hábitos. Uma alimentação equilibrada e a prática regular de algum tipo de atividade física são fundamentais não só para a boa forma, como para manter a saúde em dia.

Quantos quilos eu vou perder por mês?
Não há uma regra, pois cada organismo apresenta uma resposta diferente. De maneira geral, há uma redução entre 1,5 e 2,5 quilos ao mês, de um jeito totalmente natural e saudável. É importante ressaltar que o uso do produto deve estar associado à correta ingestão de líquidos, a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudável.

Durante quanto tempo é aconselhado ingerir a cápsula?
Aconselhamos que consumi-las por um período de um a três meses. Depois disso, é interessante que seja feita uma pausa de um mês. Essa indicação é válida para qualquer alimento encapsulado e/ou fitoterápico. A explicação é simples: após o uso consecutivo por três meses, há uma redução natural do efeito do produto no organismo.



Por: Abril - On Line

Publicado em: 17/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/09/fibra-de-laranja-ajuda-a-perder-ate-25-kg-por-mes/

Shiatsu - Alívio imediato

Inconscientemente, sempre que você sente rigidez ou dor no corpo, pressione a parte afetada com as mãos. Esse é um ato reflexo que explica parte da técnica utilizada numa massagem.

O Shiatsu é uma delas. "Shi" significa dedo, "atsu" significa pressão. Uma massagem oriental que consiste em pressionar determinadas áreas do corpo com os dedos e as palmas das mãos.

Ao longo do meridiano da bexiga (importante no diagnóstico e tratamento), localizado nas costas, existem pontos correspondentes a cada órgão. Corretamente pressionados podem dar alívio imediato. O toque desbloqueia energias estagnadas, que impedem o bom funcionamento do organismo.

Atua como prática preventiva, fortalecendo o sistema imunológico e como terapia, sanando dores musculares e na coluna, desequilíbrios do sistema nervoso, disfunções orgânicas e estresse. Além de equilibrar os meridianos. A prática esportiva faz bem aos músculos, mas em demasia pode levá-los a fadiga.

É importante que o esportista receba massagem para aliviar e prevenir distensões. Para isso, existem técnicas. Torna-se então importante saber qual tipo de técnica é mais aconselhável ser utilizada em cada caso.

Procure sempre orientação de um especialista. Nem toda técnica de massagem é aconselhada para recuperar alguma situação de dor ou stress.
O Shiatsu é parte do Anma, que em japonês significa massagem terapêutica. Apenas em 1964 foi reconhecido de forma distinta e independente.

O Anma é a forma mais antiga da Massagem Tradicional Asiática. Não usa óleo. Envolve alongamento e toque com as mãos, com o foco em melhorar o condicionamento muscular e a circulação do Ki, ou Energia Universal da Vida.

Enquanto as técnicas de massagem ocidentais focam o relaxamento do paciente, o objetivo do Anma é influenciar os órgãos internos. Manter em equilíbrio as funções físicas e psicológicas do corpo. Reduzir os sintomas e alinhar a estrutura física que pode ser necessária.


Por: Site Médico

Publicado em: 19/12/2010

Fonte: http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=71

Busque o equilíbrio corporal com ajuda da acupuntura

Método é utilizado desde tratamento para dores de cabeça até depressão e estresse.

"Saúde é mais do que simplesmente a ausência de doenças. Saúde é um estado de bem-estar psíquico, físico, social e anímico", diz a acupunturista Emy Sato, de Novo Hamburgo. Ela explica que a Medicina Oriental não consiste apenas em identificações sindrômicas e aplicações de alguma modalidade terapêutica natural; é algo muito mais amplo e profundo.

O ritmo acelerado do homem atual, associado a uma jornada de trabalho e de compromissos, provoca uma realidade conflitante. O bombardeio de informações, a mobilização excessiva da mente racional e a falta de tempo para dedicar-se a si mesmo são as causas da ansiedade crônica e suas consequências. "Por isso, a qualidade de vida é proporcional ao tempo que reservamos para nós mesmos, no sentido de nos integrarmos com a natureza, cultuando um mundo interior mais rico e significativo. O ser humano não é uma máquina programada para produzir mecanicamente bens e conhecimentos", pondera Emy.

"O propósito da cultura e da existência é manter a vida em harmonia. O propósito da acupuntura é manter a harmonia em nossa vida física e emocional", salienta Emy.

História
Há mais de 4 mil anos, a medicina Tradicional Chinesa, entre elas, a acupuntura, têm a sua eficácia reconhecida por diferentes civilizações. Os recursos terapêuticos chineses têm o objetivo de tratar a totalidade do indivíduo, agindo sobre a raiz do problema.

Técnica
"Os pontos acupuntura funcionam como meio de comunicação entre o exterior e o interior do nosso corpo. A principal técnica empregada é a inserção de finas agulhas em pontos pré-estabelecidos espalhados pelo corpo na forma de meridianos, correspondentes à energia de cada um dos órgãos internos", comenta Emy. Para diagnóstico, o paciente é submetido a uma avaliação global, onde é efetuado um minucioso exame, valorizando sinais e sintomas tais como tremores, dor de cabeça, alterações digestivas, entre outros.

O tratamento é só com agulhas?
Emy explica que não. Há muitos outros tipos de opções terapêuticas, como a massagem, auriculoterapia, ventosas, fitoterapia chinesa e moxabustão (técnica de aquecimento com ervamedicinal, a Artemísia).

O que se pode tratar pela acupuntura?
- enxaquecas e cefaleias
- dores músculo-esqueléticas
- dores reumáticas
- distúrbios intestinais
- cólicas menstruais
- algias vertebrais (lombalgias, dorsalgias, cervicalgias)
- ansiedade e depressão
- obesidade e vícios
- fadiga, cansaço, estresse, insônia
- tendinites
- distúrbios respiratórios e outros

Reportagem publicada originalmente no caderno Viver com Saúde, veiculado às segundas-feiras nos jornais do Grupo Sinos.

Por: Diário de Canoas

Publicado em: 24/03/2011

Fonte: http://www.diariodecanoas.com.br/site/noticias/geral,canal-8,ed-60,ct-684,cd-311535.htm

Curativo de celulose acelera cicatrização de úlcera da pele

Curativo de celulose e própolis

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) estão testando o uso de curativos de membrana de celulose para a cicatrização de úlceras de pele.

O material, de origem biológica, permite curar as lesões com mais rapidez e qualidade.

Também será experimentada a aplicação da membrana com própolis, para proporcionar efeito bactericida.

Os estudos, realizados pela fisioterapeuta Fernanda Sanchez, está recrutando voluntários para a realização dos tratamentos e aferição dos resultados.

Úlceras da pele
Durante a pesquisa serão aplicados curativos de celulose, já testados em animais e em portadores de úlceras crônicas de pele.

"Também conhecidas como úlceras de pressão, essas lesões atingem pessoas acamadas por longos períodos de tempo", ressalta a fisioterapeuta. "Devido a pressão excessiva e constante no local da lesão, causada pela falta de movimentação do paciente, o tratamento atualmente é muito difícil."

A membrana de celulose é um biomaterial, produzido a partir da celulose bacteriana.

"Devido à sua espessura e transparência, a membrana pura se assemelha a uma folha de papel de seda", descreve Fernanda. Após a assepsia do local da lesão, a membrana é aplicada e mantida permanentemente, para que seja absorvida pela pele. "A úlcera se cicatriza de fora para dentro, com mais rapidez e qualidade."

A fisioterapeuta aponta que o curativo não precisa ser manipulado após a aplicação na pele. "Isso diminui o risco de infecções bacterianas, muito comuns em casos desse tipo de úlceras", ressalta.

Após a aplicação da membrana, o paciente passa por um acompanhamento semanal para verificar se o curativo permanece no local da lesão e se há acúmulo de líquidos.

Curativo com própolis
Além dos testes com a membrana pura, o curativo também será testado em uma versão com a aplicação de própolis, substância que possui efeito bactericida. "O uso da membrana também será comparado com a aplicação do laser terapêutico de baixa intensidade, que já é muito utilizado em processos de cicatrização", planeja Fernanda.

Para continuar com as pesquisas, Fernanda procura voluntários na região de Araraquara (interior de São Paulo), dispostos a fazer o tratamento de úlceras de pele.

"Podem participar dos testes clínicos pessoas de qualquer idade que tenham desenvolvido úlceras, mediante assinatura de um termo de consentimento", afirma.

As aplicações serão feitas na própria residência dos pacientes, durante um período de até três meses, dependendo do tempo de cicatrização de cada úlcera. Os interessados podem se inscrever pelos telefones (16)9228-0522 e (16) 3114-8038.



Por: Diário da Saúde - Júlio Bernardes - Agência USP

Publicado em: 05/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=curativo-celulose-cicatrizacao-ulcera-pele&id=6350

"Quase Vegetariano" instiga alimentação saudável sem radicalismos

"Quase Vegetariano" pode ser o livro que faltava em sua casa, ou cozinha, mais especificamente. Sem radicalismos, a autora Geni Coli oferece ao leitor a possibilidade de experimentar receitas saborosas e saudáveis, feitas com ingredientes como soja, alho, brotos, frangos e peixes.

O livro não defende nenhuma causa específica, e quer apenas mostrar como é possível a alimentação diária ser mais nutritiva, e algumas vezes, até ousada. Misturar os ingredientes de forma nova pode surpreender o paladar de todos, mesmo que nem sempre a coisa dê certo.

Mas foi assim, ao longo dos anos, que Coli descobriu temperos, arriscou-se e transformou pratos clássicos - geralmente gordurosos - refazendo-os a partir da substituição de carnes vermelhas por combinações mais equilibradas. A obra oferece um menu completo com diversas possibilidades de antepastos, pratos principais, lanches e sobremesas.

Aprenda a fazer um original quibe de berinjela:

Ingredientes

1 xícara (de chá) de trigo para quibe
1 cebola grande ralada
1 berinjela picada em cubos
1 cenoura ralada
1 cebola picada
3 dentes de alho amassados
2 batatas cozidas e amassadas
3 colheres (de sopa) de hortelã picadinha
2 colheres (de sobremesa) de sal
Pimenta-do-reino
3 colheres (de sopa) de óleo
2 tomates em rodelas
Um pouco de azeite

Modo de preparo

Em uma tigela coloque o trigo de molho com 1 xícara (de chá) de água fervente. Deixe descansar por 15 minutos, acrescente a cebola ralada e 1 colher (de sobremesa) rasa de sal.

Mexa bem e deixe por 15 minutos. Reserve. Em uma panela, ponha o óleo, a cebola e o alho picadinho para dourar. Coloque a cenoura ralada e a berinjela em cubos para uma rápida refogada.

Retire do fogo, junte a batata amassada, o trigo, a hortelã, o sal e a pimenta e misture bem. Em uma fôrma refratária untada coloque a massa, aperte bem, enfeite com rodelas de tomate e regue com um pouco de azeite. No forno convencional pré-aquecido: 30 minutos. No forno microondas, coloque filme de PVC: 12 minutos na potência alta. Sirva quente ou frio.



Por: Livraria da Folha

Publicado em: 10/04/2011

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/898037-quase-vegetariano-instiga-alimentacao-saudavel-sem-radicalismos.shtml

Receita dos bons alunos: atenção às aulas e meditação

Segundo professores britânicos, técnica relaxa e impulsiona o rendimento.

Cantar, contar histórias, encenar. Certamente milhares de professores já testaram esses mecanismos para atrair a atenção dos alunos e fazer com que as notas de seus pupilos melhorem. Agora, professores britânicos estão testando novas armas em prol do desempenho escolar: a yoga e a meditação.

A ideia é de Dave Read, um professor de história aposentado que viaja pela Grã-Bretanha ensinando técnicas de meditação a crianças do ensino fundamental. "Meus workshops são sobre a educação emocional e o objetivo é fazer com que os pequenos façam contato com seu sentimentos", disse Read ao jornal The Daily Mail. "A resposta até agora tem sido maravilhosa. As crianças dizem que nunca se sentiram tão relaxadas."

Os professores que passaram a aplicar a técnica na sala de aula garantem que o rendimento dos alunos aumentou. Geralmente, as sessões acontecem uma vez por semana e duram uma hora. Helen Reeder, uma das professoras que faz uso da nova técnica, resume: "Isso acalma nossos alunos e eles passam a sentir melhor durante as aulas regulares."

No condado de Essex, a técnica ganhou tanta polularidade que o governo decidiu investir cerca de 20.000 libras (aproximadamente 51.000 reais) no programa de meditação e yoga das escolas locais. Além da aprender posições do yoga e técnicas de meditação, os alunos aprendem também técnicas de respiração, que ajudam no realxamento e na concentração durante as aulas.

Por: Veja - On line

Publicado em: 12/04/2011

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/professores-usam-meditacao-para-melhorar-desempenho-dos-alunos

Perder peso melhora a memória e a concentração

Leveza para a memória

Pesquisadores descobriram uma ligação entre a perda de peso e a melhoria da memória e da concentração.

O estudo mostra que pacientes submetidos à cirurgia bariátrica apresentaram uma melhora significativa na memória 12 semanas após a cirurgia.

"A ideia inicial [da pesquisa] veio do nosso trabalho clínico," conta John Gunstad, da Universidade Kent, nos Estados Unidos. "Tive a oportunidade de trabalhar com um grande número de pessoas que estavam tentando perder peso, quer através de meios comportamentais ou por meio da cirurgia."

Testes cognitivos

Gunstad conta ter observado que os dois grupos de pacientes cometem erros semelhantes em testes cognitivos, o que os faz cair para uma faixa abaixo do considerado normal para a população como um todo.

Contudo, os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica apresentaram uma melhoria da memória e da concentração 12 semanas após a cirurgia, melhorando seus resultados dos testes cognitivos - na média, eles passaram do nível "ligeiramente deficiente", antes da cirurgia, para "normal" depois da cirurgia.

"A principal motivação para estudar os pacientes da cirurgia é que sabemos que eles perdem muito peso em um curto espaço de tempo, então é um bom grupo para estudar", disse Gunstad. "Este é o primeiro indício de que, ao passar por esta cirurgia, as pessoas podem melhorar sua memória, concentração e capacidade de resolução de problemas."

Razões mentais para a perda de peso

Os cientistas afirmam que os resultados dão muitas razões para otimismo porque, ao contrário de outras condições médicas, a obesidade pode ser cuidada e revertida.

"Muitos dos fatores que acompanham a obesidade - tais como pressão alta, diabetes tipo 2 e apneia do sono - podem danificar o cérebro, mas são de certa forma reversíveis," disse Gunstad. "Como esses problemas desaparecem, o funcionamento da memória fica melhor."

Ao mostrar que os efeitos da obesidade também são reversíveis, as pessoas podem encontrar razões mais fortes que as levem a lutar contra o excesso de peso - a melhoria do funcionamento da mente, com eventuais melhorias no rendimento nos estudos, no trabalho, ou mesmo no dia-a-dia, parece ser uma razão forte o bastante.

Saúde do cérebro e do coração

A equipe agora vai acompanhar os participantes do estudo por dois anos, aferindo se os ganhos cognitivos se mantêm, se voltam a cair ou mesmo se melhoram ainda mais com o passar do tempo.

"Uma das coisas que nós sabemos é que, conforme os indivíduos se tornam mais saudáveis do ponto de vista cardiovascular, a saúde do seu cérebro também melhora," conclui Gunstad.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 14/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=perder-peso-melhora-memoria-concentracao&id=6374

Capacidade multitarefa do cérebro diminui com a idade

Memória de trabalho

A capacidade de realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo cai à medida que o homem envelhece. Uma nova pesquisa aponta que o motivo pelo qual pessoas mais velhas têm mais dificuldade em alternar tarefas está nas redes neurais.

Lidar com múltiplas tarefas envolve a memória de curta duração, que define a capacidade de manter e manipular uma determinada informação em um período de tempo.

Essa memória de trabalho é a base de todas as operações mentais, de decorar um número de telefone a digitá-lo em um aparelho, de manter o ritmo de uma conversa a conduzir funções complexas como raciocinar ou aprender.

"Os resultados do estudo sugerem que o impacto negativo das múltiplas tarefas na memória de trabalho não é necessariamente um problema com a memória, mas deriva de uma interação entre atenção e memória", disse Adam Gazzaley, professor da Universidade da Califórnia em San Francisco, um dos autores do estudo que será publicado esta semana na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Multitarefa em declínio

De acordo com o estudo, a dificuldade em realizar mais de uma tarefa em um mesmo período de tempo está no momento de alternar entre uma atividade e outra.

O problema fundamental não são as próprias tarefas ou as interrupções, mas as distrações. A pesquisa indica que a capacidade do cérebro em ignorar informações irrelevantes cai com a idade e que isso impacta na memória de trabalho.

O estudo reforça que as "coisas da idade", como costumam ser chamados episódios comuns de distração e esquecimento, têm um impacto maior em indivíduos mais velhos.

Os pesquisadores compararam a memória funcional de jovens saudáveis (com idade média de 24,5 anos) e de idosos também saudáveis (com média de 69,1 anos) em testes envolvendo diversas tarefas simultâneas.

Capacidade de concentração

Por meio de imagens de ressonância magnética, analisaram o fluxo sanguíneo nos cérebros dos participantes de modo a tentar identificar as atividades de circuitos e redes neurais.

Os participantes tinham que observar uma determinada cena e fixá-la por 14,4 segundos. Durante o período, entrava uma interrupção, na forma da imagem de um rosto, e os voluntários tinham que determinar o sexo e a idade estimada da pessoa. Em seguida, tinham que lembrar a cena original.

Os mais velhos mostraram maior dificuldade em fixar a imagem original. Os exames de ressonância mostraram que quando os participantes eram interrompidos, o processo de fixação da memória dava lugar ao próprio processamento da interrupção.

Os mais jovens conseguiam restabelecer a conexão com a rede da memória após a interrupção, desligando-se da imagem que apareceu no meio do teste. Já os mais velhos, na média, tiveram dificuldade tanto para se desligar da interrupção como para restabelecer a rede neural associada com a memória da cena original.

"O impacto das distrações e das interrupções revela a fragilidade da memória de trabalho. Esse é um fato importante a se considerar, uma vez que vivemos em um meio em que cada vez há mais interferências e exigências, como o aumento na quantidade de dispositivos que transportam informação", disse Gazzaley.



Por: Agência Fapesp - Diário Da Saúde

Publicado em: 13/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=capacidade-multitarefa-cerebro&id=6371

Ioga integral dissemina nova consciência em busca da paz interior

Para professora Wal Nunes, o estilo é mais do que uma filosofia de vida.

O ioga integral é um estilo ainda pouco conhecido no Brasil e, por isso, a professora Wal Nunes foi a Londres, estudar o trabalho de seu criador, o guru Sri Aurobindo. O polêmico mestre espiritual dedicou sua vida a transmitir suas experiências no ioga, trazendo para a realidade seus insights durante a meditação, capazes de atingir o grau de consciência supramental, que seria a consciência-verdade, na qual se integram o corpo e o espírito.

A dedicação de Sri resultou na criação do ioga integral, que se trata do estudo e prática aprofundados da unificação dos princípios das diversas linhas de ioga. A supramente, segundo ele, se daria quando o objetivo final do ioga deixa de ser idealizado e passa a ser consciente.

— Muitos iogues se dedicam à prática excessiva do badalado hot ioga ou no fanatismo com a prática excessiva de bakti yoga, que é pura devoção e espiritualidade — diz Wal, defendendo a medida entre esses universos para integrar o ioga na vida diária.

— Alguns tentam explicar o estado meditativo: filósofos, religiosos, iogues e iluminados. Na verdade, um número muito pequeno de pessoas consegue entender realmente o assunto e raros são os que vivenciam esse estado verdadeiramente. Meditar é um momento único de você consigo mesmo, com seu caos inicial. Uma busca pela paz interior, o cessar da mente. Muitos chamam esse estado de Deus, de ser divino. Eu o chamo, simplesmente, de estado de presença — afirma.

Através de seu trabalho, Wal mostra que o ioga integral vai além de filosofia de vida. De acordo com ela, ele pode ser definido como olhar para si mesmo e enxergar o que incomoda para, a partir daí, buscar um meio que traga paz interior e felicidade, respeitando a harmonia do ser, sem querer moldá-lo. Seria ver a a suposta "divindade" em todas as atividades diárias, viver a entrega com entendimento, deixar a vida fluir.

As aulas de professores que defendem o ioga integral respeitam o todo, adaptando as técnicas de forma sutil e personalizada. Os movimentos têm o objetivo de colocar o aluno à frente dos problemas ou situações do passado que são inconscientemente carregados pela vida toda.

— Ser feliz vai além de se libertar dos problemas, mas encará-los como um desafio e uma chave para a nossa evolução. Para mim isso é ioga integral, isso é viver em harmonia e felicidade — completa Wal.

É por isso que a professora defende que o ioga deve fazer parte da vida de todo ser humano, não como um estilo de vida radical, mas como um meio de viver o aqui e agora.

— Somente assim é possível encontrar essa paz interior, essa combinação de emoções que traz conforto e bem-estar a nossa alma, isso é felicidade. Isso é ioga — finaliza.


Por: Click RBS - Zero Hora - Seção: Bem estar

Publicado em: 14/04/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3273563.xml

Praticar yoga diminui estresse

Aulas de postura e respiração fazem parte da disciplina que busca diminuir sintomas do esgotamento físico e mental.

Ansiedade e cansaço são sintomas comuns de uma vida onde a rotina é a correria. São sintomas que podem indicar a presença de estresse.
Se condições físicas e psicológicas associadas ao esgotamento forem identificadas, é recomendável procurar um médico ou um psicólogo, mas existem terapias alternativas que visam diminuir os sintomas, como a ioga.

Segundo o Ministério da Saúde, nenhum método isolado de tratamento contra o estresse é infalível, mas uma combinação de vários fatores é mais efetiva. “Se a pessoa com sinal de estresse procurou um médico, está usando algum medicamento e pratica a ioga, as chances de melhora são maiores”, explica a professora de Educação Física e de Ioga, Daiane Peruci.

A professora, que dá aulas de ioga há 5 anos, conta que é possível diminuir a ansiedade e o esgotamento através das técnicas de respiração, concentração e meditação, pois relaxa o sistema nervoso central. “Existem técnicas específicas para cada tipo de ansiedade e cansaço. A técnica mais simples é o exercício de respiração abdominal, quando a pessoa trabalha o movimento muscular, expandindo e recolhendo o abdome.”

Durante cerca de 1h, Daiane trabalha a postura psicofísica, que busca o equilíbrio entre a mente e corpo. “A sensação de bem estar já é imediata logo após as aulas, mas em casos em que o tratamento é mais complexo, o trabalho pode começar a dar resultado a partir de 2 a 3 meses.”

Segundo Daiane, as aulas de ioga não são exclusivas dos estressados. “Tem pessoas que não são ansiosas, mas que nos procuram. Elas querem prevenir os problemas, o objetivo é controlar a mente.”

Para evitar o estresse
- Uma dieta saudável é essencial. A saúde e a resistência podem melhorar com uma dieta rica em cereais integrais, vegetais e frutas, e evitando o abuso álcool, cafeína e cigarro.
- Exercícios físicos são ótimas maneiras de se distrair dos eventos estressantes. Procure uma atividade que proporcione prazer, como a ioga.
- Relaxe, respire fundo.
- Relaxe os músculos, em uma posição confortável concentre-se em cada parte do corpo e sinta-os se relaxando totalmente.



Por: Correio do Norte - On Line - Thiago Carneiro

Publicado em: 15/04/2011

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/correiodonorte/editorias/saude/praticar-yoga-diminui-estresse-1.449014

Dieta vegetariana reduz riscos cardíacos e diabetes

Uma dieta sem carne reduz a probabilidade de alguns factores de risco comuns à diabetes e a complicações cardíacas, refere um novo estudo desenvolvido na Universidade de Loma Linda, nos Estados Unidos. Uma das grandes vantagens de uma dieta vegetariana reside nos menores riscos de desenvolver síndrome metabólica.

A dieta vegetariana promove menos riscos de desenvolver síndrome metabólica, conjunto de factores que oferecem riscos para a saúde, refere o The Independent, que cita um estudo recente de uma universidade norte-americana.

Para o estudo foram examinados 700 adultos, 35 por cento dos quais eram vegetarianos. Existia uma diferença de idade entre os participantes, dado que os vegetarianos eram, em média, três anos mais velhos do que os indivíduos não vegetarianos.

Os autores do estudo examinaram um conjunto de factores – como açúcar no sangue, colesterol, pressão, perímetro abdominal e massa corporal – que provocam a síndrome metabólica, e concluíram que os vegetarianos tinham níveis mais baixos do que os não-vegetarianos nos parâmetros examinados, excepto no colesterol.

Por: Actualidades(Fábrica de Conteúdos) - Portugal

Publicado em: 19/04/2011

Fonte: http://noticias.portugalmail.pt/artigo/20110419/dieta-vegetariana-reduz-riscos-cardiacos-e-diabetes

Diabetes e pressão alta: crianças também têm doenças de adultos

Hipertensão arterial, diabetes, gordura no sangue, enxaqueca, AVC, depressão, ansiedade e até mesmo anorexia não são mais associadas aos adultos; especialistas reforçam a necessidade de hábitos saudáveis desde a primeira infância.

Já se foi o tempo em que arranhão no joelho, dor de barriga ou mal-estar seguido de gripe eram as principais reclamações vindas das crianças. De acordo com estudos recentes sobre o tema e a observação diária de especialistas da área, algumas doenças consideradas como "coisa de adulto" agora também atingem os pequenos.

De acordo com os profissionais ouvidos pelo Terra, as principais "novidades" nos consultórios médicos são as síndromes metabólicas como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, aumento da gordura no sangue, enxaqueca e AVC. Dentre os problemas psicológicos, estão a depressão e ansiedade excessiva. A obesidade também está entre os principais problemas e, segundo o Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, já atinge 30% das crianças brasileiras de 5 a 9 anos.

Para a Dra. Vera Koch, chefe da unidade de nefrologia do Instituto da Criança do HCFMUSP, a obesidade infantil tem a ver, inclusive, com a melhora da situação socioeconômica do país: "A alimentação melhorou, só que a dieta ainda é muito desregrada, com grande consumo de carboidratos, de produtos industrializados - que são ricos em sal - e de gorduras saturadas, vindas da proteína animal."

Ela recomenda que os pais não esperem que os sintomas apareçam para procurar ajuda: "A partir da visita regular ao pediatra é possível verificar se o desenvolvimento e o crescimento estão acontecendo da melhor maneira", ela explica.

Segundo a Dra. Ana de Jesus Cristovão, pediatra da Beneficência Portuguesa de São Paulo, alguns fatores que compõem a vida moderna são responsáveis por essas mudanças. "Acredito que o chamariz comunicativo para os alimentos chamados 'fast food', a Internet, a vida nas grandes cidades e a violência urbana, sejam os principais fatores para o aumento dessas doenças em crianças."

De olho na pressão da criançada
Em novembro de 2010, a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo divulgou um estudo realizado pelo Instituto da Criança do HCFMUSP, com cerca de 1,6 mil crianças, que mostrou que bebês com baixo peso podem virar adultos hipertensos. Uma das explicações tem a ver com um ciclo hereditário que pode afetar a vida adulta.

O Instituto frequentemente faz mutirões para medir a pressão arterial de crianças e adolescentes, e os especialistas têm observado que, em média, 30% dos pacientes atendidos apresentam algum quadro de obesidade ou sobrepeso, um dos problemas relacionados à hipertensão.

A Dra. Vera Koch acrescenta que os problemas relacionados ao peso podem, inclusive, começar na barriga da mãe: "Muitas crianças brasileiras tiveram na geração passada um histórico de desnutrição. Quando isso a afeta no útero, o feto entende que precisa armazenar energia para sobreviver. Antigamente, chamávamos isso de 'metabolismo avarento', ou seja, o indivíduo que estoca e usa pouco. O fenômeno é visto em todos os países do mundo que saem de uma situação de desnutrição para a fartura."

Enxaqueca e AVC também acontecem na infância
A Secretaria de Saúde do Estado divulgou, em 2009, dados relacionados à incidência de Acidente Vascular Cerebral (AVC) em crianças. Em 2008, foram registrados 266 casos, com 28 óbitos e, em 2009, foram 177, entre crianças até 14 anos de idade.

Para este tipo de problema, não há prevenção, mas em alguns casos as sequelas são reversíveis, podendo ser tratadas com fisioterapia e psicologia. Na ocorrência do AVC, os pais devem investir em um acompanhamento médico intensivo, pois uma vez que a causa é determinada, a repetição do problema pode ser prevenida.

A Secretaria também alerta sobre a enxaqueca, que vem se mostrando outro problema recorrente. É preciso saber diferenciar uma simples dor de cabeça de um quadro mais sério, e redobrar os cuidados na ocorrência de alterações de humor, vertigens, náuseas, vômitos e dores abdominais. O problema exige medicação adequada e mudanças de hábito, como uma rotina de alimentação regrada, boas noites de sono e cuidados com a exposição ao sol.

Pouca idade, muita preocupação
Os distúrbios psicológicos também já chegaram às cabecinhas das crianças. De acordo com a Dra. Carolina da Costa, psiquiatra do Programa de Ansiedade Infanto-Juvenil do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP, os transtornos de ansiedade e depressão são os dois problemas mais comuns entre crianças e adolescentes.

A especialista associa, como um dos fatores ligados à ansiedade, a rapidez com que se multiplicam notícias sobre tragédias sociais e catástrofes naturais: "As crianças estão demonstrando preocupações mais típicas da idade adulta, além de ficarem muito atentas aos problemas do ambiente em que vivem, como uma separação dos pais, por exemplo."

Entre os sintomas físicos elencados pela psiquiatra estão dor de barriga constante, dor de cabeça, coração acelerado e dificuldade de respirar.

Já os casos de depressão são caracterizados, de um modo geral, por medos e preocupações excessivas, que merecem atenção redobrada quando acarreta prejuízos à criança: "Existem medos típicos de cada idade, que estão dentro do desenvolvimento normal. Mas é importante observar se isso acarreta perdas, como o medo de ir à escola, de fazer perguntas à professora ou apresentar trabalhos escolares, ou ir a eventos que distancie a criança dos pais, caracterizando assim uma fobia social", explica.

A criança depressiva apresenta mudanças de humor e tristeza contínua, falta de disposição para brincar, alterações de sono e alimentação, pensamentos ruins e a tendência à autodepreciação e diminuição da autoestima. "São sintomas bem parecidos com os que ocorrem com o adulto, o que difere é a forma como isso é observado. O adulto terá problemas no trabalho, enquanto a criança terá alterações dentro do contexto infantil, brincando menos, apresentando irritabilidade e problemas na escola", pontua.

A especialista lembra que é preciso observação constante: "Procure saber como é o dia a dia da criança. Se ela apresentar problemas pontuais, é normal, então é preciso estimulá-la a enfrentar porque isso faz parte do desenvolvimento. Mas é preciso verificar a intensidade da angústia."

Em casos de ansiedade e depressão, muitas vezes a terapia é suficiente e pode funcionar bem. Casos mais graves podem exigir o uso de medicação, sempre associado ao acompanhamento médico.

Recentemente, um estudo realizado pelo University College London's Institute of Child Health, também mostrou dados preocupantes com relação à saúde mental na infância. A pesquisa mostrou que crianças a partir dos seis anos foram hospitalizadas com sintomas relacionados à anorexia e outros distúrbios alimentares. De acordo com o estudo, para cada 100 mil crianças do Reino Unido, três apresentam algum tipo de distúrbio.

Atenção aos sinais
Segundo a Dra Ana de Jesus Cristovão, pediatra da Beneficência Portuguesa de São Paulo, a observação diária dos filhos pode evidenciar problemas que, diagnosticados a tempo, são facilmente solucionados.

Crianças que reclamam de fraqueza, comem em excesso e não ganham peso, mostram sede constante e fazem xixi muitas vezes ao dia, podem denunciar sinais típicos de diabetes. Já o cansaço excessivo e dor de cabeça podem ser um alerta sobre a pressão arterial e a dosagem do colesterol, triglicerídeos e glicose.

Na teoria, a recomendação para evitar este tipo de problema é unânime: pais persistentes em hábitos saudáveis e acompanhamento médico constante. Na prática, algumas dicas simples podem ser bastante úteis, de acordo com a médica: "Procure atrair a criança fazendo um hambúrger no almoço, com bastante salada e tomate, gelatina com pedaços de frutas, salsicha de frango com legumes cortadinhos com 'carinhas de animais'. Prefira sucos no lugar de refrigerantes, biscoitos sem recheio e estabeleça apenas um dia para as guloseimas", recomenda.

A doutora indica a natação como atividade física complementar e mostra que, acima de tudo, o diálogo ainda é o melhor remédio: "Converse com seus filhos, não os exclua dos problemas por achar que a criança 'não entende', pois, muitas vezes, a interpretação errada gera conflitos e medos desnecessários", finaliza.

Pais que identificam em seus filhos sintomas ligados aos transtornos de ansiedade e têm interesse em participar de uma pesquisa do Ambulatório de Ansiedade da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do HC, podem ligar para o número (11) 3069-6978 e solicitar mais informações.



Por: Terra - Seção: Bem Estar - Saúde - Danielle Barg

Publicado em: 15/04/2011

Fonte: http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI5074265-EI16557,00-Diabetes+e+pressao+alta+criancas+tambem+tem+doencas+de+adultos.html

Vegetarianos têm menor risco de diabetes, derrame e ataque cardíaco

Alimentação mais saudável

Um estudo realizado por cientistas da Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, sugere que a síndrome metabólica é significativamente menos prevalente entre os vegetarianos.

Os vegetarianos apresentaram uma prevalência 36% menor de síndrome metabólica do que os não-vegetarianos.

Como a síndrome metabólica pode ser um precursor das doenças cardiovasculares, diabetes e acidente vascular cerebral, os resultados indicam que os vegetarianos podem ter menos risco de desenvolver essas condições.

Síndrome metabólica

A síndrome metabólica é definida como a apresentação de pelo menos três dos cinco fatores de risco total:

hipertensão arterial
elevação do colesterol HDL
altos níveis de glicose
triglicerídeos elevados
e uma circunferência da cintura não saudável

O estudo descobriu que, enquanto 25% dos vegetarianos tinham síndrome metabólica, esse número sobe para 37% para os semi-vegetarianos e 39 por cento para os não-vegetarianos.

Os resultados se mantiveram quando ajustados para fatores como idade, sexo, raça, atividade física, consumo de calorias, tabagismo e ingestão de álcool.

Prevenção da síndrome metabólica

"Tendo em vista a alta taxa de síndrome metabólica [...] e seus efeitos deletérios à saúde, queríamos examinar os padrões de vida que poderiam ser eficazes na prevenção e no possível tratamento desta doença", diz o pesquisador Nico S. Rizzo.

"Eu não tinha certeza se haveria uma diferença significativa entre vegetarianos e não-vegetarianos, e fiquei surpreso com o quanto os números contrastam," continua ele. "Isso indica que um fator como a dieta pode ser importante na prevenção da síndrome metabólica".



Por: Diário da Saúde - Heather Reifsnyder

Publicado em: 21/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vegetarianos-menor-risco-diabetes-derrame-ataque-cardiaco&id=6409

Mais da metade dos casos de Alzheimer podem ser evitados

Revisão do Alzheimer

Mais da metade de todos os casos da doença de Alzheimer poderiam ser evitados por meio de mudanças do estilo de vida e do tratamento ou prevenção de doenças crônicas.

Esta é a conclusão de um estudo conduzido pela Dra. Deborah Barnes, pesquisadora de saúde mental da Universidade da Califórnia, em São Francisco, nos Estados Unidos.

O estudo, chamado de estudo de revisão, analisou de forma sistemática dados de pesquisas científicas realizadas por inúmeros grupos de pesquisa ao redor do mundo, envolvendo no total centenas de milhares de participantes.

Como evitar o Alzheimer

Barnes concluiu que, na média mundial, os principais fatores de risco para o Alzheimer que são modificáveis são, em ordem decrescente de importância:

baixa escolaridade
tabagismo
sedentarismo
depressão
hipertensão na meia-idade
diabetes
obesidade na meia-idade

Juntos, esses fatores de risco estão associados com 51 por cento dos casos de Alzheimer em todo o mundo (17,2 milhões de casos) e 54 por cento dos casos de Alzheimer nos Estados Unidos (2,9 milhões de casos).

Nos Estados Unidos, Barnes descobriu que os fatores de maior risco modificáveis apresentam-se em outra ordem: inatividade física, depressão, tabagismo, hipertensão na meia-idade, obesidade na meia-idade, baixa escolaridade e diabetes.

Mudanças de estilo de vida

"O que é entusiasmante é que isso sugere que algumas mudanças de estilo de vida muito simples, como o aumento da atividade física e deixar de fumar, podem ter um tremendo impacto na prevenção do Alzheimer e outras demências, nos Estados Unidos e no mundo," disse Barnes.

Barnes adverte que suas conclusões são baseadas no pressuposto de que existe uma relação causal entre cada fator de risco e a doença de Alzheimer.

"Nós estamos assumindo que, quando você altera o fator de risco, então você altera o risco," explicou ela. "O que precisamos fazer agora é descobrir se essa suposição é correta."

Os resultados do estudo foram publicados na conceituada revista The Lancet Neurology.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 21/07/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=como-evitar-alzheimer&id=6730





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR