Artigos & Informações
Doenças cardiovasculares tendem a aumentar no inverno

A mudança de estilo de vida com a chegada do inverno e as baixas temperaturas faz com que a população troque a academia e os exercícios físicos pelo sedentarismo à frente da televisão. Mas essa troca, nada saudável para o corpo humano, pode levar ao excesso de peso e ao aumento das doenças relacionadas ao coração.

“O frio aumenta a pressão sanguínea porque as artérias ficam mais estreitas, o que afeta o sistema circulatório. Isso explica porque nesta época do ano temos um maior número de doenças cardíacas que afetam a população”, explica André Langowiski, cardiologista da Secretaria de Estado da Saúde.

Doenças cardiovasculares, como o acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto, estão entre as principais causas de morte no País, segundo dados do Ministério da Saúde. Com o inverno, a incidência de infarto – provocado pela obstrução das artérias que nutrem o coração – tende a aumentar o que faz do dele um grande fator de risco.

Além disso, a hipertensão é outro vilão. No inverno, as pessoas acabam se alimentando mais e ingerindo, principalmente, alimentos mais calóricos e ricos em gordura. “Por isso, é importante que a população que sofre de hipertensão mantenha uma alimentação saudável e consuma pouco sal. A prática de exercícios regulares, não apenas para os hipertensos, também ajuda em um melhor funcionamento do organismo”, afirma.

De acordo com Langowiski, os índices normais de pressão arterial de um adulto são de 12 por 8. “A partir de 14 por 9 já podemos considerar essa pessoa como hipertensa”, acrescenta Langowiski que recomenda cuidados redobrados com a pressão nesses meses de frio. Outros fatores como o tabagismo e o estresse também podem ser considerados como fatores de risco cardiovascular.

No Brasil são cerca de 33 milhões de hipertensos, a maioria idosos e adultos. “Não há um fator específico que explique o motivo de essas faixas etárias serem as mais atingidas, mas podemos verificar que uma alimentação de forma errada, a obesidade e a falta de exercícios durante a juventude são fatores que aumentam a probabilidade de crianças, quando adultas desenvolverem uma maior chance de terem a doença”, conclui.

Por: Agência de Notícias - Estado do Paraná

Publicado em: 15/07/2010

Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=57881&tit=Doencas-cardiovasculares-tendem-a-aumentar-no-inverno

Idoso deve ter cuidado específico com alimentação, diz nutricionista

Idosos devem ter cuidados específicos em relação à alimentação, de acordo com Lillian de Carla Sant´Anna Macedo, nutricionista do Hospital do Coração (HCor). Para ela, a alimentação é um dos fatores que ajudam no controle do organismo no que diz respeito a índices de hipertensão, diabetes, colesterol, entre outros.

“Um cardápio composto de fibras, vitaminas e minerais ajudam a manter a força e o equilíbrio do idoso. Uma pessoa adulta deve ingerir em média 1000 mg por dia de cálcio, mineral encontrado em leites, iogurtes, feijão branco, queijos, entre outros. Já acima dos 60 anos de idade, a recomendação aumenta para 1200 mg por dia”, explica.

Lillian afirma que as mudanças fisiológicas naturais decorrentes do envelhecimento interferem no apetite, consumo e absorção de nutrientes. "A associação de doenças, fatores psicossociais, condições socioeconômicas, interação entre nutrientes e medicamentos, isolamento familiar e social também estão diretamente ligadas à alimentação do público idoso. Nesses casos, o consumo de alimentos saudáveis irá auxiliar na redução das comorbidades e contribuir para o ritmo favorável de envelhecimento."


Por: Abril - On line: Agência Estado

Publicado em: 23/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/ciencia-saude/idoso-deve-ter-cuidado-especifico-alimentacao-diz-nutricionista-1279614.shtml

Homeopatia faz você se sentir bem

Dois importantes jornais ingleses noticiaram, em 17/11/2010, artigos positivos sobre o uso da homeopatia. Um deles foi o importante jornal médico-científico “Rheumatolory”. Esse jornal reportou artigo segundo o qual a homeopatia está cientificamente provada como eficaz no tratamento das inflamações, dores de artrite reumática e das juntas. O estudo foi realizado pela Sarah Brien of Southampton University (Universidade Sarah Brien de Southampton) e acrescenta que os benefícios já aparecem após a primeira consulta. O outro jornal foi o “Telegraph”, que diz que os pacientes que utilizaram a homeopatia já haviam tentado remédios alopáticos, em vão. A curiosidade é que pacientes que receberam a mesma medicação mas não fizeram uma consulta não tiveram os mesmos resultados positivos. Talvez porque a consulta com um homeopata faça o cliente ter mais consciência da própria responsabilidade sobre a sua cura. O estudo enfatiza que a conversa pode ter pesado a favor do resultado positivo da homeopatia. Quantos de vocês viram algum artigo na imprensa brasileira neste final-de-semana sobre homeopatia? Por que você está respondendo que não viu nenhum? A India é o país onde há mais cursos superiores de homeopatia e hospitais públicos que utilizam só homeopatia, mas é o Brasil o mais avançado em homeopatia líquida, embora as secretarias de saúde ainda ignorem esse fato.

Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 15/11/2010

Fonte: http://www.joacir.com/

Acupuntura também é feita sem agulhas

Quando se fala de acupuntura muita gente torce o nariz por causa das agulhas. Apesar de os especialistas garantirem que elas não causam dor, medo e trauma podem afastar pacientes do alívio ou mesmo da cura dos seus males. Para essas pessoas, existe a acupuntura sem agulhas, que usa outros métodos de estimulação.

"Acupuntura sem agulhas significa usar os mesmos pontos da técnica milenar", disse o médico especialista na área, Ruy Tanigawa, presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura (AMBA). A técnica faz parte da medicina tradicional chinesa praticada há milhares de anos e consiste no estímulo de determinados pontos (meridianos) a fim equilibrar as energias do corpo e mantê-lo saudável.

Um dos procedimentos que substituem as agulhas, segundo Tanigawa, é a moxabustão, cujo calor decorrente da queima de uma planta (artemísia) faz o estímulo igual ao da agulha. "O procedimento geralmente é feito com um bastão e com o cuidado de não queimar a pele."

Mais moderno, o laser de baixa potência também pode fazer as vezes das agulhas. Nesse caso, o estímulo ocorre por meio da absorção da radiação luminosa pelas células da pele no ponto que está sendo tratado.

A eletroestimulação também é usada para substituir as agulhas e é feita com um aparelho cujos imãs liberam cargas eletromagnéticas para estimular os meridianos da acupuntura tradicional.

Existe ainda um tipo de adesivo produzido com silício cristalizado e aglutinado com celulose vegetal (materiais 100% naturais). O silício é conhecido pela capacidade de ordenar ondas e frequências, o que permite a estimulação dos pontos, assim como as agulhas.

Segundo Tanigawa, a acupuntura, seja por meio de agulhas ou de outros métodos, é indicada para aliviar dores intensas (coluna, pernas, cabeça e rins, entre outros), como também para tratar as causas das doenças.

Indicação
A acupuntura sem agulhas ainda é pouco procurada em comparação com a tradicional, de acordo com o presidente da AMBA. Mesmo assim, há boas indicações, como demonstra o acupunturista Gilberto Agostinho, de São Paulo:

- pacientes agitados ou que tenham medo de agulhas (apesar de serem indolor, já que são extremamente finas, com diâmetro de 0,020 mm)
- pacientes com doenças mentais, pois podem retirar as agulhas durante a sessão
- crianças pequenas e agitadas
- bebês




Por: Correio do Estado - Terra

Publicado em: 28/03/2011

Fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/acupuntura-tambem-e-feita-sem-agulhas_104784/

Concentrado de frutas e vegetais diminui sintomas da gripe

Suplemento de frutas e verduras

A ingestão de concentrados de frutas e legumes diminui o número de dias com os sintomas das gripes fortes.

Pesquisadores demonstraram que um suplemento alimentar específico, feito à base de frutas e sucos de vegetais concentrados, reduziu significativamente o número de dias com sintomas severos da gripe.

O estudo, publicado no British Journal of Nutrition, mostra os benefícios potenciais do concentrado na redução dos dias de licença médica e das despesas com medicações contra a gripe.

Sintomas da gripe

Em um estudo randomizado e duplo-cego, metade dos pacientes tomou o concentrado de frutas e verduras todos os dias, enquanto a outra metade tomou um placebo.

O número de pessoas que contraíram gripe foi o mesmo em ambos os grupos.

No entanto, no grupo que recebeu os concentrados, os resfriados foram muito mais suaves.

Como resultado, houve uma diminuição nos sintomas moderados e severos de cerca de 20 por cento.

Concentrado industrial

"Os resultados do estudo são encorajadores, certamente porque mostram que certos suplementos podem atenuar as consequências da gripe comum," disse o professor Stefan Willich, orientador do estudo.

Como os pesquisadores usaram um concentrado de frutas e verduras produzido industrialmente, eles pretendem agora estudar a segurança de se tomar o composto durante um longo prazo.

Também não está claro o modo de ação específico do preparado no organismo.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 09/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=frutas-vegetais-diminuem-duracao-sintomas-gripe&id=6453

Colesterol ruim não é tão ruim quanto se pensa

LDL com exercício

O chamado "colesterol ruim" - a lipoproteína de baixa densidade, ou LDL (Low-Density Lipoprotein) - pode não ser tão ruim quanto se tem apregoado.

Pelo menos não quando a pessoa faz exercícios físicos regulares.

É o que garante um novo estudo, realizado pela equipe do Dr. Steve Riechman, pesquisador da Universidade do Texas, juntamente com vários outros cientistas de universidades dos Estados Unidos e do Canadá.

LDL e massa muscular

Segundo o estudo, o LDL não é o eixo do mal que se tem feito acreditar ao longo dos últimos anos, e que novas atitudes devem ser adotadas em relação à substância.

O estudo analisou um grupo de adultos entre 60 e 69 anos de idade, com boa saúde, e que se exercitavam regularmente, mas sem participar de programas organizados de atividades físicas.

Os experimentos mostraram que, após sessões de treino bastante vigorosas, os participantes que ganharam mais massa muscular também apresentaram os níveis mais elevados de LDL (o colesterol chamado "ruim").

"Foi um resultado muito inesperado e que nos surpreendeu. Ele mostra que você precisa produzir uma certa quantidade de LDL para ganhar mais massa muscular. Não há dúvida de que você precisa dos dois - LDL e HDL - e a verdade é, todos os tipos de colesterol são bons," afirma Riechman.

"Você não pode simplesmente remover totalmente o colesterol 'ruim' do seu corpo, sem sofrer sérias consequências," completa o pesquisador.

Placas de colesterol nas artérias

O colesterol é encontrado em todos os seres humanos e é um tipo de gordura que circula pelo corpo.

O colesterol total de uma pessoa composto de LDL (lipoproteína de baixa densidade) e HDL (lipoproteína de alta densidade).

O LDL é rotineiramente chamado de "mau colesterol" porque tende a se acumular nas paredes das artérias, causando uma diminuição do fluxo de sangue que, muitas vezes, leva a ataques do coração e outras doenças cardíacas.

Sinal de alerta

O HDL, normalmente chamado de "colesterol bom", ajuda a remover o colesterol LDL das artérias.

"Mas é aqui que as pessoas tendem a fazer as coisas erradas," diz Riechman. "O LDL serve a um propósito muito útil. Ele atua como um aviso de que algo está errado e envia sinais de alerta para o corpo. Ele faz seu trabalho exatamente da forma como se espera que ele faça."

Assim, o importante é ler o alerta emitido pelo LDL que começa a subir e encontrar a causa, e não apenas tentar baixá-lo a qualquer custo - geralmente a custo de medicamentos. Essas causas podem ser tabagismo, dieta ruim ou falta de exercícios, entre outras.

"As pessoas costumam dizer, 'Eu quero me livrar do meu colesterol ruim; mas o fato é que, se você se livrasse de todo ele, você iria morrer," acrescenta. "Todo mundo precisa de uma certa quantidade de LDL e de HDL no seu corpo. Nós precisamos mudar essa idéia de que o LDL é uma coisa do demônio - todos nós precisamos dele, e precisamos que ele faça o seu trabalho."

Sarcopenia

Riechman diz que o estudo será útil para lidar com uma condição conhecida como sarcopenia, que é a perda muscular devido ao envelhecimento.

Estudos anteriores mostraram que a perda muscular atinge uma taxa de 5 por cento por década após os 40 anos de idade - uma grande preocupação, porque a massa muscular é o principal determinante da força física.

Após os 60 anos de idade, a prevalência de sarcopenia moderada a severa é encontrada em cerca de 65 por cento de todos os homens e cerca de 30 por cento de todas as mulheres.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 09/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=colesterol-ruim-nao-tao-ruim&id=6452

Meditação é tão eficiente como morfina contra a dor

Não é de hoje que se sabe que a meditação é um aliado eficiente contra a dor, e estudos mostram que pessoas bem treinadas mentalmente podem suportar até dores bem fortes.

A boa notícia agora é a descoberta recentemente anunciada pelo Dr. Fadel Zeidan, Ph.D., que liderou pesquisa de pós-doutorado pelo Wake Forest Baptist Medical Center, da Carolina do Norte, considerado um dos dez melhores hospitais dos Estados Unidos, a qual concluiu que você não precisa ser um monge tibetano para conseguir aliviar suas dores através da meditação.

Segundo o Dr. Zeiden, a meditação pode ser até mais eficaz do que a própria morfina no alívio de dores. E pessoas que nunca meditaram antes, com um pouco de treino e pouco mais de uma hora por dia de exercício, podem reduzir dores de cabeça e outras em até 40% apenas com a meditação.

Muitas vezes a eficiência da morfina fica na faixa dos 25% apenas.

O estudo foi publicado no último dia 6 (6 de Abril 2011) no Journal of Neuroscience.

Para realizar o estudo, 15 voluntários que nunca haviam meditado antes em suas vidas, participaram de um curso de apenas 4 aulas e de apenas 20 minutos cada aula, durante o qual aprenderam as técnicas básicas de meditação. Depois, tendo seus corpos e cérebros escaniados por equipamentos sofisticados, eles foram expostos a uma experiência dolorosa provocada por calor.

O resultado, comprovado cientificamente pela primeira vez, demonstrou o incrível efeito da meditação no alívio da dor



Por: Midia News - Seção: Cotidiano / Bem Estar

Publicado em: 29/04/2011

Fonte: http://www.midianews.com.br/?pg=noticias&cat=3&idnot=49079

Poder da mente

A meditação, nos ensinam os orientais, nada mais é do que desenvolver técnicas de treinamento e controle da nossa própria mente e por conseguinte,equilibrar também a nossa energia corporal.

Ao iniciar uma meditação, você entra num estado de consciência que os indianos chamam de samadhi. Já os chineses chamam esse mesmo estado de ting que em chinês poderia ser traduzido para quietude.

Na prática é o processo de deixar a mente vazia, afastando pensamentos negativos, que provocam influência sobre nossas emoções,gerando distúrbios psicológicos e até mesmo físicos.

Ficando livres destas emoções que geram desequilíbrio, nos fortalecemos para prevenir doenças como diabetes, colesterol alto e hipertensão,todas em geral aceleradas ou potencializadas por uma mente que está somando sensações ruins, que acabam afetando todo o corpo.


Por: Diário do Grande ABC - Por Marco de Cardoso

Publicado em: 06/05/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5884101/poder-da-mente.aspx

A inimiga dos radicais livres

Quem é que quando esteve gripado ou resfriado, não ouviu aquela famosa frase:"Tome vitamina C e cama...",ou seja, vitamina C e repouso para combater o vírus que atacou o organismo. Na verdade, esta vitamina se tornou altamente popular, devido ao alto poder antioxidante, protegendo o corpo contra algumas doenças e retardando os processos degenerativos do envelhecimento.

A vitamina C, também é conhecida como ácido ascórbico e é uma das 13 substâncias que fazem parte do grupo das vitaminas essenciais para o funcionamento adequado do organismo. O ácido ascórbico tem uma particularidade: é hidrossolúvel, o que significa que nosso corpo absorve a quantidade necessária de vitamina e o excesso é eliminado pelo organismo, notadamente através da urina.

E qual a quantidade deve ser ingerida por dia?Segundo pesquisadores da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, o ideal é que cada indivíduo ingerisse cerca de 100 a 200mg de ácido ascórbico diariamente. E a recomendação é que se evite a vitamina sintética, na forma de comprimidos e procure-se conseguir a vitamina C via alimentação natural.

E onde encontramos a vitamina C? Ela está presente nas frutas cítricas(limão, laranja,lima,tangerina,acerola,grapefruit), tomates, morangos, pimentão-doce e brócolis.

Mas atenção: é melhor não abusar, pois a ingestão em doses muito elevadas pode trazer problemas como diarréias e até mesmo náuseas.


Por: Diário do Grande ABC - Por Marco de Cardoso (Agência Estado)

Publicado em: 09/05/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5884598/a-inimiga-dos-radicais-livres.aspx

Alterações do sono têm forte impacto no desempenho cognitivo

Sono e envelhecimento

Alterações do sono que ocorrem durante um período de cinco anos na idade adulta afetam fortemente a função cognitiva na terceira idade.

Homens e mulheres que tiveram variações no seu tempo de sono, passando a dormir menos do que 6 e mais do que 8 horas por noite, estão sujeitos a um declínio cognitivo acelerado.

Os efeitos verificados são equivalentes a um período de 4 a 7 anos de envelhecimento.

Dormir mais e dormir menos

As pessoas que passaram a dormir um adicional de 7 a 8 horas por semana tiveram menor pontuação em cinco de seis testes de função cognitiva, com a única exceção sendo o teste de memória verbal de curto prazo.

As pessoas que tiveram uma redução de 6 a 8 horas de sono por semana tiveram uma menor pontuação em três dos seis testes cognitivos - raciocínio, vocabulário e estado cognitivo global.

"O principal resultado do nosso estudo é que mudanças adversas na duração do sono parecem estar associadas com uma piora na função cognitiva em idade mais avançada," afirma a Dra. Jane Ferrie, da Universidade College London, no Reino Unido.

Sono de homens e mulheres

Os pesquisadores também descobriram que, nas mulheres, um sono de 7 horas de duração por noite esteve associado com a maior pontuação para cada teste cognitivo, seguido de perto por seis horas de sono noturno.

Entre os homens, a função cognitiva foi igual para aqueles que relataram dormir 6, 7 ou 8 horas por noite - somente durações menores do que 6 horas ou maiores do que 8 horas parecem estar associadas com menores notas nos testes cognitivos.

Embora os participantes em sua maioria fossem trabalhadores de escritório, o grupo de estudo abrangeu um amplo leque socioeconômico, com uma diferença de 10 vezes no salário.

Os pesquisadores ajustaram os efeitos da educação e da posição ocupacional devido à sua conhecida associação com o desempenho cognitivo.

O nível socioeconômico não responde por todas as associações observadas, indicando ou uma associação direta entre as alterações no sono e a função cognitiva, ou a uma associação mediada ou confundida por outros fatores além da educação e da posição ocupacional.

Importância do sono

Segundo os autores, um sono adequado e de boa qualidade é fundamental para a fisiologia humana e o bem-estar.

A privação do sono e a sonolência têm efeitos adversos sobre o desempenho, os tempos de reação, e problemas de atenção e concentração.

Além disso, a duração do sono está associada com uma vasta gama de medidas de qualidade de vida, tais como o relacionamento social, a saúde mental e física, e a morte precoce.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 10/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=alteracoes-sono-desempenho-cognitivo&id=6457

Dicas de Saúde - Os 10 piores alimentos para o ser humano

10º lugar: Sorvete
Apesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, a nutricionista Michelle Schoffro Cook adverte que esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e de saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas - substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso

9º lugar: Salgadinho de milho
De acordo com Michelle, desde o surgimento dos alimentos transgênicos, a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento pode causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor ganho de peso e irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios

8º lugar: Pizza
A nutricionista Michelle destaca que nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas congeladas em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas com farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue

7º lugar: Batatas fritas
Contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, mas também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas. Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo e agravar problemas cardíacos, câncer e artrite

6º lugar: Salgadinhos de batata
Além de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena

5º lugar: Bacon
Segundo a nutricionista, o consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão

4º lugar: Cachorro-quente
Michelle cita um estudo da Universidade do Havaí, também nos EUA, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebês. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal

3º lugar: Donuts (rosquinhas)
Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans, “o pior tipo de gordura que você pode ingerir”, alerta a nutricionista. Essas substâncias estão relacionadas a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contêm, em média, 300 calorias cada

2º lugar: Refrigerante
Michelle conta que, de acordo com uma pesquisa do Dr Joseph Mercola, uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos. “Somente isso já deveria fazer você repensar seu consumo de refrigerantes”, diz a nutricionista. Além disso, essa bebida é extremamente ácida, sendo necessários 30 copos de água para neutralizar essa acidez, que pode ser muito perigosa para os rins. Para completar, ela informa que os ossos funcionam como uma reserva de minerais, como o cálcio, que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez causada pelo refrigerante, enfraquecendo os ossos e podendo levar a doenças como osteoporose, obesidade, cáries e doenças cardíacas

1º lugar: Refrigerante Diet
“É a minha escolha para o pior alimento de todos os tempos”, diz Michelle. Segundo a nutricionista, além de possuir todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, as versões diet contêm aspartame, que agora é chamado de AminoSweet. De acordo com uma pesquisa de Lynne Melcombe, essa substância está relacionada a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade, compulsão alimentar e por açúcar, defeitos de nascimento, cegueira, tumores cerebrais, dor torácica, depressão, tonturas, epilepsia, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, TPM, cãibras musculares, problemas reprodutivos e até mesmo a morte “Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia, vírus de Epstein-Barr, doença de Huntington, hipotireoidismo, doença de Lou Gehrig, síndrome de Lyme, doença de Ménière, esclerose múltipla, e pós-pólio. É por isso que eu dou ao Refrigerante Diet o prêmio de Pior Alimento de Todos os Tempos”, conclui.


Por: R7 - Seção: Intretenimento

Publicado em: 03/05/2011

Fonte: http://www.havid.com.br/conteudo.php?mnu=dicasdesaude_mostra&dica=dicas_pioresalimentos

Os outros sabem mais sobre você do que você mesmo

Conhece a ti mesmo

Conhece a ti mesmo, soa o conselho eterno dado por Sócrates.

Se as pessoas realmente seguissem o conselho, e seguindo a sabedoria convencional, seria de presumir que você é pessoa que mais conhece a si mesmo, certo?

"É uma tendência natural pensar que nos conhecemos melhor do que as outras pessoas nos conhecem," afirma Simine Vazire, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

Contudo, as pesquisas mostram que de fato não é assim.

Conhecem a ti mesmo

Vazire e sua colega Erika N. Carlson, depois de revisarem todas as pesquisas científicas sobre o assunto, concluíram que, em vez de consultar a si mesmo para se conhecer melhor, é melhor perguntar a um amigo.

"Há aspectos da nossa personalidade que os outros conhecem e que nós próprios não conhecemos, e vice-versa", diz Vazire. "Para obter um quadro completo de uma personalidade, você precisa de ambas as perspectivas."

Não é que não saibamos nada sobre nós mesmos. É que nosso entendimento é obstruído por pontos cegos, criados por nossos desejos, medos e motivações inconscientes.

E o principal desses elementos, segundo a pesquisa, é a necessidade de manter uma auto-imagem elevada - ou, se estivermos neuróticos, da nossa necessidade de manter uma auto-imagem baixa.

A perspectiva do outro

O mais interessante é que, mesmo assistindo uma filmagem de nós mesmos, o artifício não altera substancialmente as nossas percepções - enquanto outros observando a mesma fita facilmente apontam traços que estão inconscientes.

Assim, sem grandes surpresas, nossos entes mais chegados e as pessoas que passam mais tempo conosco nos conhecem mais do que nós mesmos - ou, pelo menos, conhecem aspectos de nós que nós mesmos não conhecemos.

Mas não é só isso: até mesmo os estranhos têm inúmeras pistas de quem somos: roupas, preferências musicais e até postagens nos fóruns ou redes sociais deixam transparecer facetas da nossa personalidade que podem não ser conscientes.

O que nós vemos e o que os outros veem

Curiosamente, as pessoas não veem as mesmas coisas sobre si mesmas que os outros veem: por exemplo, traços de ansiedade, tais como o medo de falar em público, são óbvios para nós mesmos, mas nem sempre para os outros.

Por outro lado, criatividade, inteligência, e grosseria muitas vezes são melhor percebidas pelos outros.

Isso não ocorre só porque essas características percebidas pelos outros se manifestam publicamente, mas também porque carregam um juízo de valor, algo que tende a afetar o auto-julgamento.

E o mundo nem sempre faz a crítica mais dura a nosso respeito - os outros tendem a nos dar notas mais altas para os nossos pontos fortes do que nós mesmos.

Dificuldade do feedback

Se isso é verdade, então por que todas estas informações que os outros têm sobre nós, e que nós temos sobre os outros, não ajudam a construir um mundo de pessoas que se entendem melhor?

Segundo as pesquisadoras, é porque as pessoas são complexas, há muitas informações sociais, e porque as percepções dos outros são obscurecidas por nossas próprias necessidades e preconceitos.

Além disso, a informação nem sempre está facilmente acessível: "É incrível o quão difícil é obter um feedback direto," observa Vazire, acrescentando que, com isto, não está defendendo uma franqueza grosseira a qualquer custo.

O desafio, então, é usar esse conhecimento que temos dos outros para o bem.

"Como podemos dar um feedback às pessoas, e como isso pode ser usado para melhorar nosso auto-conhecimento? E como podemos utilizar esse auto-conhecimento para ajudar as pessoas a serem mais felizes e terem um melhor relacionamento?", pergunta a pesquisadora.

A primeira resposta a estas perguntas pode ser a mais óbvia, mas não é a mais fácil de ser colocada em prática: Ouvir os outros. Eles podem saber mais do que você mesmo sobre si próprio - e o interesse desses outros pode ser bem mais altruísta do que simplesmente colocar defeitos em você.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 16/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=auto-conhecimento&id=6459

Por que fazer dieta deixa as pessoas com raiva?

Raiva da dieta

Você acabou de decidir comer uma maçã em vez de uma barra de chocolate?

Então estar se sentindo feliz, porque está fazendo o que é bom para você mesmo, certo?

Bem, de acordo com pesquisadoras das universidades da Califórnia e Northwestern, ambas nos Estados Unidos, o mais provável é que você esteja com raiva.

Wendy Liu e suas colegas realizaram uma série de experiências com alunos de graduação e concluíram que o exercício do autocontrole gera sentimentos de raiva.

O achado não surpreendeu as pesquisadoras. "Ficamos surpresas que um monte de gente não veja isso", disse Liu.

Autocontrole e raiva

Outros estudos já haviam relacionado o autocontrole com o comportamento agressivo.

As pesquisadoras decidiram concentrar-se nas dietas porque esta é uma uma das formas de autocontrole mais comuns no dia-a-dia da vida moderna.

Os estudos médicos descobriram que pessoas em dieta tendem a ser irritáveis e agressivas, escrevem as pesquisadoras.

A teoria mais aceita para explicar o fenômeno é que o uso do autocontrole desgasta a pessoa, que se torna menos propensa o usar o autocontrole novamente, tornando mais difícil controlar o comportamento agressivo.

Mas as pesquisadoras projetaram seus experimentos para questionar essa teoria: elas queriam ver se as pessoas mostram uma tendência para a raiva mesmo quando não precisam exercer o autocontrole por uma segunda vez.

E foi justamente isso o que ocorreu.

"Não se trata de habilidades," disse Liu. "Você pode continuar exercendo o autocontrole, e ainda assim você fica com raiva."

Evitar as tentações

Então, se usar o autocontrole nos faz sentir raiva, haveria algo que possamos fazer a esse respeito?

Uma dica, segundo as pesquisadoras, é não se colocar em uma posição onde precise usar o autocontrole para escolher uma comida saudável.

Por exemplo, evite encher a geladeira com alimentos não saudáveis que você possa se sentir tentado a comer mais tarde. Para isso, vai ajudar bastante se, no supermercado, você simplesmente não passar pelo corredor das comidas não-saudáveis.

"Você não pode confiar somente na força de vontade", diz Liu.

Opção cognitiva

Você também pode tentar pensar de forma diferente sobre alguns alimentos.

"A razão pela qual nós pensamos que o chocolate é gratificante é porque nós o associamos a uma gratificação imediata", explica Liu.

Então, é só tentar mudar de ideia quanto àquilo que não faz bem à sua saúde - um sabor imediato e de curta duração realmente vale mais a pena do que dias, meses e anos inteiros lastimando o fracasso da sua dieta?



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=fazer-dieta-deixa-pessoas-com-raiva&id=6458

Meditação pode ajudar o cérebro a bloquear distrações

Nova pesquisa sugere que a meditação pode ajudar a aliviar a dor e a melhorar a memória, regulando a frequência cerebral conhecida como ritmo alfa – que "baixa o volume” das distrações.

Neste tipo de meditação budista, o praticante deve essencialmente manter a “atenção plena” (mindfulness, em ingês) e focar-se no presente.

Em um pequeno estudo, pesquisadores constataram que – quando instruídos para onde deveriam direcionar a atenção – os participantes que praticavam este tipo de meditação conseguiram melhor modular tal frequência cerebral em comparação ao grupo controle que não meditava. Estes participantes haviam concluído um curso de meditação com duração de oito semanas antes do início do estudo.

“Já existem relatos de que a meditação melhora diversas habilidades mentais, dentre elas o acesso rápido à memória”, disse Catherine Kerr, do Massachusetts General Hospital e Harvard Medical School, e também autora do estudo.

“Nossa descoberta de que praticantes de meditação mindfulness conseguem ajustar a frequência cerebral responsável pela distração pode explicar a habilidade superior destas pessoas de se lembrarem de novos fatos e incorporá-los rapidamente”.

O ritmo alfa exerce um importante papel junto às células que processam os sentidos – como o tato, a visão e a audição – no córtex cerebral. Segundo os pesquisadores, ele ajuda o cérebro a ignorar as distrações, ajudando o indivíduo a manter o foco enquanto várias coisas estão acontecendo ao mesmo tempo.

Kerr complementou que as descobertas talvez expliquem alguns relatos de que a meditação mindfulness reduz a percepção de dor. Ela explica: “Pode ser que a habilidade aprimorada de aumentar ou diminuir o ritmo alfa dê aos praticantes maior habilidade de regular a sensação de dor”.

“Talvez o novo estudo também possa explicar como a meditação provavelmente afeta o funcionamento básico do cérebro”, disse Stephanie Jones, do Martinos Center, que também participou do estudo.

“As implicações deste estudo vão muito além da meditação, nos dando pistas de possíveis formas de ajudar às pessoas a melhor regular o ritmo cerebral – que é desregulado, por exemplo, no transtorno do déficit de atenção com hiperatividade e também em outras condições”, disse ela em um boletim à imprensa.

O estudo foi revelado este mês em uma prévia da publicação do periódico científico Brain Research Bulletin.




Por: Correio do Estado - Fonte: The New York Times

Publicado em: 30/04/2011

Fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/meditacao-pode-ajudar-o-cerebro-a-bloquear-distracoes_108928/

Reiki oferece suporte físico e emocional aos pacientes

Os usuários do Hospital de Transplantes “Euryclides de Jesus Zerbini”, em São Paulo, contam com uma terapia alternativa para enfrentar o período de internação com mais confiança e tranquilidade. O reiki, técnica terapêutica baseada na medicina oriental, é aplicado semanalmente e apresenta bons resultados em mais de 90% dos internados.

O reiki foi reconhecido como terapia complementar pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em 1962. Segundo Berenice Sabadell, professora e primeira voluntária do Hospital de Transplantes (antigo Hospital Brigadeiro), atuante há mais de 10 anos, a técnica ajuda a liberar bloqueios permitindo que o doente aceite melhor o tratamento convencional. Também auxilia na respiração promovendo tranquilidade.

- São 20 minutos em que “desliga-se” de tudo para concentrar-se apenas em saúde e bem estar. É desta forma que reconquistamos a autoestima destas pessoas”.

Além da aplicação do reiki, a terapeuta ainda utiliza essências para massagear as mãos e pés dos pacientes, com técnica de tratamento conhecida com reflexologia.

Para os pacientes com hemofilia (distúrbio que impede a coagulação do sangue), que precisam vir ao hospital frequentemente para receber medicação, as sessões são capazes de anular, mesmo que por um curto período, os desconfortos causados pela patologia. Já a maioria dos transplantados afirma que o relaxamento proporcionado pela terapia diminui as dores do pós-operatório.

Conheça os princípios do reiki, segundo japoneses e antigos praticantes:

- Não se preocupe;
- Não se aborreça;
- Honre pais e mestres;
- Trabalhe honestamente;
- Seja gentil com todos os seres.


Por: PORTAL R7 - Seção Saúde

Publicado em: 25/07/2011

Fonte: http://noticias.r7.com/saude/noticias/massagem-terapeutica-ajuda-na-recuperacao-de-transplantados-em-sp-20110725.html





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:





Por:

Publicado em: 30/11/-0001

Fonte:

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR