Artigos & Informações
Conhecendo a digitopuntura

Como a própria palavra sugere, é um tipo de tratamento que consiste em aplicar uma massagem digital sobre os “os pontos de acupuntura”. Esta é uma forma de massagem que permite a diagnose preventiva e, em alguns casos, obter o tratamento instantâneo do corpo.

Parte do principio que todas as nossas atividades sejam físicas ou mentais, são geradas por uma série de vibrações vindas do mundo exterior. Tais vibrações podem ser de origem finita e de origem infinita.

As vibrações de origem finita são captadas por todos, como por exemplo, as cores que nossos olhos captam, os diversos cheiros que podemos aspirar, os sons que ouvimos, a comida e seus sabores e, por fim, o sentir de vibrações que nossas mãos e as pontas dos pés sentem.

As vibrações de origem infinita não são captados de maneira igual por todos os seres humanos, mas sim apenas por quem mantém em perfeita condições a energia vital circulante em seu corpo. Usando este parâmetro podemos afirmar que o homem consegue sua energia e estímulo mental, cerca de 80% do meio ambiente e que este se encontra.

Quando o corpo está saudável apresenta uma circulação livre e contínua de energia distribuída. Aos órgãos através dos meridianos e suas coligações. Esta teoria dos meridianos e seus pontos de pressão é praticada pela medicina tradicional chinesa.

Conhecendo-se os pontos nos quais estimular o correto fluxo de energia, podemos restabelecer a correta circulação e desta forma o bom funcionamento dos órgãos internos correspondentes. Esse resultado pode ser alcançado com o uso profissional da digitopuntura.

Esta técnica é bastante simples, inofensiva, sobretudo para aqueles pacientes que são particularmente sensível ao uso de agulhas.

Apesar da digitopuntura ser mais uma integração ao tratamento, não podemos substituir à acupuntura ou tratamentos convencionais.

Além do tratamento preventivo ou cura principal em casos de ansiedade por desarmonia psícofísica, stress, cefaléia, depressão, insônia, transtorno do nosso cotidiano, associada a quiropraxa, ventosas, moxoterapias, outros como: a acupuntura traz benefícios a diversas outras patologias como Asma, Distúrbios Motores, Dores nos Membros, Impotência, Dores na Coluna, Hipertensão e Hipotensão Arterial e outros.

É um privilégio poder atender como Terapeuta Holístico e vivenciar aos benefícios sentidos, observando a ética e reconhecimento da profissão.

Por: Everson Reis - Terapeuta CRT. 33.896

Publicado em: 01/05/2010

Fonte: http://www.atribunamt.com.br/2010/05/conhecendo-a-digitopuntura/

As "Essências Florais" induzem ao autoconhecimento

As essências florais contêm energia de alta potência vibratória, de pura luz, extraída de certas flores, que ajudam no desenvolvimento da consciência humana, harmonizam os campos mentais, emocionais e efetuam a conexão com o Eu Superior, a consciência maior.

As essências florais induzem ao autoconhecimento. Somente pelo autoconhecimento é que a consciência humana se transforma e se eleva. A energia do Fogo (raios), contida nas essências florais, tem o poder de elevar a vibração dos elétrons que estruturam os campos físico e suprafísico (mental, emocional e etéreo).

Estas altas energias/luz contidas em certas flores transmutam as energias estagnadas nos elétrons das pessoas causadas pelas posturas mentais ou emocionais negativas. Nesses níveis mais sutis, as essências florais ajudam a desenvolver a percepção de atitudes e de emoções errôneas, tornando a vida das pessoas mais fácil de ser vivida, com harmonia e equilíbrio.

Despertam nas pessoas dons adormecidos, a criatividade e o interesse pelo novo e passam a perceber o sentido da própria vida. Apontam a nova direção a seguir.Através do uso das flores divinamente energizadas, as pessoas passam a assumir a responsabilidade sobre seus próprios problemas, doenças e vida. Na terapia floral a cristalização do bloqueio energético no físico, que é caracterizada pela doença, é vista como oportunidade para o indivíduo se conscientizar do erro que a sua personalidade esta incorrendo. Certas flores atuam especificamente no campo energético para estabelecer e definir limites no nível energético, protegendo desta forma as pessoas de forcas psíquicas que vampirizam, como também protegem as pessoas dos estados de obsessão, da possessão, etc. Dr. Edward Bach, em seu livro “Cure-se sozinho”, publicado por C.W.Daniel Co – 1931, (Escritos selecionados de Dr. Edward Bach – Editora Ground 1991, pág. 60) demonstra que qualquer pessoa deve ter a liberdade de manipular as essências florais para harmonizar-se, harmonizar um animal ou uma planta, como também harmonizar ambientes através de spray. É importante que as essências florais possam ser acessadas por quantos queiram. Na terapia floral o espírito que deve imperar é o da liberdade tanto no uso como na manipulação, como tem se processado até hoje, tanto no Brasil quando em outros países.

O acompanhamento profissional terapêutico enfoca aos que estão sofrendo e aos que necessitam de ajuda para o seu desenvolvimento interno. Origem das essências florais Dr. Edward Bach (1886-1936), médico inglês, foi o descobridor e precursor do uso da modalidade terapêutica através das essências florais, que atuam harmonizando estados negativos emocionais e mentais pela expansão da consciência. Esta modalidade terapêutica atua equilibrando os campos energéticos sutis do ser humano, transmutando os bloqueios energéticos negativos que causam o sofrimento em compreensão, harmonia e proteção. O Dr. Bach constatou que o desequilíbrio mental e emocional gera desordens no campo físico. Desordens físicas estas chamadas de doenças. Dr. Bach descobriu e comprovou através de seus escritos que a doença física é o estágio final de um estado energético em desequilíbrio no campo das emoções (mágoa, raiva, ódio, depressão, pânico, medo, obsessão, etc) e no campo da mente (estresse, preocupação, pensamentos destrutivos, manipulação mental, sadismo, negativismo, etc). Na década de 30, Dr. John Clark, médico inglês e diretor do jornal “Homeopathic World”, publicou vários escritos do Dr. Edward Bach.

O artigo “Algumas considerações fundamentais sobre doença & cura” foi publicado pelo jornal em 1930. Dr. Bach nos demonstra em que campos atuam as essências florais como também nos ensina o correto procedimento da escolha das flores na sintonização das essências florais, para que realmente ocorra a harmonia e o equilíbrio energético nos campos emocional e mental para, a partir daí, resultara plena cura. “A doença serve para nos fazer parar de praticar ações erradas; é o método mais eficaz para harmonizar nossa personalidade com nossa alma. Se não fosse a dor, como poderíamos saber realmente que a crueldade fere? Se não tivéssemos tido qualquer perda, como poderíamos compreender o sofrimento caudado pela falta? Na verdade deveríamos aprender nossas lições no plano mental, salvando-nos do sofrimento físico, mas muitos não conseguem. E assim a doença é enviada para nos trazer ao caminho da compreensão”, Dr. Edward Bach, Journal Homeopathic World, 1930, Editor Dr. John Clark. “Como o meio médico se mostrou resistente em aceitar seu método terapêutico, começou a difundir os medicamentos na imprensa leiga, fr uma maneira simples, de modo que qualquer pessoa pudesse fazer uso dos remédios. A publicação de tal propaganda custou a Bach um processo ético no Conselho Britânico Médico de então e quase expulso dele.

O conselho o deixou em paz até 1936, quando o criticou novamente por estar usando auxiliares leigos em seus atendimentos. Apesar de tudo, o nome de Bach nunca foi retirado dos livros de registro”. Livro: Escritos Selecionados de Dr. Edward Bach – Editora Ground, pág.22. Dr. Adailton Salvatore Meira, médico homeopata, ginecologista e obstetra. A profissão de terapeuta floral A profissão do terapeuta floral prestigiará o indivíduo cuja consciência expressa o dom ou a vontade de ajudar os que sofrem. O terapeuta floral dever trabalhar o autoconhecimento e a intuição. Conhecer e aplicar a filosofia, os ensinamentos e a sistematização da terapia floral do Dr. Edward Bach. Ter conhecimento do processo de atuação das essências florais. Ter conhecimento da anatomia esotérica. Ter conhecimento da contraparte do corpo físico, os corpos sutis: emocional, mental e etérico. Ter conhecimento da atuação das essências florais nos centros de consciência. Estudar os sistemas florais que estejam de acordo com os ensinamentos do Dr. Bach. Apresentar estudo e acompanhamento de três casos clínicos após a especialização de um ou mais sistemas florais nacionais ou estrangeiros. Não é exigida habilidade técnica do terapeuta floral.

O que se exige é um profundo respeito e ética aos clientes. A chave-mestra do terapeuta floral é a intuição. A essência floral não tem contra-indicação. Não possui princípios ativos. O Dr. Edward Bach deixou, através de seus escritos, preciosos conhecimentos, bem como preciosas orientações, tanto aos sintonizadores que viriam após ele quanto aos terapeutas florais. Hoje, a garantia da pureza da terapia floral está sendo mantida através destes seus escritos, como também garantindo que estes conhecimentos cheguem sem distorções às futuras gerações. As Nações Unidas reconhecem a terapia floral A terapia floral foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde em 1956.


Por: José Joacir dos Santos

Publicado em: 12/12/2006

Fonte: http://www.joacir.com/categoria/terapia-floral/page/4/

Descubra qual é a hora certa para ingerir chás emagrecedores e calmantes

Uma simples xícara de chá proporciona manutenção da saúde, protege o corpo contra agressões de diversas doenças, tonifica o organismo, auxilia na digestão e reforça o fígado e o sistema endócrino.

Segundo as profissionais do Instituto Brasileiro de Naturologia, apesar de seus benefícios, a ingestão de chás não deve ultrapassar um litro por dia. Também não é recomendável abusar de determinadas ervas, pois o efeito benéfico poderá se perder.

“Os chás são importantes, quando tomados de acordo com a necessidade de cada indivíduo. É fundamental ressaltar também que não se deve fazer proveito de ervas sem o perfeito conhecimento de seus efeitos colaterais e da correta dosagem”, afirma Rosana Batestusso, diretora do Instituto.

Veja as funções e melhor horário para tomar os chás mais consumidos:

Chá verde é interessante quando consumido morno, após as principais refeições. Estudos mostram que sua utilização ajuda a emagrecer, pois acelera o metabolismo. Atenção: o chá verde não deverá ser tomado após as refeições em casos de anemia. Nessas situações, consuma nos intervalos das refeições e não depois delas;

Chá de hortelã, menta, camomila, orégano ou carqueja devem ser tomados próximo às refeições, pois ajudam quem tem problemas estomacais ou difícil digestão, além de ser um auxílio importante quando se exige tratamentos para diminuir a indesejável barriguinha;

Chás estimulantes do apetite precisam ser utilizados pelo menos 30 minutos antes das refeições. Mas somente se você deseja engordar;

Chá de gengibre aumenta a atividade celular e imunológica, o que é ótimo para perder peso. É também antibacteriano e fungicida. O chá deve ser feito com apenas 3 cm da raiz em 1 litro de água, fervido por 10 minutos e abafado por mais 10.

Por: Monique dos Anjos

Publicado em: 24/06/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/06/descubra-qual-e-a-hora-certa-para-ingerir-chas-emagrecedores-e-calmantes/

Dieta contra a gripe

Com o frio intenso chegado ao Rio Grande do Sul é hora de intensificar os cuidados para evitar gripes e resfriados tão comuns esta época.

Refeições balanceadas, ricas em vitaminas e minerais, são um santo remédio para fortalecer o sistema imunológico, aumentando a resistência às bactérias e vírus.

Uma dieta nutritiva, além de prevenir essas doenças, ainda ajuda a encurtar a duração delas quando contraídas, uma vez que as defesas orgânicas conseguem trabalhar de maneira mais eficaz contra esses agentes externos indesejados.

Confira, a seguir, como colocar em prática uma dieta contra a gripe. As orientações são de Jocelem Salgado, doutora em Nutrição e presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais (SBAF), da nutricionista Karine Oliveira Daud, coordenadora da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem-Estar, de São Paulo, e Daniela Kappes, médica e nutróloga de Caxias do Sul.

Água
Beber muita água é essencial porque ela hidrata o organismo, faz o transporte de nutrientes para as células e a remoção de resíduos do metabolismo. Se, com o frio, é difícil engolir um copo d’água, opte por chás, chimarrão e sopas.

Alho
Contém uma substância chamada alicina que é antibacteriana e antiviral. Pode ser introduzido na alimentação como tempero ou, se bem tolerado, em forma de chá.

Brócolis
É fonte de ácido fólico, vitamina A e E. Fortalece a imunidade, protege o cérebro e previne o câncer, segundo um estudo da Universidade de Pittsburgh. Outros alimentos que possuem propriedade semelhantes são: espinafre, couve e feijão.

Carne vermelha
É fonte de proteína e vitaminas B6 e B12, importantes na formação de anticorpos. Também são boas fontes desses nutrientes: frango, ovos e leguminosas.

Castanha-do-pará
É fonte de vitamina E, selênio e zinco, que retardam o envelhecimento das células. Fortalece a imunidade. Um dos estudo da Universidade de Loma relaciona o seu consumo ao baixo índice de obesidade e doenças coronárias.

Cogumelo Shitake
Contém lentinana, que estimula a produção e a atividade dos glóbulos brancos, defensores do organismo.

Gengibre
Tem poderes antioxidantes, antiinflamatórios e atua como protetor do organismo. Iogurte Estudos científicos mostram que os lactobacilos presentes no iogurte recuperam a flora intestinal e fortalecem o sistema imunológico.

Laranja
A cor amarela indica que a fruta é rica em vitaminas A e C, antioxidantes naturais. Um estudo do Instituto Americano de Saúde mostrou que a vitamina C fortalece a imunidade e previne o câncer. Além da laranja, são boas fontes: cenoura, mamão, goiaba, damasco e beterraba.

Peixes
Peixes de águas profundas, como sardinha, salmão e atum, são ricos em ácidos graxos Ômega-3 e melhoram o sistema imunológico. Também reduzem o risco de doenças cardiovasculares e antiinflamatórias.


Por: Clic RBS - Seção: Vida Saudável

Publicado em: 14/07/2010

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/vidasaudavel/2010/07/14/dieta-contra-a-gripe/?topo=87,1,1,,,87

Auriculoterapia ajuda a emagrecer

O Ocidente já se curvou à sabedoria milenar da medicina tradicional chinesa. Considerada muito mais que uma prática médica, o Brasil já possui milhares de profissionais, inclusive brasileiros que se aprimoram em técnicas que trazem alívio à dor, previnem e auxiliam na cura de doenças.

A auriculoterapia, que é uma forma de tratamento por meio do estímulo de pontos na orelha, é uma delas e atua por reflexos ou massagem em pontos determinados. Entre outros benefícios, ela já é utilizada como terapia que auxilia no combate à obesidade.

O terapeuta em Medicina Alternativa Edvaldo Tengun aprendeu a técnica em Ossaka, no Japão, onde viveu durante 18 anos.

Há dois anos, trabalha em uma clínica na Vila Operária. A ansiedade é um dos sintomas que afeta a grande maioria das pessoas que 'briga' com a balança.

Ansiosas elas comem mais e o tempo todo. Se essas pessoas ainda tem metabolismo lento estão ainda mais sujeitas ao sobrepeso ou até mesmo obesidade.

Segundo ele, os aurículos ajudam a controlar e até mesmo a emagrecer, porque inibem a vontade de comer, especialmente alimentos calóricos como doces, por exemplo.

"Trabalha-se pontos muito próximos ao cérebro que atuam na ansiedade e também no nervosismo. Se a pessoa segue o tratamento corretamente, ela se sente mais calma e mais tranquila", afirma o terapeuta.

Ele reforça que o resultado é mais rápido quando essa terapia é feita junto com atividade física e uma dieta correta.

Os aurículos com sementes que são coladas com uma minifita adesiva podem durar até sete dias. Normalmente, elas caem durante o banho.

E para que surta o efeito esperado, é preciso estimulá-las pelo menos três vezes ao dia. Já as agulhas, segundo ele, são mais práticas. Elas já oferecem um efeito contínuo, mas precisam ser retiradas em três dias.

Além de auriculoterapia, o terapeuta também trabalha com outras técnicas de medicina natural como reflexologia podal e massagens terapêuticas, entre elas, o shiatsu e o quick massage.

Baseado na rotina clínica, Edvaldo acredita que as pessoas estão cada dia mais motivadas a buscar formas naturais de tratamentos não invasivos e sem efeitos colaterais indesejáveis.


Por: Josi Costa - O Diário

Publicado em: 01/08/2010

Fonte: http://www.odiario.com/moda-e-beleza/noticia/324407/auriculoterapia-ajuda-a-emagrecer.html

Drenagem linfática e reflexologia diminuem a celulite

Para emagrecer e eliminar as celulites é preciso ter uma alimentação
saudável e manter uma rotina regular de exercícios. Porém, há também
aqueles tratamentos que aceleram a luta contra a celulite. A drenagem
linfática somada a reflexologia tem sido uma arma eficaz em seu
combate, além de aliviar o estresse.

O tratamento consiste em aplicar a drenagem linfática por meia hora em
todo o corpo, usando cremes à base de cafeína, cânfora e outros
princípios ativos que combatem a gordura localizada. Em seguida, é
feito um escalda-pés com sais relaxantes. A reflexologia favorece a
eliminação de toxinas, além de reduzir a tensão muscular e diminuir a
ansiedade.


Por: Carolina Abranches - Seção Bem Estar - globo.com

Publicado em: 09/08/2010

Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=corpoevida_mat&type=5&url_id=3392

A Aromaterapia como agente de saúde e felicidade

Numa época em que o mundo exige cada vez mais do ser humano, tanto no âmbito profissional quanto no pessoal, a busca pelo equilíbrio e a qualidade de vida soa como um desejo utópico. Afinal, o mundo corporativo se torna cada vez mais competitivo. A cada dia, temos de enfrentar o trânsito engarrafado, atender aos compromissos pessoais e profissionais do dia-a-dia e estar prontos para resolver os problemas que surgem. Onde encontrar tempo para cuidar de nós mesmos? Como buscar o equilíbrio em meio a tantas atribulações?

Viver em harmonia parece um grande desafio. Mas uma forma de terapia, às vezes ainda desconhecida em alguns meios, é uma grande aliada na busca pelo bem-estar: a Aromaterapia ou terapia dos aromas. Trata-se de um processo terapêutico milenar que utiliza a suave energia perfumada dos óleos essenciais para tratar, curar e estimular não só o corpo, mas também o espírito. É simples e eficiente.

O perfume exalado pelo mundo das plantas (raiz, caule, semente, flor ou fruto) é chamado de óleo aromático ou óleo essencial, e sua extração é feita por diferentes métodos de destilação. Os óleos essenciais possuem ações terapêuticas comprovadas cientificamente - aliás, é importante observarmos a total diferença entre os óleos essenciais puros e as essências sintéticas, que são desenvolvidas em laboratório e não possuem efeito terapêutico.

O olfato é o único dos cinco sentidos ligado diretamente ao cérebro e o sistema límbico, que é o centro das emoções como amor, ódio, paixão, medo, alegria, tristeza, ansiedade, depressão etc. O sistema límbico é responsável também por importantes funções ligadas à memória, aos níveis hormonais, ao controle da pressão arterial etc.

Quando inalados, os óleos essenciais, com suas flagrâncias e estruturas moleculares próprias, agem profundamente, ativando diretamente o hipotálamo e o sistema límbico. E exercem uma profunda reação no corpo e na mente. Atualmente, existem diversos estudos científicos voltados à Aromaterapia, realizados ao redor do mundo. Os resultados desses estudos comprovam a ação dos óleos essenciais. Como exemplos de aromas que contribuem para o bem-estar, podemos citar o do óleo essencial da mentha piperita, que auxilia na perda de peso, e o do óleo essencial de gerânio, que, por conter estrógeno vegetal, é indicado para amenizar os efeitos da TPM e da menopausa, sendo o aroma ideal da mulher - oferece frescor, sensualidade e a sensação de um abraço envolvente.

Qual ser humano não deseja viver de forma saudável, feliz e inspiradora? E sem saúde não estaremos felizes nem inspirados. O equilíbrio ideal da saúde é atingido pela circulação e absorção dos nutrientes e pela eliminação das toxinas. Uma alimentação balanceada, natural e funcional proporciona o equilíbrio nutricional. Já a eliminação das toxinas pode ser estimulada com exercícios físicos, banhos e massagens. Quando utilizamos a Aromaterapia com substâncias cem por cento naturais, podemos potencializar esse equilíbrio.

A natureza nos doa o que tem de melhor, a “alma” das plantas, ou seja, seus óleos essenciais, que estão à disposição de todos que desejam resgatar seu essencial. O que falta, às vezes, é o conhecimento sobre essa terapia. Um tratamento milenar, como já citamos, que surgiu da Fitoterapia, utilizado para curar ou diminuir variadas enfermidades e desequilíbrios e trazer o tão desejado bem-estar.

*Andréa Estrella é aromaterapeuta e floraterapeuta formada na Itália, onde morou por oito anos, e dirige o BSpace Health Center




Por: Andréa Estrella - Jornal de Vinhedo - On Line

Publicado em: 17/08/2010

Fonte: http://www.jornaldevinhedo.com.br/interna.php?idc=5,0,4224

Conheça os benefícios das quiropraxia no combate a desconfortos musculares

Terapia ajuda jogadores do Esporte Clube Novo Hamburgo desde 2009

Não foram poucas as vezes, no último ano, que jogadores do Esporte Clube Novo Hamburgo prestes a desfalcar a equipe por causa de dor nas articulações acabaram entrando em campo cem por cento.

Eles não jogaram no sacrifício. É que o desconforto de horas antes sumiu com o trabalho de um reforço recente na comissão técnica: a Quiropraxia, que chegou por meio de uma parceria com a Universidade Feevale, única a oferecer esse curso de graduação no Estado.

— Ocorreu diversas vezes. O atleta estava com dor e não iria jogar. Aí, depois de uma sessão, levanta da maca, faz o movimento que antes não conseguia e diz não sentir nada — conta Marcelo Machado de Oliveira, professor do curso de Quiropraxia da Feevale e responsável pelo estágio dos alunos no Noia (como os torcedores chamam o Novo Hamburgo).

Ele alerta, entretanto, quem nem sempre é assim tão rápido o resultado. Dependendo do problema, são necessárias diversas manipulações (as sessões com o quiropraxista) para o resultado aparecer. Independente disso, o resultado da parceria entre a Feevale e o Novo Hamburgo tem motivado atletas e universitários. Não se tem notícia, no Brasil, de outro time que tenha integrado de forma definitiva a Quiropraxia. Os jogadores agradecem.

— No dia em que cheguei ao Esporte Clube Novo Hamburgo, acordei com desconforto e procurei esse atendimento, que está dentro do clube. Como trabalhamos com muito salto e impacto, os desconfortos musculares são comuns, e aí está a importância do quiropraxista, que vem auxiliando nessas funções — conta o atacante Rodrigo Mendes, 34 anos.

O professor explica que os movimentos que o profissional faz com as mãos sobre o paciente visam a reposicionar aquela vértebra que perdeu seu movimento natural. Ao fazer esse ajuste, a dor cessa. E se ajuda atletas, claro que pode melhorar a vida qualquer pessoa. A coordenadora do curso, professora Thiana Paula Schmidt dos Santos, avisa que o mercado está aberto, esperando mais quiropraxistas.

— São poucos os profissionais egressos no país inteiro. Temos somente duas instituições no Brasil que tem o curso, e a Feevale é uma delas. Empresas começam a procurar egressos para melhorar a saúde do trabalhador, por exemplo — explica Thiana.

Dúvidas comuns sobre a Quiropraxia:

Quais os principais problemas tratados pela Quiropraxia?

— Dores na coluna lombar

— Hérnia de disco e dor ciática

— Dores no pescoço

— Dores de cabeça

— Dores e tensão muscular

— Problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho, tornozelo

— Restrições à movimentações

Como é feito o diagnóstico?

Após uma entrevista e exame clínico que inclui análise postural, teste ortopédico e neurológico e palpação de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários, exames como raio-X, tomografia e ressonância magnética serão solicitados.

Como é o tratamento?

Existem técnicas desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é específico e indolor. Com isto, observa-se diminuição da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular.

Quanto tempo leva a recuperação?

Depende de fatores como idade, estilo de vida e duração do problema. O início do tratamento requer visitas mais frequentes, de uma a três vezes por semana. É comum os tratamentos durarem entre um a três meses.

Como surgiu a Quiropraxia?

Surgiu em 1895 nos Estados Unidos, quando o pesquisador Daniel David Palmer começou a tratar pessoas com manobras manuais, dando a profissão o seu nome atual. Está entre as três maiores profissões na área de saúde na América do Norte e Europa.






Por: Leandro Rodrigues - ClicRBS

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,2993028,Conheca-os-beneficios-das-quiropraxia-no-combate-a-desconfortos-musculares.html

Dúvidas comuns sobre a Quiropraxia

Quais os principais problemas tratados pela Quiropraxia?

- Dores na coluna lombar
- Hérnia de disco e dor ciática
- Dores no pescoço
- Dores de cabeça
- Dores e tensão muscular
- Problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho, tornozelo
- Restrições a movimentações

Como é feito o diagnóstico?

Após uma entrevista e exame clínico que inclui análise postural, teste ortopédico e neurológico e palpação de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários, exames como Raio X, tomografia e ressonância magnética serão solicitados.

Como é o tratamento?

Existem técnicas desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é específico e indolor. Com isto, observa-se diminuição da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular.

Quanto tempo leva a recuperação?

Depende de fatores como idade, estilo de vida e duração do problema. O início do tratamento requer visitas mais frequentes, de uma a três vezes por semana. É comum os tratamentos durarem entre um a três meses.

Como surgiu a Quiropraxia?

Surgiu em 1895 nos Estados Unidos, quando o pesquisador Daniel David Palmer começou a tratar pessoas com manobras manuais, dando a profissão o seu nome atual. Está entre as três maiores profissões na área de saúde na América do Norte e Europa.

Por: ZeroHora - ClicRBS

Publicado em: 04/08/2010

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2993136.xml&template=3898.dwt&edition=15226§ion=1043

Dores no pescoço: 7 (sete) dicas simples para atenuar o problema

Reclamação é a segunda mais frequente nos locais de trabalho.

A dor no pescoço é vice-campeã de reclamações nos locais de trabalho. A campeã é a dor nas costas. Nos Estados Unidos, por exemplo, pacientes crônicos têm direito a reduzir atividades que possam agravar o quadro e a acomodações apropriadas no ambiente profissional. De acordo com o ortopedista Gilberto Anauate, do Hospital Santa Paula (SP), a dor no pescoço não é causada apenas pela má postura, podendo ser um problema emocional.

— O estresse pode ser o grande vilão da cervicalgia em grande parte dos casos. Os músculos localizados atrás do pescoço têm de estar sempre tensos para suportar a parte de cima do corpo. Quando eles trabalham além da conta, sofrendo contrações constantes de fundo nervoso, a dor é inevitável. Inclusive, pode ser irradiada para os ombros ou ainda resultar em dor de cabeça — diz o médico.

O ortopedista afirma que, por apresentar grande mobilidade em relação ao restante da coluna, a região cervical está mais sujeita a dores e contraturas musculares devido à friagem e, principalmente, episódios de alta tensão psicológica. Uma vez diagnosticada a raiz do problema, Anauate orienta o paciente a buscar ajuda especializada.

— Cada vez mais surgem recursos terapêuticos que podem amenizar a dor no pescoço. O paciente pode ser orientado a seguir um tratamento à base de anti-inflamatórios e relaxantes musculares, ou mesmo a buscar terapias complementares, como a acupuntura. O ideal é que seja feita uma investigação personalizada.

O especialista alerta ainda para a importância de se levar o sintoma a sério e buscar imediatamente ajuda especializada.

— Ninguém pode se acostumar com a dor. Se ela começar a irradiar para os braços, ou se o paciente começar a sentir 'pinçadas' no pescoço, é necessário uma investigação diagnóstica mais detalhada.

Abaixo, Anauate aponta sete dicas para driblar a dor no pescoço:

1. Nos dias frios, agasalhe-se bem e evite tomar friagem;

2. Quem trabalha o dia inteiro diante do computador deve fazer pausas para movimentar ombros e pescoço lentamente, por alguns minutos, a cada duas horas. Esse hábito alivia a tensão que normalmente se acumula ao longo do dia;

3. Quem passa horas no trânsito não pode descuidar do pescoço. Além do cinto de segurança, é importante contar com um encosto de cabeça devidamente ajustado ao corpo, mantendo os braços esticados e as mãos firmes no volante. Não dirija se a dor estiver muito forte;

4. Massagens suaves com óleos aromáticos ou anti-inflamatórios em gel ou creme também contribuem para aliviar a dor;

5. Donas-de-casa devem se acostumar com novos hábitos na hora de se abaixar ou suspender objetos. É importante usar mais a força das pernas para abaixar ou se levantar.

6. É importante praticar regularmente atividades de relaxamento para a mente e o corpo. Isso inclui terapias alternativas, hobbies, ou simplesmente se dar ao luxo de descansar mais;

7. Usar travesseiro é indicado. Mas a escolha deve recair sobre um modelo que não seja nem muito fino, nem muito grosso. O ideal é dormir de lado e escolher um travesseiro que se encaixe muito bem entre a extremidade do ombro e o início do pescoço.


Por: ClicRBS - Seção: Notícias - Bem Estar

Publicado em: 17/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3008546,Dores-no-pescoco-sete-dicas-simples-para-atenuar-o-problema.html

Tai Chi Chuan para melhorar a saúde e aumentar a autoestima

A sociedade moderna praticamente atingiu o ápice no que diz respeito aos recursos materiais. A cada dia novos e mais surpreendentes avanços tecnológicos são inseridos no convívio coletivo, de forma frenética e, muitas vezes, descontrolada. As comunicações, o transporte e a medicina estão em patamares inimagináveis de desenvolvimento. Lamentavelmente, a qualidade de vida no Ocidente – com raríssimas exceções – não acompanhou todo esse progresso.

No Brasil, por exemplo, o “fantasma” da falta de qualidade da saúde pública ainda ronda grande parte da população. Atualmente até mesmo o conceito de saúde resume-se apenas à ausência de sintomas patológicos. Difícil imaginar que a maioria de uma nação/con o americano Dean Ornish, no livro Amor & Sobrevivência (Editora Rocco), trata-se de uma doença que em muitos casos está diretamente relacionada à qualidade de vida, das relações sociais e da construção dos processos mentais de cada indivíduo.

Esses são apenas alguns problemas que podem desencadear uma série de outros ainda mais complicados, no decorrer da vida de uma pessoa que não vê importância na busca de práticas e terapias que ajudam o indivíduo a achar o seu centro, a viajar em seu mundo interior, a praticar regularmente a disciplina do autoconhecimento.

Tai Chi Chuan
Neste cenário de alerta, a busca por antigas tradições testadas e extremamente eficazes para inúmeras pessoas no decorrer de milhares de anos, é algo emergente. É neste contexto que está em franca expansão no Brasil – e agora em Palmas, através do Instituto Maitri – o Tai Chi Chuan Estilo Yang Tradicional.

Trata-se de uma arte marcial moldada no que há de mais clássico e ao mesmo tempo atualizado método de aperfeiçoamento de seus praticantes, também popularmente conhecida como “meditação em movimento”.

De origem que remonta há vários séculos – inclusive baseado numa filosofia que surgiu bem antes de Cristo –, o Tai Chi Chuan vem sendo aperfeiçoado no decorrer da história e, neste período, teve (e tem) suas entranhas permeadas por conceitos que hoje, nesta sociedade cada vez mais caótica, voltam a ser consultados. Trata-se da ética e da moral do Confucionismo, da ampla visão de mundo e da disciplina apurada do Budismo e do Taoísmo.

Mas, para praticar Tai Chi Chuan há necessidade de trocar de religião? De forma alguma! O estudante que o praticar com esmero, não só aprenderá a respeitar as várias formas de pensamento, como certamente irá ter uma postura ainda mais contemplativa e participativa em relação à sua religião de origem.

Benefícios
Esta arte marcial chinesa, que não desenvolve atividades competitivas, leva o estudante a trilhar um caminho de autoconhecimento e crescimento interior. Isso tudo, claro, resulta em estímulo à qualidade de vida, à manutenção de uma boa saúde e à constante disposição física em mental. Com o passar dos anos, o aluno observará – e poderá atuar no – seu próprio fluxo de energia, além de introjetar uma belíssima arte marcial que só pode ser usada em casos de legítima defesa.

Visão ampla
“O Tai Chi Chuan é uma arte que pode ser utilizada como exercício e sistema integral e saúde”, afirma a professora/mestre Ângela Soci, diretora da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan e Cultura Oriental (SBTCC), de São Paulo, onde os instrutores do Instituto Maitri realizam seus processos de formação. Esta visão generosa da Família Yang possibilita o TCC ser trilhado tanto à luz da arte marcial propriamente dita, quanto à luz da terapia enquanto alternativa eficaz nos processos de recuperação da saúde e autocura.

Mas o professor/mestre Roque Severino – que também é lama do budismo dos Himalaias em São Paulo e diretor da SBTCC – alerta: “Meu mestre já me advertia que para um aluno aprender bem a forma [técnica que na Família Yang é dividida em 103 posturas contínuas] leva-se cinco anos, e para aprender a se defender, mais dez anos”. Isso sem falar que, no decorrer dos anos, o aluno pode aprender a utilizar as armas (sabre, espada e bastão), a emitir energia (fajin) e a perceber a energia de seu suposto oponente ou colega (tue shou = empurrar com as mãos).

Assim, o Tai Chi Chuan é uma arte para ser praticada por toda vida, e seu poder é tão grande que se um curioso apenas estudar os seus preceitos teóricos, relacionados à filosofia que permeia a China desde milhares de anos, provará de imensurável transformação em sua forma de encarar a vida. Imagina, então, colocar isso em prática, com ética e responsabilidade, devagar e sempre? Isso, sim, é o verdadeiro trilhar em busca das respostas que só poderão ser encontradas dentro de cada um que as procuram.

Instituto Maitri
A filosofia Oriental, de forma geral, ainda é pouco difundida, estudada e conhecida em Palmas. Apesar dos esforços de grupos – ou até mesmo de ações individuais, o estudo e prática sistemáticos de técnicas que envolvem a ética e a moral, a saúde e o bem-estar e as questões místicas, relacionadas à busca pelo Sagrado – temas recorrentes na cultura Oriental – encontram um vasto campo para se desenvolver no jovem estado brasileiro e sua capital.

O Instituto Maitri nasce para colaborar com a ampliação dos atuais canais de difusão local do imensurável conhecimento milenar do Oriente. E, a princípio, irá trabalhar em três vertentes: aulas regulares de Tai Chi Chuan (início da forma longa da Família Yang – veja mais no tópico "O que é Tai Chi Chuan?"), aulas regulares de Chi Kung e venda de livros com temática Oriental, sobretudo os que abordam a prática do Tai Chi Chuan e Chi Kung, além de livros de referência Budista, Confucionista e Taoísta, filosofias que dão sustentação à arte marcial.

Em médio prazo o Instituto pretende iniciar um canal de diálogo com os mestres da cultura Oriental que moram em São Paulo, através da realização em Palmas de palestras e Workshops.

Conheça os instrutores
Douglas Nery tempos atrás, ao ter acesso à literatura que aborda o Tai Chi Chuan, esta arte marcial milenar que harmoniza a vida e fortalece a saúde, resolveu iniciar sua caminhada rumo ao auto-conhecimento e dedicou parte do seu tempo a estudar e praticar a arte; paralelamente entrou no curso de formação de instrutores da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan (SBTCC), e logo se afeiçoou pelos mestres Ângela Soci e Roque Severino, representantes da Família Yang no Brasil e América do Sul.

Sonielson Sousa, já no primeiro contato com a filosofia e mística Oriental, algum tempo atrás, fascinou-se pelos ensinamentos dos mestres da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan, Roque Enrique Severino (Lama Zopa Norbu) e Ângela Soci. Impulsionado pelos mestres da SBTCC, percebeu que a milenar arte marcial/filosofia chinesa traz resultados imensuráveis, em todos os aspectos da vida.




Por: Jornal O Girassol - Seção: Últimas Notícias

Publicado em: 19/08/2010

Fonte: http://www.ogirassol.com.br/pagina.php?editoria=%C3%9Altimas%20Not%C3%ADcias&idnoticia=18397

O significado das cores

A nossa cor favorita, a cor com que nos gostamos de vestir em certas ocasiões, as cores com que decoramos a nossa casa ou até o facto de nos sentirmos mais atraídos por alguns alimentos não são fruto do acaso.

A simbologia das cores está estudada e a cromoterapia serve para tratar estados comportamentais. Muitas vezes é usada para tratar a agressividade, a depressão, a irritabilidade, etc.

Segundo o diagnóstico, os pacientes deverão ser expostos a diferentes cores: o vermelho é ideal para hipotensos e depressivos; o amarelo para pessoas com problemas de auto-estima, o azul para pessoas com palpitações cardíacas e inquietas.

Se pensarmos que grande parte das nossas vidas são passadas em espaços fechados devemos cuidar as cores das quais nos rodeamos. Em casa para termos uma sensação de paz deveremos sempre pintar as paredes de cores como o branco, o bege ou o rosa claro. Sobretudo nas divisões de descanso.

Nas roupas se há cores como o vermelho, o amarelo e o preto ideais para demonstrar poder e autoridade. Para quem quer passar despercebido os tons como o rosa claro ou o azul são os ideais, pela tranquilidade que despertam. Para quem quer demonstrar estabilidade o castanho é a melhor cor.



Por: Catarina Ferreira - Jornal de Notícias (PT) - Seção: Viva +

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1645822

Traumatismos e seus tratamentos pela fitoterapia chinesa

Existe uma infinidade de tipos de traumatismos que podem ocorrer em nosso cotidiano: do entorse à contusão, da luxação à fratura, cada qual com um tratamento específico.

De modo geral quando há um entorse ( uma lesão que ultrapassa o limite normal de movimento de uma articulação, onde , em geral ocasiona uma distensão dos ligamentos e da cápsula articular), a pessoa sente dor intensa ao redor da articulação e dificuldade de movimentação em graus variáveis, podendo inclusive haver sangramento interno. Nestes casos, como medida terapeutica de um primeiro socorro recomenda-se aplicar frio intenso no local, com gelo, compressas frias e outras formas que se tem em mãos no momento ,e não fazer pressões, massagens e aplicações quentes principalmente nas primeiras 24 horas após a lesão. Na contusão, outra forma de trauma, provocada por um forte impacto na superfície do corpo, onde ocorre lesão nos tecidos moles da superfície, nos músculos ou ligamentos, que varia de extensão e profundidade, a coloração de pele se torna roxa e existe muita dor local, os procedimentos indicados para que a pessoa adote são os mesmos do entorse. Já na luxação, que é o deslocamento de um osso da articulação , geralmente acompanhada de uma grave lesão de ligamentos e cápsulas articulares, ( que resulta no posicionamento anormal de dois ossos da articulação, provocando dor intensa, sangramento interno, deformação e movimento anormal da articulação), usa-se um outro procedimento.O procedimento de um primeiro socorro indicado é colocar com cuidado os dois ossos numa posição de conforto que permita imobilizar e transportar à unidade adequada com o mínimo de dor, procedimentos estes que só devem ser feitos por profissionais.

À parte estes tratamentos iniciais, importantes e necessários, a terapêutica chinesa "vê" e separa os danos traumáticos de 3 formas ou padrões principais, cada qual com variações clínicas que requerem uma estratégia de tratamento diferente também. Para que o tratamento seja verdadeiramente eficaz, é importante conciliar a estratégia de tratamento com o estado e manifestação da lesão.
É o estado do trauma que é a condição fundamental para a escolha das fórmulas fitoterápicas a usar. Obviamente, há mais padrões de manifestação do que estes 3 estados, em especial nas fraturas as quais aqui,não foram citadas.

O tratamento varia da seguinte forma: no primeiro estado do trauma, o mais distindo, onde ocorre dor, e apresentação de vermelhidão ou não,( mas um estado no qual a pessoa refere a sensação de calor o que algumas vezes este calor pode ser constatado ao toque). Estado em que os sintomas podem durar de horas à várias semanas dependendo do grau da lesão, as fórmulas herbárias tem um objetivo específico. O objetivo é dispersar o calor e drenar as toxinas , aliviando desta forma as dores, e ajudando na reparação do tecido afetado. São fórmulas extremamente frias.

Na sequencia , no segundo estado do trauma ocorre uma inflamação inicial proveniente do primeiro estado. Neste ponto, o que permanece é a estagnação de sangue e de outros líquidos, o que provoca dor e rigidez. O tecido danificado enfraquece as defesas contra agentes invasores externos e internos. O inchaço pode permanecer, especialmente se a lesão for severa e não for tratada no primeiro estágio. A Estratégia terapeutica aqui é similar a primeira, mas o objetivo de diminuir o calor, torna-se secundário. O que é prioritário neste estado é a promoção do correto movimento do sangue. São indicados fitoterápicos (plantas) que eliminam a umidade local excessiva para que não ocorra um processo crônico.

No terceiro estado do trauma, há necessidade de reconstruir o tecido e eliminar fatores externos, que se penetrarem no interior da lesão, poderão agravá-la. Aqui, resulta que seja inevitável sobrepor as fórmulas do 2º e 3º estado de trauma. Nas duas etapas anteriores dever-se-á mover o sangue, expelir os fatores que causam a cronicidade do processo e aliviar a dor. Mas enquanto que no 2º estado o calor poderá ser ainda fator menor, e as fórmulas serem feitas com plantas de natureza frias ou neutras, já no 3º estado de trauma as fórmulas são com as plantas mais quentes de todo o tratamento de trauma. Estas plantas contêm, um suplemento para estimular a regeneração dos ligamentos, da cartilagem e dos ossos.

A lesão traumática, qualquer que seja, deve ser sempre tratada pela sua manifestação atual, podendo o método ser mudado se esta manifestação modificar, pois desta foma o sucesso terapeutico será conseguido em profundidade.


Por: G. Hoffmann - O Barriga Verde - On line

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/traumatismos-e-seus-tratamentos-pela-fitoterapia-chinesa-1.331164

Reflexologia podal alivia as tensões

Uma das causas mais comuns das doenças é o estresse, efeito das pressões cotidianas associadas à poluição, má alimentação e falta de exercícios. Somos afetados em diferentes níveis. Alguns desenvolvem problemas como dor de cabeça e enxaqueca, tensão na nuca, dor nas costas, distúrbios digestórios, pressão alta, doenças na pele e constantes gripes e resfriados. Massagear os pés é uma das formas mais eficazes de relaxamento, mas há funções menos conhecidas, como a abordada pela reflexologia podal: aliviar estas tensões e atuar no melhor funcionamento do nosso corpo.

De acordo com o massoterapeuta Waldir Kikuichi, esta é uma das técnicas de massoterapia. “A reflexologia podal, como terapia complementar aos tratamentos convencionais, compreende o tratamento de vários distúrbios do corpo, através da aplicação de pressão nos pés. Neles existem pontos ligados a todos os órgãos”, explica. Estimulando cerca de 70 mil terminações nervosas presentes em cada pé, além do relaxamento, é possível tratar problemas musculares, circulatórios e emocionais, como ansiedade, depressão, distúrbios do sono, em rins, intestino, entre outros.

Sem caráter estético, a reflexologia podal revela que o pé tem um ponto específico para cada órgão do corpo e por isso, quando estimulados, é possível perceber alterações. “Quando há algum desequilíbrio no funcionamento do coração, por exemplo, o ponto correspondente ao coração no pé é mais sensível e detectamos o distúrbio. Através disso, podemos indicar que a pessoa procure um cardiologista e complemente o tratamento com a massagem”, afirma Kikuichi.

A reflexologia trata, ainda, dos pontos existentes nas mãos, mas, segundo o massoterapeuta, a técnica aplicada nos pés surte mais efeito, já que é região onde possuímos maior sensibilidade. Totalmente realizada com as mãos, essa massagem dura entre 30 e 40 minutos e não deve causar nenhuma dor. Mas o especialista destaca que a técnica não é indicada para mulheres grávidas e pessoas diabéticas, pois se torna arriscado lidar com os descontroles do metabolismo.

Por: JM - Jornal da Manhã - On Line

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,32619

Estudo diz que yoga ajuda a melhorar humor e a diminuir ansiedade

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, sugere que a ioga tem efeito positivo no humor e na diminuição da ansiedade. De acordo com a pesquisa, a prática estimula a produção de um neurotransmissor conhecido como GABA, que diminui os estímulos nervosos e relaxa as células do cérebro.

GABA é a sigla em inglês para ácido gama-aminobutírico, regulador de sinapses (conexões entre neurônios). Baixos níveis do ácido são associados com a depressão e outros transtornos de ansiedade.

Os pesquisadores acompanharam dois grupos aleatórios de pessoas saudáveis durante 12 semanas. Um deles praticou ioga três vezes por semana durante uma hora, enquanto os demais caminharam durante o mesmo período.

Usando imagens de ressonância magnética, os pesquisadores digitalizaram os cérebros dos voluntários antes do início do estudo. Na 12ª semana, os cientistas compararam os níveis de GABA de ambos os grupos antes e depois da última sessão de 60 minutos.

Cada pessoa também foi convidada para avaliar o seu estado psicológico ao longo do estudo. Aqueles que praticaram ioga mostraram uma diminuição mais significativa da ansiedade e mais melhorias no humor do que aqueles que andaram, segundo o autor do estudo e professor de psiquiatria e neurologia da Universidade, Chris Streeter.

- Com o tempo, mudanças positivas nestes relatórios foram associadas ao aumento dos níveis de GABA.

De acordo com Streeter, a prática da ioga pode ser considerada como uma terapia potencial para certos transtornos mentais.




Por: Expresso Mato Grosso - Fonte: R7

Publicado em: 23/08/2010

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticiaBusca.asp?cod=87313&codDep=3

Conheça os benefícios das farinhas de frutas, alimentos ricos em fibras

Elas protegem as artérias, reforçam as defesas do organismo e ajudam a prevenir o diabetes

Elas passam quase despercebidas, mas são tão importantes quanto as proteínas, os carboidratos e as gorduras na dieta. As fibras, encontradas em cereais, legumes, hortaliças e frutas, mantêm o equilíbrio da flora intestinal, protegem contra câncer, reduzem o colesterol e a glicose. E agora há uma maneira mais fácil e saborosa de consumi-las, nas farinhas de casca de maracujá, de banana verde, de laranja e de uva vermelha. Além de melhorar a saúde, elas ajudam a emagrecer sem remédio.

O consumo médio diário de fibras recomendado é de 25g e, nesse total, tem espaço para as farinhas. Elas vão bem com saladas de frutas, verduras, sucos, nas sopas, ou em receitas de bolos, biscoitos, tortas, massas de panquecas e mingaus substituindo a farinha de trigo, ensina a nutricionista Isabel Jereissati, do Núcleo Integrado de Atenção à Saúde da Mulher da Santa Casa de Misericórdia do Rio.

— As farinhas de frutas são ótimas para os intestinos, que também produzem células do sistema imune. E quando eles funcionam bem, nossas defesas se reforçam — diz.

A de casca de maracujá, por exemplo, é rica em pectina, fibra boa para o controle do diabetes, e que forma um gel que reduz a absorção de gordura no intestino, protegendo as artérias e o coração. E melhor, aumenta a saciedade. A de uva vermelha contém resveratrol (encontrado principalmente nas sementes, na película e no vinho), antioxidante que previne entupimento de vasos ao estimular a produção, pelo fígado, de HDL (colesterol bom) e reduzindo o LDL (o ruim). Sem falar que as farinhas evitam prisão de ventre.



Por: Agência Glogo - ClicRBS - Seção: Notícias

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/donna/19,206,3009734,Conheca-os-beneficios-das-farinhas-de-frutas-alimentos-ricos-em-fibras.html

Ervas milenares chinesas invadem a medicina moderna

Usadas há 1.800 anos, podem ajudar a tratar doenças como câncer e diabetes

Com a ajuda de cientistas chineses, o Ocidente está descobrindo os segredos da cura por meio de ervas milenares. Duas pesquisas mostram que as plantas de origem chinesa podem reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia, e até auxiliar no tratamento de câncer e diabetes. Os primeiros testes foram feitos em camundongos. Contudo, os pesquisadores estão confiantes de que os resultados irão ajudar a vida de milhões de pessoas em um futuro próximo.

Diabetes - Um estudo feito na China descobriu que a emodina - um composto natural que pode ser extraído de várias ervas chinesas incluindo Rheum palmatum e Polygonum cuspidatum - pode reduzir o impacto da diabetes tipo 2. Pessoas com esse tipo de doença têm resistência a insulina, hormônio responsável por regular a quantidade de glicose na corrente sanguínea. O tipo 1 da doença ocorre quando o indivíduo não consegue produzir quantidades suficientes da substância.

A pesquisa chinesa, publicada no periódico British Journal of Pharmacology, mostra que camundongos com obesidade induzida tiveram os níveis de glicose no sangue reduzidos e a resistência a insulina alterada ao receberem doses de emodina. Além disso, o tratamento proporcionou níveis saudáveis de lipídio na corrente sanguínea, diminuiu o peso dos animais e reduziu a quantidade geral de gordura.

Esse combo de efeitos benéficos seria perfeito para pacientes com diabetes do tipo 2. Pela primeira vez, foi revelado que a emodina é um potente inibidor seletivo de uma enzima chamada 11ß-HSD1. Essa enzima é a grande vilã da história - ela libera no sangue um hormônio chamado glicocorticoide, responsável por oferecer resistência a insulina. Por causa disso, os pacientes não conseguem retirar o açúcar do sangue, caracterizando o quadro da doença.

"Nosso trabalho mostrou que a extração natural de ervas chinesas pode apontar um caminho para uma nova forma de ajudar pessoas com diabetes tipo 2", disse Ying Leng, chefe da pesquisa e pesquisador da Academia de Ciências de Xangai (China). Agora, os pesquisadores precisam desenvolver substâncias que têm os mesmos efeitos da emodina e verificar se elas poderiam ser usadas como drogas terapêuticas.

Fórmula milenar - Outro estudo, feito nos EUA e conduzido pelo cientista chinês Wing Lam, da Universidade de Yale, utilizou uma combinação de ervas usadas há mais de 1.800 anos pelos chineses para tratar náuseas, vômitos e diarreia. Lam deu a mistura milenar a camundongos com câncer sob tratamento de quimioterapia. Seu trabalho foi publicado no periódico Science Translational Medicine.

A receita, conhecida na China por Huang Qin Tang e nos Estados Unidos por Scutellaria Decoction, conseguiu minimizar os efeitos gastrointestinais do forte coquetel de drogas quimioterápicas, sem diminuir a quantidade de células cancerígenas atacadas pelos compostos químicos da quimioterapia - façanha inédita no tratamento do câncer.

A quimioterapia causa vários efeitos colaterais tóxicos que são tratados com diversos remédios, cada um para um propósito específico, e a fórmula chinesa tem múltiplos compostos que agem sobre várias das causas desses problemas "de uma vez só", segundo o cientista Yung-Chi Cheng, autor sênior do artigo. Os camundongos que receberam a fórmula chinesa perderam menos peso e tiveram seus tumores mais combatidos em relação aos animais que não receberam as doses.

O preparo de ervas reduziu o nível tóxico da quimioterapia, diminuiu as inflamações e promoveu a criação de novas células do intestino. Esses resultados não são vistos com remédios atuais, que normalmente atacam apenas um mecanismo. "Essa combinação de quimioterapia e ervas representa o casamento das abordagens do Ocidente e do Oriente para tratar o câncer", disse Cheng.


Por: Veja (Ed.Abril) - Seção: Saúde

Publicado em: 18/08/2010

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/do-cancer-a-diabetes-ervas-milenares-da-china-abrem-caminho-para-cura

Você quer parar de fumar?

Parar de fumar não é fácil, mas é cada dia menos difícil, se contarmos com a ajuda que a natureza tem a oferecer. Mas para sermos ajudados é necessário realmente querer!

O cigarro, que tradicionalmente foi associado ao glamour e à rebeldia adolescente, hoje está vinculado à doença, ao vício e à inadequação social. Se antes era possível ser fumante sem nunca questionar o hábito, hoje todo adepto do fumo se depara de tempos em tempos com o desafio de deixar de fumar. Por esse motivo, o processo de decisão de abandono do hábito é um fator muito importante para o sucesso ou insucesso da tentativa. Porque a decisão é, sim, resultado de um processo, mesmo quando aparenta ter sido tomada impulsivamente.

A decisão de parar de fumar tem que ser baseada nos motivos corretos! Não vai acontecer porque os pais, os filhos, o(a) namorado(a), o(a) esposo(a), os amigos ou quem quer que o rodeie deseje. Claro que o apoio das pessoas queridas é muito importante, mas não pode ser o motivo da decisão. Este motivo é muito pessoal e tem que ser forte! Para encontrá-lo pode ser interessante procurar responder a algumas questões:

Se esta ou aquela pessoa não se importasse com meu hábito de fumar, ainda assim eu desejaria parar?
Se não houvesse uma pressão no trabalho, mesmo assim eu tentaria?
Se eu tiver um jeito de fumar sem ninguém perceber, mesmo assim eu quero parar?

Respondendo sim a essas perguntas você está eliminando alguns motivos incorretos para abandonar o hábito. Agora busque também responder às questões afirmativas:

Eu percebo que o cigarro interfere negativamente na minha saúde, provocando sintomas desagradáveis, como pigarro, tosse e falta de fôlego?
Eu admiro quem conseguiu parar de fumar?
Eu me imagino uma pessoa melhor sem o hábito do cigarro?
Eu relaciono o abandono de hábito a uma vida mais saudável e feliz?

Se você respondeu mais alguns sins, então é possível que esteja no caminho certo de superar este vício. E sendo assim, veja algumas dicas do que a Naturologia tem a oferecer para ajudar você:

Florais de Bach: Essências florais são preparados vibracionais à base de flores que atuam em nosso emocional. O ideal é que seja formulado individualmente, de acordo com o momento e as características de cada um. Porém, podemos citar algumas essências do sistema de Florais de Bach que podem ser indicadas para apoio ao momento de parar de fumar. Impatiens, atenua a irritabilidade que pode estar associada à retirada da nicotina do organismo; Crab Aplle, auxilia os processos de limpeza e desintoxicação; Walnut, para constância na decisão e proteção de influências externas; Chestnut Bud, para os que já tentaram parar outras vezes e não alcançaram seu objetivo. Em outros sistemas também encontramos essências importantes, como a Nicotiana do sistema floral da Califórnia e Dandelion, com ação semelhante ao Impatiens de Bach.
Auriculoterapia: O estímulo de pontos específicos no pavilhão auricular contribui para a inibição da compulsão pelo cigarro, acalma e equilibra. Este estímulo pode ser feito por sementes ou micro esferas de diversos materiais. É preciso consultar um profissional para fazer as aplicações.
Aromaterapia: O uso de óleos essenciais, que são os óleos extraídos das partes aromáticas das plantas, pode ser um importante aliado no desafio de parar de fumar. Massagens com óleos preparados com estes aromas, aromatizadores elétricos ou em spray com sinergias (combinações de aromas) para o ambiente, cremes para a pele e para a inalação, são algumas das possibilidades de ajuda nos momentos mais difíceis de superação do hábito.
Automassagem, técnicas meditativas e respiratórias, arte integrativa: Essas técnicas ajudam muito a substituir os momentos prazerosos do cigarro por momentos de relaxamento, prazer e conforto sem o cigarro. Grande parte do apego que temos ao hábito está muitas vezes relacionado a esses momentos e é importante criar alternativas, como uma meditação rápida e simples dirigida por uma boa música, uma técnica de respiração relaxante, uma pintura de mandala, a leitura de um conto ou uma auto massagem em pontos específicos. Se você para seu trabalho no meio da tarde para fumar, é preciso substituir o hábito por algo prazeroso e saudável. Se você fuma quando fica sozinho em meio a uma rotina muito agitada, vai ser importante manter esses momentos de solidão, reflexão e relaxamento sem o cigarro.
Fitoterapia: Os fitoterápicos podem auxiliar em desconfortos físicos que surgem pela mudança de hábito e pela retirada de nicotina do organismo, como dificuldade na evacuação ou na conciliação do sono. Chás e tinturas bem indicadas podem ajudar seu organismo nesta fase de mudança.


Por: Katia Leite - MSN - Seção: Entretenimento

Publicado em: 29/08/2010

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=25362291

Especialistas ensinam como identificar sinais que alertam para um AVC

Os sinais quase sempre enganam. Difíceis de decifrar, confundem quem os sente e quem os vê. É muito comum que, enquanto o cérebro perde a circulação e a oxigenação, ninguém note o que está ocorrendo. Enquanto isso, 2 milhões de células morrem a cada minuto e o corpo perde, aos poucos, funções básicas. A fala some, os braços pesam, a face treme e a força desaparece. Esse mal traiçoeiro é o acidente vascular cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame, a doença que mais mata no Brasil. É possível, porém, aprender a reconhecer os sintomas (veja infografia). Agir rápido é uma das formas de salvar vidas e limitar suas duras consequências.

Qualquer perda de função motora, fraqueza, visão dupla ou dificuldade de comunicação pode servir como alerta e deve ser levada a sério. “Um AVC é caracterizado por uma mudança súbita de comportamento e quadros de confusão mental ou motora. Ainda mais se o paciente apresenta fatores de risco, como diabetes e pressão alta. As pessoas precisam aprender a reconhecer esses sinais precocemente, porque eles são confundidos com dezenas de outras coisas. E sempre é necessário correr para uma emergência”, afirma Hudson Mourão Mesquita, neurologista da Amil.

Em 2008, 97.881 pessoas morreram no Brasil por causa de doenças cerebrovasculares, segundo o Ministério da Saúde. De acordo com especialistas, o desconhecimento da população agrava a situação do derrame entre a população brasileira. “Muita gente não sabe o que quer dizer, confunde com o aneurisma, acha que está ligado à dor de cabeça. Para o leigo, o derrame é qualquer coisa que sangra. Precisamos de um programa educativo, de linguagem fácil, para alertar a população. Afinal, a simples ida à emergência para saber o que há de errado é essencial para salvar vidas”, comenta Mesquita.

Uma pesquisa feita pelo Hospital Albert Einstein com 800 pessoas mostrou realmente um quadro preocupante: um grande desconhecimento sobre os sintomas do AVC. “As pessoas não sabem nem o que significa, conhecem apenas o nome popular, derrame. Não sabem quais são os fatores de risco ou como identificar os sinais da doença. Mais de 30% não conhecem o 192, o número da emergência, e esse é um quadro muito preocupante”, analisa Gisele Sampaio, gerente da área de neurologia do hospital.

Contra as sequelas
O rápido atendimento é importante para reduzir o dano cerebral e, em alguns casos, consegue evitar qualquer tipo de sequelas. “Na neurologia, costumamos dizer que o tempo é o cérebro. A região acometida pela lesão do AVC é determinante no tipo de sequelas e na gravidade delas. Pode-se dizer que, quanto mais nobre a função da área cerebral atingida, pior é o resultado. E quanto antes for o tratamento imediato, melhores as chances”, comenta Gylse-anne Souza Lima, neurologista do Hospital Santa Luzia de Luziânia (GO).

Para Gisele, quanto mais conhecimento a população tiver sobre o AVC, as opções de tratamento serão mais desenvolvidas. “Uma pessoa pode ter um derrame e conseguir reverter o quadro, se receber a medicação até quatro horas e meia depois da fase aguda. O que acontece é que os sintomas se confundem, o atendimento demora e as sequelas são piores, podendo acorrer até paralisia total”, comenta a neurologista do Albert Einstein.

O acidente vascular cerebral é causado pela falta de circulação ou por uma hemorragia no tecido encefálico. Cerca de 80% dos casos de AVC são do tipo isquêmico — os outros 20% são hemorrágicos. Para que esse processo aconteça, existem alguns fatores de risco. As chances aumentam com o envelhecimento, principalmente a partir dos 60 anos, mas os jovens também podem ter um derrame. “A hipertensão arterial acarreta um aumento superior a três vezes da incidência do AVC . Diabetes é fator de risco bem documentado, assim como o tabagismo, que aumenta o risco relativo em 50%. Outros fatores identificados são o sedentarismo, o estresse e a obesidade”, diz Gylse-anne.

Como, para os idosos, os riscos são maiores, os familiares precisam ficar atentos a qualquer mudança de comportamento. Eles podem sofrer pequenas crises, que, no entanto, podem deixar sequelas graves. “A idade do cérebro influencia no prognóstico. Quanto mais velhos ficamos, menor a capacidade de regeneração. As reservais cerebrais vão desaparecendo. E é mais comum que eles tenham outras doenças em conjunto com o AVC, o que torna tudo mais preocupante. A atenção deve ser constante”, analisa Gisele.

Aprisionado no próprio corpo
Em 1995, quando tinha 48 anos, o editor da revista Elle francesa Jean-Dominic Bauby sofreu um derrame cerebral. O AVC foi grave e ele perdeu todos os movimentos. A mente funcionava normalmente, mas o corpo não respondia de forma nenhuma. Ele passou, então, a se comunicar exclusivamente com os olhos. Piscar uma vez queria dizer sim e duas não, por exemplo. O jornalista francês conseguiu ditar um livro inteiro dessa forma. A obra O escafandro e a borboleta foi publicada em 1997, mesmo ano da morte do escritor, e adaptada para o cinema em 2007.


Por: Tatiana Sabadini - Correio Brazilense

Publicado em: 05/09/2010

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/09/05/cienciaesaude,i=211575/ESPECIALISTAS+ENSINAM+COMO+IDENTIFICAR+SINAIS+QUE+ALERTAM+PARA+UM+AVC.shtml

"Ração humana" emagrece, mas especialistas pedem cuidados no uso

Alimentos ricos em fibras

O composto alimentar conhecido como ração humana vem ganhando espaço entre pessoas que querem emagrecer ou que esperam regular o sistema digestivo.

Segundo fabricantes, a mistura, que conta com ingredientes ricos em fibra como linhaça, trigo, aveia, soja, entre outros, permite perder até 8 quilos em um mês, além de ajudar a controlar o colesterol, aumentar a resistência orgânica e regular o intestino.

Mas especialistas, embora destaquem os benefícios que a mistura pode trazer à saúde, alertam que é preciso cautela.

Cuidado com as alergias

De acordo com a nutricionista clínica e fiscal do Conselho Regional de Nutrição do Rio de Janeiro, Edna Garambone, o composto, facilmente encontrado em lojas de produtos naturais, especialmente nas grandes cidades, até gera a perda de peso, porque as fibras aumentam a saciedade e leva o organismo a reduzir a absorção de gordura.

Ela enfatiza, no entanto, que pessoas com alergia a algum de seus componentes podem ter efeitos colaterais nocivos à saúde.

"Quem tem alergia à linhaça ou síndrome do intestino irritado pode sofrer com os efeitos colaterais, como a dor de cabeça e o aumento das idas ao banheiro. Além disso, como o produto muitas vezes é consumido por conta própria, as pessoas ficam sem saber que é preciso beber muita água para evitar o fecalomas, ou endurecimento das fezes", disse a nutricionista,

Complemento, e não substituto

Segundo Edna, a mistura pode ser utilizada, com recomendação clínica, como complemento, adicionada a saladas, iogurtes e frutas, mas nunca em substituição às refeições.

Essa é a prática, no entanto, da maioria das pessoas que consomem o produto, como a podóloga carioca Vera Lúcia Ribeiro, que há cerca de três meses trocou o pão com manteiga e o café com leite por uma vitamina à base da mistura logo que acorda. "Sinto que a minha pele está mais bonita, o meu intestino funciona melhor e até a minha taxa de colesterol reduziu um pouco", afirmou.

Força dos grãos

Para a naturalista Renata Moura, integrante do grupo Terapia da Fundação Oswaldo Cruz, que promove a alimentação com base em sementes não germinadas e hortaliças orgânicas, o segredo da ração humana está na força dos grãos.

"É um remédio natural, que leva a energia da terra ao organismo. Quem toma melhora até o humor, ganha mais vitalidade e disposição", garante.

Com tantas promessas, a procura pelo produto tem sido cada vez maior. A mistura é dispensada de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Não existem milagres

A professora do departamento de Nutrição e Dietética da Universidade Federal Fluminense (UFF), Vilma Blondet, lembra que sempre que o mercado lança novidades, há uma corrida dos consumidores. Ela argumenta, no entanto, que não há milagres para quem deseja emagrecer ou ter uma vida mais saudável.

"O preparo pode auxiliar a perda de peso e o equilíbrio das funções orgânicas, mas não se trata de um pó milagroso. Ele também é rico em óleos vegetais, que são altamente calóricos, por isso seu uso deve ser limitado. Para emagrecer é preciso inseri-lo, com cautela, em um programa alimentar balanceado aliado à prática de exercícios físicos", alertou.


Por: Thais Leitão - Agência Brasil

Publicado em: 09/02/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=racao-humana-emagrece-mas-especialistas-pedem-cuidados-uso&id=5001

A musicoterapia como aliada

Quem lembra das cantigas da infância? Dos sons da adolescência? De uma música que embalou um romance inesquecível? Quem não tem uma trilha sonora preferida? O estilo preferido pode variar, mas não conheço nenhuma pessoa que não goste de música.

Se fosse escolher uma música para trilhar para a minha vida até agora, seria a do Zeca Pagodinho: “Deixa a vida me levar, vida leva eu. Sou feliz e agradeço por tudo que Deus me deu”.

Há algum tempo, a música vem sendo usada como aliada no tratamento de diversos tipos de problemas psicológicos e físicos. É a chamada musicoterapia, que utiliza sons, ritmos, melodias e harmonias para ajudar os pacientes.

Em Santa Maria, um músico está começando uma experiência com gestantes e bebês. Marcelo Schmidt iniciou o trabalho com os dois filhos, Artur de três anos e Rodolfo de dois meses. Atualmente ele atende uma gestante que está na vigésima semana de gravidez.

A paciente não precisa saber nada de música, mas relata os tipos de sons que mais gosta e rememora a sua vivência musical. As sessões consistem em interagir com diferentes tipos de instrumentos, como chocalhos, metalofone, tambores, piano, violão e flauta. O objetivo é ajudar no relaxamento da mãe, aumentar o vínculo entre a mãe e o bebê, estimular a audição do feto (se desenvolve a partir da vigésima semana de gestação), reduzir a ansiedade e aliviar possíveis dores da futura mamãe.

- Procuro trabalhar um vínculo com toda a família - conta Schmidt, que aplicou com sucesso técnicas semelhantes em dependentes de álcool e drogas.

No fim do tratamento, a mãe faz uma canção para o bebê. Schmidt conta que os dois filhos tem as suas músicas. Artur foi o primeiro a ganhar um som especial (na foto que abre este texto). O refrão é assim: Artur, menino esperado e muito amado. Uma luz na vida de teus pais. Uma alegria na vida dos avós. Te esperamos com muito amor e felicidade.”

- Não pude acompanhar o parto e quando me trouxeram ele chorava muito. Na hora que o peguei, cantei a música dele e o choro cessou imediatamente.

Quando estava grávida, ganhei da obstetra um CD com cantigas tradicionais de ninar e infantis. Até hoje coloco para a Antonela ouvi-las. É só a música começar e imediatamente um clima de tranqüilidade reina no ambiente. A pediatra também me aconselhou a colocar músicas clássicas para estimular o desenvolvimento cerebral da pequena.

Para crianças:

- É importante para o desenvolvimento dos bebês, crianças e adolescentes. Os sons despertam emoções, resgatam bons sentimentos. Ajuda no desenvolvimento neurológico, afetivo, motor e lingüístico. Ensina os pequenos a ultrapassar o medo, a assumir riscos e controlar a ansiedade.

- Até um ano: ajuda na coordenação dos movimentos - escuta e dança.

- A partir dos seis anos: a criança tem vontade de ter ou tocar instrumentos. Ajuda a desenvolver sentidos como tato, audição, fala e visão.

- A partir dos 11 anos: ajuda a aceitar limites e enfrentar novas situações seja individual ou em grupo

Coluna “Em nome do filho”, publicada por Fabiana Sparremberger e Ticiana Fontana todas as segundas nos Jornal Diário de Santa Maria. Texto de hoje é de autoria de Ticiana Fontana.




Por: Ticiana Fontana - Coluna: Em nome do filho - ClicRBS

Publicado em: 06/09/2010

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/meufilho/2010/09/06/a-musicoteparia-como-aliada/?topo=52,2,18,,170,77

Reflexologia ajuda a tratar de problemas emocionais e da saúde

Estímulos em pontos específicos dos pés podem aliviar tensões e estimular o organismo todo.

A reflexologia é muito mais do que um simples carinho nos pés. Ela é uma terapia que trabalha com estímulos sensoriais mais de 70 mil terminações nervosas que existem nos pés e que correspondem a todos os órgãos e glândulas do corpo. As plantas dos pés formam um imenso mapa do corpo humano em que cada área corresponde a um órgão e tem uma função de tratamento.

Calosidades, joanetes e outras alterações podem ser indício de que algo não vai bem no organismo. Diferentemente da acupuntura, a reflexologia não trabalha um único ponto. Ela atua num âmbito mais geral. Com uma massagem em certos lugares, os órgãos são estimulados e eliminam toxinas. A técnica reduz a tensão e melhora a irrigação sanguínea, o que estimula o funcionamento do sistema nervoso.

A reflexologia abrange 37 pontos ligados ao organismo. Ela não tem função medicinal e não substitui remédios prescritos, mas ajuda nos momentos mais difíceis. Uma pressão profunda e lenta entre o dedão e o segundo dedo ao deitar, relaxa e espanta a insônia e ansiedade. Já de manhã, quem não dormiu bem deve pressionar o mesmo ponto de forma rápida e superficial, para estimular. Quando o problema é dor de cabeça, experimente uma pressão lenta e profunda sobre a unha do dedo mindinho.

Através do estímulo dos dedos é possível dar um basta à tristeza, um gás na criatividade, na alegria, trabalhar o apego ou o desapego, o medo e a insegurança. Os próprios pés denunciam problemas tanto de saúde quanto emocionais.


Por: Redação com Agência Estado - Abril On Line

Publicado em: 24/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/noticias/comportamento/reflexologia-ajuda-tratar-problemas-emocionais-saude-599186.shtml

Fibra de laranja ajuda a perder até 2,5 kg por mês

A proximidade do verão desperta o desejo de um corpo com tudo no lugar e as academias ficam lotadas de pessoas com o mesmo objetivo: eliminar os quilinhos extras. Também é a época de tirar da gaveta aquela dieta milagrosa ensinada por alguma amiga. Na maioria das vezes, de tão restritiva, até faz efeito num primeiro momento, mas depois a briga com a balança continua – podendo até piorar. Por este motivo, muitas pessoas têm recorrido a emagrecedores naturais.

Um dos mais populares dos últimos tempos é o alimento encapsulado à base de fibra de laranja, composto por fibras e óleos essências da fruta. Tire algumas dúvidas com Kali Nardino, consultor farmacêutico da Divine Shen, sobre essa pílula supostamente “mágica”.

Como é a ação da fibra da laranja no organismo?
A laranja possui um tipo de fibra solúvel chamada pectina, que é capaz de absorver água e outros líquidos, tornando-se uma espécie de gel, que promove saciedade e impede a absorção e acúmulo de açúcares e gorduras. Além disso, o produto possui alguns óleos essenciais presentes na casca da laranja, o citral e o limoleno, que promovem o equilíbrio da energia corporal e aceleram o metabolismo.

É possível emagrecer apenas tomando a fibra?
As cápsulas de fibra de laranja ajudam a eliminar peso e reduzir medidas de forma saudável, porém aconselhamos uma mudança de hábitos. Uma alimentação equilibrada e a prática regular de algum tipo de atividade física são fundamentais não só para a boa forma, como para manter a saúde em dia.

Quantos quilos eu vou perder por mês?
Não há uma regra, pois cada organismo apresenta uma resposta diferente. De maneira geral, há uma redução entre 1,5 e 2,5 quilos ao mês, de um jeito totalmente natural e saudável. É importante ressaltar que o uso do produto deve estar associado à correta ingestão de líquidos, a uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudável.

Durante quanto tempo é aconselhado ingerir a cápsula?
Aconselhamos que consumi-las por um período de um a três meses. Depois disso, é interessante que seja feita uma pausa de um mês. Essa indicação é válida para qualquer alimento encapsulado e/ou fitoterápico. A explicação é simples: após o uso consecutivo por três meses, há uma redução natural do efeito do produto no organismo.



Por: Abril - On Line

Publicado em: 17/09/2010

Fonte: http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/09/fibra-de-laranja-ajuda-a-perder-ate-25-kg-por-mes/

Shiatsu - Massagem para o seu bem -estar


Se dissermos à muitas pessoas que com a simples pressão das mãos e algumas massagens, pode-se prevenir e até amenizar determinadas enfermidades, a reação à princípio pode ser um pouco céptica, porém, isso é o que é constatado todos os dias por pessoas que utilizam de sessões de massagens com frequencia. A função principal do Shiatsu, uma massagem que ao mesmo tempo é relaxante e terapêutica, é justamente esta: manter o organismo saudável e com grande bem–estar.

O Shiatsu é uma massagem japonesa que permite recuperar o equilíbrio orgânico em muitos níveis: corrige certas disfunções orgânicas, liberta tensões acumuladas e atua até na melhoria da postura.

Esta massagem tem se mostrado muito boa contra o estresse e em muitos casos de dores, pois além de trabalhar a musculatura ela age também em outros sistemas; como o respiratório, o reprodutivo e o sistema nervoso, além de ajudar na manutenção apropriada das articulações e na circulação do sangue.

A função do Shiatsu é preventiva , estimula a força vital reorientando-a para que o organismo tenha uma melhor resposta na manutenção de seu estado saudável .

Esta massagem foi fundada no Japão e enriquecida por fundamentos da milenar medicina tracional Chinesa, o que proporciona à ela um alcance duplo e completo, sendo ao mesmo tempo relaxante e terapêutica. A harmonização gerada pela massagem proporciona uma sensação de equilíbrio interno, leveza e bem –estar, trazendo equilíbrio para o corpo.



Por: G. Hoffmann - O Barriga Verde On Line - Seção Colunistas

Publicado em: 05/10/2010

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/colunistas/g-hoffmann/massagem-para-o-seu-bem-estar-1.353344

Gotas homeopáticas

Tratamento de toxoplasmose Médicos garantem que dois pacientes tiveram melhora com uso da homeopatia.

O tratamento homeopático tem se mostrado uma esperança para pacientes que buscam a solução ou o alívio a diversos problemas de saúde. Dois portadores de toxoplasmose, acompanhados por médicos oftalmologistas, apresentaram recuperação da visão, um dos órgãos mais afetados pela doença, depois do uso constante de homeopatia por dois anos.

A melhora foi apontada nos resultados do acompanhamento e dos exames feitos pelos oftalmologistas Amélia Gusikuda Murayama e Antonio Carlos Salgado e pelos homeopatas Carlos Eduardo Malagutti, Maurício Freire e Walter Osvaldo Salgado, que integram o Centro de Estudos Avançados em Homeopatia (Cesaho), em Piracicaba. Por questões médicas, os pacientes não podem ser identificados.

O primeiro caso, uma mulher de 31 anos, moradora em São Paulo, procurou tratamento homeopático para a ansiedade e teve resultado em outras áreas. Passou a enxergar com menos dificuldade, usando os dois olhos, após dois anos de uso desse tipo de medicamento. "Na primeira consulta, ela reclamava de baixa visão no olho esquerdo desde os sete anos de idade, devido à toxoplasmose ocular. Também tinha problemas de estrabismo, depressão, epilepsia, hipertensão arterial. Dois anos depois, além de melhorar a ansiedade, ela também recuperou a visão parcial do olho esquerdo, se livrou de problemas ginecológicos, a pressão arterial estabilizou e não teve mais crises convulsivas", comemora o diretor do Cesaho, Antonio de Oliveira Lobão.

O segundo paciente, de 20 anos, morador em Limeira (SP), estava perdendo totalmente a visão devido à toxoplasmose. Após dois anos de tratamento, o jovem apresentou, segundo os médicos, uma melhora de 80% da visão. "Fui promovido de cargo, vou tirar carta de motorista, minha autoestima está bem melhor", relatou o rapaz.

SINTOMAS. A toxoplasmose é uma doença causada de diversas formas em pessoas por animais, como pelo consumo de carne e derivados de animais que estejam contaminados ou pelo protozoário coccídio intracelular, próprio dos gatos.

Geralmente assintomática, nos quadros agudos pode apresentar febre, linfocitose e dores musculares que persistem durante dias a semanas, de acordo com Lobão. Nas grávidas, ocorre transmissão transplacentária, o feto apresentará lesão cerebral, deformidades físicas e convulsões.

Tratamento preventivo e curativo

Segundo Lobão, a homeopatia trata a pessoa como um todo, pois defende que o adoecimento e o surgimento de sintomas fisiológicos ocorrem por desequilíbrios emocionais. "O tratamento homeopático é como uma vacina preventiva e curativa. O medicamento é único, feito individualmente e estimula seu organismo a combater a doença."

Embora tenham apresentado melhora, o tratamento homeopático dos dois pacientes de toxoplasmose continua mantido. "A homeopatia não tem efeitos colaterais e complementa os tratamentos convencionais, que devem ser sempre acompanhados pelos especialistas em cada área", falou o diretor do Cesaho.

Lobão afirma que a finalidade de divulgar o tratamento é apresentar uma alternativa às pessoas que possuem deficiência visual causada pela toxoplasmose.

Outra finalidade importante é despertar o interesse de estudiosos para o tema, fornecendo subsídios para o desenvolvimento de pesquisas na área.

Lobão é médico veterinário, atua com homeopatia em animais e afirma que o Cesaho é um centro integrado, que conta com três equipes de especialistas nas áreas médica, veterinária e a agronômica.


Por: Daniele Ricci - Gazeta de Piracicaba

Publicado em: 26/09/2010

Fonte: http://www.gazetadepiracicaba.com.br/conteudo/mostra_noticia.asp?noticia=1708182&area=26050&authent=EF22702FE425139E63473BF75452A9

Conheça os tipos de criança de acordo com sua natureza!

No Ayurveda, na Astrologia ou na Medicina Chinesa, os elementos da natureza são o ponto de partida para entender a constituição mental, emocional, física e comportamental de adultos e crianças. A medicina Ayurveda indiana ajuda a conhecer cada tipo de criança, baseada na predominância de elementos fogo, ar, terra ou ar que cada uma possui. Essa filosofia pode ajudar você a descobrir as características mais marcantes de seu pequeno, além de conhecer as tendências para sua vida.

Conheça os quatro tipos de crianças, de acordo com a filosofia Ayurveda, e veja qual deles combina melhor com seu filho:

FOGO/PITHA - Se a sua criança é cheia de energia, animada, sorridente e não para quieta, você está diante de um tipo que possui predominância de fogo, também conhecido como Pitta. Como no Ayurveda o elemento fogo não pode existir sozinho, sempre trabalhamos com um par de informações da natureza, formando o que chamamos de Dosha.

Uma criança Pitta é originária da combinação entre fogo e água. Esse pequeno terá emoções quentes e úmidas, ou seja, pode gostar de fazer drama ao ser repreendido por suas peraltices e até apresentar algumas doses de exagero na sua forma de se expressar.

A criança Pitta precisa comer bem e nos horários certos, senão fica irritadiça, nervosa e até agressiva. O ideal é que ela consuma muito suco, água e sorvete. A prática de esportes ou atividades ao ar livre também é recomendada. Afinal, se você tem uma ferinha de fogo em casa, precisa dar um jeito de estar sempre junto à natureza com ele!

Esse tipo de criança ainda pode ter tendência a inflamações, febre e dor de cabeça. Desde novinho já apresenta uma estrutura corporal muscular bem formada, mesmo sem fazer muitos exercícios.

TERRA - Crianças desse tipo são atentas, centradas e organizadas desde cedo. É comum ouvir os responsáveis por esse pequeno dizerem que os papéis se invertem na educação, já que a criança parece ser o adulto da casa. Esse tipo de criança costuma ter a mochila e a roupa da escola arrumadas, é apegado com seus brinquedos e já demonstra uma tendência em saber poupar o dinheiro da mesada.

As crianças que possuem predominância de terra podem sofrer de congestionamento nasal, sinusite e prisão de ventre. Além disso, esses pequenos costumam continuar com formas arredondadas, como as bochechas de bebê, mesmo depois de crescidos.Pequenos que possuem muito ar ou éther em sua constituição pessoal são curiosos, sabem conversar, falam muito e aprendem com rapidez. Por esse motivo, alguns podem não gostar de estudar para as provas e mesmo assim tirarem notas boas.

AR/VATA - A criança que tem ar e éther também pode ser conhecida como Vata, de acordo com o Ayurveda. Essa combinação propicia talentos intelectuais, intuitivos e que dão capacidade de percepção acima da média, inteligência afiada e sensibilidade artística.

Seu pequeno é leve, versátil, dinâmico e tem o dom de transcender as coisas banais do cotidiano. Caso sua criança tenha talento para dar asas à imaginação, não faça críticas ao seu jeito distraído. Ao invés disso, incentive-a a tocar instrumentos musicais, como flauta ou violão. Quem vive no mundo da lua, em geral também vive no mundo da sensibilidade.

Crianças Vatas são bem magras e por mais que possuam uma alimentação reforçada, a tendência é manter o corpo sempre fininho e esguio. Por esse motivo, não deixe que seu pequeno substitua as refeições por lanches rápidos. É importante que ele coma sempre na hora certa e nunca saia da mesa com fome, afinal ar e éther precisam de energias para se manter firme ao longo do dia.

Como é disperso, deve ser incentivado a ir até o fim nas atividades que começa. É interesse estimular essa criança a descobrir desde cedo seu talento artístico. Ao tomar conhecimento de seu dom, ela poderá se dedicar profundamente e com mais persistência a alguma atividade na vida.

KAPHA - Se a sua criança é amorosa, doce, apegada a você e muito organizada, ela é do tipo Kapha, segundo a filosofia Ayurveda. Esse pequeno precisa de variações na rotina e que você seja firme em cultivar hábitos econômicos com ele e afirme sempre seu amor e carinho, independente da distância.

Além disso, essa criança deve ser levada a atividades culturais e estimulada a ler. Apesar de demorar um pouco mais para aprender, quando é devidamente incentivada, ela vai fundo no que faz. É fundamental que os responsáveis pela educação desses pequenos evitem comidas artificiais em seu cardápio, como balas, refrigerantes, cachorro-quente, pirulitos e chicletes.



Por: Correio do Estado - On line - Seção:Notícias

Publicado em: 12/10/2010

Fonte: http://www.correiodoestado.com.br/noticias/conheca-os-tipos-de-crianca-de-acordo-com-sua-natureza_79268/

Ame a si mesmo para ficar saudável

Benefícios da auto-estima

Ter uma auto-estima elevada não gera só uma sensação de bem-estar - esse estado emocional também gera benefícios físicos.

Parece que pensar bem sobre nós mesmos pode oferecer uma proteção efetiva sobre o coração e o sistema imunológico.

Uma alta auto-estima nos faz sentir mais seguros quando nos confrontamos com ameaças. Ainda que, na sociedade moderna, essas ameaças tendam a ser relacionados mais ao status social do que a perigos físicos.

A conclusão é da equipe do psicólogo Andy Martens, da Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia.

Da mente para o corpo
Os pesquisadores queriam saber se os efeitos benéficos da auto-estima vão além do nível emocional, e se seriam capazes de interferir com nossas respostas fisiológicas.

Para descobrir, eles realizaram uma série de experimentos envolvendo um total de 184 participantes.

Em um estudo, os participantes receberam feedbacks falsos sobre sua inteligência ou sua personalidade, feedbacks esses que foi estruturados para aumentar ou diminuir sua auto-estima.

Em outro estudo, foi-lhes pedido para dar notas aos seus níveis naturais de auto-estima. Isso foi repetido todos os dias durante duas semanas.

Para monitorar as respostas fisiológicas, os cientistas analisaram a atividade do tônus vagal cardíaco dos participantes - uma medida de quão fortemente o sistema nervoso parassimpático influencia o coração.

O sistema nervoso parassimpático age para acalmar o coração, enquanto o sistema nervoso simpático prepara o corpo para a ação - seja a ação de lutar ou de correr.

Como o parassimpático ameniza o estresse e diminui as inflamações, quando ele fica deficiente o corpo pode sofrer com problemas cardiovasculares ou com doenças autoimunes.

Auto-estima e saúde
Os resultados mostraram uma correlação entre uma auto-estima elevada e um tônus vagal mais elevado.

O efeito foi relativamente pequeno, mas Martens e seus colegas afirmam que este é o primeiro estudo a mostrar como uma mudança na auto-estima pode levar a uma mudança imediata na fisiologia - um passo importante no sentido de "preencher a lacuna" entre a auto-estima e a saúde.

Como aumentar sua auto-estima? Martens sugere cercar-se de amigos e familiares que o apoiem. Segundo o psicólogo, o suporte de pessoas que deem feedbacks positivos convincentes tem um efeito muito maior do que simplesmente ficar tentando pensar positivamente.



Por: Da New Scientist - Diário da Saúde

Publicado em: 14/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=ame-si-mesmo-ficar-saudavel&id=5845

Religião dá autocontrole necessário ao atingimento de objetivos

Autocontrole e sucesso na vida
O autocontrole é um elemento crítico para que uma pessoa seja bem-sucedida na vida. E uma nova pesquisa demonstrou que as pessoas religiosas têm mais autocontrole do que as pessoas que não professam nenhuma religião.

Foi o que descobriu a equipe do professor Michael McCullough, da Universidade de Miami (Estados Unidos).

Segundo os pesquisadores, a descoberta implica que as pessoas religiosas podem ter maior sucesso em atingir seus objetivos de longo prazo, tanto aqueles que são importantes para elas pessoalmente quanto aqueles que são importantes para seu grupo religioso.

Benefícios de ser religioso
A descoberta também pode ajudar a explicar porque as pessoas religiosas têm menores índices de abuso de substâncias químicas, melhor aproveitamento escolar, menores níveis de delinqüência, comportamentos mais saudáveis, menos depressão e maior longevidade.

Pesquisas científicas sobre a religião
No estudo, McCullough e seus colegas analisaram 8 décadas de pesquisas científicas sobre a religião, conduzidas em diversas amostras de pessoas ao redor do mundo. As pesquisas revisadas foram feitas em uma grande variedade de domínios do conhecimento no campo das ciências sociais e médicas, incluindo as neurociências, economia, psicologia e sociologia.

Eles descobriram evidências convincentes de que os comportamentos religiosos são capazes de encorajar as pessoas a exercitar o autocontrole e regular de forma mais eficaz suas emoções e seus comportamentos, o que abre caminho para que elas persigam objetivos mais valorosos para si mesmas.

Os resultados do estudo foram publicados no exemplar de Janeiro de 2009 da revista científica Psychological Bulletin.

Objetivos sagrados
Segundo os pesquisadores, os rituais religiosos, como a prece e a meditação, afetam as partes do cérebro humano que são essenciais ao autocontrole e ao domínio de si próprio. Quando as pessoas vêem seus objetivos como "sagrados" eles dedicam mais esforço e energia para atingir esses objetivos, o que torna mais provável que elas os atinjam.

Os estilos de vida religiosos também contribuem para o autocontrole fornecendo padrões claros de comportamento às pessoas, fazendo com que cada uma monitore seu próprio comportamento ao sentir que Deus as está monitorando.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 08/01/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=religiao-autocontrole-atingimento-de-objetivos&id=3693

Medicina chinesa e reiki na cura da depressão

O Dia Europeu da Depressão foi assinalado no início do mês de Outubro. São várias as abordagens de uma doença que, segundo vários estudos, afecta cada vez mais pessoas.

Denis Alves é técnico de medicina chinesa e especializado em tratamentos de "distúrbios do foro psicológico". No seu trabalho com medicina chinesa encontra "seis em cada dez pacientes" em estados depressivos.

O terapeuta dá a conhecer os resultados obtidos da "combinação da medicina chinesa e reiki no tratamento da depressão sem ser necessário recorrer à medicação".

"Neste tratamento da depressão, que combina a medicina chinesa e o reiki, é apenas necessária uma sessão por semana", revela. Na primeira sessão o paciente "passa por um diagnóstico feito à luz da medicina chinesa e recebe tratamento de acupunctura, reiki e auriculoterapia".

Segundo o especialista "o nome dessa sessão terapêutica é Satori, termo do budismo japonês para iluminação". Uma sessão que engloba a medicina chinesa (acupunctura) e a medicina japonesa (reiki).

"O maior benefício obtido por associar o reiki à medicina chinesa é conseguir actuar com sucesso sobre o plano espiritual que está profundamente abalado, principalmente nos casos em que existe desejo de suicídio", explica Denis Alves referindo que "é um sinal de que a parte espiritual foi atingida e só com a acupunctura e auriculoterapia não se conseguem resultados".

"Genericamente, a depressão é causada pelo desequilíbrio de certas hormonas e neurotransmissores tais como a serotonina, a noradrenalina e a dopamina. A acupunctura estimula a produção de endorfinas, que são neurotransmissores responsáveis pela melhoria da memória e do humor, aumentam a resistência do organismo, aumentam a disposição física e mental e melhoram o sistema imunitário", indica o terapeuta.

"Através da acupunctura e da aurículoterapia, e sem recorrer a medicamentos, é possível recuperar a força de vontade, eliminar o medo, recuperar a energia, tratar a insónia, eliminar o pensamento negativo e a irritabilidade", frisa.

"Os pacientes melhoram sessão a sessão e a partir da primeira sentem melhorias significativas", refere. O objectivo é fazer com que se sintam, dia após dia, "mais tranquilos e comecem a encarar a vida a partir de um ponto de vista mais positivo. Passam a gostar mais de si próprios e recuperam a auto-estima".



Por: Susana Ribeiro - Jornal de Notícias - Portugal

Publicado em: 17/10/2010

Fonte: http://jn.sapo.pt/VivaMais/Interior.aspx?content_id=1687726

Tratamentos Individuais de Reiki - Lisboa

Uma dorzinha de cabeça, um mal-estar de barriga, um apertar no peito, uma mente confusa… Porque não?

O Reiki é entendido como uma Terapia Energética reconhecida pela Organização Mundial de Saúde.

Está provado que são as nossas desarmonias vibratórias (tudo é energia em vibração) que provocam as doenças físicas e psíquicas. Estando com uma boa condição vibratória estaremos certamente mais saudáveis em todos os sentidos.
A energia despertada será absorvida onde for mais necessária naquele exacto momento, por exemplo: pelo corpo, pelas emoções, pelo sentimento, pelo intelecto, pela criatividade, pela intuição.

Muito eficaz em pessoas com ansiedade ou depressão.

Por: Joana Vicente - Lisboa: Portugal - Seção: Saúde/Medicina

Publicado em: 24/09/2010

Fonte: http://classificados.destak.pt/anuncios/emprego/detalhe.php?cls_id=6617

Descubra se sua dor na coluna é passageira ou se é hora de buscar ajuda

Lombalgias agudas são muito comuns e possuem como causas movimentos realizados de forma errada.

Dor nas costas. Com a vida moderna nas grandes cidades, tempo gasto no trânsito e o dia todo dentro de um escritório, quem nunca reclamou? Difícil, pois de acordo com o neurocirurgião e especialista em cirurgia de coluna vertebral do Hospital 9 de Julho, Alexandre José Reis Elias, 90% da população terá pelo menos um episódio ou crise de dor na coluna ou lombalgia no decorrer da vida. E os motivos para isso estão cada vez mais frequentes.

Podemos dizer que o número de pessoas que sofrem de dor nas costas tem aumentado principalmente em função do sedentarismo, do sobrepeso e do estresse afirma o médico.

Mas, como definir quando a dor nas costas é passageira ou pode indicar um problema mais grave? Alexandre explica que o problema mais comum é a lombalgia aguda, com duração da dor menor que 12 semanas. Trata-se de uma dor que aparece na coluna lombar (entre a última costela e as nádegas), que piora muito ao fazer qualquer movimento com o corpo. Por isso, o paciente "anda com o corpo duro".

A causa mais comum da lombalgia aguda é algum movimento errado que o paciente fez como carregar peso em excesso ou de forma errada; abaixar o tronco para pegar algum objeto, com as pernas esticadas; fazer rotação do corpo mantendo os pés parados no chão ao invés de rodar todo o corpo; ou, ainda, pegar algum objeto em uma estante alta inclinando o corpo para trás.

Quando a dor nas costas dura mais que 12 semanas é caracterizada como lombalgia crônica e, por ter causa multifatorial, é bem mais difícil de ser tratada, requerendo a procura de um centro especializado em dor, com equipe multidisciplinar formada por neurocirurgião, reumatologista, fisiatra, ortopedista etc.

Independentemente da duração da dor, o indicado é, ao surgimento dos sintomas, que a pessoa procure um especialista para avaliar a gravidade do problema e iniciar o tratamento.

Apesar de rara, a causa da dor pode ser a presença de fraturas, tumores ou até mesmo uma infecção da coluna. Somente com uma avaliação médica podemos saber se é alguma doença mais grave ou não,completa.

Lombalgia aguda
Os casos de lombalgia aguda são, normalmente, quadros benignos e autolimitantes, ou seja, o paciente melhora da dor utilizando medicações ou não. É muito importante deixar claro para o paciente que a dor não vai desaparecer em alguns dias mas em algumas semanas. O tratamento pode ser avaliado pelo próprio paciente: se a cada semana ele estiver melhor que na semana anterior, é porque o tratamento está indo bem.

Os pacientes não orientados desta forma ficam preocupados, pois a dor não desaparece em poucos dias e eles ficam perambulando pelos pronto-socorros e consultórios, afirma o especialista.

No entanto, para aliviar o sofrimento do paciente, o médico pode indicar medicações analgésicas, anti-inflamatórias e relaxantes musculares que, associadas à "fisioterapia" e à "acupuntura", proporcionam alívio importante da dor. Outro fator importante é encorajar o paciente a não ficar em repouso e reassumir suas atividades assim que a dor apresentar uma melhora inicial. Mesmo em casos de dor lombar de forte intensidade, o paciente deve evitar o repouso prolongado.

— Após o tratamento da crise, inicia-se o tratamento de prevenção de novas ocorrências com RPG - Reeducação Postural Global, controle do peso, combate ao sedentarismo etc. — explica o médico.

Lombalgia crônica
No caso das lombalgias crônicas, o diagnóstico preciso é de fundamental importância para o tratamento correto. Isto nem sempre é fácil e, muitas vezes, o especialista em coluna necessita do auxílio de outros profissionais para o diagnóstico. Daí, a importância do tratamento multiprofissional.

Por exemplo, pacientes com dor lombar mecânica, que piora com movimentação e melhora com o repouso, são a maioria e devem ser avaliados para os possíveis diagnósticos envolvendo este tipo de dor. Por outro lado, pacientes com dor lombar de padrão inflamatório, que piora ao repouso e melhora com a movimentação, devem ser sempre avaliados pelo reumatologista.

Para a lombalgia crônica, também são indicados tratamentos com outros profissionais, quando necessário. Pessoas com depressão devem ter acompanhamento psiquiátrico e psicoterápico; obesos devem fazer avaliação com endocrinologista e nutricionista.

Cirurgias
As cirurgias de coluna evoluíram muito nos últimos anos e há diferentes tipos para diferentes patologias. É possível fazer desde uma lesão de uma raiz nervosa dolorosa com agulha através da pele, até reconstruir a coluna utilizando parafusos e barras, de forma que o paciente pode sair da cama no dia seguinte como, por exemplo, nos casos de tumores na coluna. Quanto à recuperação, a maioria dos pacientes é estimulada a deambular no primeiro ou segundo dia após a cirurgia, diferentemente do que ocorria no passado, quando se preconizavam longos períodos de repouso na cama.

Uma pequena parcela dos pacientes são tratados com cirúrgica. Os candidatos ao tratamento cirúrgico são aqueles que fizeram o tratamento clínico e não obtiveram melhora da sua dor; aqueles em que foram diagnosticadas outras patologias, por exemplo, tumores na coluna; e os que desenvolveram alteração do exame neurológico, como fraqueza nos braços, fraqueza nas pernas ou dificuldade para urinar ou evacuar.

É sempre bom lembrar que, assim como todos os tratamentos da medicina, estes também envolvem riscos, que devem ser avaliados pelo cirurgião e pelo paciente, ressalta o neurocirurgião.

Dicas para evitar a sobrecarga na coluna e a dor

Melhor posição para dormir
Não durma de bruços, mas de lado e com um travesseiro entre os joelhos; ou de barriga para cima, com um travesseiro atrás do joelho.

Tipo de colchão
A peça não deve ser muito mole, nem muito duro. Os semiortopédicos são uma boa opção, porém não existe regra e a escolha é individual.

Melhor forma de levantar da cama
Vire o corpo para o lado e comece a levantar-se de lado. Não levantar-se para frente.

Transporte de objetos pesados que estão no chão
Agache-se dobrando os joelhos, próximo ao objeto, e pegá-lo sem inclinar a coluna. Não carregar peso excessivo.

No trabalho em escritórios
Utilize cadeiras que não reclinem para trás, com apoio para os braços. Sente-se usando todo o encosto. Os pés deve tocar totalmente o chão. A tela do computador deve ficar na altura dos olhos para a coluna cervical ficar confortável.

Carregando mochilas
Utilize mochilas nas costas usando alças dos dois lados e cuidado com excesso de peso, principalmente para as crianças.

Usando salto alto
O salto pode acarretar dor na coluna lombar. Deve-se ter bom senso de usar eventualmente e, caso provoque dor, evitar o uso.

Ao dirigir
Fique sempre com as costas apoiadas no banco e os braços parcialmente fletidos, ou seja, não esticados totalmente.

Gestantes
Mantenha atividades físicas supervisionadas e permaneça dentro do peso recomendado. Lembre que as dores lombares em gestantes são comuns e, na maioria das vezes, não representam nenhum problema sério de coluna. Deve-se procurar um especialista em coluna para fazer o diagnóstico correto, tratamento e prevenção de novas crises.

Massagem e outros tratamentos alternativos
Terapias locais como a massagem, por exemplo, podem trazer alívio para o paciente. Muitas vezes não cessam a dor propriamente dita, mas causam bem-estar e só isso já justificaria o seu uso, sempre com a indicação de um médico especialista.

RPG e Pilates
Para os pacientes com forte dor aguda é indicada a fisioterapia analgésica junto com RPG. Para os pacientes que melhoraram, a indicação é RPG ou Pilates para tentar prevenir novas crises de dor.


Por: ClicRBS - Seção: Bem-estar

Publicado em: 18/10/2010

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/bem-estar/19,0,3076109,Descubra-se-sua-dor-na-coluna-e-passageira-ou-se-e-hora-de-buscar-ajuda.html

Melancia é eficaz contra a pressão alta

Não importa em quantas fatias você a divida, a melancia ainda manterá uma série de benefícios - o agradável saber adocicado, baixas calorias, alto nível de fibras e muitos nutrientes.

E agora há mais um item nessa lista: um novo estudo concluiu que a melancia pode ser uma arma natural eficaz contra a pré-hipertensão, um precursor das doenças cardiovasculares.

A pesquisa, a primeira desse tipo realizada em humanos, foi feita por Arturo Figueroa e Bahram H. Arjmandi, cientistas da Universidade do Estado da Flórida, nos Estados Unidos, e publicada na revista científica American Journal of Hypertension.

Efeito vasodilatador da melancia

Os pesquisadores descobriram que a ingestão diária de seis gramas do aminoácido L-citrulina/L-arginina, retirados do extrato da melancia, durante seis semanas, resultou em uma melhoria da função arterial.

"Essa descoberta sugere que este 'alimento funcional' tem um efeito vasodilatador, que pode impedir que a pré-hipertensão progrida para a hipertensão total, um importante fator de risco para ataques cardíacos e derrames," afirma Figueroa.

O efeito imediato foi uma redução da pressão arterial aórtica em todos os nove participantes pré-hipertensivos - quatro homens e cinco mulheres na pós-menopausa, com idades entre 51 e 57 anos.

"Dadas as evidências encorajadoras geradas por este estudo preliminar, vamos continuar a pesquisa e incluir um grupo muito maior de participantes na próxima rodada," acrescentou o pesquisador.

Por que a melancia?

"A melancia é a mais rica fonte natural comestível de L-citrulina, a qual está intimamente relacionada com a L-arginina, um aminoácido necessário para a formação do óxido nítrico essencial para a regulação do tônus vascular e para a manutenção de uma pressão arterial saudável", explica Figueroa.

Uma vez no corpo, a L-citrulina é convertida em L-arginina. Simplesmente consumir a L-arginina como suplemento dietético não é uma opção para muitos adultos hipertensos porque ela pode causar náuseas, desconforto gastrointestinal e diarreia.

Por outro lado, a melancia é bem tolerada por praticamente todos os pacientes. Os participantes no estudo-piloto não relataram nenhum efeito adverso.

E, além dos benefícios vasculares da citrulina, a melancia é uma fonte abundante de vitamina A, B6, C, potássio, fibras e licopeno, um antioxidante poderoso.

De acordo com Arjmandi, a melancia pode até mesmo ajudar a reduzir os níveis de glicose no sangue.

Alimentos funcionais

Segundo o Dr. Arjmandi, os alimentos funcionais, como a melancia, podem ajudar a combater condições de saúde que atingiram níveis epidêmicos, como os elevados níveis de colesterol.

"Por alimentos funcionais queremos dizer aqueles alimentos que já foi demonstrado cientificamente que são capazes de promover a saúde ou de prevenir doenças, acima e além dos outros nutrientes intrinsecamente saudáveis que eles também contêm," explica ele.

Figueroa acrescenta que a suplementação de L-citrulina oral pode permitir a redução na dosagem de anti-hipertensivos necessários para controlar a pressão arterial.

"Melhor ainda, pode impedir a progressão da pré-hipertensão para a hipertensão," conclui ele.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 18/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=melancia-contra-hipertensao&id=5869

Amor tem efeito analgésico similar a medicamento

Amor cura a dor

A pergunta era bem direta: Será que o amor pode servir como remédio contra a dor?

Em busca da resposta, cientistas das universidades de Stanford e do estado de Nova Iorque, ambas nos Estados Unidos, recrutaram 15 casais de estudantes apaixonados, que estavam namorando há 9 meses ou menos.

Os namorados tinham que colocar as mãos sobre um pequeno bloco aquecido eletricamente. O aquecimento podia gerar dores que variavam entre nenhuma, moderada e dor severa.

A cada vez, os participantes recebiam uma dentre três tarefas: olhar para uma foto de seu parceiro, olhar para uma foto de um conhecido igualmente atraente, ou realizar uma tarefa de distração, como pensar sobre esportes.

Sistema de recompensa

Ver o rosto do amante ou fazer a tarefa de distração diminuiu a intensidade da dor praticamente no mesmo nível - 12% e 13% para a dor intensa, 36% e 45% para a dor moderada, respectivamente.

Mas houve uma diferença crucial, que chamou a atenção dos cientistas: embora o objetivo fosse o mesmo - tentar reduzir a intensidade da dor - as duas tarefas ativaram partes diferentes do cérebro.

Durante os testes, os participantes eram submetidos a um exame de ressonância magnética funcional, ou fMRI.

Ao contrário da distração, olhar para a foto do amante ativou as seções de recompensa do cérebro, tais como a amígdala e o nucleus accumbens (destacado em vermelho na imagem).

Analgésico emocional

O resultado é importante porque a ativação farmacológica desses mesmos sistemas de recompensa do cérebro pode reduzir substancialmente a dor.

Ou seja, é possível que amor - ou outra emoção que ative os centros de recompensa - funcione como um analgésico.

"A maior analgesia, ao visualizar imagens do parceiro romântico, foi associada com um aumento da atividade em diversas regiões de processamento de recompensas, incluindo o núcleo accumbens, o córtex órbito-frontal lateral, a amígdala e o córtex pré-frontal dorso-lateral - regiões não associadas à analgesia induzida por distração," afirmam os pesquisadores em seu artigo, publicado no último exemplar da revista PLoS One.

"Os resultados sugerem que a ativação dos sistemas de recompensa neurais através de meios não-farmacológicos pode reduzir a experiência da dor," concluem eles.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 19/10/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=amor-combate-a-dor&id=5870

Meditação é eficaz contra défice de atenção e hiperatividade

Meditação transcendental

A técnica de meditação transcendental pode se transformar em uma forma segura e eficaz para o tratamento da síndrome de défice de atenção entre estudantes.

Segundo uma pesquisa publicada no jornal científico Current Issues in Education, a meditação transcendental, uma prática inspirada nas tradições religiosas orientais, pode ser mais eficaz do que os tratamentos baseados em medicamentos.

Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade

O estudo foi feito com estudantes do ensino médio nos Estados Unidos, todos diagnosticados com Transtorno do Défice de Atenção e Hiperatividade, ou ADHD na sigla em inglês (Attention-deficit hyperactivity disorder).

Depois de três meses, nos quais os estudantes praticaram a meditação duas vezes por dia na escola, os pesquisadores registraram uma redução de 50% no estresse e na ansiedade e melhoria nas avaliações dos sintomas da hiperatividade.

"O efeito foi muito maior do que esperávamos," afirma Sarina J. Grosswald, da Universidade George Washington. "As crianças também apresentaram melhoras na atenção, na memória funcional, na organização e no controle do comportamento."

Visão dos professores

O estudo também entrevistou os professores dos alunos que participaram das sessões de meditação transcendental. Os professores relataram uma maior facilidade para dar as aulas, a transmissão de um maior volume de informações e afirmaram que os estudantes estavam aprendendo mais porque se apresentavam menos ansiosos e menos estressados.

Estudos anteriores demonstraram que crianças com transtorno do défice de atenção e hiperatividade apresentam um desenvolvimento cerebral mais lento e uma capacidade reduzida para lidar com o estresse. "O estresse interfere com a capacidade de aprendizado - é como se ele desativasse o cérebro," explica William Stixrud, outro participante da pesquisa.

Medicamentos contra a hiperatividade

Remédios contra a hiperatividade são muito eficazes para algumas crianças, mas não produzem praticamente nenhum efeito em outras. Há situações em que os medicamentos chegam a piorar os sintomas de algumas crianças. Doses maiores não fazem efeito ou trazem efeitos colaterais sérios, que incluem problemas no crescimento e problemas cardíacos.

Os pesquisadores escolheram a meditação transcendental porque ela tem se comprovado eficiente em inúmeros outros estudos com adultos. E como ela não exige grande treinamento, ou altos índices de concentração e controle da mente, a meditação transcendental está se mostrando valiosa também para aplicação em crianças, mesmo naquelas que se apresentam as mais dispersas de todas.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 12/01/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-defice-de-atencao-e-hiperatividade&id=3692

Alimentos que emagrecem

Alimentos que emagrecem

-Agrião: o agrião contem iodo, este que estimula a glândula da tiróide e faz com que a gordura acumulada seja queimada.

-Salmão: rico em ácidos gordos que aumentam a capacidade das células queimarem calorias.

-Pepino: o pepino e difícil de ser digerido, desta forma o organismo gasta mais calorias a digeri-lo do que as que ele fornece.

-Abacaxi: controla o apetite, combate a retenção de líquidos.

-Aipo: antioxidante e diurético, elimina as toxinas do corpo através da expulsão de líquidos.

-Feijão: contem uma proteína inibidora do apetite.

-amendoim: acelera o metabolismo.

-Cereais integrais: fazem com que se sinta saciada, e acelera o metabolismo.
-Aveia: rica em fibras que ajudam a regular o transito intestinal, melhora a digestão.

-Arroz integral: rico em minerais e fibras auxilia na digestão.



Fonte: http://www.webartigos.com/articles/48415/1/Alimentos-que-emagrecem/pagina1.html#ixzz13ePatGxY

Por: Tânia Correia

Publicado em: 29/09/2010

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/48415/1/Alimentos-que-emagrecem/pagina1.html

Meditação pode ser benéfica para a saúde das células

A meditação pode trazer benefícios não apenas para a saúde psicológica dos praticantes, mas também pode afectar as pessoas a nível celular, segundo um estudo da Universidade da Califórnia, nos EUA.

Em testes com 60 pessoas, os investigadores observaram uma associação entre as mudanças psicológicas ocorridas durante a meditação e uma maior actividade de uma enzima importante para a saúde celular, chamada telomerase.

De acordo com os especialistas, essa enzima age sobre os telómeros - sequências de DNA no final dos cromossomas, que encurtam cada vez que uma célula se divide. Quando essas estruturas se reduzem demasaido, a célula não se divide adequadamente e morre - processo associado ao envelhecimento humano. E o papel da telomerase é justamente reduzir esse processo, ajudando a reconstruir e a aumentar os telómeros.

Publicados na revista científica Psychoneuroendocrinology, os resultados indicaram que aqueles que participaram de um retiro de três meses - quando meditavam 6 horas por dia - apresentaram maiores benefícios em vários aspectos psicológicos, além de maiores níveis de telomerase.

De acordo com os autores, a meditação foi associada à redução do stress e do neuroticismo - o que estaria ligado à maior longevidade das células de defesa do organismo.

«A mensagem desse trabalho não é que a meditação aumenta directamente a actividade da telomerase e, então, a saúde e a longevidade das pessoas», escreveu Clifford Saron. «Pelo contrário, a meditação pode melhorar o bem-estar e, por sua vez, essas mudanças estão relacionadas com a actividade da telomerase em células imunológicas, que tem o potencial de promover a longevidade dessas células. As actividades que aumentam o bem-estar de uma pessoa podem ter um profundo efeito sobre a maioria dos aspectos fundamentais da sua fisiologia», explicou o especialista.



Por: Diário Digital - Portugal

Publicado em: 09/11/2010

Fonte: http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=62&id_news=477760

Estudo associa excesso de refrigerantes e sucos ao risco de diabetes

Quem consumia de uma ou duas porções por dia (cerca de 340g) tinha 26% mais chances de desenvolver a doença.

O consumo excessivo de refrigerantes, sucos e outras bebidas adoçadas com açúcar, aliado ao ganho de peso, pode contribuir para o desenvolvimento de diabetes tipo 2, segundo estudo publicado na edição de novembro da revista científica Diabetes Care. De acordo com os especialistas, a ingestão dessas bebidas assim como outros alimentos açucarados deve ser limitada, para reduzir a obesidade e as doenças associadas ao excesso de peso.

Avaliando dados de diversos estudos sobre o assunto realizados até maio deste ano, incluindo um total de 310 mil participantes e 15 mil casos de diabetes, os pesquisadores da Universidade de Harvard, nos EUA, descobriram que aqueles que ingeriam mais bebidas açucaradas - uma ou duas porções por dia (cerca de 340g) - tinham 26% mais chances de desenvolver o diabetes do que aqueles que consumiam essas bebidas em menor quantidade - menos de uma porção por mês. Além disso, o consumo excessivo de bebidas açucaradas foi associado a 20% maior risco de síndrome metabólica - conjunto de fatores de risco para doença cardíaca.

“O consumo de bebidas açucaradas, incluindo refrigerantes, sucos de fruta, chá gelado e bebidas energéticas, tem crescido em todo o mundo. E o consumo regular dessas bebidas tem sido associado com ganho de peso e com o risco de sobrepeso e obesidade”, escreveram os autores. “Aliado ao ganho de peso, o maior consumo de bebidas açucaradas está associado ao desenvolvimento de síndrome metabólica e diabetes tipo 2”, acrescentaram.

Dados do Ministério da Saúde indicam que aproximadamente 11 milhões de brasileiros são diabéticos. E, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o diabetes está se tornando a epidemia do século, afetando cerca de 246 milhões de pessoas em todo o mundo, porém cerca da metade das pessoas que têm diabetes desconhece ser portadora da doença. Por isso, segundo os especialistas a prevenção é tão importante, com alimentação equilibrada, a prática regular de atividades físicas e o controle do peso.

Por: Gazeta de Alagoas - Seção: Saúde

Publicado em: 16/11/2010

Fonte: http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=216735

Técnicas de Massagens Relaxantes

A correria do dia a dia vai nos proporcionando um desgaste emocional e se aliado ao descuido vão deixando no nosso corpo sinais de stress como dores fortes de cabeça, enrijecimento de nervos e músculos, queda de cabelos e até mesmo acelera o aparecimento de rugas e linhas de expressão. Para amenizar os efeitos colaterais da vida diária é aconselhável ter sessões de massagens periodicamente.

“Para se gozar de boa saúde, é preciso tomar um banho perfumado e fazer uma massagem com óleos todos os dias." já dizia Hipocrates, pai da medicina há mais de 3000 anos atrás. Contudo a massagem não deve ser encarada como um tratamento convencional, e sim como uma terapia complementar. Mesmo com o avanço da ciência atual e o surgimento de novos tratamentos, a massagem continua com grande procura, por ser ela uma alternativa barata, rápida e menos agressiva do que os tratamentos convencionais.

No que se diz respeito ao corpo, a massagem melhora os sistemas circulatório, muscular e nervoso, agudando também o corpo a assimilar os alimentos e a eliminar os produtos residuais. Nos parâmetros psicológicos e emocionais ela tem efeitos calmantes e tranquilizantes contribuindo decisivamente para a melhoria do bem estar. E ela não possui contra-indicação, podendo ser realizada tanto em gestantes como em bebês, aliás, elas ajudam a aumentar o laço afetivo dos pequenos com as mamães.

Hoje em dia com a popularização dessa terapia, cinco tipos de massagens relaxantes se destacam como as mais procuradas pelo público.

A Massagem Ayurvédica, uma das mais tradicionais com sua origem datada a mais de 5 mil anos é a terapia complementar associada à Medicina Ayurvédica (corporificada nos Vedas), de raízes milenares na Índia e que engloba todos os aspectos da saúde física, mental e espiritual das pessoas.

Uma técnica de massagem que atinge profundamente o corpo, ela alia movimentações vigorosas em toda a massa muscular conjuntamente com manobras de tração e alongamento, além da estimulação de pontos e órgãos vitais (energizando se estiverem bloqueados e controlando se estiverem muito ativos).

Nessa massagem são usados óleos naturais especiais, aquecidos à temperatura ambiente ou um pouco superior, escolhidos especificamente para cada pessoa de acordo as características psicológicas e físicas dela. Após uma sessão da massagem Ayurvédica o paciente sente-se com uma sensação de frescura, leveza e tranquilidade.

Drenagem Linfática Manual

A Massagem de Drenagem Linfática Manual é uma técnica específica de massagem realizada com as mãos, ela se caracteriza por movimentos circulares, curtos e leves de compressão e bombeamento e em espiral, suaves e precisos, trabalhando intensamente nos centros dos gânglios linfáticos.

Deve-se tomar cuidado ao escolher essa terapia, é aconselhável procurar um profissional, pois qualquer pressão em excesso pode ser muito dolorosa e provocar sensações de desconforto.

Indicada para situações de retenção de líquidos, pernas pesadas e cansadas, alterações de pele como úlceras e acne, perturbações articulares, pós-cirurgia plástica, pós-lipoaspiração, edemas de gravidez e celulite.

Shiatsu

Shiatsu significa, "pressão com os dedos". É uma técnica que combina a massagem com a pressão nos pontos de acupuntura chinesa. E este método de terapia visa à recuperação e manutenção da saúde através do alinhamento energético do corpo.

A massagem Shiatsu implica o conhecimento dos meridianos (linhas energéticas) do corpo, cujo fluxo harmonioso leva ao equilíbrio integral da pessoa. Ela é praticada exercendo pressão controlada sobre os fluxos energéticos através dos meridianos, em pontos específicos, para desbloquear e estimular a energia.

Massagem Sueca

A Massagem Sueca deriva das [b]massagens[b] aplicadas na Grécia Antiga, essa técnica utiliza cinco estilos básicos de manobras: o deslizamento, a pressão, a percussão, a fricção e a vibração. A mesma tem-se revelado muito útil na redução da dor e na redução da rigidez articular.

Nesse tipo de massagem costumam serem aplicados determinados óleos de ou pó de talco, para reduzir a sensação de fricção. É curioso, pois na Suécia essa terapia é conhecida como “Massagem Clássica” e não com a expressão "Massagem Sueca".

Também conhecida por Massagem Thai-Yoga ou Nuad Bo Ran, é tradicional na Tailândia onde é praticada há cerca de 2.500 anos. Esse tipo de terapia é muito conhecido por utilizar certos alongamentos que são bastante semelhantes a certas posturas de Yoga.

O objetivo dessa massagem é desbloquear os canais e permitir que o fluxo de energia corra livremente. Essa terapia utiliza o corpo inteiro é feita no chão e abrange movimentos rítmicos, pressão palmar e pressão polegar em pontos específicos ao longo dos meridianos energéticos, estiramentos suaves e utilização consciente da respiração.

O terapeuta desse tipo de massagem utiliza as suas mãos, pés, braços e pernas para guiar o paciente em várias posições de Yoga e "trabalhar as linhas de energia" que circulam no corpo humano. É, contudo, pelo uso das manipulações que esse tipo de massagem adquiriu maior fama. É uma técnica bastante vigorosa, porém agradável.

Com o corpo e, sobretudo, a mente relaxada, tudo se torna mais fácil, pois conseguimos ver o que está por trás dos problemas e encará-los de forma menos hostil e agressiva. A massagem é uma ótima aliada para uma vida mais longa e saudável.


Por: Eloísa Alves Micuinha - Redação Portais da Moda

Publicado em: 30/11/2010

Fonte: http://www.portaisdamoda.com.br/noticiaInt~id~22677~n~tecnicas+de+massagens+relaxantes.htm

Quiropraxia: tratar sem sentir dor

A técnica consiste no tratamento feito apenas com mãos, e pode evitar até mesmo cirurgias para curar problemas de coluna

Já pensou em se livrar daquelas incômodas dores no corpo, sem medicamento? A solução pode ser a Quiropraxia. O termo vem de duas raízes gregas: Quiro - mãos - e Práxis - praticar: praticar com as mãos. A categoria lida com o diagnóstico, tratamento e a prevenção das desordens do sistema neuro-músculo-esquelético e dos efeitos destas desordens na saúde em geral sem uso de medicamentos e cirurgias.

No Espírito Santo, o município de Vila Velha é o único local em que os capixabas podem encontrar este tipo de tratamento. Quem o trouxe para o Estado foi o casal Adam Ficher e Solange Ferreira da Cunha, proprietários da Clínica Quiropraxia Espírito Santo. "Eu sou brasileira, mas morava na Europa com meu esposo Adam. Trouxemos esse tratamento para o Espírito Santo devido à carência do local. Eu liguei para a Associação Brasileira de Quiropraxia e eles me deram todo apoio possível para abrir a clínica. Aqui no Estado só tem o Adam de profissional. Ele já é quiropraxista há 15 anos", contou Regina.

O tratamento é feito com dois objetivos: corrigir e prevenir problemas articulares. Com o diagnóstico pronto, é definido um plano de tratamento apropriado a cada condição. Existe diversas técnicas que foram desenvolvidas para restaurar a movimentação articular. O ajustamento, quando indicado, é muito específico e indolor. Com isto, normalmente, observa-se uma diminuição da dor, relaxamento muscular, aumento da mobilidade e restauração da função articular.

O diagnóstico deve ser feito após uma entrevista e exame clínico minucioso, que inclui análise postural, realização de testes ortopédicos e neurológicos e palpação cuidadosa de articulações, músculos e outras estruturas afetadas. Caso sejam necessários exames complementares como Raio-X, Tomografia e Ressonância Magnética, são solicitados.

O aposentado João Evangelista Souza, 63 anos, recomenda o tratamento. "Tinha dores na coluna e estava com crise lombar. Vi o panfleto e marquei no mesmo dia. Na consulta já tive uma demonstração do trabalho e minha dor diminuiu naquele instante. Em algumas seções estava ótimo. Agora eu continuo em um número reduzido até não precisar mais. Já está acabando", contou.

Tratamento é específico e individual
Para o tratamento, não há restrição de idade, pois ele pode beneficiar desde um recém-nascido até pessoas de idade bastante avançada. Porém, é preciso a cada paciente, técnicas específicas para a idade.
Os principais problemas tratados pela Quiropraxia são os de dores na coluna lombar, na hérnia de disco e dor ciática, no pescoço, na cabeça, tensão muscular e problemas nas articulações do ombro, cotovelo, punho, joelho e tornozelo.

Em relação a riscos, como todo método terapêutico, os tratamentos realizados pelos quiropraxistas têm indicações e contra-indicações precisas. Ao procurar um quiropraxista certifique-se que ele/ela possua uma formação compatível com os padrões preconizados internacionalmente.

Os interessados podem ligar para clínica no telefone (27)3033-4545 ou ir até o loca. Fica na Rua Henrique Laranja, 230, Centro de Vila Velha.



Por: ESHoje - Dayana Souza - Seção: Saúde

Publicado em: 03/12/2010

Fonte: http://www.eshoje.com.br/portal/leitura-noticia,inoticia,8025,quiropraxia_+tratar+sem+sentir+dor.aspx

Shiatsu - Alívio imediato

Inconscientemente, sempre que você sente rigidez ou dor no corpo, pressione a parte afetada com as mãos. Esse é um ato reflexo que explica parte da técnica utilizada numa massagem.

O Shiatsu é uma delas. "Shi" significa dedo, "atsu" significa pressão. Uma massagem oriental que consiste em pressionar determinadas áreas do corpo com os dedos e as palmas das mãos.

Ao longo do meridiano da bexiga (importante no diagnóstico e tratamento), localizado nas costas, existem pontos correspondentes a cada órgão. Corretamente pressionados podem dar alívio imediato. O toque desbloqueia energias estagnadas, que impedem o bom funcionamento do organismo.

Atua como prática preventiva, fortalecendo o sistema imunológico e como terapia, sanando dores musculares e na coluna, desequilíbrios do sistema nervoso, disfunções orgânicas e estresse. Além de equilibrar os meridianos. A prática esportiva faz bem aos músculos, mas em demasia pode levá-los a fadiga.

É importante que o esportista receba massagem para aliviar e prevenir distensões. Para isso, existem técnicas. Torna-se então importante saber qual tipo de técnica é mais aconselhável ser utilizada em cada caso.

Procure sempre orientação de um especialista. Nem toda técnica de massagem é aconselhada para recuperar alguma situação de dor ou stress.
O Shiatsu é parte do Anma, que em japonês significa massagem terapêutica. Apenas em 1964 foi reconhecido de forma distinta e independente.

O Anma é a forma mais antiga da Massagem Tradicional Asiática. Não usa óleo. Envolve alongamento e toque com as mãos, com o foco em melhorar o condicionamento muscular e a circulação do Ki, ou Energia Universal da Vida.

Enquanto as técnicas de massagem ocidentais focam o relaxamento do paciente, o objetivo do Anma é influenciar os órgãos internos. Manter em equilíbrio as funções físicas e psicológicas do corpo. Reduzir os sintomas e alinhar a estrutura física que pode ser necessária.


Por: Site Médico

Publicado em: 19/12/2010

Fonte: http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=71

Laticínios podem diminuir risco de diabetes tipo 2

Gosta de saborear queijo, leite, iogurte, manteiga? Pois saiba que o hábito pode ser benéfico à sua saúde. De acordo com uma pesquisa americana, um componente dos laticínios, o ácido graxo trans-palmitoléico pode diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Cientistas da Escola de Saúde Pública de Harvard e colaboradores de outras instituições examinaram 3736 pessoas, acompanhadas ao longo de 20 anos. Amostras de sangue armazenadas em 1992 foram utilizadas nos testes, como informou a publicação Annals of Internal Medicine.

Em comparação com os participantes de níveis baixos do ácido, os com taxas elevadas apresentaram chance 60% menor de ter diabetes. Segundo o site Science Daily, o composto não é produzido pelo organismo. Por ser obtido justamente a partir da gordura do leite, melhor não exagerar no consumo de seus derivados. Mais estudos são necessários para comprovar seus benefícios.

Por: Portal Terra - Seção: Saúde - Patricia Zwipp

Publicado em: 27/12/2010

Fonte: http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI4856491-EI16560,00-Laticinios+podem+diminuir+risco+de+diabetes+tipo.html

Dieta vegetariana ganha cada vez mais força no esporte

Apesar dos estudos científicos não comprovarem que a dieta vegetariana traz benefícios ao rendimento dos atletas em comparação aos não-vegetarianos, a procura por uma alimentação que dispense produtos de origem animal tem aumentado no mundo dos esportes. “É cada vez maior o número de atletas vegetarianos, devido aos costumes religiosos e culturais, crenças étnicas ou filosóficas, e devido à busca por uma vida mais saudável”, afirma Patrícia Bertolucci, uma das precursoras da nutrição esportiva no país. Como esse tipo de esportista não se alimenta de carnes e em alguns casos dispensa até de derivados do leite, caso dos veganos, uma série de cuidados devem ser tomados para que não faltem nutrientes e energia.

O escalador Plínio Bonfim adotou o vegetariaismo há cerca de 8 anos
Escalador e ex-capoeirista, Plínio Bonfim, 31 anos, formado em nutrição, começou a se tornar vegetariano há 8 anos, período em que iniciou a prática da escalada. “Fui abandonando a carne gradualmente e há uns 6 anos eu deixei de comer carne completamente”, recorda. Talvez por ser nutricionista, Plínio sabe bem a importância da reposição de algumas substâncias na dieta dos que não ingerem carnes. “Eu tenho que substituir a proteína por outras fontes que não sejam a carne. No meu caso, ainda como ovo. E uso também muito cereal integral, arroz com feijão, soja e quinua”, revela o escalador, que treina três vezes por semana na academia e uma vez por semana faz escalada ao ar livre.

A nutricionista Priscila Di Ciero é uma das que defende o vegetarianismo entre quem pratica atividades físicas. “As pesquisas mostram que não há diferença entre ser vegetariano ou onívoro (que se alimenta de animais e vegetais). O cardápio vegetariano, quando bem feito, é naturalmente rico em vitaminas, minerais, antioxidantes e carboidratos, que são a base da alimentação de qualquer atleta, e pode ser útil e mais saudável”, defende Priscila. “Isso não quer dizer que uma pessoa deva parar de comer carne e virar vegetariana achando que seu rendimento vai melhorar”, alerta.

Para suprir a deficiência de nutrientes fundamentais para qualquer pessoa como proteínas, zinco e ferro — todos fartamente encontrados em carnes, frangos e peixes — e evitar riscos à saúde, o atleta vegetariano deve compensar a diferença com alimentos nutritivos. “A base da alimentação tem que ter bastante frutas, verduras, legumes, arroz integral, grãos, lentilhas, feijão, soja e linhaça. E castanhas, de todos os tipos, que também são boas fontes de gordura, de vitaminas e minerais”, explica Priscila di Ciero. A nutricionista Serena Del Favero vai além: “Cereais ajudam, pois são fontes de carboidratos, que fornecem energia às células. Vale também o uso de suplementos, se for necessário.”

Curiosidade
Raridade no futebol
Encontrar um jogador de futebol que seja vegetariano é tarefa quase impossível, como garante a nutricionista Silvia Torres, no Flamengo desde 1984, e na Seleção Brasileira desde 2001. “No futebol é muito raro. Os hábitos são voltados principalmente para a proteína (encontrada nas carnes). Não conheço ninguém.”

Em defesa dos animais
Os veganos são pessoas que seguem uma filosofia de vida baseada em conceitos éticos que têm como base a proteção aos direitos dos animais. Eles pregam o fim da escravidão animal e buscam evitar a exploração e abusos por meio de boicotes a quaisquer produtos de origem animal (alimentar ou não). Os veganos também não consomem nada que tenha sido testados em animais ou que inclua qualquer forma de exploração animal nos seus ingredientes ou processos de fabricação.

À base de frutas e verduras

» Carl Lewis
Eleito o “Esportista do Século” pelo Comitê Olímpico Internacional, o velocista vegano, nascido nos Estados Unidos, colecionou 10 medalhas olímpicas em provas de velocidade, sendo nove delas de ouro. Em 1991, bateu o recorde de 9,86 segundos na prova dos 100 metros rasos.

» Dave Scott
Foi seis vezes campeão do Ironman no Hawaii, a principal competição de triatlon no mundo, chegando em primeiro lugar em 1980, 1982, 1983, 1984, 1986 e 1987. Apelidado de “The Man”, só teve seu recorde igualado por Mark Allen, que curiosamente venceu seis vezes logo após largar o vegetarianismo.

» Éder Jofre
O maior pugilista brasileiro de todos os tempos, vegetariano desde os 20 anos de idade, foi campeão mundial peso-galo em 1960 e do peso-pena em 1973 sem comer alimentos de espécie animal. Ele atribui a sua capacidade física, de resistência e força, à dieta vegetariana.

» Murray Rose
Considerado um dos maiores nadadores de todos os tempos, este escocês vegetariano conseguiu, logo aos 17 anos, três medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de 1956, em Melbourne, na Austrália. Nos 400m livre, 1500m livre e 4 x 200m livre. Em 1960, nas Olimpíadas de Roma, também ficou com o ouro, nos 400m livre.


Cuidado com as deficiências

Substâncias fundamentais presentes nas carnes devem ser buscadas pelos vegetarianos. A falta de vitamina B12, necessária para a boa manutenção do sistema nervoso, pode originar problemas cardiovasculares. E a isenção de creatina resulta em estoques musculares mais baixos.

Por outro lado, a dieta verde é rica em carboidratos, que fornecem energia às células, e antioxidantes, como vitamina C, E e beta-caroteno, que defendem o tecido muscular do estresse provocado pelos exercícios. “O mito de que ser vegetariano significa correr o risco de ficar doente ou sem músculos deve ser quebrado. Se a alimentação for balanceada, raramente haverá problemas de falta de nutrientes”, ressalta a nutricionista Patrícia Bertolucci. “A dieta vegetariana é capaz de suprir as necessidades do corpo para que a saúde continue perfeita, ou até melhor, sem prejudicar a performance do atleta”, garante.


Por: Super Esportes - Fonte: Felipe Seffrin (Correio Braziliense)

Publicado em: 04/01/2011

Fonte: http://www.superesportes.com.br/app/19,66/2011/01/04/noticia_maisesportes,11958/dieta-vegetariana-ganha-cada-vez-mais-forca-no-esporte.shtml

Comer amêndoas pode prevenir diabetes e doenças cardiovasculares

Amêndoas propiciam melhorias na sensibilidade à insulina e reduções dos níveis do mau colesterol.

Aos que gostam de amêndoa, uma pesquisa da Universidade de Medicina e Odontologia de Nova Jersey, dos Estados Unidos, indica um motivo a mais para consumi-la. Os testes mostram que este fruto previne diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares em pessoas com pré-diabetes.

Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou 65 adultos pré-diabéticos. Parte deles investiu em uma dieta com a iguaria (aproximadamente 62g por dia) ao longo de 16 semanas.

Exames constataram que o grupo com refeições enriquecidas apresentaram melhorias na sensibilidade à insulina e reduções significativas dos níveis do mau colesterol (LDL), em comparação com os que não saborearam amêndoas. A publicação Journal of American College of Nutrition divulgou os resultados.

Por: Terra - Seção: Saúde - Patricia Zwipp

Publicado em: 07/01/2011

Fonte: http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI4873401-EI1497,00-Comer+amendoas+pode+prevenir+diabetes+e+doencas+cardiovasculares.html

Hepatite A: é a pessoa que faz a diferença, não o vírus

Ao contrair o vírus da hepatite A, a maior parte das pessoas permanece ilesa e nem chega a apresentar sintomas.

Para alguns indivíduos, no entanto, a hepatite A desencadeia inflamação e necrose do fígado, levando à morte.

Por muitos anos, os cientistas procuraram nos vírus as diferenças - ainda que fossem minúsculas - que pudessem explicar tamanha variação de manifestações clínicas.

Mas não conseguiram encontrar uma resposta.

A comunidade científica agora tem uma nova convicção: o lugar certo para buscar uma resposta não é o vírus, e sim o hospedeiro, de acordo com o Sergio Rosenzweig, do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos.

"É no homem, e não no vírus, que se encontram as diferenças fundamentais que fazem com que alguns escapem ilesos e outros sejam levados à morte pelo vírus da hepatite A", disse o especialista argentino, que participou de um evento promovido pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) em parceria com o Instituto Gulbenkian de Ciência, de Portugal.

Os casos fatais de hepatite A, de acordo com Rosenzweig, podem ser controlados pela vacinação em massa.

Mas a característica da doença - que leva o sistema imunológico a atacar as células do fígado - fazem dela um modelo importante para ampliar o conhecimento sobre a imunologia.

A prevalência da hepatite A é alta em todo o mundo?

Sergio Rosenzweig - A hepatite A é muito prevalente em continentes como a África e Ásia e em países como o México, o Brasil e a Argentina. Provavelmente, a maior parte dos pacientes pediátricos se infecta com o vírus em um momento muito precoce da vida: são soropositivos antes dos 8 anos de idade. Quando chegam aos 10 anos, 80% já ficaram provavelmente expostas ao vírus nesses países, o que significa que se tratam de áreas de alta endemicidade em relação a essa infecção.

Por que essa prevalência apenas em determinadas áreas ?

Rosenzweig - O problema é que as hepatites A e B são transmitidas oralmente pelas fezes e, portanto, sua transmissão está associada à falta de higiene.

A rota de transmissão é fecal-oral: alguém faz suas necessidades, não lava as mãos e prepara a comida para outras pessoas, por exemplo.

Então, lugares no mundo em desenvolvimento onde se bebe água de poço, ou onde não há sistema de esgoto, são locais em que as hepatites A e a B são muito prevalentes.


A infecção é transmitida por um vírus. Por que estudá-la a partir do ponto de vista da imunologia e não da infectologia apenas? O que caracteriza a hepatite A como uma imunodeficiência?

Rosenzweig - Na realidade, o vírus propriamente não é agressivo. Ele ataca principalmente o fígado, mas não causa grandes problemas por si só. Ele infecta os hepatócitos - que são as principais células no fígado - e fica lá dentro até que o sistema imune limpe a infecção.

Há alguns vírus que são altamente citopáticos - o que quer dizer que matam as células infectadas por eles. Mas esse vírus da hepatite A entra no corpo e não provoca quase nada, até que o sistema imune resolve eliminá-lo. É principalmente o sistema imune o responsável pela manifestação clínica.


O vírus não provoca sintomas clínicos, mas desencadeia um ataque do próprio organismo?

Rosenzweig - Sim. A maior parte dos pacientes infectados com esse vírus não tem manifestações clínicas. Cerca de 70% dos que são infectados ficam com uma "cicatriz imunológica", isto é, adquirem anticorpos porque foram expostos.

Não se sabe quando foram expostos, porque não tiveram nenhuma manifestação clínica.

A questão é que o vírus se aloja no interior do hepatócito. O sistema imune, muito agressivo, eventualmente identifica a infecção no hepatócito e tenta matar o vírus no seu interior. O resultado é que ele acaba matando o próprio hepatócito, produzindo a hepatite.

Nesse tipo de infecção, o agente é um problema, mas o sistema imune é um problema muito maior, porque ele produz mais danos do que o agente infeccioso.

Quais são os principais desafios científicos envolvidos com essa doença?

Rosenzweig - Temos visto que pacientes infectados com o vírus da hepatite A, em sua grande maioria, não apresentam manifestações clínicas. Em aproximadamente 30% dos casos, há apenas um número de manifestações muito amenas e autolimitadas.

Mas um em cada mil ou 10 mil indivíduos infectados com esse mesmo vírus morre com a infecção.


O problema central, então, consiste em descobrir quais são os fatores que fazem com que o mesmo vírus possa produzir tamanha diversidade de manifestações clínicas?

Rosenzweig - Exato. Temos um vírus que não é mais ou menos agressivo - é o mesmo vírus - que pode produzir infecções assintomáticas, hepatite autolimitada, em cerca de um terço dos casos, mas também pode matar o indivíduo.

O mesmo vírus pode produzir essa imensa variedade de fenótipos clínicos. Então a questão é, se o mesmo vírus pode não produzir absolutamente nada, como é capaz de matar um indivíduo?

Não há mudanças no vírus. Então, não é um problema com ele, mas um problema com o hospedeiro infectado.

Essa é nossa questão. É fácil entender quando há vírus mais ou menos agressivos, causando manifestações mais ou menos graves. Mas é preciso entender como um mesmo vírus pode ser inofensivo para a maior parte dos pacientes enquanto um pequeno grupo é tão suscetível que pode morrer.

Por que até agora não foram encontradas essas respostas?

Rosenzweig - Não é que os cientistas não estavam procurando pelas respostas, mas, possivelmente, buscavam no lugar errado. Foram publicados muitos artigos sobre os diferentes genomas dos vírus, com análises sobre as mínimas variações entre eles.

Acreditava-se que a resposta deveria estar no vírus. Agora, sabemos que o vírus não é o problema. Temos que mudar o foco.

Alguma descoberta específica levou a essa mudança de perspectiva?

Rosenzweig - Não foi bem isso. A questão é que se você tem um martelo, tudo parece ser um prego. Então, para os infectologistas, as questões relacionadas a infecções desse tipo sempre pareceram, obviamente, obra de agentes infecciosos.

Mas também temos um martelo e, para nós, cada tipo diferente de manifestação clínica depende do hospedeiro e não do vírus.

A comunidade científica que se dedica às doenças infecciosas já forneceu toda informação possível sobre o vírus e vimos que agora temos pela frente o desafio de estudar o hospedeiro.

A investigação foi esgotada do ponto de vista dos infectologistas?

Rosenzweig - Eles já forneceram muita informação possível sobre o hospedeiro - até mesmo no sentido reverso -, tentando demonstrar que o vírus era o responsável. Mas não puderam provar isso.

Agora, então, sabemos que não é o vírus. Só pode ser o hospedeiro. Então, estamos tentando explorar quais fatores ligados ao hospedeiro podem estar envolvidos com essa diversidade da manifestação clínica.

As pesquisas na área de genética podem ajudar a fornecer pistas?

Rosenzweig - Até agora não temos nenhum tipo de achado científico que implique qualquer mudança clínica ou médica que possa ajudar a comunidade de pacientes. Se acontecer algum avanço a partir de uma descoberta, talvez isso nos ajude a entender um pouco mais a patofisiologia da doença.

Houve algum avanço notável recentemente?

Rosenzweig - Temos alguns bons exemplos clínicos. Nas comunidades onde foram introduzidas vacinações de hepatite, esses casos de falência hepática total desapareceram quase completamente.

Isso significa que provavelmente vacinar a população em massa para hepatite talvez possa superar qualquer tipo de imunodeficiência que causa a suscetibilidade para esse tipo de infecção.

A vacinação pode ser a saída para erradicar a doença?

Rosenzweig - O que quero dizer é que há diferentes caminhos. Temos problemas epidemiológicos, problemas de pacientes individuais e questões científicas. Às vezes esses problemas se combinam, às vezes não.

Acho que a abordagem epidemiológica é: se vacinarmos, provavelmente superaremos muitos dos tipos de suscetibilidades que podemos ter.

Mas, aí, passa-se para a questão científica: se encontrarmos qualquer coisa nova nessa via, isso nos ajudará a compreender como é que o sistema imunológico pode nos prejudicar quando tenta se livrar de algum agente infeccioso.

Então, os estudos devem ser feitos não apenas para controlar a hepatite A, mas para aprofundar o conhecimento sobre o sistema imunológico?

Rosenzweig - Sim, pois podemos extrapolar os dados para outras situações para tentar modular a resposta imune. Porque, às vezes, o sistema imune, mesmo se está "bem intencionado", a fim de controlar a infecção, acaba produzindo uma reação que pode ser mais problemática do que a própria infecção. É importante compreender essas vias.

A incidência da hepatite está crescendo de alguma maneira, ou se mantém sempre no mesmo patamar?

Rosenzweig - Tendo em mente que a maior parte dos casos é assintomática no início e lembrando que normalmente a notificação não é obrigatória, não temos dados muito bons sobre a prevalência ao longo do tempo - isto é, sobre a incidência: quantos casos novos temos por ano.

Estima-se que se trata de uma infecção muito prevalente e suspeita-se que há mais de 10 milhões de novos casos por ano. Mas achamos que isso ainda é um número muito subestimado, porque também se avalia que sete de cada dez casos não são relatados, por não terem manifestação clínica. Talvez a incidência real seja muito maior. Não sabemos.

Temos que levar em conta também que é uma doença muito orientada geograficamente. Se formos à Finlândia, a incidência será certamente muito menor do que em países como México, Brasil ou Argentina antes da vacinação da hepatite A.

Sabemos que, antes da vacinação, a prevalência era muito alta. Depois, a incidência caiu significativamente e não apenas em relação aos casos em geral, mas os casos fulminantes caem quase a zero. A vacinação foi uma intervenção muito boa em termos de política de saúde pública e individual.

Como é feito o diagnóstico?

Rosenzweig - O diagnóstico é sorológico, procura-se pela resposta imune. Sempre que vamos fazer microbiologia ou diagnóstico de infecção, há essas duas abordagens: o diagnóstico direto - quando procuramos o microrganismo ou algo que ele produza, como um antígeno - ou o diagnóstico indireto, que é a resposta imune.

Para hepatite, o diagnóstico é indireto, baseado em sorologia. Procuramos dois tipos de anticorpos para hepatite: o IGM e o IGG. Se encontramos o IGM, significa que o paciente foi exposto recentemente à infecção. Se encontramos o IGG, significa que foi exposto há algum tempo.

E o tratamento é muito difícil?

Rosenzweig - Na realidade, praticamente não há tratamento. Para os que não têm manifestação clínica, obviamente não há tratamento nenhum.

Para os que têm hepatite, não há tratamento específico também, apenas tentamos evitar os fatores que vão danificar o fígado ainda mais.

Mas, para os que têm a insuficiência fulminante do fígado, o que resta é o transplante de órgão. Esses são os que precisam de um tratamento específico.



Por: Diário da Saúde - Agência Fapesp

Publicado em: 10/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=hepatite-a-virus&id=6096

Muito sal na gravidez pode gerar adultos com hipertensão

Gerando hipertensão

Uma dieta com elevado consumo de sal durante a gestação poderá gerar indivíduos que, na idade adulta, terão hipertensão arterial.

Por outro lado, se o consumo de sal durante a gravidez for baixo, o problema pode ser o desenvolvimento de resistência à insulina.

Esses são alguns dos resultados obtidos em estudos feitos pela equipe do professor Joel Claudio Heimann, da Universidade de São Paulo (FMUSP), que investiga os efeitos das alterações no ambiente perinatal, que engloba o período gestacional até o final da lactação.

A pesquisa foi realizada em cobaias, exigindo estudos adicionais de validação para que os resultados sejam extrapolados para o homem.

Resistência à insulina e obesidade

O trabalho vem produzindo dados importantes sobre o papel do sal durante o período gestacional.

Por exemplo, a dieta hipossódica, com restrição de sal, levou à formação de animais que, na idade adulta, apresentaram excesso de colesterol (hipercolesterolemia).

Esses mesmos animais também apresentaram maior resistência à insulina. "Isso significa que eles precisam de mais insulina para manter os níveis normais de açúcar no sangue", explicou Heimann.

Outro efeito curioso observado é que as fêmeas - mas não os machos - das proles de mães que consumiram dieta com pouco sal durante a gestação e amamentação desenvolveram obesidade na idade adulta.

Os mecanismos responsáveis por qualquer caso de obesidade podem ser a maior ingestão de alimentos com conteúdo calórico elevado, o menor gasto energético decorrente de sedentarismo ou peculiaridades do metabolismo (como o hipotiroidismo) ou o conjunto dos mecanismos.

"No nosso estudo, o primeiro fator foi excluído. As fêmeas obesas não ingeriram mais ração do que o grupo controle - prole de mães alimentadas com ração com conteúdo normal de sal durante o período perinatal. Em conclusão, restou a hipótese do menor gasto energético", disse.

Fenótipo econômico

Outra linha do estudo analisa alterações na prole de mães com hiper ou hipotiroidismo durante a gestação.

Coordenado pela professora Maria Luiza Morais Barreto de Chaves, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, o estudo descobriu que filhotes de mães que sofrem de hipertiroidismo nascem com baixo peso.

Heimann lembra que o nascimento abaixo do peso pode ser indicativo de complicações na idade adulta.

Esse problema foi apontado pela primeira vez pelo epidemiologista inglês David J.P. Barker, criador da hipótese do fenótipo econômico segundo a qual mães que sofrem restrições na alimentação durante a gestação produzem filhos menores de forma a adaptá-los às condições de escassez do ambiente.

Poluição e gravidez

O grupo também está analisando os efeitos da poluição atmosférica na gestação.

Esse estudo é coordenado pelo professor Paulo Saldiva, do Departamento de Patologia da FMUSP, especialista na relação entre poluição atmosférica e saúde.

Baixo peso ao nascimento, diminuição da fertilidade e hipertensão arterial, como efeitos da poluição, também foram verificados em humanos.

Outro efeito observado, tanto em animais como em seres humanos cujas mães foram submetidas à poluição durante a gestação, é a geração de mais fêmeas do que a machos. "Essa é uma linha de investigação importante, especialmente para cidades com índices de poluição, como São Paulo," disse Heimann.

Fatores epigenéticos

Para o professor da USP, a maior contribuição desse projeto está em chamar a atenção para fatores capazes de alterar a programação do feto sem modificar a estrutura do DNA.

Fatores importantes, como a resistência à insulina surgem e são passados de uma geração para outra e dependem apenas das condições encontradas durante o período gestacional.

Chamados de mecanismos epigenéticos, por não serem localizados no genótipo, esses fatores têm demonstrado possuir um grande grau de influência sobre as características dos indivíduos. "Os estudos vêm mostrar que não é somente a genética, mas há estímulos que reprogramam o feto e causam alterações profundas no organismo", disse Heimann.

Com isso, o pesquisador já nota mudanças nos procedimentos médicos. "Os obstetras, por exemplo, que antes se preocupavam muito em manter o peso da gestante, hoje são mais flexíveis nesse ponto, uma vez que gestações com restrições calóricas extremas possuem efeitos negativos sobre a prole", afirmou.



Por: Diário da Saúde - Agência Fapesp

Publicado em: 10/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=sal-gravidez-hipertensao&id=6095

Prevenção do câncer de mama começa na alimentação

Dentre os cânceres, o de mama é o principal vilão das mulheres. Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) revelam que ele é responsável por 22% dos casos na população brasileira. No Brasil, o último levantamento realizado em 2008 aponta que mais de 11 mil mulheres sucumbiram à doença. A prevenção, de acordo com o mastologista do departamento de Mastologia do Hospital Amaral Carvalho, João Ricardo Auler Paloschi, começa pela boca e se constitui, principalmente, em cultivar bons hábitos de saúde.

--------------------------------------------------------------------------------


Apesar de só perder para o câncer de pele em incidência, a neoplasia nas mamas é a que ainda mais mata. Para 2010, a projeção do Inca é de quase 50 mil novos casos em todo país. Além da alta frequência, o câncer de mama é provavelmente o mais temido pelas mulheres: é capaz de deixar marca não só no corpo, mas na mente. Os efeitos psicológicos podem afetar percepção da sexualidade e a própria imagem pessoal, principalmente quando o diagnóstico se faz de forma tardia, seja pela falta da prevenção ou pelo medo, que muitas vezes faz a mulher esconder alguma anormalidade perceptível até não suportar mais. Esses problemas podem ser mínimos se a mulher se valorizar e fizer seus exames de rotina, o que pode permitir o diagnóstico em fase simples para se tratar e se alcançar a cura.

Relativamente raro antes dos 35 anos de idade, o câncer de mama incide sobre pessoas acima desta faixa de forma que a idade maior represente maiores probabilidades de se desenvolver a doença. Entre outros fatores de risco está o histórico familiar, especialmente se um ou mais parentes de primeiro grau (mãe ou irmã) forem acometidas antes dos 50 anos de idade. Entretanto, o câncer de mama de caráter familiar corresponde a menos de 10% do total de casos de cânceres de mama. A menarca precoce (idade da primeira menstruação), a menopausa tardia (após os 50 anos de idade), a ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos e a nuliparidade (não ter tido filhos), constituem também fatores de risco para o câncer de mama.

Sintomas

Para o diagnóstico do câncer de mama, não se pode esperar pela ocorrência de sintomas para buscar auxílio médico. A prevenção deve ser realizada para que seja possível surpreender algo ainda impalpável nas mamas ou muito pequeno. Quanto menor a doença, melhores as condições de tratamento e cura. Nódulo, acompanhado ou não de dor mamária, é um dos sintomas.

Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila ou ferimentos mamilares que não cicatrizam. A consulta com um mastologista deve ser sempre realizada quando for percebido algo que traga dúvida sobre a saúde das mamas, independente do que seja.

Prevenção

A mamografia é hoje e ainda será por muitos e muitos anos o melhor método de imagem para avaliar a saúde mamária, sendo considerada o "Padrão Ouro" para o fim a que se destina. Há ainda vários outros métodos complementares, como a ultrassonografia mamária, a termografia, a ressonância nuclear magnética e a tomossíntese, entre outros.

"Mas não podemos esquecer, entretanto, que os exames de imagem sozinhos não oferecem um diagnóstico e sim uma impressão diagnóstica, que dever ser confrontada com informações clínicas e de exame físico entre outras. Os estudos de imagem não são perfeitos e devem ser interpretados pelo médico-assistente. É possível ter exames de imagem normais ou com aspecto benigno e estarmos diante de um caso de câncer de mama, assim como termos imagens suspeitas e a investigação descartar essa doença", diz dr. João Ricardo.

O auto-exame também pode ajudar a perceber se existe alguma alteração (veja quadro). No entanto, o diagnóstico mais preciso e precoce só se dá com mamografia.

O poder do verde

Alguns estudos apontam várias formas de prevenir-se contra a doença. Ainda que sempre difundida (e nem sempre seguida), a mais famosa delas é manter uma vida regrada e saudável. Garantir a qualidade de vida pode ajudar a prevenir, além de inúmeras doenças, o câncer de mama. Dr. João Ricardo afirma que é possível agir a fim de reduzir os fatores de risco mutáveis. "Dietas saudáveis, ricas em frutas, legumes e verduras e pobres em gorduras animais parecem proteger em algum grau do risco de desenvolver o câncer de mama."

Ainda segundo o mastologista, atividade física regular também traria seus benefícios, assim como a redução da ingestão de álcool. "Livrar-se do tabagismo, evitar e reduzir a obesidade também são benefícios claros quanto à redução dos riscos. Não podemos esquecer ainda que a amamentação, além de trazer benefícios enormes para a criança, pode também reduzir os riscos para a mãe que amamenta. Para encerrar, o uso de anticoncepcional e a terapia de reposição hormonal devem ser realizadas sempre com o acompanhamento médico rigoroso".

A auto-medicação hormonal deve mesmo receber atenção redobrada. Segundo Dr. João Ricardo, a terapia de reposição traria consequências para o aumento do risco do câncer de mama, não sendo motivos para não usá-la quando necessária. Porém, a indicação deve seguir critérios precisos e controles rigorosos com o médico que o indicou, podendo também ser acompanhada pelo mastologista, o que pode trazer mais tranquilidade e conforto à paciente e ao médico assistente.

Homens têm câncer de mama?

Os homens também podem ter câncer de mama e todas as patologias mamárias assim como as das mulheres. Existem basicamente dois motivos que determinam que os riscos sejam menores nos homens. "O primeiro deles refere-se à quantidade de tecido mamário nos homens ser mínimo, quando comparado a quantidade de tecido mamário na mulher, já que ele é a sede do início do problema. O segundo diz respeito à quantidade de hormônios femininos circulantes na corrente sanguínea do homem, também infinitamente menor quando comparado à mulher. Sabemos que a atividade hormonal feminina é um fator estimulante. Assim sendo, estatisticamente, identificamos aproximadamente um caso de câncer em homem para cada 100 casos em mulheres."

A vida após o câncer

Detectar o câncer na fase inicial pode significar 100% chances de cura, com tratamentos muito simples, muitas vezes sem quimio e radioterapia, por exemplo. E ter as chances de ter uma vida normal após esse tipo de doença são totais. Para o médico, pode ser uma oportunidade para repensar valores, condutas, objetivos, relacionamentos. "Sou testemunha de muitas e muitas pacientes que, após terem o diagnóstico de câncer de mama e seu tratamento encerrado com sucesso, passaram a viver com muito mais alegria, intensidade e verdade, sabendo a importância real que tem a vida e que viver a felicidade pode ser muito mais simples do que se imaginava antes da doença", diz o médico.

Dr. João Ricardo vai ainda mais longe. "Já tive pacientes que agradeceram a Deus o câncer ter surgido, pois possibilitou rupturas importantes e crescimentos imensos, que, segundo relatos dessas pacientes, superaram em muito as dificuldades do diagnóstico e do tratamento. Obviamente que vamos poder esperar esses resultados em pacientes que conseguirem diagnósticos precoces, por motivos já esclarecidos e evidentes, afirma.

Então, lembre-se: pacientes que tiverem um diagnóstico tardio tem reduzidas as possibilidades de cura. A conscientização sobre a importância da prevenção, do auto-exame, das mamografias periódicas a partir dos 35-40 anos nas mulheres (mesmo sem sintomas) é a chave para alcançar cada vez mais diagnósticos precoces e todos os seus benefícios possíveis. Quanto mais cedo a doença for descoberta, mais chance de não sofrer mutilações físicas e emocionais. "Só depende de nós transformarmos o câncer de mama numa doença sem mitos e que pode sim ser vencida. Basta que valorizemos a nossa própria vida, a nossa saúde", conclui o mastologista.


Por: Portal Nacional Seguros - Seção: Saúde - Bruna Oliveira

Publicado em: 11/01/2011

Fonte: http://www.segs.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=27956:prevencao-do-cancer-de-mama-comeca-na-alimentacao-&catid=47:cat-saude&Itemid=328

Nova terapia reverte efeitos do derrame cerebral

Reversão do derrame

Uma nova técnica que impulsiona o crescimento de fibras nervosas pode reverter grande parte dos danos causados por acidentes vasculares cerebrais, ou derrames.

"Esta terapia poderá ser usada para restaurar funções mesmo quando aplicada muito tempo depois da lesão cerebral isquêmica ter acontecido," afirma Gwendolyn Kartje, da Universidade Loyola, em Chicago, nos Estados Unidos.

A descrição da nova terapia será publicada no exemplar de janeiro da revista Stroke.

Sem ação

Hoje, os médicos pouco podem fazer para limitar os danos depois do primeiro dia após a ocorrência de um acidente vascular cerebral.

A maioria dos derrames são isquêmicos, ou seja, causados por coágulos sanguíneos.

Um remédio chamado tPA pode limitar os danos, mas deve ser dado nas primeiras três horas após o evento para se alcançar o maior benefício - a maioria dos pacientes não recebe tratamento nesse tempo.

Terapia anti-Nogo

Kartje e seus colegas agora descreveram um novo tratamento, chamado terapia anti-Nogo-A.

Nogo-A é uma proteína que inibe o crescimento de fibras nervosas chamadas axônios. Ela serve como um indicador sobre o crescimento de nervos que podem tornar um paciente excessivamente sensível à dor ou experimentar movimentos involuntários.

O nome da proteína vem da expressão inglesa "No go", que significa "não vá", porque, na prática, ela diz: "Não vá" para os axônios.

Na terapia anti-Nogo, um anticorpo desativa a proteína Nogo. Isso permite o crescimento dos axônios no lado do corpo afetado pelo derrame, promovendo a restauração das funções perdidas devido ao acidente vascular cerebral.

Recuperação pós-derrame

Kartje e os colegas relatam resultados encorajadores da terapia anti-Nogo em camundongos que sofreram derrames medicamente induzidos.

Nove semanas após o derrame, seis animais receberam terapia anti-Nogo, quatro receberam um tratamento de controle, constituído por um anticorpo inativo, e cinco camundongos não receberam nenhum tratamento.

Nove semanas depois, os animais que receberam a terapia anti-Nogo recuperaram 78% da sua capacidade de movimentação anterior.

Em comparação, aqueles que não receberam tratamento recuperaram 47% da sua capacidade, e os que receberam o tratamento controle de anticorpos inativos recuperaram 33% do seu desempenho.

Exames posteriores do tecido cerebral das cobaias revelaram que os ratos que receberam a terapia anti-Nogo apresentaram desenvolvimento significativo de novos axônios.

O próximo passo da pesquisa será avaliar a terapia anti-Nogo em pacientes paralisados por lesões na coluna.



Por: Diário da Saúde - Jim Ritter

Publicado em: 11/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=terapia-reverte-efeitos-derrame-cerebral&id=6083

Acupuntura ajuda aliviar dores da fibromialgia

A acupuntura tem se mostrado muito eficaz para amenizar as dores e as limitações de pacientes que sofrem com a fibromialgia.

O tratamento da dor é uma das aplicações mais conhecidas da acupuntura no Ocidente. A técnica pode tratar os mais diversos tipos de dor, a partir de um diagnóstico preciso que identifique sua causa e garanta mais qualidade de vida às pessoas.

Nos últimos anos, explica Dirceu de Lavor Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura, a prática tem se mostrado muito eficaz para amenizar as dores e as limitações de pacientes que sofrem com a fibromialgia, dor crônica generalizada por todo o corpo, que atinge 2% da população, sendo oito mulheres para cada homem. "A idade do aparecimento da fibromialgia é geralmente entre 30 e 60 anos, porém há casos em pessoas mais velhas, crianças e adolescentes".

A fibromialgia já é conhecida há mais de 100 anos, mas se davam nomes diferentes para ela e não havia um consenso de como fazer o diagnóstico da doença. Hoje já possui características essenciais para o seu diagnóstico. "Dor, por mais de três meses, em todo o corpo e presença de pontos dolorosos na musculatura (11 pontos, de 18, que estão pré-estabelecidos) já indicam a doença.

A depressão está presente em 50% dos pacientes com fibromialgia, que por si só, piora o sono, aumenta a fadiga, diminui a disposição para o exercício e aumenta a sensibilidade do corpo.

Ainda como sintomas da fibromialgia identifica-se a rigidez matinal, dor abdominal, cefaléias, tonturas, amortecimentos, dor toráxica atípica, palpitação, sensação de aumento do volume articular, tensão pré-menstrual, incômodo psicológico como depressão e ansiedade, queixas cognitivas como problemas de memória e dificuldade de concentração. Em alguns pacientes, são encontrados pontos de intensa contração muscular, semelhantes a pequenos caroços: são os chamados "pontos-gatilho".

Tratamento constante

O tratamento para quem sofre de fibromialgia é constante, pois a doença ainda não tem cura, o mais importante é um tratamento eficaz para controlar os sintomas. Em um estado de dor crônica, os medicamentos utilizados com mais eficácia são os analgésicos e antidepressivos. Vários tipos de tratamento já foram testados para a fibromialgia, e muitos deles não ajudaram. Porém, com o melhor entendimento do problema, novas medidas estão por vir. Atividade física regular é o tratamento capaz de restaurar a pessoa para uma vida normal. A acupuntura também é um método que pode ajudar em casos de dor localizada e resistente, e é recomendada com certa frequência. Porém, a acupuntura funciona somente enquanto o paciente está sob tratamento, e não tem efeito duradouro.

Para Lavor Sales, a técnica além de exercer um potente efeito analgésico, tem ação anti-inflamatória e relaxante muscular. A sensação de alívio das dores e o desconforto têm feito com que cada vez mais pessoas busquem a técnica, pois sua ação terapêutica age diretamente nos músculos afetados.


Por: Bond News - Seção: Mulher - Boa Forma

Publicado em: 12/01/2011

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-34--31-20110112&tit=acupuntura+ajuda+aliviar+dores+da+fibromialgia

Tomate tem nutriente que evita doenças cardiovasculares

Fruto mundial

O tomate é o fruto mais produzido no mundo.

Agora, cientistas no Japão descobriram que, além do mundialmente conhecido sabor agradável, os tomates contêm nutrientes que podem evitar o surgimento de doenças vasculares.

A pesquisa, publicada na revista Molecular Nutrition & Food Research, revela que um composto extraído do tomate, chamado 9-oxo-octadecadienóico, tem efeitos anti-dislipidêmicos.

Dislipidemia

A equipe, liderada pelo Dr. Teruo Kawada, da Universidade de Quioto, concentrou suas pesquisas nos extratos que interferem com a dislipidemia, uma condição causada por uma quantidade anormal de lipídios, tais como o colesterol ou gordura, na corrente sanguínea.

"A dislipidemia em si normalmente não causa sintomas," disse Kawada "no entanto, ela pode levar a doenças vasculares sintomáticas, como arteriosclerose e cirrose. A fim de evitar essas doenças é importante evitar um maior acúmulo de lipídios."

O tomate já é conhecido por conter muitos compostos benéficos para a saúde, como o licopeno, capaz de prevenir o câncer.

Neste estudo, a equipe analisou somente o ácido 9-oxo-octadecadienóico, para testar as suas propriedades potenciais anti-dislipidemia.

Alimentos para o coração

Os cientistas descobriram que o composto melhora a oxidação dos ácidos graxos e contribui para a regulação do metabolismo lipídico hepático.

Isto sugere que o ácido tem efeitos anti-dislipidemia e pode, portanto, ajudar a prevenir as doenças vasculares.

"Encontrar um composto que ajuda na prevenção das doenças crônicas relacionadas à obesidade em produtos alimentícios é uma grande vantagem para a luta contra essas doenças," afirma Kawada. "Isso significa que o tomate permite que as pessoas podem evitar facilmente o início da dislipidemia através da sua dieta diária."


Por: Redação Diário Da Saúde

Publicado em: 17/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=tomate-nutriente-evita-doencas-cardiovasculares&id=6121

Homeopatia, a cura pelo semelhante

Cada um de nós desde que é concebido e se desenvolve no ventre materno já é diferente dos outros e a diferença também é observada na maneira como nos desenvolvemos e adoecemos.

A Homeopatia foi sistematizada nos séculos XVIII e XIX pelo médico alemão Cristiano Frederico Samuel Hahnemann (1755-1843) e deve ser compreendida como um sistema médico complexo que partilha a fisiologia (parte da biologia que investiga as funções orgânicas e processos ou atividades vitais) e anatomia (estudo da forma e estrutura dos seres), juntamente com a medicina alopática (sistema terapêutico que trata as doenças por meios contrários a elas) e demais linhas terapêuticas.

Cada um de nós desde que é concebido e se desenvolve no ventre materno já é diferente dos outros e a diferença também é observada na maneira como nos desenvolvemos e adoecemos.

O tratamento médico homeopático é baseado no estudo da totalidade da pessoa, considerando suas características e queixas, para a prescrição de um medicamento único, que estimulando as leis naturais de cura, auxilia não só na recuperação, mas também na preservação e promoção da saúde, auxiliando assim na manutenção do equilíbrio funcional do ser psicobioenergético que somos nós.

Por: JMNews - Seção: Saúde - Ana Claudia Krüger

Publicado em: 16/01/2011

Fonte: http://jmnews.com.br/noticias/urbe/23,5621,16,01,homeopatia-a-cura-pelo-semelhante-.shtml

Dicas de saúde: Transição para a menopausa

Roteiro para a menopausa

Embora muitas mulheres se preocupem com a menopausa, os médicos dizem que essa transição não precisa ser difícil.

A Dra. Karen Deighan, do Gottlieb Memorial Hospital, em Loyola, nos Estados Unidos, compilou uma série de dicas para ajudar as mulheres a desempenharem um papel ativo na manutenção da própria saúde, de forma a minimizar os efeitos colaterais da menopausa.

Vá para a academia já

Perder peso é mais difícil se uma mulher deixa de lado os exercícios até o início da menopausa.

Saia na frente criando um regime de exercícios para prevenir a aquisição de quilos extras antes do surgimento dos primeiros sinais da menopausa.

Levante pesos

Quando os níveis de estrogênio diminuem, os ossos tornam-se mais finos e mais frágeis.

Exercícios leves de levantamento de peso desenvolvem músculos que ajudam a suportar os ossos, reduzindo o risco de fraturas.

Flexione seu cérebro

Os músculos não são a única parte do corpo que precisa de treino.

Exercitar o cérebro também é essencial.

Fazer palavras cruzadas, Sudoku, montar quebra-cabeças ou fazer exercícios de memória vai manter o cérebro em forma e reduzir o risco de perda de memória durante a menopausa.

Isso pode ser tão simples de fazer quanto memorizar a lista de supermercado,

Adote um regime de sono

Muitos acreditam que os efeitos colaterais da menopausa estão vinculados a uma diminuição nos níveis do estrogênio, mas muitos dos sintomas são, na verdade, diretamente ligados à falta de sono.

Se as mulheres se concentrarem em melhorar seu regime de sono elas podem diminuir problemas como a perda de memória ou a diminuição da libido.

Anime sua libido

Relações sexuais regulares podem melhorar a movimentação sexual da mulher e aumentar a lubrificação, o que pode prevenir a dor durante o sexo.

Supositórios de estrogênio também podem tratar a secura vaginal.

Faça da sua higiene oral uma prioridade

Usar o fio dental e escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia pode proteger o coração de uma mulher conforme ela entra na menopausa.

Bactérias encontradas na placa bacteriana podem causar coágulos que podem levar a ataques cardíacos quando entram na corrente sanguínea.

Estas bactérias também podem irritar as artérias da mesma maneira que fazem com as gengivas.

Faça exames

As mulheres devem ter seu colesterol e níveis de vitamina D e cálcio checados anualmente.

A mamografia anual e exames pélvicos também são importantes, juntamente com uma colonoscopia a partir dos 50 anos.

A frequência das colonoscopias subsequentes dependerá dos resultados do primeiro exame.

Desintoxique sua dieta

Cabelo e pele tornam-se secos e perdem elasticidade a partir da perimenopausa.

Alimentos com gorduras saudáveis, como salmão, abacate e azeite de oliva, vão tornar o cabelo e a pele mais macios.

Limitar os alimentos processados e aumentar o consumo de verduras também ajuda.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 19/01/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=dicas-saude-transicao-menopausa&id=6116

Massagem Shiatsu promete benefícios a atletas

Espécie de massagem, o shiatsu é uma técnica oriental que promete benefícios a atletas, como minimizar dores musculares, lesões e cansaço e melhorar o desempenho esportivo.

Lesões, dores musculares e cansaço fazem parte da rotina de todos os atletas devido à quantidade de treinos e competições. Entre os métodos utilizados por eles para tentar minimizar esses incômodos está o shiatsu, terapia oriental que tem os mesmos princípios da acupuntura. Uma espécie de massagem, a prática é feita por um profissional que usa basicamente os dedos para pressionar determinados pontos do corpo.

Essa técnica será ensinada em um curso de extensão da UnB que começa em 5 de fevereiro. A responsável pelas aulas será a professora de ioga e educação física Margot Shalders. Ex-nadadora, ela começou a estudar shiatsu na década de 1970 e usava o marido, tenista, como cobaia. “Comecei tratando dele. Aí, com o tempo, fui tendo cada vez mais clientes. A ideia do curso veio porque meus amigos terapeutas sempre me pediram para ensinar”, conta. “O shiatsu é ótimo para a recuperação muscular após os treinos. Aumenta a capacidade de performance, melhora a flexibilidade e, se for feito frequentemente, dá uma regularidade na atuação esportiva.”

Segundo Margot, a época para se aprender o shiatsu é a melhor possível. “Com a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil, teremos muitos atletas para tratar. No Japão, onde surgiu a técnica, eles a utilizam para minimizar lesões e ajudar na recuperação do corpo. Além disso, o atleta que faz shiatsu fortalece musculatura e tendões e ganha uma certa resistência ao cansaço”, garante. “É um relaxamento e terapia tanto para o reequilíbrio físico quanto energético.”

Adepto do shiatsu, o judoca Alfredo Arrais procura, pelo menos duas vezes por semana, aplicar a massagem em seus alunos. “Muitos dos meus atletas são faixas-pretas e têm um treinamento pesado, com uso de força. Então, faço para ajudar no relaxamento do músculo, para acabar com a dor. Funciona bastante. Eles sentem a diferença depois”, comenta ele, que aprendeu a técnica quando era jovem e já chegou a trabalhar com essa prática.

“Eu gosto bastante e acho muito importante na recuperação. Dá um sensação boa de relaxamento e diminui o cansaço. Além disso, sinto que fico mais disposta para um próximo treino”, afirma Isadora Pereira, 15 anos, judoca há cinco. “Quando eles chegam atrasados, digo que não vão ter massagem. É o castigo”, brinca Alfredo, mostrando que o shiatsu realmente é apreciado pelos atletas.

O princípio
A técnica tem os mesmos princípios da acupuntura. Acredita-se que o homem possua uma energia vital denominada KI, que é a energia básica da vida de todos os seres vivos. Ela flui pelo corpo formando canais que são chamados de meridianos. Sempre que há algum “problema” nesse fluxo de energia, essencial para a saúde física, mental e emocional, desenvolvem-se doenças. Os terapeutas e profissionais de shiatsu atuam nos meridianos com o objetivo de reequilibrar essa energia. Os toques do shiatsu nos chamados pontos de pressão — que são os que acumulam a KI — restabelecem o fluxo energético normal, regular.



Por: Superesportes - Correio Braziliense - Nádia Medeiros

Publicado em: 19/01/2011

Fonte: http://www.superesportes.com.br/app/19,66/2011/01/19/noticia_maisesportes,12650/massagem-shiatsu-promete-beneficios-a-atletas.shtml

Quinoa enriquece alimentos com fibras e vitaminas

Valor nutricional

O grão de quinoa pode ser usado para aumentar o valor nutricional dos alimentos.

Rico em minerais, vitaminas e fibras, o grão foi experimentado em formulações para bolos e recheio de bolos e bombons, em pesquisa realizada na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.

"O objetivo é desenvolver formulações que tenham valor nutricional agregado, também para dietas especiais, com características físicas melhoradas, tendo a quinoa como base", diz a professora Suzana Caetano da Silva Lannes, da FCF, que orientou o trabalho.

Quinoa

A quinoa, planta adaptada ao clima brasileiro, mas não cultivada comercialmente no País, não contém glúten e seus produtos poderão ser consumidos pelos portadores de doença celíaca, problema intestinal que ocorre em pessoas com predisposição genética para não tolerarem a ingestão de glúten.

A quinoa é uma planta originária da região montanhosa dos Andes, cultivada no Chile, Colômbia, Equador e Peru. Embora a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) tenha atestado a viabilidade do plantio no Piauí, a quinoa não é plantada comercialmente no Brasil.

A semente de quinoa é semelhante à do gergelim, mas possui um sabor amendoado. "Na pesquisa, utilizou-se suco de laranja para abrandar e emascarar o sabor, deixando-o semelhante ao de frutas", diz Adelaida. Para aumentar o valor nutricional agregado do produto, adicionou-se colágeno hidrolizado, que elevou o teor de proteínas.

"Os experimentos utilizaram a semente, que é rica em minerais, vitaminas e fibras, e não contém glúten", conta a nutricionista Adelaida Giovanna Viza Salas, que realizou a pesquisa.

Receita patenteada

Dois compostos hidrocoloides foram adicionados para dar estabilidade e consistência às formulações de bolos e recheios, a quitosana e a goma xantana. A quitosana, usada nos recheios, possui propriedades antimicrobianas e permite prolongar a vida de prateleira do produto.

De acordo com a professora, foram solicitadas patentes para seis formulações de recheio, para uso em bolos e bombons, e cinco de bolos, por meio da Agência USP de Inovação.

Os pedidos já estão registrados no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e o processo de concessão se encontra em andamento. "A quitosana já foi testada em formulações de achocolatados, maionese e sorvetes, sempre para aumentar sua vida útil", acrescenta Suzana.

Entre as formulações de bolos, quatro delas não contém glúten e uma não utiliza açúcar, para que possam ser utilizadas em dietas especiais. "O bolo sem glúten é destinado a portadores de doença celíaca e o sem açúcar para diabéticos", explica a professora. "Outra diferença entre as formulações são os componentes usados para dar consistência ao bolo, como farinha de arroz, por exemplo".

A nutricionista aponta que nos testes realizados em laboratório, os produtos com quinoa tiveram boa aceitabilidade. "O suco de laranja cobriu totalmente o sabor da semente, que não é percebido pelo consumidor", afirma. "Novos testes de aceitação serão necessários para a quinoa ter utilização comercial, permitindo o cultivo em escala no Brasil". A professora Suzana acrescenta que o produto ainda não foi apresentado a empresas que possam fazer sua fabricação e comercialização.



Por: Diário da Saúde - Júlio Bernardes - Agência USP

Publicado em: 17/11/2010

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=quinoa&id=5955

Mais solidário, menos agressivo

É comemorado nessa segunda-feira (31) o Dia da Solidariedade. No entanto, você já parou para pensar na quantidade de estresse que passamos diariamente, ao invés de ajudarmos o próximo? Imagine esta situação: um carro lhe dá uma fechada em um sinal, seu sangue sobe e você tem vontade de brigar, agredir, bater na pessoa. A explicação para tanta agressividade pode estar na tensão constante vivida pelo ser humano, provocada por fatores como violência e insegurança.

Recebemos também, diariamente, uma carga de energia eletromagnética que interfere em nossos corpos, provenientes de computadores, micro-ondas, televisão, celular, etc. Tudo isso pode gerar atrofia e desequilíbrio no nosso cérebro reptiliano e na amigdala cerebral, responsáveis por nossa capacidade de reação e ação. O cérebro reptiliano é o primeiro a ser formado, no primeiro trimestre de gestação. Nele estão retidas funções animais como caçar, usada quando vamos ao supermercado comprar mantimentos e demarcar território, ao usar uma cadeira preferida ou ocupar um lugar específico à mesa. Já na amigdala cerebral está armazenada nossa capacidade de luta e fuga. Você pode optar por enfrentar uma situação, fugir dela ou ficar estagnado e estressado.

Atualmente o ser humano está em um limiar: de um lado temos a possibilidade de crescer em consciência e de outro podemos regredir e voltar à fase quase pré-histórica de perder a razão. E nos dias de hoje é impressionante como as pessoas perderam a capacidade de avaliar, julgar, ponderar ideias universais ou racionalizar.

Onde foi parar a nossa razão?

Atualmente jovens agridem e matam pessoas por puro preconceito, filhos matam seus pais por herança e juízes adotam crianças para torturá-las. São tantos exemplos de histórias sem razão que nos chocam, que parece que há uma acomodação geral. Nos acostumamos com absurdos e, assim, nos poluímos!

E por que estamos tão agressivos? Uma das explicações para esta pergunta é que o cérebro reptiliano e a amigdala cerebral estão ficando calibrados de maneira distorcida, já que ficamos sem paciência, irritados e com medo. Este último estimula um estado de extrema reatividade. "Com medo de ser atingido, ele atirou primeiro!", costumam dizer algumas pessoas. E a causa de toda a agressividade é o ambiente que vivemos, como nossa casa, trabalho, pessoas que interagem conosco, notícias de jornal e televisão, além da energia dos aparelhos eletroeletrônicos.

O biólogo celular e autor do livro "A Biologia da Crença", Bruce Lipton, diz que o nosso código genético é vulnerável ao ambiente que estamos. E ele chega a seguinte conclusão: "A membrana celular funciona como uma espécie de chip e é programável. O comportamento biológico e a atividade genética estão dinamicamente ligados às informações do ambiente, que podem ser descarregadas (como um download) no interior da célula, que funciona como um computador", explica o especialista. Então, vamos refletir: se o seu filho vê muitos filmes de violência, o que está sendo programado nas células dele?

Percebo, pela minha experiência de terapeuta, que o amor, a gratidão, o companheirismo e a educação estão dando espaço para a agressividade e a política do "eu primeiro", características claras do cérebro reptiliano. Por isso, precisamos sempre escolher em qual tipo de ambiente queremos produzir e nos inserir. Existem diversas técnicas terapêuticas que ajudam a nos equilibrar, como caminhada, yoga, meditação, reiki e bodytalk. Esta última tem um impacto importante na capacidade de recompor a dinâmica de equilíbrio do cérebro reptiliano e da amigdala cerebral.

Que tal começar o ano mudando o padrão da nossa mente para ficarmos menos agressivos e mais felizes e solidários?

Para continuar refletindo sobre o tema

No site http://www.lucianobodytalk.com é possível aprender uma técnica de BodyTalk, chamada "equilíbrio dos córtices", que é eficaz na reestruturação das ondas cerebrais e no equilíbrio da mente.



Por: Luciano Flehr - Cana MSN

Publicado em: 31/01/2011

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=27449139

Descobertas bases bioquímicas da ação do brócolis contra o câncer

Gene do câncer

Cientistas descobriram as bases bioquímicas para a atividade anticâncer do brócolis e de seus primos verdes.

Eles verificaram pela primeira vez que certas substâncias presentes nesses vegetais parecem atacar e bloquear um gene defeituoso associado com o câncer.

O trabalho, que poderá levar a novas estratégias de prevenção e tratamento do câncer, foi publicado no Journal of Medicinal Chemistry.

Isotiocianatos

Substâncias chamadas isotiocianatos, que são encontradas no brócolis, agrião, couve-flor e outros vegetais crucíferos, já haviam se mostrado eficazes para interromper o crescimento do câncer.


Cientistas descobrem como alguns vegetais combatem o câncer

Mas ninguém sabia exatamente como funcionam estas substâncias, uma chave para o desenvolvimento de melhores estratégias para combater o câncer.

Agora, Chung Fung-Lung e seus colegas da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, descobriram que o gene p53 parece desempenhar um papel chave em manter as células saudáveis, impedindo-as de iniciar o crescimento anormal, que é um traço do câncer.

Quando mutado, o gene p53 não oferece essa proteção, e as mutações ocorrem em metade dos cânceres humanos. Segundo os cientistas, os isotiocianatos podem funcionar alvejando este gene.

Vegetais crucíferos

Os cientistas estudaram os efeitos de alguns isotiocianatos naturais - presentes nas plantas - em uma variedade de células de câncer, incluindo câncer de mama, pulmão e câncer de cólon, com e sem o gene defeituoso supressor de tumor.

Eles descobriram que as substâncias são capazes de remover a proteína p53 com defeito, mas aparentemente deixam o tecido normal intocado.

Medicamentos à base dos isotiocianatos, naturais ou sintetizados, poderiam melhorar a eficácia dos tratamentos atuais para o câncer ou levar a novas estratégias de tratamento e prevenção do câncer.

Pesquisas feitas diretamente com os vegetais já mostraram que o brócolis e seus primos crucíferos têm forte atuação contra vários tipos de câncer e outras doenças.


Por: Michael Bernstein - Diário Da Saúde

Publicado em: 14/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=acao-do-brocolis-contra-cancer&id=6167

Existem seis tipos de massagens que ajudam a aliviar o estresse

Quem não gosta de uma massagem relaxante após um dia cansativo de serviço? A massagem, além de ajudar a melhorar a circulação e aliviar a musculatura, pode contribuir com o alívio do estresse. São seis tipos de massagem terapêutica que prometem contribuir com a saúde física e mental das pessoas.

“A massagem ajuda no equilíbrio do organismo de forma geral, além do alívio do estresse provê benefícios emocionais”, ressalta a tutora do Portal Educação, Caroline Ueno. Além do mais, seus benefícios incluem amenizar a dor, fadiga e má postura. Porém, é preciso tomar cuidado com a massagem após cirurgia, inflamações e outras doenças graves.

Entre as técnicas que ajudam a promover o relaxamento estão o Shiatsu. De origem milenar, a técnica que utiliza os dedos e a palma das mãos para fazer pressão sobre a pele, foi desenvolvida pelos orientais. Tem como propriedade o relaxamento, energização, liberação dos pontos de tensão muscular e melhora da função dos órgãos internos.

Já a Reflexologia é a estimulação dos pontos dos pés com pressão, fricções e massagens. Como os órgãos, músculos e glândulas têm pontos nos pés, sua estimulação promove um reequilíbrio. Ainda existem as massagens clássicas, realizadas em determinadas regiões para aliviar a dor. Já a massagem relaxante utiliza os movimentos suaves, com óleos aromáticos, proporcionando uma sensação de conforto e descanso.

O Reiki é a transmissão de energia pela simples imposição das mãos em posições específicas na cabeça, no tórax, no abdômen e nas costas. Seus benefícios são físicos, mentais e espirituais com alívio no estresse. Ainda, de acordo com especialistas, existe a comprovação de cura em ferimentos, cortes, queimaduras, dores de cabeça, TPM e muitos outros.

Por último, há ainda a terapia das pedras quentes que relaxa a musculatura por meio de energias do corpo com massagem de pedras vulcânicas e sedimentares. Produz reações fisiológicas e orgânicas, além de provocar respostas sedativas.



Por: Pantanal News - Seção: Saúde

Publicado em: 16/02/2011

Fonte: http://www.pantanalnews.com.br/contents.php?CID=66422

Conheça os benefícios da dieta desintoxicante para o seu corpo

Manter uma alimentação balanceada nem sempre é tarefa fácil, principalmente quando a opção de uma ou mais refeições acabam sendo os famosos fast food e comidas industrializadas. Para alcançar o verdadeiro equilíbrio do corpo e manter o organismo saudável e no peso certo, a PhD em nutrição e coordenadora do Centro de Pesquisa Sanavita, doutora Andrea Dario Frias, indica alguns alimentos fáceis de incluir na nossa rotina diária e que fazem bem à saúde.

Segundo a especialista, a alimentação inadequada, regada a excessos, muitas vezes sobrecarrega o organismo e o deixa mais vulnerável a adquirir algum tipo de mal estar ou até mesmo doença.

— O consumo exagerado de alimentos ricos em açúcar, sódio e gorduras saturadas ou do tipo trans, ou ainda que apresentam excesso de aditivos químicos como conservantes e corantes artificiais, pode causar reações que agridem as nossas células e desencadear alterações que certamente prejudicarão a saúde física e mental ao longo da vida — comenta.

A especialista afirma que a presença ou até mesmo a quantidade dessas substâncias pode ser monitorada facilmente, pois os rótulos de alimentos e bebidas trazem este tipo de informação na lista de ingredientes ou tabela nutricional. E que o consumidor precisa saber interpretar essas informações.

De acordo com Andrea, uma alimentação desintoxicante acaba sendo uma importante aliada para quem deseja manter o corpo leve e em equilíbrio e pode amenizar o estrago que esses excessos e toxinas causam às nossas células.

— A desintoxicação não é voltada especificamente para o emagrecimento. Uma alimentação desintoxicante tem o objetivo de facilitar a saída de impurezas que não fazem bem ao organismo. A perda de peso é consequência de um corpo mais saudável — explica.

Para isso, alguns alimentos funcionais se transformam em elementos-chave para alcançar o equilíbrio do organismo.

— O processo de desintoxicação envolve a retirada de alimentos altamente processados do cardápio, além de alimentos refinados, ricos em sal, açúcares e gorduras prejudiciais à saúde, como as gorduras animais e gorduras trans. É importante também manter distância de alimentos que contenham corantes artificiais, conservantes e aqueles que empregam o uso excessivo de agrotóxicos, por exemplo — diz.

Andrea dá dicas de alimentos que auxiliam no processo de desintoxicação.

— A linhaça dourada é uma importante aliada, pois é rica em fibras e fonte natural de nutrientes como ômega 3, lignanas e antioxidantes. As fibras ajudam a arrastar várias substâncias nocivas à saúde, como o colesterol por exemplo, e os demais nutrientes ajudam a neutralizar a ação de radicais livres e auxiliam tanto na renovação celular como na melhora do funcionamento do intestino — indica.

Já os chás a base de Camellia sinensis, mais conhecidos como Chá Verde, Branco, Vermelho e Amarelo são fontes de polifenóis conhecidos como catequinas - substâncias que apresentam poder antioxidante superior ao das vitaminas C e E.

— Além de serem diuréticos, o que ajuda na eliminação de impurezas, estudos mostram que a ingestão diária dessas bebidas é capaz de reduzir o risco de várias doenças, além de acelerar o metabolismo, facilitar a queima de gordura e aumentar as defesas imunológicas — acrescenta.

Os polifenóis presentes nesses chás podem também atuar como neutralizadores de radicais livres devido ao seu alto poder antioxidante.

— Como a atividade metabólica natural do nosso corpo acaba produzindo uma espécie de lixo metabólico que nem sempre o organismo consegue eliminar devidamente, os polifenóis representam uma fonte viável de eliminação desse lixo metabólico tornando mais lento até o processo de envelhecimento celular — finaliza.



Por: Zero Hora - On line - Seção: Bem Estar

Publicado em: 02/03/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3226651.xml

Já tomou suco de clorofila? Saiba como

Bebida ajuda a prevenir envelhecimento, combate a irritabilidade e elimina toxinas.

Os sucos não são remédios, mas são alimentos que oferecem ao corpo vitaminas e sais minerais necessários para manter a saúde - principalmente quando são feitos sem açúcar. Os que são feitos de vegetais contêm baixas calorias e praticamente nenhuma gordura.

Um bom exemplo de bebida que mais parece medicamento é conhecido como suco de clorofila. Ele é rico em vegetais que contêm a tal substância (responsável pela coloração desses alimentos).

A mistura possui 103 nutrientes (vitaminas, proteínas e sais minerais) que trazem diversos benefícios ao organismo.

Ajuda a eliminar as toxinas do sangue; alivia a irritabilidade; diminui a ansiedade e o nervosismo; previne contra o envelhecimento precoce e melhora o funcionamento do intestino.

Aprenda a receita:

Ingredientes
1/2 xícara (chá) de aveia
1 cenoura média
1/4 de pepino
2 maçãs vermelhas
2 folhas de couve
1 punhado de salsinha

Mode de preparo
Lave bem a cenoura e as maças e processe na centrífuga. Reserve.

Lave as folhas de couve e a salsinha e junte-as ao suco de cenoura e maçã. Bata tudo por alguns minutos no liquidificador.

Acrescente água se achar necessário e sirva a seguir.



Por: Portal R7 - Seção: Receitas e Dietas

Publicado em: 16/03/2011

Fonte: http://entretenimento.r7.com/receitas-e-dietas/noticias/ja-tomou-suco-de-clorofila-saiba-como-prepara-lo-e-conheca-seus-beneficios-20110316.html

Busque o equilíbrio corporal com ajuda da acupuntura

Método é utilizado desde tratamento para dores de cabeça até depressão e estresse.

"Saúde é mais do que simplesmente a ausência de doenças. Saúde é um estado de bem-estar psíquico, físico, social e anímico", diz a acupunturista Emy Sato, de Novo Hamburgo. Ela explica que a Medicina Oriental não consiste apenas em identificações sindrômicas e aplicações de alguma modalidade terapêutica natural; é algo muito mais amplo e profundo.

O ritmo acelerado do homem atual, associado a uma jornada de trabalho e de compromissos, provoca uma realidade conflitante. O bombardeio de informações, a mobilização excessiva da mente racional e a falta de tempo para dedicar-se a si mesmo são as causas da ansiedade crônica e suas consequências. "Por isso, a qualidade de vida é proporcional ao tempo que reservamos para nós mesmos, no sentido de nos integrarmos com a natureza, cultuando um mundo interior mais rico e significativo. O ser humano não é uma máquina programada para produzir mecanicamente bens e conhecimentos", pondera Emy.

"O propósito da cultura e da existência é manter a vida em harmonia. O propósito da acupuntura é manter a harmonia em nossa vida física e emocional", salienta Emy.

História
Há mais de 4 mil anos, a medicina Tradicional Chinesa, entre elas, a acupuntura, têm a sua eficácia reconhecida por diferentes civilizações. Os recursos terapêuticos chineses têm o objetivo de tratar a totalidade do indivíduo, agindo sobre a raiz do problema.

Técnica
"Os pontos acupuntura funcionam como meio de comunicação entre o exterior e o interior do nosso corpo. A principal técnica empregada é a inserção de finas agulhas em pontos pré-estabelecidos espalhados pelo corpo na forma de meridianos, correspondentes à energia de cada um dos órgãos internos", comenta Emy. Para diagnóstico, o paciente é submetido a uma avaliação global, onde é efetuado um minucioso exame, valorizando sinais e sintomas tais como tremores, dor de cabeça, alterações digestivas, entre outros.

O tratamento é só com agulhas?
Emy explica que não. Há muitos outros tipos de opções terapêuticas, como a massagem, auriculoterapia, ventosas, fitoterapia chinesa e moxabustão (técnica de aquecimento com ervamedicinal, a Artemísia).

O que se pode tratar pela acupuntura?
- enxaquecas e cefaleias
- dores músculo-esqueléticas
- dores reumáticas
- distúrbios intestinais
- cólicas menstruais
- algias vertebrais (lombalgias, dorsalgias, cervicalgias)
- ansiedade e depressão
- obesidade e vícios
- fadiga, cansaço, estresse, insônia
- tendinites
- distúrbios respiratórios e outros

Reportagem publicada originalmente no caderno Viver com Saúde, veiculado às segundas-feiras nos jornais do Grupo Sinos.

Por: Diário de Canoas

Publicado em: 24/03/2011

Fonte: http://www.diariodecanoas.com.br/site/noticias/geral,canal-8,ed-60,ct-684,cd-311535.htm

Outono - Aromaterapia ajuda as crianças a enfrentar problemas respiratórios típicos da estação

Aromaterapeuta e aromatóloga Sâmia Maluf ensina a tratar os pequenos de forma natural.

São Paulo- Muitas crianças sofrem com a chegada do outono. A estação traz consigo mudanças bruscas de temperatura, diminuição da umidade do ar e, devido às inversões térmicas, aumento da poluição. A consequência disso são os problemas respiratórios e as alergias como a bronquite, asma, rinite, além das gripes e resfriados frequentes.

Segundo a aromaterapeuta e aromatóloga Sâmia Maluf – idealizadora da By Samia Aromaterapia - além das características da estação que favorecem o surgimento de tais problemas, outros fatores também colaboram para aumentar a preocupação dos pais. “As crianças possuem as vias respiratórias estreitas e delicadas, o que as torna mais sensíveis aos agressores externos como os fungos, bactérias, ácaros e a própria poeira doméstica. Outra questão é que no outono, é comum ficarem em ambientes mais fechados e pouco ventilados, o que também contribui para prejudicar a saúde respiratória”.

A Aromaterapia pode ajudar os pequenos a enfrentar os problemas respiratórios típicos do outono. Os Óleos Vegetais e Óleos Essenciais puros - que são substâncias naturais presentes nas flores, folhas, casca de árvores, casca dos frutos cítricos, raízes, sementes e bagas – são bastante eficazes. Eles não têm contra-indicações e podem ser usada por crianças de todas as idades.

A seguir, Sâmia compartilha algumas receitas.: Assepsia da casa- No outono, é recomendável fazer uma boa limpeza na casa, o que ajudará a prevenir o surgimento das alergias.

Os ingredientes: 1 l de álcool de cereais | 10 ml de Óleo Essencial de Eucalipto Citriodora | 10 ml de Óleo Essencial de Citronela | 10 ml de Óleo Essencial de Cedro.

Preparo: Acrescente todos os Óleos Essenciais ao álcool e guarde o concentrado em um vidro âmbar (escuro) limpo e esterilizado. Ao limpar a casa, utilize duas colheres de sopa do preparo em cada litro de água destinado à limpeza. É importante higienizar com todos os cômodos da casa incluindo jardins e quintais. Os Óleos Essenciais presentes na mistura não causam qualquer mal às plantas (ao contrário, deixam os insetos nocivos longe delas) e nem aos animais domésticos. Por isso, pode-se pulverizar jardins e vasos com a mistura diluída em água para eliminar insetos. Aplique a mistura também em armários e pisos de todos os tipos, inclusive os de madeira.

O segundo passo da assepsia é também bastante simples: 50 g de bicarbonato de sódio | 10 gotas de cada um dos Óleos Essenciais citados na receita anterior (Eucalipto Citriodora, Citronela e Cedro).

Preparo: Misture os Óleos Essenciais no bicarbonato de sódio. Passe a mistura, que tem consistência quase seca, em colchões, cobertores, edredons, travesseiros, bichos de pelúcia, tapetes, cortinas, carpetes, almofadas e onde mais for foco de proliferação de ácaros. Deixe em repouso por dez a 15 minutos e, depois, aspire tudo com aspirador de pó.

Tratamento do alérgico-Uma massagem nas costas e no peito com o Óleo Vegetal de Copaíba dilui o muco produzido nos pulmões pelas doenças e alergias. Após a massagem, é necessário aplicar-se a tapotagem: com a mão em formato de concha, dê pequenos tapas nas costas do doente para que o muco se desprenda dos pulmões. A criança vomitará o catarro, tossirá e o engolirá (eliminado-o nas fezes). Isso ajudará na limpeza dos pulmões.

Outra ação eficiente é fazer inalação com uma gota de Óleo Essencial de Eucalipto Citriodora ou uma gota de Óleo Essencial de Hortelã Pimenta ou ainda o Eucalipto Glóbulus (ambos fluidificam o catarro).

Para os locais de clima seco, o ideal é colocar numa bacia um litro de água (pode ser fria ou quente), acrescida de cinco gotas de Óleo Essencial de Hortelã Pimenta e cinco gotas de Óleo Essencial de Lavanda, deixando a bacia em local alto para promover a umidificação do ar.

Onde encontrar: os produtos citados podem ser adquiridos pelo telefone (11) 3872-9011, ou pelo site da By Samia Aromaterapia: www.bysamia.com.br - onde pode ser encontrado o representante de sua região.

. Óleo Vegetal de Copaíba By Samia Aromaterapia (100 ml) – R$ 59,20 |. Óleo Essencial de Cedro By Samia Aromaterapia (10 ml) – R$ 21,00 |. Óleo Essencial de Citronela By Samia Aromaterapia (10 ml) – R$14,50 |. Óleo Essencial de Eucalipto Citriodora By Samia Aromaterapia (10 ml) – R$ 12,00 |. Óleo Essencial de Eucalipto Glóbulus By Samia Aromaterapia (10 ml) – R$ 12,30 |. Óleo Essencial de Hortelã Pimenta By Samia Aromaterapia (10 ml) – R$ 38,90 |. Óleo Essencial de Lavanda By Samia Aromaterapia (10 ml) – R$ 30,30.

Sâmia Maluf e By Samia Aromaterapia- Sâmia Maluf é formada em psicologia, com especialização em adicções, depressão e síndrome do pânico. Passou por treinamento e educação continuada em adictos, para entender como atuam as drogas, quais medicações devem ser utilizadas em cada caso e como elas interagem no Sistema Nervoso Central.

Possui formação em Aromaterapia e em Aromacologia (ciência que estuda o aroma – dos óleos essenciais às essências sintéticas – no comportamento humano como meio de evocar memórias e sensações), trabalhando com o atendimento de pacientes e como consultora na área para empresas e spas em todo o Brasil.

A By Samia Aromaterapia é uma empresa voltada para os conceitos da Aromaterapia e Aromacologia, buscando mais qualidade de vida para as pessoas por meio da utilização de óleos essenciais. [www.bysamia.com.br].



Por: Portal Fator Brasil

Publicado em: 23/03/2011

Fonte: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=150973

Conheça 16 maneiras simples para envelhecer com beleza

É indispensável dizer que, ultimamente, o tempo corre muito mais rápido do que conseguimos pensar. São inúmeras atividades profissionais, responsabilidades com a família ou com a vida a sós, planos futuros, pagamentos... Quase não sobre tempo para pensarmos em uma forma de mantermos a beleza e a disposição para um envelhecimento saudável. Foi pensando em melhorar o astral da mulher moderna que a equipe do Bonde selecionou 16 dicas do livro "Beleza sem idade: um guia feminino para manter a beleza e o bem-estar por toda a vida", de Dayle Haddon. Confira!

1. Limpe a pele duas vezes por dia com produtos sem detergente, sabão e perfume (esses produtos irritam a pele seca), hidratando-a bem e realizando esfoliação uma ou duas vezes por semana;

2. Não demore mais que 15 minutos no chuveiro ou na banheira, utilizando água morna (a água quente retira os óleos naturais e proteínas que protegem a pele);

3. Para hidratar o cabelo, coloque algumas gotas de óleo de oliva ou de amêndoas e deixe durante algum tempo. Para as mãos e os pés, passe um creme emoliente e denso (encontrado nas farmácias, ou use algum gel derivado do petróleo), cobrindo-os com meias grossas e luvas de algodão durante algum tempo;

4. Evite a exposição à radiação solar, mesmo durante o inverno;

5. Beba de seis a oito copos de água por dia;

6. Pare de fazer dietas e comece a comer refeições nutritivas que oferecem benefícios a longo prazo. Dê preferência a produtos orgânicos frescos, coma regularmente, retire a gordura e escolha alimentos de todos os grupos alimentares;

7. Corte a cafeína (encontrada em bebidas, chocolates e algumas medicações para dor e sinusite) após 3 horas da tarde;

8. Pare de fumar!

9. Encontre maneiras divertidas de praticar exercícios, realizando-os três vezes por semana. Comece a caminhar com os amigos, ande de bicicleta, caiaque, ou faça qualquer coisa de que você goste e que a mantenha em movimento;

10. Durma bem, regularmente;

11. Durante os banhos procure relaxar os músculos. Esse é um momento no qual você pode organizar as suas idéias e sensações do dia;

12. Desligue a televisão e escute música;

13. Participe de programas voluntários. Ajudar a comunidade dá uma sensação de integração e bem-estar;

14. Medite, ore ou contemple;

15. Crie um grupo de amigas que estimulem umas às outras;

16. Continue aprendendo; entre no curso com o qual você sempre sonhou, volte à escola!

Por: Bonde News

Publicado em: 30/03/2011

Fonte: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-34--67-20110330&tit=conheca+16+maneiras+simples+para+envelhecer+com+beleza

Curativo de celulose acelera cicatrização de úlcera da pele

Curativo de celulose e própolis

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) estão testando o uso de curativos de membrana de celulose para a cicatrização de úlceras de pele.

O material, de origem biológica, permite curar as lesões com mais rapidez e qualidade.

Também será experimentada a aplicação da membrana com própolis, para proporcionar efeito bactericida.

Os estudos, realizados pela fisioterapeuta Fernanda Sanchez, está recrutando voluntários para a realização dos tratamentos e aferição dos resultados.

Úlceras da pele
Durante a pesquisa serão aplicados curativos de celulose, já testados em animais e em portadores de úlceras crônicas de pele.

"Também conhecidas como úlceras de pressão, essas lesões atingem pessoas acamadas por longos períodos de tempo", ressalta a fisioterapeuta. "Devido a pressão excessiva e constante no local da lesão, causada pela falta de movimentação do paciente, o tratamento atualmente é muito difícil."

A membrana de celulose é um biomaterial, produzido a partir da celulose bacteriana.

"Devido à sua espessura e transparência, a membrana pura se assemelha a uma folha de papel de seda", descreve Fernanda. Após a assepsia do local da lesão, a membrana é aplicada e mantida permanentemente, para que seja absorvida pela pele. "A úlcera se cicatriza de fora para dentro, com mais rapidez e qualidade."

A fisioterapeuta aponta que o curativo não precisa ser manipulado após a aplicação na pele. "Isso diminui o risco de infecções bacterianas, muito comuns em casos desse tipo de úlceras", ressalta.

Após a aplicação da membrana, o paciente passa por um acompanhamento semanal para verificar se o curativo permanece no local da lesão e se há acúmulo de líquidos.

Curativo com própolis
Além dos testes com a membrana pura, o curativo também será testado em uma versão com a aplicação de própolis, substância que possui efeito bactericida. "O uso da membrana também será comparado com a aplicação do laser terapêutico de baixa intensidade, que já é muito utilizado em processos de cicatrização", planeja Fernanda.

Para continuar com as pesquisas, Fernanda procura voluntários na região de Araraquara (interior de São Paulo), dispostos a fazer o tratamento de úlceras de pele.

"Podem participar dos testes clínicos pessoas de qualquer idade que tenham desenvolvido úlceras, mediante assinatura de um termo de consentimento", afirma.

As aplicações serão feitas na própria residência dos pacientes, durante um período de até três meses, dependendo do tempo de cicatrização de cada úlcera. Os interessados podem se inscrever pelos telefones (16)9228-0522 e (16) 3114-8038.



Por: Diário da Saúde - Júlio Bernardes - Agência USP

Publicado em: 05/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=curativo-celulose-cicatrizacao-ulcera-pele&id=6350

"Quase Vegetariano" instiga alimentação saudável sem radicalismos

"Quase Vegetariano" pode ser o livro que faltava em sua casa, ou cozinha, mais especificamente. Sem radicalismos, a autora Geni Coli oferece ao leitor a possibilidade de experimentar receitas saborosas e saudáveis, feitas com ingredientes como soja, alho, brotos, frangos e peixes.

O livro não defende nenhuma causa específica, e quer apenas mostrar como é possível a alimentação diária ser mais nutritiva, e algumas vezes, até ousada. Misturar os ingredientes de forma nova pode surpreender o paladar de todos, mesmo que nem sempre a coisa dê certo.

Mas foi assim, ao longo dos anos, que Coli descobriu temperos, arriscou-se e transformou pratos clássicos - geralmente gordurosos - refazendo-os a partir da substituição de carnes vermelhas por combinações mais equilibradas. A obra oferece um menu completo com diversas possibilidades de antepastos, pratos principais, lanches e sobremesas.

Aprenda a fazer um original quibe de berinjela:

Ingredientes

1 xícara (de chá) de trigo para quibe
1 cebola grande ralada
1 berinjela picada em cubos
1 cenoura ralada
1 cebola picada
3 dentes de alho amassados
2 batatas cozidas e amassadas
3 colheres (de sopa) de hortelã picadinha
2 colheres (de sobremesa) de sal
Pimenta-do-reino
3 colheres (de sopa) de óleo
2 tomates em rodelas
Um pouco de azeite

Modo de preparo

Em uma tigela coloque o trigo de molho com 1 xícara (de chá) de água fervente. Deixe descansar por 15 minutos, acrescente a cebola ralada e 1 colher (de sobremesa) rasa de sal.

Mexa bem e deixe por 15 minutos. Reserve. Em uma panela, ponha o óleo, a cebola e o alho picadinho para dourar. Coloque a cenoura ralada e a berinjela em cubos para uma rápida refogada.

Retire do fogo, junte a batata amassada, o trigo, a hortelã, o sal e a pimenta e misture bem. Em uma fôrma refratária untada coloque a massa, aperte bem, enfeite com rodelas de tomate e regue com um pouco de azeite. No forno convencional pré-aquecido: 30 minutos. No forno microondas, coloque filme de PVC: 12 minutos na potência alta. Sirva quente ou frio.



Por: Livraria da Folha

Publicado em: 10/04/2011

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/898037-quase-vegetariano-instiga-alimentacao-saudavel-sem-radicalismos.shtml

Receita dos bons alunos: atenção às aulas e meditação

Segundo professores britânicos, técnica relaxa e impulsiona o rendimento.

Cantar, contar histórias, encenar. Certamente milhares de professores já testaram esses mecanismos para atrair a atenção dos alunos e fazer com que as notas de seus pupilos melhorem. Agora, professores britânicos estão testando novas armas em prol do desempenho escolar: a yoga e a meditação.

A ideia é de Dave Read, um professor de história aposentado que viaja pela Grã-Bretanha ensinando técnicas de meditação a crianças do ensino fundamental. "Meus workshops são sobre a educação emocional e o objetivo é fazer com que os pequenos façam contato com seu sentimentos", disse Read ao jornal The Daily Mail. "A resposta até agora tem sido maravilhosa. As crianças dizem que nunca se sentiram tão relaxadas."

Os professores que passaram a aplicar a técnica na sala de aula garantem que o rendimento dos alunos aumentou. Geralmente, as sessões acontecem uma vez por semana e duram uma hora. Helen Reeder, uma das professoras que faz uso da nova técnica, resume: "Isso acalma nossos alunos e eles passam a sentir melhor durante as aulas regulares."

No condado de Essex, a técnica ganhou tanta polularidade que o governo decidiu investir cerca de 20.000 libras (aproximadamente 51.000 reais) no programa de meditação e yoga das escolas locais. Além da aprender posições do yoga e técnicas de meditação, os alunos aprendem também técnicas de respiração, que ajudam no realxamento e na concentração durante as aulas.

Por: Veja - On line

Publicado em: 12/04/2011

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/professores-usam-meditacao-para-melhorar-desempenho-dos-alunos

Perder peso melhora a memória e a concentração

Leveza para a memória

Pesquisadores descobriram uma ligação entre a perda de peso e a melhoria da memória e da concentração.

O estudo mostra que pacientes submetidos à cirurgia bariátrica apresentaram uma melhora significativa na memória 12 semanas após a cirurgia.

"A ideia inicial [da pesquisa] veio do nosso trabalho clínico," conta John Gunstad, da Universidade Kent, nos Estados Unidos. "Tive a oportunidade de trabalhar com um grande número de pessoas que estavam tentando perder peso, quer através de meios comportamentais ou por meio da cirurgia."

Testes cognitivos

Gunstad conta ter observado que os dois grupos de pacientes cometem erros semelhantes em testes cognitivos, o que os faz cair para uma faixa abaixo do considerado normal para a população como um todo.

Contudo, os pacientes submetidos à cirurgia bariátrica apresentaram uma melhoria da memória e da concentração 12 semanas após a cirurgia, melhorando seus resultados dos testes cognitivos - na média, eles passaram do nível "ligeiramente deficiente", antes da cirurgia, para "normal" depois da cirurgia.

"A principal motivação para estudar os pacientes da cirurgia é que sabemos que eles perdem muito peso em um curto espaço de tempo, então é um bom grupo para estudar", disse Gunstad. "Este é o primeiro indício de que, ao passar por esta cirurgia, as pessoas podem melhorar sua memória, concentração e capacidade de resolução de problemas."

Razões mentais para a perda de peso

Os cientistas afirmam que os resultados dão muitas razões para otimismo porque, ao contrário de outras condições médicas, a obesidade pode ser cuidada e revertida.

"Muitos dos fatores que acompanham a obesidade - tais como pressão alta, diabetes tipo 2 e apneia do sono - podem danificar o cérebro, mas são de certa forma reversíveis," disse Gunstad. "Como esses problemas desaparecem, o funcionamento da memória fica melhor."

Ao mostrar que os efeitos da obesidade também são reversíveis, as pessoas podem encontrar razões mais fortes que as levem a lutar contra o excesso de peso - a melhoria do funcionamento da mente, com eventuais melhorias no rendimento nos estudos, no trabalho, ou mesmo no dia-a-dia, parece ser uma razão forte o bastante.

Saúde do cérebro e do coração

A equipe agora vai acompanhar os participantes do estudo por dois anos, aferindo se os ganhos cognitivos se mantêm, se voltam a cair ou mesmo se melhoram ainda mais com o passar do tempo.

"Uma das coisas que nós sabemos é que, conforme os indivíduos se tornam mais saudáveis do ponto de vista cardiovascular, a saúde do seu cérebro também melhora," conclui Gunstad.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 14/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=perder-peso-melhora-memoria-concentracao&id=6374

Capacidade multitarefa do cérebro diminui com a idade

Memória de trabalho

A capacidade de realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo cai à medida que o homem envelhece. Uma nova pesquisa aponta que o motivo pelo qual pessoas mais velhas têm mais dificuldade em alternar tarefas está nas redes neurais.

Lidar com múltiplas tarefas envolve a memória de curta duração, que define a capacidade de manter e manipular uma determinada informação em um período de tempo.

Essa memória de trabalho é a base de todas as operações mentais, de decorar um número de telefone a digitá-lo em um aparelho, de manter o ritmo de uma conversa a conduzir funções complexas como raciocinar ou aprender.

"Os resultados do estudo sugerem que o impacto negativo das múltiplas tarefas na memória de trabalho não é necessariamente um problema com a memória, mas deriva de uma interação entre atenção e memória", disse Adam Gazzaley, professor da Universidade da Califórnia em San Francisco, um dos autores do estudo que será publicado esta semana na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Multitarefa em declínio

De acordo com o estudo, a dificuldade em realizar mais de uma tarefa em um mesmo período de tempo está no momento de alternar entre uma atividade e outra.

O problema fundamental não são as próprias tarefas ou as interrupções, mas as distrações. A pesquisa indica que a capacidade do cérebro em ignorar informações irrelevantes cai com a idade e que isso impacta na memória de trabalho.

O estudo reforça que as "coisas da idade", como costumam ser chamados episódios comuns de distração e esquecimento, têm um impacto maior em indivíduos mais velhos.

Os pesquisadores compararam a memória funcional de jovens saudáveis (com idade média de 24,5 anos) e de idosos também saudáveis (com média de 69,1 anos) em testes envolvendo diversas tarefas simultâneas.

Capacidade de concentração

Por meio de imagens de ressonância magnética, analisaram o fluxo sanguíneo nos cérebros dos participantes de modo a tentar identificar as atividades de circuitos e redes neurais.

Os participantes tinham que observar uma determinada cena e fixá-la por 14,4 segundos. Durante o período, entrava uma interrupção, na forma da imagem de um rosto, e os voluntários tinham que determinar o sexo e a idade estimada da pessoa. Em seguida, tinham que lembrar a cena original.

Os mais velhos mostraram maior dificuldade em fixar a imagem original. Os exames de ressonância mostraram que quando os participantes eram interrompidos, o processo de fixação da memória dava lugar ao próprio processamento da interrupção.

Os mais jovens conseguiam restabelecer a conexão com a rede da memória após a interrupção, desligando-se da imagem que apareceu no meio do teste. Já os mais velhos, na média, tiveram dificuldade tanto para se desligar da interrupção como para restabelecer a rede neural associada com a memória da cena original.

"O impacto das distrações e das interrupções revela a fragilidade da memória de trabalho. Esse é um fato importante a se considerar, uma vez que vivemos em um meio em que cada vez há mais interferências e exigências, como o aumento na quantidade de dispositivos que transportam informação", disse Gazzaley.



Por: Agência Fapesp - Diário Da Saúde

Publicado em: 13/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=capacidade-multitarefa-cerebro&id=6371

Ioga integral dissemina nova consciência em busca da paz interior

Para professora Wal Nunes, o estilo é mais do que uma filosofia de vida.

O ioga integral é um estilo ainda pouco conhecido no Brasil e, por isso, a professora Wal Nunes foi a Londres, estudar o trabalho de seu criador, o guru Sri Aurobindo. O polêmico mestre espiritual dedicou sua vida a transmitir suas experiências no ioga, trazendo para a realidade seus insights durante a meditação, capazes de atingir o grau de consciência supramental, que seria a consciência-verdade, na qual se integram o corpo e o espírito.

A dedicação de Sri resultou na criação do ioga integral, que se trata do estudo e prática aprofundados da unificação dos princípios das diversas linhas de ioga. A supramente, segundo ele, se daria quando o objetivo final do ioga deixa de ser idealizado e passa a ser consciente.

— Muitos iogues se dedicam à prática excessiva do badalado hot ioga ou no fanatismo com a prática excessiva de bakti yoga, que é pura devoção e espiritualidade — diz Wal, defendendo a medida entre esses universos para integrar o ioga na vida diária.

— Alguns tentam explicar o estado meditativo: filósofos, religiosos, iogues e iluminados. Na verdade, um número muito pequeno de pessoas consegue entender realmente o assunto e raros são os que vivenciam esse estado verdadeiramente. Meditar é um momento único de você consigo mesmo, com seu caos inicial. Uma busca pela paz interior, o cessar da mente. Muitos chamam esse estado de Deus, de ser divino. Eu o chamo, simplesmente, de estado de presença — afirma.

Através de seu trabalho, Wal mostra que o ioga integral vai além de filosofia de vida. De acordo com ela, ele pode ser definido como olhar para si mesmo e enxergar o que incomoda para, a partir daí, buscar um meio que traga paz interior e felicidade, respeitando a harmonia do ser, sem querer moldá-lo. Seria ver a a suposta "divindade" em todas as atividades diárias, viver a entrega com entendimento, deixar a vida fluir.

As aulas de professores que defendem o ioga integral respeitam o todo, adaptando as técnicas de forma sutil e personalizada. Os movimentos têm o objetivo de colocar o aluno à frente dos problemas ou situações do passado que são inconscientemente carregados pela vida toda.

— Ser feliz vai além de se libertar dos problemas, mas encará-los como um desafio e uma chave para a nossa evolução. Para mim isso é ioga integral, isso é viver em harmonia e felicidade — completa Wal.

É por isso que a professora defende que o ioga deve fazer parte da vida de todo ser humano, não como um estilo de vida radical, mas como um meio de viver o aqui e agora.

— Somente assim é possível encontrar essa paz interior, essa combinação de emoções que traz conforto e bem-estar a nossa alma, isso é felicidade. Isso é ioga — finaliza.


Por: Click RBS - Zero Hora - Seção: Bem estar

Publicado em: 14/04/2011

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Segundo%20Caderno&newsID=a3273563.xml

Praticar yoga diminui estresse

Aulas de postura e respiração fazem parte da disciplina que busca diminuir sintomas do esgotamento físico e mental.

Ansiedade e cansaço são sintomas comuns de uma vida onde a rotina é a correria. São sintomas que podem indicar a presença de estresse.
Se condições físicas e psicológicas associadas ao esgotamento forem identificadas, é recomendável procurar um médico ou um psicólogo, mas existem terapias alternativas que visam diminuir os sintomas, como a ioga.

Segundo o Ministério da Saúde, nenhum método isolado de tratamento contra o estresse é infalível, mas uma combinação de vários fatores é mais efetiva. “Se a pessoa com sinal de estresse procurou um médico, está usando algum medicamento e pratica a ioga, as chances de melhora são maiores”, explica a professora de Educação Física e de Ioga, Daiane Peruci.

A professora, que dá aulas de ioga há 5 anos, conta que é possível diminuir a ansiedade e o esgotamento através das técnicas de respiração, concentração e meditação, pois relaxa o sistema nervoso central. “Existem técnicas específicas para cada tipo de ansiedade e cansaço. A técnica mais simples é o exercício de respiração abdominal, quando a pessoa trabalha o movimento muscular, expandindo e recolhendo o abdome.”

Durante cerca de 1h, Daiane trabalha a postura psicofísica, que busca o equilíbrio entre a mente e corpo. “A sensação de bem estar já é imediata logo após as aulas, mas em casos em que o tratamento é mais complexo, o trabalho pode começar a dar resultado a partir de 2 a 3 meses.”

Segundo Daiane, as aulas de ioga não são exclusivas dos estressados. “Tem pessoas que não são ansiosas, mas que nos procuram. Elas querem prevenir os problemas, o objetivo é controlar a mente.”

Para evitar o estresse
- Uma dieta saudável é essencial. A saúde e a resistência podem melhorar com uma dieta rica em cereais integrais, vegetais e frutas, e evitando o abuso álcool, cafeína e cigarro.
- Exercícios físicos são ótimas maneiras de se distrair dos eventos estressantes. Procure uma atividade que proporcione prazer, como a ioga.
- Relaxe, respire fundo.
- Relaxe os músculos, em uma posição confortável concentre-se em cada parte do corpo e sinta-os se relaxando totalmente.



Por: Correio do Norte - On Line - Thiago Carneiro

Publicado em: 15/04/2011

Fonte: http://www.adjorisc.com.br/jornais/correiodonorte/editorias/saude/praticar-yoga-diminui-estresse-1.449014

Dieta vegetariana reduz riscos cardíacos e diabetes

Uma dieta sem carne reduz a probabilidade de alguns factores de risco comuns à diabetes e a complicações cardíacas, refere um novo estudo desenvolvido na Universidade de Loma Linda, nos Estados Unidos. Uma das grandes vantagens de uma dieta vegetariana reside nos menores riscos de desenvolver síndrome metabólica.

A dieta vegetariana promove menos riscos de desenvolver síndrome metabólica, conjunto de factores que oferecem riscos para a saúde, refere o The Independent, que cita um estudo recente de uma universidade norte-americana.

Para o estudo foram examinados 700 adultos, 35 por cento dos quais eram vegetarianos. Existia uma diferença de idade entre os participantes, dado que os vegetarianos eram, em média, três anos mais velhos do que os indivíduos não vegetarianos.

Os autores do estudo examinaram um conjunto de factores – como açúcar no sangue, colesterol, pressão, perímetro abdominal e massa corporal – que provocam a síndrome metabólica, e concluíram que os vegetarianos tinham níveis mais baixos do que os não-vegetarianos nos parâmetros examinados, excepto no colesterol.

Por: Actualidades(Fábrica de Conteúdos) - Portugal

Publicado em: 19/04/2011

Fonte: http://noticias.portugalmail.pt/artigo/20110419/dieta-vegetariana-reduz-riscos-cardiacos-e-diabetes

Diabetes e pressão alta: crianças também têm doenças de adultos

Hipertensão arterial, diabetes, gordura no sangue, enxaqueca, AVC, depressão, ansiedade e até mesmo anorexia não são mais associadas aos adultos; especialistas reforçam a necessidade de hábitos saudáveis desde a primeira infância.

Já se foi o tempo em que arranhão no joelho, dor de barriga ou mal-estar seguido de gripe eram as principais reclamações vindas das crianças. De acordo com estudos recentes sobre o tema e a observação diária de especialistas da área, algumas doenças consideradas como "coisa de adulto" agora também atingem os pequenos.

De acordo com os profissionais ouvidos pelo Terra, as principais "novidades" nos consultórios médicos são as síndromes metabólicas como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, aumento da gordura no sangue, enxaqueca e AVC. Dentre os problemas psicológicos, estão a depressão e ansiedade excessiva. A obesidade também está entre os principais problemas e, segundo o Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, já atinge 30% das crianças brasileiras de 5 a 9 anos.

Para a Dra. Vera Koch, chefe da unidade de nefrologia do Instituto da Criança do HCFMUSP, a obesidade infantil tem a ver, inclusive, com a melhora da situação socioeconômica do país: "A alimentação melhorou, só que a dieta ainda é muito desregrada, com grande consumo de carboidratos, de produtos industrializados - que são ricos em sal - e de gorduras saturadas, vindas da proteína animal."

Ela recomenda que os pais não esperem que os sintomas apareçam para procurar ajuda: "A partir da visita regular ao pediatra é possível verificar se o desenvolvimento e o crescimento estão acontecendo da melhor maneira", ela explica.

Segundo a Dra. Ana de Jesus Cristovão, pediatra da Beneficência Portuguesa de São Paulo, alguns fatores que compõem a vida moderna são responsáveis por essas mudanças. "Acredito que o chamariz comunicativo para os alimentos chamados 'fast food', a Internet, a vida nas grandes cidades e a violência urbana, sejam os principais fatores para o aumento dessas doenças em crianças."

De olho na pressão da criançada
Em novembro de 2010, a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo divulgou um estudo realizado pelo Instituto da Criança do HCFMUSP, com cerca de 1,6 mil crianças, que mostrou que bebês com baixo peso podem virar adultos hipertensos. Uma das explicações tem a ver com um ciclo hereditário que pode afetar a vida adulta.

O Instituto frequentemente faz mutirões para medir a pressão arterial de crianças e adolescentes, e os especialistas têm observado que, em média, 30% dos pacientes atendidos apresentam algum quadro de obesidade ou sobrepeso, um dos problemas relacionados à hipertensão.

A Dra. Vera Koch acrescenta que os problemas relacionados ao peso podem, inclusive, começar na barriga da mãe: "Muitas crianças brasileiras tiveram na geração passada um histórico de desnutrição. Quando isso a afeta no útero, o feto entende que precisa armazenar energia para sobreviver. Antigamente, chamávamos isso de 'metabolismo avarento', ou seja, o indivíduo que estoca e usa pouco. O fenômeno é visto em todos os países do mundo que saem de uma situação de desnutrição para a fartura."

Enxaqueca e AVC também acontecem na infância
A Secretaria de Saúde do Estado divulgou, em 2009, dados relacionados à incidência de Acidente Vascular Cerebral (AVC) em crianças. Em 2008, foram registrados 266 casos, com 28 óbitos e, em 2009, foram 177, entre crianças até 14 anos de idade.

Para este tipo de problema, não há prevenção, mas em alguns casos as sequelas são reversíveis, podendo ser tratadas com fisioterapia e psicologia. Na ocorrência do AVC, os pais devem investir em um acompanhamento médico intensivo, pois uma vez que a causa é determinada, a repetição do problema pode ser prevenida.

A Secretaria também alerta sobre a enxaqueca, que vem se mostrando outro problema recorrente. É preciso saber diferenciar uma simples dor de cabeça de um quadro mais sério, e redobrar os cuidados na ocorrência de alterações de humor, vertigens, náuseas, vômitos e dores abdominais. O problema exige medicação adequada e mudanças de hábito, como uma rotina de alimentação regrada, boas noites de sono e cuidados com a exposição ao sol.

Pouca idade, muita preocupação
Os distúrbios psicológicos também já chegaram às cabecinhas das crianças. De acordo com a Dra. Carolina da Costa, psiquiatra do Programa de Ansiedade Infanto-Juvenil do Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP, os transtornos de ansiedade e depressão são os dois problemas mais comuns entre crianças e adolescentes.

A especialista associa, como um dos fatores ligados à ansiedade, a rapidez com que se multiplicam notícias sobre tragédias sociais e catástrofes naturais: "As crianças estão demonstrando preocupações mais típicas da idade adulta, além de ficarem muito atentas aos problemas do ambiente em que vivem, como uma separação dos pais, por exemplo."

Entre os sintomas físicos elencados pela psiquiatra estão dor de barriga constante, dor de cabeça, coração acelerado e dificuldade de respirar.

Já os casos de depressão são caracterizados, de um modo geral, por medos e preocupações excessivas, que merecem atenção redobrada quando acarreta prejuízos à criança: "Existem medos típicos de cada idade, que estão dentro do desenvolvimento normal. Mas é importante observar se isso acarreta perdas, como o medo de ir à escola, de fazer perguntas à professora ou apresentar trabalhos escolares, ou ir a eventos que distancie a criança dos pais, caracterizando assim uma fobia social", explica.

A criança depressiva apresenta mudanças de humor e tristeza contínua, falta de disposição para brincar, alterações de sono e alimentação, pensamentos ruins e a tendência à autodepreciação e diminuição da autoestima. "São sintomas bem parecidos com os que ocorrem com o adulto, o que difere é a forma como isso é observado. O adulto terá problemas no trabalho, enquanto a criança terá alterações dentro do contexto infantil, brincando menos, apresentando irritabilidade e problemas na escola", pontua.

A especialista lembra que é preciso observação constante: "Procure saber como é o dia a dia da criança. Se ela apresentar problemas pontuais, é normal, então é preciso estimulá-la a enfrentar porque isso faz parte do desenvolvimento. Mas é preciso verificar a intensidade da angústia."

Em casos de ansiedade e depressão, muitas vezes a terapia é suficiente e pode funcionar bem. Casos mais graves podem exigir o uso de medicação, sempre associado ao acompanhamento médico.

Recentemente, um estudo realizado pelo University College London's Institute of Child Health, também mostrou dados preocupantes com relação à saúde mental na infância. A pesquisa mostrou que crianças a partir dos seis anos foram hospitalizadas com sintomas relacionados à anorexia e outros distúrbios alimentares. De acordo com o estudo, para cada 100 mil crianças do Reino Unido, três apresentam algum tipo de distúrbio.

Atenção aos sinais
Segundo a Dra Ana de Jesus Cristovão, pediatra da Beneficência Portuguesa de São Paulo, a observação diária dos filhos pode evidenciar problemas que, diagnosticados a tempo, são facilmente solucionados.

Crianças que reclamam de fraqueza, comem em excesso e não ganham peso, mostram sede constante e fazem xixi muitas vezes ao dia, podem denunciar sinais típicos de diabetes. Já o cansaço excessivo e dor de cabeça podem ser um alerta sobre a pressão arterial e a dosagem do colesterol, triglicerídeos e glicose.

Na teoria, a recomendação para evitar este tipo de problema é unânime: pais persistentes em hábitos saudáveis e acompanhamento médico constante. Na prática, algumas dicas simples podem ser bastante úteis, de acordo com a médica: "Procure atrair a criança fazendo um hambúrger no almoço, com bastante salada e tomate, gelatina com pedaços de frutas, salsicha de frango com legumes cortadinhos com 'carinhas de animais'. Prefira sucos no lugar de refrigerantes, biscoitos sem recheio e estabeleça apenas um dia para as guloseimas", recomenda.

A doutora indica a natação como atividade física complementar e mostra que, acima de tudo, o diálogo ainda é o melhor remédio: "Converse com seus filhos, não os exclua dos problemas por achar que a criança 'não entende', pois, muitas vezes, a interpretação errada gera conflitos e medos desnecessários", finaliza.

Pais que identificam em seus filhos sintomas ligados aos transtornos de ansiedade e têm interesse em participar de uma pesquisa do Ambulatório de Ansiedade da Infância e Adolescência do Instituto de Psiquiatria do HC, podem ligar para o número (11) 3069-6978 e solicitar mais informações.



Por: Terra - Seção: Bem Estar - Saúde - Danielle Barg

Publicado em: 15/04/2011

Fonte: http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI5074265-EI16557,00-Diabetes+e+pressao+alta+criancas+tambem+tem+doencas+de+adultos.html

Vegetarianos têm menor risco de diabetes, derrame e ataque cardíaco

Alimentação mais saudável

Um estudo realizado por cientistas da Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, sugere que a síndrome metabólica é significativamente menos prevalente entre os vegetarianos.

Os vegetarianos apresentaram uma prevalência 36% menor de síndrome metabólica do que os não-vegetarianos.

Como a síndrome metabólica pode ser um precursor das doenças cardiovasculares, diabetes e acidente vascular cerebral, os resultados indicam que os vegetarianos podem ter menos risco de desenvolver essas condições.

Síndrome metabólica

A síndrome metabólica é definida como a apresentação de pelo menos três dos cinco fatores de risco total:

hipertensão arterial
elevação do colesterol HDL
altos níveis de glicose
triglicerídeos elevados
e uma circunferência da cintura não saudável

O estudo descobriu que, enquanto 25% dos vegetarianos tinham síndrome metabólica, esse número sobe para 37% para os semi-vegetarianos e 39 por cento para os não-vegetarianos.

Os resultados se mantiveram quando ajustados para fatores como idade, sexo, raça, atividade física, consumo de calorias, tabagismo e ingestão de álcool.

Prevenção da síndrome metabólica

"Tendo em vista a alta taxa de síndrome metabólica [...] e seus efeitos deletérios à saúde, queríamos examinar os padrões de vida que poderiam ser eficazes na prevenção e no possível tratamento desta doença", diz o pesquisador Nico S. Rizzo.

"Eu não tinha certeza se haveria uma diferença significativa entre vegetarianos e não-vegetarianos, e fiquei surpreso com o quanto os números contrastam," continua ele. "Isso indica que um fator como a dieta pode ser importante na prevenção da síndrome metabólica".



Por: Diário da Saúde - Heather Reifsnyder

Publicado em: 21/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vegetarianos-menor-risco-diabetes-derrame-ataque-cardiaco&id=6409

Pessoas com esperança tomam decisões melhores que pessoas felizes

Felicidade versus esperança

Pessoas felizes são mais propensas a comer doces, enquanto as pessoas esperançosas escolhem mais as frutas.

Mas por que ter esperança leva a decisões mais saudáveis, ao menos em termos de dieta, do que ser feliz.

Segundo duas cientistas norte-americanas, isso ocorre porque, quando as pessoas sentem esperança, elas estão pensando sobre o futuro.

"A maioria de nós está consciente que frequentemente caímos vítimas do comer emocional, mas como é que podemos escolher salgadinhos pouco saudáveis quando estamos nos sentindo bem?" discutem Karen Page Winterich (Universidade do Estado da Pensilvânia) e Kelly L. Haws (Universidade do Texas).

Emoções do presente e emoções do futuro

Como pesquisas anteriores haviam estabelecido uma conexão entre a tristeza e a má alimentação, as autoras queriam dar uma olhada mais geral na complicada relação entre emoções positivas e consumo de alimentos.

"Nós demonstramos a importância do aspecto temporal no qual as emoções positivas se focam e descobrimos que as emoções positivas com foco no futuro diminuem o consumo de alimentos pouco saudáveis no presente," escrevem elas.

Para entender por que alguém que está se sentido bem seria mais propenso a escolher uma barra de chocolate e deixar de lado uma fruta, as cientistas abordaram a diferença entre os sentimentos positivos que surgem quando pensamos no passado ou no presente (orgulho e felicidade) e a esperança, que é uma emoção mais orientada para o futuro.

Tempo e sentimento

No primeiro estudo, participantes esperançosos consumiram menos chicletes do que as pessoas que estavam se sentindo felizes.

No segundo estudo, as autoras descobriram que os consumidores que estavam mais focados no passado escolheram comidas pouco saudáveis, mesmo se estivessem sentindo esperança.

No terceiro estudo, elas tiraram o quadro do tempo da emoção positiva, trabalhando com participantes levados a se sentir esperançosos com relação ao passado ou fazendo-os experimentar orgulho no futuro.

Finalmente, as autoras compararam as emoções positivas focadas no futuro (esperança e orgulho antecipado) com as emoções negativas focadas no futuro (medo e vergonha antecipada).

Sua cintura agradece

Ao combinar todos os resultados, as pesquisadoras concluíram que a combinação de positividade e foco no futuro melhora o autocontrole.

"Então, da próxima vez que você estiver se sentindo bem, não se concentre demais em todas as coisas boas do passado. Em vez disso, mantenha aquele brilho positivo e foque no seu futuro, especialmente em todas as coisas boas que você imaginar que estão por vir. Sua cintura vai agradecer! " concluem as autoras.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 29/04/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=esperanca-felicidade&id=6411

Dicas de Saúde - Os 10 piores alimentos para o ser humano

10º lugar: Sorvete
Apesar de existirem versões mais saudáveis que os tradicionais sorvetes industrializados, a nutricionista Michelle Schoffro Cook adverte que esse alimento geralmente possui altos níveis de açúcar e gorduras trans, além de corantes e de saborizantes artificiais, muitos dos quais possuem neurotoxinas - substâncias químicas que podem causar danos no cérebro e no sistema nervoso

9º lugar: Salgadinho de milho
De acordo com Michelle, desde o surgimento dos alimentos transgênicos, a maior parte do milho que comemos é um “Frankenfood”, ou “comida Frankenstein”. Ela aponta que esse alimento pode causar flutuação dos níveis de açúcar no sangue, levando a mudanças no humor ganho de peso e irritabilidade, entre outros sintomas. Além disso, a maior parte desses salgadinhos é frita em óleo, que vira ranço e está ligado a processos inflamatórios

8º lugar: Pizza
A nutricionista Michelle destaca que nem todas as pizzas são ruins para a saúde, mas a maioria das que são vendidas congeladas em supermercados está cheia de condicionadores de massa artificiais e conservantes. Feitas com farinha branca, essas pizzas são absorvidas pelo organismo e transformadas em açúcar puro, causando aumento de peso e desequilíbrio dos níveis de glicose no sangue

7º lugar: Batatas fritas
Contêm não apenas gorduras trans, que já foram relacionadas a uma longa lista de doenças, mas também uma das mais potentes substâncias cancerígenas presentes em alimentos: a acrilamida, que é formada quando batatas brancas são aquecidas em altas temperaturas. Além disso, a maioria dos óleos utilizados para fritar as batatas se torna rançosa na presença do oxigênio ou em altas temperaturas, gerando alimentos que podem causar inflamações no corpo e agravar problemas cardíacos, câncer e artrite

6º lugar: Salgadinhos de batata
Além de causarem todos os danos das batatas fritas comuns e não trazerem nenhum benefício nutricional, esses salgadinhos contêm níveis mais altos de acrilamida, que também é cancerígena

5º lugar: Bacon
Segundo a nutricionista, o consumo diário de carnes processadas, como bacon, pode aumentar o risco de doenças cardíacas em 42% e de diabetes em 19%. Um estudo da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, descobriu ainda que comer 14 porções de bacon por mês pode danificar a função pulmonar e aumentar o risco de doenças ligadas ao órgão

4º lugar: Cachorro-quente
Michelle cita um estudo da Universidade do Havaí, também nos EUA, que mostrou que o consumo de cachorros-quentes e outras carnes processadas pode aumentar o risco de câncer de pâncreas em 67%. Um ingrediente encontrado tanto no cachorro-quente quanto no bacon é o nitrito de sódio, uma substância cancerígena relacionada a doenças como leucemia em crianças e tumores cerebrais em bebês. Outros estudos apontam que a substância pode desencadear câncer colorretal

3º lugar: Donuts (rosquinhas)
Entre 35% e 40% da composição dos donuts é de gorduras trans, “o pior tipo de gordura que você pode ingerir”, alerta a nutricionista. Essas substâncias estão relacionadas a doenças cardíacas e cerebrais, além de câncer. Para completar, esses alimentos são repletos de açúcar, condicionadores de massa artificiais e aditivos alimentares, e contêm, em média, 300 calorias cada

2º lugar: Refrigerante
Michelle conta que, de acordo com uma pesquisa do Dr Joseph Mercola, uma lata de refrigerante possui em média 10 colheres de chá de açúcar, 150 calorias, entre 30 e 55 mg de cafeína, além de estar repleta de corantes artificiais e sulfitos. “Somente isso já deveria fazer você repensar seu consumo de refrigerantes”, diz a nutricionista. Além disso, essa bebida é extremamente ácida, sendo necessários 30 copos de água para neutralizar essa acidez, que pode ser muito perigosa para os rins. Para completar, ela informa que os ossos funcionam como uma reserva de minerais, como o cálcio, que são despejados no sangue para ajudar a neutralizar a acidez causada pelo refrigerante, enfraquecendo os ossos e podendo levar a doenças como osteoporose, obesidade, cáries e doenças cardíacas

1º lugar: Refrigerante Diet
“É a minha escolha para o pior alimento de todos os tempos”, diz Michelle. Segundo a nutricionista, além de possuir todos os problemas dos refrigerantes tradicionais, as versões diet contêm aspartame, que agora é chamado de AminoSweet. De acordo com uma pesquisa de Lynne Melcombe, essa substância está relacionada a uma lista de doenças, como ataques de ansiedade, compulsão alimentar e por açúcar, defeitos de nascimento, cegueira, tumores cerebrais, dor torácica, depressão, tonturas, epilepsia, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, perda auditiva, palpitações cardíacas, hiperatividade, insônia, dor nas articulações, dificuldade de aprendizagem, TPM, cãibras musculares, problemas reprodutivos e até mesmo a morte “Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia, vírus de Epstein-Barr, doença de Huntington, hipotireoidismo, doença de Lou Gehrig, síndrome de Lyme, doença de Ménière, esclerose múltipla, e pós-pólio. É por isso que eu dou ao Refrigerante Diet o prêmio de Pior Alimento de Todos os Tempos”, conclui.


Por: R7 - Seção: Intretenimento

Publicado em: 03/05/2011

Fonte: http://www.havid.com.br/conteudo.php?mnu=dicasdesaude_mostra&dica=dicas_pioresalimentos

Palavras realmente machucam

Mas vai doer

"Só vai doer por um segundo."

Não são só as crianças, mas muitos adultos também se inquietam ao ouvir essas palavras do médico.

E, logo que a agulha toca a pele, a dor aguda pode ser sentida de forma muito clara.

"Após essa experiência, é suficiente simplesmente imaginar uma agulha na próxima campanha de vacinação para ativar a nossa memória da dor," afirma o Dr. Thomas Weiss, da Universidade de Jena, na Alemanha.

Dor verbal

Mas é mais do que isso.

Weiss e seus colegas agora conseguiram demonstrar cientificamente pela primeira vez que não só as lembranças dolorosas e associações que colocam nossa memória da dor em alerta.

"Mesmo estímulos verbais levam a reações em determinadas áreas do cérebro," afirma o cientista, reafirmando que, de fato, as palavras podem causar dor.

Assim que ouvimos palavras que invocam dor - castigo, ferimento, dor etc. - são ativadas exatamente as mesmas áreas do cérebro que processam a dor correspondente.

Palavras causam dor

Os psicólogos examinaram o fenômeno diretamente no cérebro, por meio de tomografia de ressonância magnética funcional (fMRI), enquanto participantes saudáveis ouviam palavras associadas com dor.

Os voluntários ouviram tanto palavras associadas com dor quanto palavras de cunho negativo, mas não necessariamente "doloridas", como amedrontador, horrível e nojento.

Prestando atenção apenas nas palavras, ou mesmo distraídos por um quebra-cabeças, as palavras associadas à dor sempre ativaram a área da dor no cérebro dos participantes.

Isto não aconteceu com as outras palavras de conotação negativa, e tampouco com palavras neutras e positivas.

Palavras podem intensificar a dor?

"Estes resultados mostram que as palavras são capazes de ativar a nossa matriz de dor," sublinha o Prof Weiss.

De um ponto de vista biológico, isso é aceitável porque a lembrança da dor nos permite evitar situações dolorosas no futuro, que possam ser perigosas para as nossas vidas.

"Entretanto, nossos resultados sugerem também que os estímulos verbais têm um significado mais importante do que pensávamos até agora," diz Weiss.

Para o pesquisador, o estudo é importante para os pacientes com dor crônica.

Esses pacientes tendem a falar muito sobre sua dor com seu médico ou terapeuta.

É possível que essas conversas intensifiquem a atividade da matriz de dor no cérebro e, portanto, intensifiquem a experiência de dor.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 25/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=palavras-realmente-machucam&id=6516

A cura está nos pés

Sem maquinaria ou ferramentas, o diagnóstico faz-se pelo toque nos pés. A reflexologia detecta problemas de saúde depois de uma simples massagem com óleo de árnica (com infografia)
A partir da base é possível avaliar o estado do corpo – dos olhos ao pâncreas, todos os órgãos estão representados nos pés. E com o estímulo certo, pressão dos dedos ou massagem, as dores diminuem e a circulação melhora.

A reflexologia é mais do que uma massagem, «é uma ciência porque se baseia no estudo fisiológico e neurológico», afirma Manuela Ferreira, terapeuta de reflexologia há 11 anos. E uma arte, pois depende «da habilidade com que se aplica o estímulo adequado a cada condição».

Segundo a especialista, esta terapia tem importância ao nível da manutenção e da recuperação da saúde, mas também uma componente preventiva. «Podemos antecipar problemas». E dá o exemplo de uma colega que se queixava quando era estimulado o ponto correspondente à tiróide e «mais tarde soube que sofria de hipotiroidismo».

Não se trata apenas de aliviar a dor e os problemas circulatórios, digestivos ou sexuais, mas também os de ordem emocional, «como a ansiedade, o stresse e a depressão». A massagem activa a cura, ou seja, a cada nova sessão de reflexologia reforça-se a sensação de bem-estar.

As informações dadas pelo corpo são surpreendentes até para os cépticos das terapias alternativas – a própria observação das unhas, dos tornozelos e dos calcanhares serve para fazer uma avaliação.

Mas o que mais distingue a reflexologia de outros tratamentos é o facto de se conseguir fazer uma viagem pelo corpo, incluindo o estômago, os rins, os olhos e a coluna, sem sair do alcance do pé. E foi essa viagem que nos propusemos fazer para escrever este texto.

Manuela Ferreira sublinha que «não é preciso maquinaria nem produção. Aqui, o diagnóstico faz-se com conversa, toque e a empatia que se cria com o paciente». E acrescenta que as primeiras melhorias no estado de saúde sentem-se logo «no sistema neurológico, digestivo e a na qualidade do sono». E é verdade.

Os primeiros momentos da sessão servem para relaxar, com o contributo de umas toalhas quentes, com as quais a especialista envolve os pés do paciente antes de ‘pôr a mão na massa’. Depois, dá-se início ao diagnóstico.

O toque começa no dedo grande do pé esquerdo, que corresponde ao coração. Os nós dos dedos começam a testar a sua capacidade de resistência à pressão feita pela massagem terapêutica, com óleo de arnica. A ponta do dedo revela o estado do cérebro; numa posição mais abaixo percebe-se como está o pescoço. Na zona por baixo dos dedos, passa-se para a avaliação dos olhos.

À medida que a pressão das mãos da terapeuta aumenta, o pé encolhe-se. Chega-se ao ponto que corresponde aos rins e a estimulação revela que qualquer coisa não está bem.

Sem o saber, Manuela Ferreira identifica um problema que já era conhecido, mas que não tinha sido comunicado: um cálculo renal. As revelações não ficam por ali, uma vez que as peles soltas, perto do calcanhar, também denunciaram um mau funcionamento dos ovários.

No pé direito, a terapeuta identificou retenção de líquidos no tornozelo, justificados pelo mau funcionamento do rim. Feito o balanço, o rim e os ovários precisam de maior atenção, que também começa por uma melhor alimentação. A mudança dos hábitos é um dos conselhos mais repetidos.

Apesar do tabaco, os pulmões e os brônquios não inspiram grande preocupação.

Após a massagem, e com os pés ligeiramente doridos, o bem-estar é confirmado por uma sensação de energia e força. À noite, chega uma espécie de cansaço bom que faz com que as horas de sono sejam dormidas de uma vez, sem sobressaltos.

É, talvez, por esta qualidade do sono que a maior parte das pessoas que recorrem às mãos de Manuela sejam já de alguma idade. A paciente mais velha tem 84 anos: «Querem diminuir a quantidade de medicamentos que tomam. E são pessoas mais despertas para estas terapias».

A reflexologia tem pelo menos cinco mil anos e está bastante desenvolvida no Egipto e em países como a China e o Vietname.

Na Escócia há um hospital de medicina tradicional que utiliza esta terapia, a par das intervenções normais de prevenção, diagnóstico e cura. «Esse era o meu sonho, trabalhar num hospital em Lisboa em que pudesse ajudar os outros», revela Manuela Ferreira. E queixa-se do facto de, em Portugal, não haver «a filosofia da manutenção e da recuperação da saúde, pois só se vai ao médico quando há um problema».

Desconhecida por muitos, a sua divulgação poderia passar pelas crianças, «muito mais receptivas e disponíveis para a descoberta». Por outro lado, os adultos não estão habituados a serem tocados, «em especial, nos pés». No entanto, são das partes do corpo que mais precisam de bons estímulos e até de mimos – «suportam a estrutura do corpo».

As sessões com Manuela Ferreira são feitas na casa do paciente, forma que a terapeuta encontra para o conhecer melhor – está no seu espaço. Mais informações pelos e-mails mmanuelamferreira@gmail.com ou info@e-macrobiotica.com. O preço de uma sessão varia entre os 35 euros e 45 euros.



Por: Sol - Por Joana Ludovice de Andrade

Publicado em: 15/05/2011

Fonte: http://sol.sapo.pt/inicio/Vida/Interior.aspx?content_id=19266

De onde vem o Alzheimer

Alto nível da proteína homocisteína pode indicar novo fator de risco para a doença.

Associado à degeneração dos neurônios, a doença de Alzheimer também pode ter ligação com a presença excessiva de um tipo de aminoácido, a homocisteína, no sangue. Embora pesquisas já tivessem sugerido essa relação, pela primeira vez um estudo conseguiu comprovar que, quanto maior o nível da proteína, mais chances a pessoa tem de desenvolver a doença.

A constatação é do hematologista Dimitri Zylberstein, da Universidade de Gotemburgo, na Suécia.

– Nosso estudo demonstra uma clara associação entre o índice elevado de homocisteína e a doença de Alzheimer. Esse resultado, assim como os de estudos anteriores, implica que a doença provavelmente não é puramente degenerativa, mas completamente, ou pelo menos parcialmente, de origem vascular – afirma o médico.

Um importante amionácido para o metabolismo, a homocisteína é produzida no corpo depois da ingestão de carnes e laticínios. Em excesso, ela prejudica as artérias, formando placas de gorduras que podem levar a infartos e derrames.

Estudos anteriores acompanharam por, no máximo, oito anos a relação entre demência e o alto índice da homocisteína. Já o conduzido por Zylberstein foi o primeiro a fazer um acompanhamento a longo prazo, de 35 anos, o que garantiu a certeza dos resultados. Além disso, até hoje não havia associações entre o desenvolvimento de Alzheimer em idosas que, na meia-idade, tinham taxas elevadas do aminoácido. Zylberstein conseguiu fazer essa constatação.

Para isso, o médico utilizou uma pesquisa sobre a saúde feminina realizada em Gotemburgo no fim da década de 1960. No total, 1,5 mil mulheres entre 38 e 60 anos tiveram o sangue coletado e deram informações sobre sua saúde em geral. Passadas mais de três décadas, Zylberstein resgatou o resultado e foi a campo, descobrir como estavam, hoje, as voluntárias. Ele descobriu que o Alzheimer teve incidência duas vezes maior nas mulheres que, na época do exame de sangue, tinham índices altos de homocisteína. Em relação aos outros tipos de demência, aquelas com alteração na taxa possuíam 70% mais chances de apresentar o problema.

Segundo o cientista, que agora pesquisa a cura do mal, dois aspectos devem ser ressaltados sobre o resultado do estudo.

– Em primeiro lugar, a descoberta de que o excesso de homocisteína na meia-idade vai afetar a vida da pessoa muitas décadas depois. Em segundo que, se por um lado, demoram cerca de 15 anos para os efeitos se expressarem nos infartos do miocárdio, a média de surgimento da demência é 22 anos – diz.

Para Zylberstein, a cura ainda está distante, mas ele acredita que o resultado da pesquisa poderá ajudar a diminuir a incidência de Alzheimer, já que é possível controlar a taxa do aminoácido, ao se ingerir ácido fólico e vitamina B12.

Estágios da doença

1. A área afetada do cérebro é justamente a que forma e guarda lembranças. O paciente apresenta alterações na memória e na personalidade e comprometimento das habilidades espaciais e visuais.

2. Depois, surge a dificuldade para falar, realizar tarefas simples e coordenar movimentos. O doente apresenta agitação e insônia, e o problema é percebido pelos familiares mais atentos.

3. Resistência à execução de tarefas diárias e incapacidade para planejá-las e executá-las, incontinência urinária e fecal, dificuldade para alimentar-se e deficiência nos movimentos das mãos.

4. Na fase avançada, o doente geralmente fica restrito ao leito, não conversa, sente dor ao engolir e se torna suscetível a infecções.


Por: Vegetarinismo - Por Zero Hora

Publicado em: 10/06/2011

Fonte: http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/index.php?option=com_content&task=view&id=2501&Itemid=103

Acupuntura se transforma em arma contra obesidade

Técnica da medicina chinesa, a acupuntura atua em problemas de ansiedade, insônia, prisão de ventre e compulsão alimentar.

Enquanto várias pessoas enfrentam regimes desumanos para emagrecer a qualquer custo, a fisioterapeuta Karla Chebel revela que a acupuntura se transformou na arte de perder peso e restabelecer o equilíbrio da saúde sem passar fome.

Quando se fala em alimentação, é sempre bom ressaltar que comemos não só por necessidade, mas também por prazer e em busca de qualidade de vida. O problema é que a falta dessa moderação gera a obesidade, vilã no surgimento de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, AVC e outras doenças cardiovasculares.
A boa notícia é que tudo isso tem tratamento através da acupuntura.

A fisioterapeuta explica que é raro pessoas que estão acima do peso confessarem que não têm controle e abusam da comida. “Pessoas obesas que dizem comer quantias absurdas de comida aceitam mais facilmente o tratamento contra a obesidade justamente por reconhecer que possuem um distúrbio. Na verdade, o obeso não come por fome excessiva, e sim para saciar uma vontade que vem ‘da alma’”, afirma.

Karla Chebel esclarece que essa sensação de fome, difícil de ser saciada, funciona como se algum mecanismo de troca estivesse alterado em seu cérebro, ou seja, a pessoa tenta escapar dos problemas comuns do seu cotidiano com a ingestão de comida. “Todos já sentimos, pelo menos uma vez na vida, a sensação de plenitude estomacal, aquela sensação de que não cabe nem mais um grão de arroz no estômago. Porém, grande parte das pessoas com dificuldade para se alimentar tem a necessidade de sentir essa sensação diariamente, por isso exageram sempre que comem”, explica a fisioterapeuta.

O fato é que nosso estômago leva cerca de 20 minutos, depois que nos alimentamos, para nos dar o aviso de que “não quer mais comer”, explica Karla. O problema é que, por ansiedade, estresse e falta de tempo, a população mundial está se alimentando da forma errada, ou seja, com o hábito de comer rapidamente. “Tudo que for ingerido antes de o “alarme” soar e que for além da real necessidade acabará virando gordura.

O organismo humano entende que é uma forma de armazenamento energético, pois, sem freios, não tem como assimilar adequadamente o que ingere, e a consequência disso é o acúmulo”, completa a especialista.

O tratamento disso tudo não inclui fazer regimes de fome ou o uso de pesados medicamentos para combater a ansiedade. “Com a aplicação de sessões de acupuntura, é possível quebrar o ciclo de aumento de peso. A técnica atua onde medicamento nenhum consegue chegar. A medicina chinesa trata a obesidade ou o excesso de peso não como uma doença, mas como distúrbio com um conjunto de sintomas que devem ser verificados caso a caso, visando não só ao emagrecimento, mas também à melhora na qualidade de vida.


Por: JM Online - Seção: Saúde - Por Thassiana Macedo

Publicado em: 29/06/2011

Fonte: http://www.jmonline.com.br/novo/?noticias,7,SA%DADE,47071

Mais da metade dos casos de Alzheimer podem ser evitados

Revisão do Alzheimer

Mais da metade de todos os casos da doença de Alzheimer poderiam ser evitados por meio de mudanças do estilo de vida e do tratamento ou prevenção de doenças crônicas.

Esta é a conclusão de um estudo conduzido pela Dra. Deborah Barnes, pesquisadora de saúde mental da Universidade da Califórnia, em São Francisco, nos Estados Unidos.

O estudo, chamado de estudo de revisão, analisou de forma sistemática dados de pesquisas científicas realizadas por inúmeros grupos de pesquisa ao redor do mundo, envolvendo no total centenas de milhares de participantes.

Como evitar o Alzheimer

Barnes concluiu que, na média mundial, os principais fatores de risco para o Alzheimer que são modificáveis são, em ordem decrescente de importância:

baixa escolaridade
tabagismo
sedentarismo
depressão
hipertensão na meia-idade
diabetes
obesidade na meia-idade

Juntos, esses fatores de risco estão associados com 51 por cento dos casos de Alzheimer em todo o mundo (17,2 milhões de casos) e 54 por cento dos casos de Alzheimer nos Estados Unidos (2,9 milhões de casos).

Nos Estados Unidos, Barnes descobriu que os fatores de maior risco modificáveis apresentam-se em outra ordem: inatividade física, depressão, tabagismo, hipertensão na meia-idade, obesidade na meia-idade, baixa escolaridade e diabetes.

Mudanças de estilo de vida

"O que é entusiasmante é que isso sugere que algumas mudanças de estilo de vida muito simples, como o aumento da atividade física e deixar de fumar, podem ter um tremendo impacto na prevenção do Alzheimer e outras demências, nos Estados Unidos e no mundo," disse Barnes.

Barnes adverte que suas conclusões são baseadas no pressuposto de que existe uma relação causal entre cada fator de risco e a doença de Alzheimer.

"Nós estamos assumindo que, quando você altera o fator de risco, então você altera o risco," explicou ela. "O que precisamos fazer agora é descobrir se essa suposição é correta."

Os resultados do estudo foram publicados na conceituada revista The Lancet Neurology.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 21/07/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=como-evitar-alzheimer&id=6730

Óleo de arroz alivia inflamações da pele

Além da proteção

Um composto formado por nanopartículas promove a melhora da hidratação e da oleosidade da pele de pessoas diagnosticadas com dermatite atópica ou psoríase.

Nanopartículas já partículas que medem entre 50 e 200 nanômetros e que estão sendo cada vez mais usadas pela medicina. Vários cremes hidratantes e protetores solares já usam nanopartículas.

Neste novo estudo, realizado na USP, as nanopartículas foram fabricadas à base de óleo de arroz, obtido do farelo de arroz. O óleo de arroz também já está sendo usado na composição de protetores solares e hidratantes.

O que a farmacêutica Daniela Spuri Bernardi queria saber era se o uso da nanotecnologia poderia potencializar o óleo de arroz, permitindo seu uso não apenas na prevenção, mas também em situações críticas de problemas na pele.

Nanoemulsão

A nova substância, que contém água, óleo e tensoativo (produto que possibilita a mistura de água e óleo) tem a superfície de contato com a pele aumentada devido às minúsculas partículas que a formam.

Ela atua como antioxidante e adjuvante no tratamento da pele ressecada de quem tem uma ou outra doença, pois ajuda na formação de uma proteção maior à camada mais externa da pele, além de evitar processos inflamatórios e reduzir a utilização de corticosteroides (hormônios sintéticos que inibem a inflamação).

Para a obtenção da nanoemulsão, Daniela testou diversos pares de tensoativos até chegar a um composto estável.

"Este cuidado é essencial para verificar se as partículas do composto mantêm o tamanho nanométrico e se o pH [indicador de acidez, alcalinidade ou neutralidade de uma solução], além da condutividade elétrica da substância, não se altera, ou seja, se há ou não perda das propriedades como cor, textura e validade do composto neste período," explica ela.

Foi realizado o procedimento de cromatografia líquida de alta eficiência, que serve para identificar os compostos do óleo de arroz. "Dentre as substâncias encontradas no óleo de arroz, há a presença de gama-orizanol, substância já conhecida por sua capacidade antioxidante e, entre outras características, por já beneficiar o tratamento de outras doenças da pele sem ser a dermatite atópica e a psoríase." diz Daniela.

Irritabilidade, hidratação e oleosidade

Foram realizados testes com 26 voluntários em que o óleo de arroz foi aplicado no antebraço (sem lesões) de 17 pessoas com pele normal, 9 com psoríase e 8 com dermatite atópica.

A preparação da pele do antebraço para receber o produto ocorreu pela lavagem da região com água e sabão com duas hora de antecedência à aplicação, e 15 minutos de aclimatação à sala onde o produto seria aplicado.

Os resultados demonstraram alta hidratação da pele dos dois grupos e um aumento positivo de oleosidade.

Conforme relata a farmacêutica, "isto implica numa melhora na função de barreira da pele e não uma cura, mas na possibilidade de um tratamento complementar ao usual que pode atuar também como preventivo, uma vez que a pele menos ressecada causa menor possibilidade de formação de placas ou de feridas."

Dermatite Atópica e Psoríase

A Dermatite Atópica é considerada uma forma específica de alergia, não contagiosa e hereditária.

Caracteriza-se pela inflamação crônica da pele, que causa muitas vezes vermelhidão e coceiras principalmente em regiões como o cotovelo, joelhos e pregas da pele devido ao ressecamento. O ato de coçar o local alivia, mas também, provoca lesões e contaminação devido à fragilidade da pele.

Em contrapartida, a pele de pacientes com psoríase sofre com inflamações crônicas e a renovação rápida das células das regiões afetadas, o que além de engrossar a camada mais superficial da pele, gera a formação de placas e escamações.

"Em ambos os casos a complementaridade da nanoemulsão ao tratamento dos pacientes funciona por meio do aumento da hidratação e da oleosidade e pode, com isto, aliviar a sensação incômoda de coceira provocada pelo ressecamento e diminuir as lesões provocadas pelos próprios pacientes em seu corpo ao se coçarem", diz a farmacêutica.



Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência USP

Publicado em: 19/08/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-arroz-alivia-inflamacoes-pele&id=6837

Comer frutas e vegetais crus protege contra derrame

"Mas tem que ser cru"

Comer grandes quantidades de frutas e verduras cruas todos os dias pode diminuir o risco de sofrer um derrame.

Por outro lado, os pesquisadores não encontraram nenhuma evidência para sugerir que o mesmo efeito protetor ocorra quando se come frutas e legumes cozidos.

Linda Oude Griep e seus colegas da Universidade de Wageningen, na Holanda, realizaram uma pesquisa com 20.069 homens e mulheres com idades entre 20 e 65 anos.

Nenhum dos participantes tinha sofrido uma doença cardiovascular no início do período de pesquisa.

Peras e maçãs

Os hábitos alimentares habituais dos participantes foram coletados usando um questionário com informações sobre 178 tipos de alimentos.

Das frutas e legumes mais consumidos, mais da metade eram peras e maçãs.

Os participantes foram então monitorados durante dez anos.

No decorrer da pesquisa, 233 dos participantes sofreram derrame.

O risco de um acidente vascular cerebral foi 36% mais baixo para as pessoas que consumiam grandes quantidades de frutas e vegetais não transformados (mais de 262 gramas por dia) do que para as pessoas que comiam pouco destes produtos (menos de 92 gramas por dia) - uma maçã, por exemplo, pesa 120 gramas.

Mecanismo desconhecido

Não foi encontrada relação entre os derrames e a ingestão de frutas e vegetais processados ou cozidos.

Que comia grandes quantidades deste tipo de alimentos processado (233 gramas) não sofreu menos derrames que aqueles que comiam pouco vegetais processados (menos de 113 gramas por dia).

Como o estudo foi estatístico, os cientistas não sabem explicar o mecanismo que as frutas e verduras cruas exercem sobre o organismo para proteger contra o derrame - eles apenas verificaram que isso ocorre de fato.


Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 16/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=frutas-vegetais-crus-protegem-contra-derrame&id=6948

Hortelã é eficaz contra bactérias da boca

Tratamento fitoterápico

A Mentha spp. - nome científico da hortelã - tem efeito antimicrobiano contra cepas de Candida, principalmente a albicans, uma bactéria comumente encontrado na cavidade bucal.

A conclusão é pesquisadora Iza Teixeira Alves Peixoto, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

No estudo foi analisado o óleo essencial da planta, mas os resultados demonstraram a possibilidade de criação de novas modalidades de tratamento fitoterápico, em particular contra doenças infecciosas por esta espécie, como a candidíase.

Tipos de hortelã

Foram avaliados ao todo 64 tipos diferentes de hortelã, com espécies de várias regiões brasileiras, assim como de outros países, em busca da concentração inibitória mínima, que é a menor concentração capaz de apresentar efeito antimicrobiano.

Segundo Iza, o óleo essencial da planta não mostrou toxicidade contra células em culturas de células: "Isso sinaliza para uma maior segurança dessas frações como medicamento."

Algumas espécies de hortelã demonstraram também atividade antimicrobiana contra biofilmes de C. albicans - o principal fator etiológico da candidose - encontrados sobretudo na superfície de próteses removíveis.

O extrato de hortelã age contra esses microrganismos, seja inativando-os ou matando-os graças ao seu "efeito fungicida".

Candidíase

A candidíase ou candidose é uma infecção comum no homem, sendo causada por espécies de Candida, juntamente com a imunodeficiência do hospedeiro.

Por ser um microrganismo comensal, entre 30% e 50% das pessoas simplesmente o possuem em sua cavidade bucal sem evidência clínica de infecção.

"Como faz parte do organismo, é chamado de fungo patogênico oportunista, respondendo por cerca de 80% das infecções fúngicas hospitalares documentadas até hoje", explica pesquisadora.

Como resultado dessa infecção complexa entre hospedeiro e microrganismo, essa doença é capaz de variar desde o leve envolvimento da superfície mucosa, notada na maioria dos pacientes, a uma doença fatal, de maneira disseminada nos gravemente imunodeprimidos.

A candidose também pode ser observada agregada a válvulas cardíacas e cateteres.

Produtos naturais

Produtos naturais, como a hortelã, que gera um dos óleos essenciais mais consumidos no mundo, podem originar novas modalidades de tratamento.

Várias espécies têm sido analisadas quanto a suas diferenças metabólicas, composições químicas, propriedades antibacterianas, antifúngicas e antivirais. Estão sendo conduzidas pesquisas atualmente para avaliação biológica de suas propriedades medicinais no combate a vários tipos de doenças.

A pesquisadora ressalta o valor de selecionar o acesso da Mentha spp. não apenas com a função de melhorar o odor ou o seu sabor, mas também para aplicações antimicrobianas.

"As indústrias poderão escolher o acesso mais adequado à sua produção, ou seja, aquele que produz o óleo de melhor rendimento, melhor atividade antimicrobiana, numa baixa concentração e que não seja tóxica aos tecidos humanos. Os dados da presente pesquisa, aliás, desvelam novas perspectivas para melhoramento genético", salienta.



Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 24/09/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=hortela-contra-bacterias-boca&id=6967

Cientistas confirmam propriedade analgésica da hortelã brasileira

Melhor do que remédio

Uma xícara de chá de um tipo de hortelã tem propriedades analgésicas equivalentes às de alguns remédios vendidos comercialmente, concluiu um estudo feito na Grã-Bretanha por uma pesquisadora brasileira.

Há séculos, a erva Hyptis crenata, conhecida como hortelã-brava e salva-de-marajó, vem sendo utilizada na medicina popular no Brasil para tratar desde dores de cabeça e estômago até febre e gripe.

Liderada pela brasileira Graciela Rocha, a equipe da Universidade de Newcastle, no nordeste da Inglaterra, fez estudos com ratos e provou que a prática popular tem base científica.

O estudo foi publicado na revista científica Acta Horticulturae.

Graciela Rocha está apresentando seu trabalho no Simpósio Internacional sobre Plantas Medicinais e Nutracêuticas, em Nova Déli, na Índia.

Sabedoria da medicina popular

De forma a reproduzir os efeitos do tratamento da maneira mais precisa possível, a equipe fez uma pesquisa no Brasil para descobrir como a erva é preparada tradicionalmente e que quantidades devem ser ingeridas.

O método mais comum de uso é ferver a folha seca em água durante 30 minutos e deixar que o líquido esfrie entes de bebê-lo.

Os pesquisadores descobriram que quando a erva é ingerida em doses similares às indicadas na medicina popular, ela é tão efetiva em aliviar a dor como uma droga sintética, do tipo aspirina, chamada indometacina.

50 mil plantas medicinais

A equipe pretende agora iniciar testes clínicos para descobrir quão efetiva a erva é no alívio da dor em humanos.

"Desde que os homens começaram a andar na Terra, temos procurado plantas para curar nossas aflições", disse Graciela Rocha. "Na verdade, calcula-se que mais de 50 mil plantas sejam usadas no mundo com fins medicinais".

"Além disso, mais de a metade de todos os remédios vendidos com receita são baseados em uma molécula que ocorre naturalmente em alguma planta".

"O que fizemos foi pegar uma planta que é amplamente usada para tratar a dor com segurança e provar cientificamente que ela funciona tão bem como algumas drogas sintéticas", disse Rocha.

"O próximo passo é descobrir como e por que a planta funciona".

Sabor de remédio

Graciela disse que se lembra de ter tomado o chá como cura para todas as doenças da sua infância.

Ela disse: "O sabor não é o que a maioria das pessoas reconheceria como hortelã. Na verdade, ela tem um gosto mais parecido com o da sálvia, que é uma outra erva da família das mentas. Não é muito gostoso, mas remédios não têm de ser gostosos, não é?"

Em busca da molécula

A presidente da Chronic Pain Policy Coalition, entidade britânica que trabalha para combater a dor crônica, disse que a pesquisa é interessante.

"São necessários mais estudos para identificar a molécula envolvida, mas este é um estudo interessante sobre um possível novo analgésico para o futuro", disse Beverly Collett.

"Os efeitos de substâncias semelhantes à aspirina são conhecidos desde que os gregos, na Antiguidade, relataram o uso da casca do salgueiro para cortar a febre".



Por: Diário da Saúde - BBC

Publicado em: 26/11/2009

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=cientistas-confirmam-propriedade-analgesica-hortela-brasileira&id=4753

10 maneiras de tomar melhores decisões sobre o câncer

Decisões sobre o câncer

Conversar com os médicos sobre o câncer e os tratamentos para câncer podem fazer as pessoas se sentirem como estivessem aprendendo uma nova língua.

E, na grande maioria das vezes, as pessoas que se defrontam com diagnósticos de câncer precisam de ajuda especializada para entender suas opções de tratamento e os riscos e benefícios de cada escolha.

"As pessoas estão tomando decisões de vida e morte, que podem afetar sua sobrevivência, e elas precisam saber mais sobre os caminhos que estão tomando. Tratamentos e exames ligados ao câncer podem ser sérios.


Os médicos não podem decidir sozinhos

"Os pacientes precisam saber que tipo de efeitos colaterais podem ocorrer como resultado do tratamento que vão adotar," afirma Angela Fagerlin, da Universidade de Michigan (EUA).

Aprendendo a conversar

Os pacientes podem perguntar. O problema é que nem todos os médicos estão prontos ou dispostos a responder, ou sequer receberam o treinamento para isso.

Para esses casos, Fagerlin e seus colegas elaboraram 10 coisas que os profissionais de saúde podem fazer para melhorar a forma como comunicam informações sobre o câncer e sobre os riscos dos tratamentos para os pacientes.

Aqui, eles explicam como os pacientes podem explorar estas melhores práticas para se tornarem fluentes na língua dos tratamentos do câncer e compreender melhor suas opções.

1. Insista em uma linguagem simples

Se você não entender algo que seu médico diz, peça-lhe para explicar melhor.

"Os médicos não sabem quando os pacientes não os compreendem. Eles querem que os pacientes os interrompam e façam perguntas," diz Fagerlin.

2. Concentre-se no risco absoluto

A estatística mais importante a considerar é a possibilidade de que algo aconteça com você.

"É importante que os pacientes e os médicos saibam como conversar sobre esses números, e os pacientes precisam ter a coragem de pedir ao médico para apresentá-los para que eles possam entender", diz Fagerlin.

Frequentemente o efeito dos tratamentos do câncer é descrito usando uma linguagem como "esse medicamento vai cortar seu risco pela metade."

Mas tais afirmações de risco relativo não dizem nada sobre qual é a probabilidade de que algo aconteça.

Pesquisas mostram que o uso de dados sobre riscos relativos tornam pacientes e médicos mais propensos a favorecer um tratamento, porque eles acreditam que será mais benéfico do que o tratamento realmente pode ser, criando falsas expectativas e frustrações futuras.

Se o médico disser que seu risco será reduzido pela metade, a maioria dos pacientes imediatamente concorda com o tratamento. Mas a resposta pode ser bem outra se o médico disser que seu risco passará de 1% para 0,5%.

3. Visualize seu risco

Em vez de apenas pensar em percentuais, tente desenhar 100 caixas e colorir cada caixa para cada ponto percentual de risco. Assim, se o risco de um efeito colateral é de 10 por cento, você terá de colorir 10 caixas.

Este tipo de representação visual, chamada de pictograma, pode ajudar as pessoas a compreender o significado por trás dos números.

4. Considere o risco como uma frequência, não como porcentagem

O que significa dizer que 60% dos homens que fazem uma prostatectomia radical têm impotência?

Imagine uma sala cheia de 100 pessoas: 60 delas terão este efeito colateral e 40 não.

Pensar nos riscos em termos de grupos de pessoas pode ajudar a tornar as estatísticas mais fáceis de entender.

5. Concentre-se no risco adicional

Você pode ouvir que o risco de ocorrência de um certo efeito colateral é de 7%.

Mas se você não tomar o medicamento, há uma chance de que ocorra o que com você?

Pergunte qual é o risco adicional ou incremental de um tratamento. "Você precisa se certificar de que o número de risco que está sendo apresentado é o risco devido ao tratamento, e não um risco que você iria enfrentar não importa o quê," diz Fagerlin.

6. A ordem das informações importa

Estudos têm demonstrado que as pessoas tendem a concordar com a última coisa que ouviram. É por isso que os políticos brigam para ser os últimos a discursar.

Ao tomar uma decisão de tratamento, não se esqueça de considerar todas as informações e estatísticas que você aprendeu, e não apenas as últimas.

7. Anote tudo

Você pode se deparar com um monte de informações.

No final da discussão, peça ao seu médico um resumo escrito sobre os riscos e benefícios disponíveis.

Ou peça ao seu médico para ajudá-lo a resumir todas as informações por escrito.

8. Não fique preso a médias

Alguns estudos descobriram que saber o risco médio de uma doença não ajuda os pacientes a tomar boas decisões sobre o que é melhor para eles.

O seu risco é o que importa - e não o risco de qualquer outra pessoa ou a média da população, que envolve pessoas com padrões completamente diferentes dos seus.

Concentre-se na informação que se aplica especificamente a você.

9. Menos pode ser mais

Não fique sobrecarregado por excesso de informação.

Em alguns casos, pode haver muitas opções diferentes de tratamento, mas apenas algumas delas podem ser relevantes para você.

Peça ao seu médico para reduzir as opções àquelas disponíveis e aplicáveis e apenas discuta com você as opções e os fatos mais relevantes para você.

10. Considere o risco ao longo do tempo

Seu risco pode mudar ao longo do tempo.

"O que parece ser um pequeno risco para o próximo ano ou dois, pode parecer muito maior quando considerado ao longo do seu tempo de vida," diz Brian Zikmund-Fisher, coautor do estudo.

Se lhe for falado sobre o risco de seu câncer retornar em cinco anos após um determinado tratamento, pergunte o risco de 10 anos ou 20 anos.

Em alguns casos, esses dados podem não estar disponíveis, mas sempre esteja ciente dos prazos envolvidos.



Por: Diário da Saúde - Nicole Fawcet

Publicado em: 06/10/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=melhores-decisoes-sobre-cancer&id=7013

Lipoaspiração sem exercícios pode ser perigosa

Gordura visceral

A realização da lipoaspiração não acompanhada de atividade física regular no pós-operatório pode acarretar um aumento significativo da gordura visceral, localizada na região entre os órgãos.

Essa gordura é extremamente danosa para a saúde por estar associada ao aumento do risco cardiovascular.

Os exercícios físicos inibem o aumento dessa gordura entre os órgãos - veja Gordura abdominal interna é a mais perigosa para doenças do coração.

A conclusão é de um estudo realizado na Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da Universidade de São Paulo (USP).

Treinadas e sedentárias

A pesquisadora Fabiana Braga Benatti recrutou 36 mulheres com Índice de Massa Corporal (IMC) abaixo de 30, que fariam lipoaspiração na região abdominal, para participar da pesquisa.

O IMC é calculado a partir do peso da pessoa em quilogramas, dividido pela sua altura em metros elevada ao quadrado.

O grupo foi igualmente dividido em "mulheres treinadas" e "mulheres sedentárias".

Dois meses depois da cirurgia, o primeiro grupo foi submetido à uma série de exercícios de força e aeróbicos, por três vezes semanais, durante quatro meses, enquanto o segundo grupo permaneceu sem fazer atividades físicas regulares.

Uma bateria de exames foi feita antes e depois do processo e serviu de base para toda a pesquisa.

Aumento de gordura sem perceber

No grupo das mulheres sedentárias, o ganho da massa visceral chegou a 10%.

O fato não foi percebido pelas pacientes, pois o aumento desta gordura interna do corpo dificilmente é identificado no dia-a-dia, já que não representa grandes proporções em termos visuais.

Isso aumenta a importância do estudo, já que dificilmente estes dados seriam alcançados a não ser por um acompanhamento detalhado durante o pós-operatório.

Já no grupo de mulheres treinadas não houve aumento da gordura visceral. O treinamento físico preveniu este aumento.

Uma possível explicação para isso é o fato deste tipo de gordura ser metabolicamente ativo e mais responsivo ao aumento das concentrações de adrenalina que ocorrem durante o exercício físico.

Além disso, o treinamento físico preservou o gasto energético das mulheres treinadas, o que pode ter contribuído para seus efeitos benéficos observados.

Lipoaspiração não é para perder peso

O peso perdido na cirurgia de lipoaspiração foi recuperado em ambos os grupos.

"A cirurgia não tem como objetivo a redução de peso, que diminui em média 1%. A pretensão da lipoaspiração é retirar a gordura localizada e modelar o corpo do paciente", diz Fabiana.

No caso das mulheres sedentárias, contudo, o peso retornou possivelmente pelo novo ganho de massa gorda, favorecida pelo estilo de vida levado. O metabolismo se esforça para manter uma constante e isso inclui o peso.

Perda de massa gorda

A diminuição do gasto energético durante dietas restritivas normalmente é atribuída à perda de massa magra.

"Como não se percebeu perda de massa magra durante o estudo, este resultado foi considerado inesperado. "Acreditamos que tenha a ver com a perda de massa gorda", diz Fabiana.

A retirada de massa gorda ocasiona, ainda, a queda nos níveis do hormônio adiponectina, que tem efeito benéfico no corpo. Ele regula a sensibilidade da insulina que, quando alterada, pode gerar uma série de consequências danosas para o corpo, a mais conhecida delas sendo a diabetes.

Puramente estético

Ao contrabalancear os efeitos da lipoaspiração, Fabiana diz que o que deve ser feito é um esclarecimento sobre os efeitos colaterais causados pela cirurgia.

"Metabolicamente falando, não vimos nada de benéfico na cirurgia. Ela é um procedimento puramente estético", conclui.

O aumento da gordura visceral e dos riscos que isso traz podem ser evitados, mas para isso é preciso atentar e esclarecer, tanto para médicos quanto para pacientes, a real necessidade de fixação de uma série de exercícios na rotina do pós-operatório.



Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência USP

Publicado em: 07/10/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=lipoaspiracao-sem-exercicios-perigosa&id=7019

Óleos do bem

A primeira coisa que aprendemos em uma aula de Yoga é respirar. A inspiração e a expiração pelas narinas de forma lenta e ritmada fazem toda a diferença na prática. Então, imagine-se em savasana com o corpo totalmente relaxado inspirando um aroma suave de lavanda, que traz sensação de paz e serenidade. Com certeza, seu relaxamento será bem mais profundo. A aromaterapia – ramo que se utiliza de óleos essenciais para prevenir e tratar problemas físicos, psicológicos e energéticos –, aliada ao Yoga, só potencializa seus benefícios.

Durante uma aula, os óleos têm diversos fins: podem ser usados para aromatizar o ambiente – em substituição ao incenso, que contém substâncias tóxicas – durante a prática de asanas, pranayamas, meditação e no relaxamento final. Os efeitos da prática são ressaltados pelos óleos. A professora de Iyengar Yoga Mayra Castro, de Curitiba (PR), aliou as duas técnicas e consegue bons resultados com seus alunos. “Os óleos essenciais potencializam os benefícios das técnicas terapêuticas do Yoga, contribuindo para o relaxamento do sistema nervoso, para a purificação do aparelho respiratório, auxilia na prática de meditação e traz uma informação emocional a mais quando trabalhados com um asana”, explica.

De acordo com a aromaterapeuta Samia Maluf, da By Samia, quando usados durante uma prática de Yoga, os óleos dão mais elasticidade à pele e aos músculos e ativam o metabolismo. “A pessoa recebe os benefícios dermatológicos, psicológicos e nos órgãos do corpo”, diz. Além disso, ela explica que, aromatizados no ambiente, eles agem como antissépticos.

Sabemos também que é pela respiração que percebemos quando estamos ansiosos, com medo ou serenos, e as ações tranquilizantes dos óleos essenciais podem tratar os mais diversos problemas, como estresse, ansiedade, fobias, depressão, problemas respiratórios, resfriados, dores de cabeça, tensões musculares, gastrite ou azia nervosa. Além de cólicas, enjoos gástricos e TPM.

Com crises frequentes de enxaqueca, a desenhista Iara Macedo Foggiatto começou a praticar Yoga e a usar os óleos essenciais por recomendação de Mayra. “Fazia aulas de spinning, mas tive de parar por causa das dores frequentes. Além do uso da aromaterapia, faço acompanhamento com um neurologista, mas a melhora foi nítida quando associei os dois tratamentos. Se antes tinha crises de duas a três vezes por mês, hoje tenho uma a cada quatro meses”, conta.
A aposentada Marilis Magalhães também aprovou o uso dos óleos com o Yoga. Sofrendo vários problemas de saúde como LER nos dois cotovelos, ela conta que a prática ajudou na sua cura, e acelerou sua recuperação no tratamento de um câncer. “Pratico todos os dias, além de caminhar 6 km diariamente. Depois de unir as duas terapias, o resultado foi mais rápido. Uso óleo de eucalipto para obstrução nasal; para relaxar, inalo a lavanda e em casa uso óleos para melhorar a circulação nas pernas e aliviar dores musculares.”

Na prática
Mayra, que dá cursos que ensinam a usar a aromaterapia nas aulas de Yoga, diz que o professor pode usar óleos específicos com algumas finalidades como, por exemplo, preparar uma aula de extensões usando cítricos – óleos energizantes que trabalham o emocional –, aromas terrosos para posturas que precisam de uma base forte no solo; aromas florais para a sutileza das flexões para a frente, entre outros.

O uso de um ou vários óleos na mesma aula pode variar de acordo com o objetivo da aula. A professora Susana Francovig, de Londrina (PR), prefere usar apenas um aroma a cada aula no momento dos pranayamas e yoganidra. “Se vou trabalhar um tema específico, busco sempre a harmonia do óleo como agente facilitador. Por exemplo, se pretendo uma aula mais interiorizada e com maior concentração, uso sândalo. Se pretendo desenvolver mais paciência, tranquilidade e serenidade, uso lavanda ou rosa”, explica.

Para a professora Alessandra Ângelo, de Curitiba (PR), o melhor momento de usar os óleos é durante os exercícios respiratórios, pingando algumas gotas no lenço de papel ou durante o relaxamento, quando a pessoa está deitada e pode colocar o lenço sobre o rosto ou sobre o peito, o pescoço ou a testa. “A combinação é perfeita. Usando ao menos os óleos básicos para relaxamento (lavanda, capim-cidreira, laranja), a pessoa consegue se conectar mais à sua respiração e se concentra, ouve o relaxamento com mais clareza, pois seus outros sentidos estão aguçados, estimulados pelo óleo essencial”, conclui.

Para Mayra, a hora mais apropriada para se usar os óleos essenciais é durante o yoganidra. Baseada na técnica de swami Satyananda, ela introduziu a aromaterapia e batizou de aromanidra. “É um relaxamento profundo sem dormir usando um sankalpa, que pode ser traduzido como resolução ou determinação que o praticante faz em relação ao seu direcionamento na vida, escolhido por ele ou como apoio às sensações que serão despertadas durante a prática. Por exemplo, um sankalpa de enraizamento pede aromas de vetiver; um sankalpa de autoconfiança, copaíba; a lavanda para outros.”

Cuidados
Segundo ela, todos podem se beneficiar da aromaterapia. Os únicos cuidados são em relação às posturas. “Conhecer as contraindicações das posturas do Yoga é fundamental, porque não podemos esperar que os óleos essenciais anulem a contraindicação de uma postura como, por exemplo, deixar um hipertenso fazer sirsasana só porque ele acabou de inalar ylang-ylang”, acrescenta. Para Mayra, é muito mais fácil um professor de Yoga adquirir conhecimentos de aromaterapia e aplicá-los em sala de aula do que um aromaterapeuta aprender fundamentos básicos do Yoga para usá-los em sua terapia.

Samia explica que todas as pessoas podem se beneficiar com óleos, mesmo as alérgicas, pois os óleos essenciais são naturais. “A pessoa pode ter alergia a óleo sintético, mas se não gostar de uma determinada fragrância, é porque dentro da memória olfativa aquilo remete a alguma lembrança negativa”, afirma.

Aprenda a usar os óleos
Dores de cabeça Lavanda francesa e hortelã-pimenta (uma gota em um lenço de papel sobre o rosto) em savasana ou sethu bandha sarvangasana com bolsters.

Cólicas menstruais Camomila-romana diluída à proporção de 3% a 5% em óleo vegetal de massagem, aplicado no baixo ventre em supta baddha konasana e supta virasana feitos com bolsters.

Hipertensão Ylang-ylang completo e capim-limão para ujjayi pranayama em savasana (uma gota de cada num lenço de papel colocado sobre o rosto).

Congestionamento nasal e sinusite Eucalipto glóbulos, cipreste e tea tree. Faz-se a inalação a seco de uma gota de cada e depois kapalabhati kriya.



Por: Yogajornal - Terra- Seção: Bem estar

Publicado em: 05/10/2011

Fonte: http://yogajournal.terra.com.br/show_yoga.php?id=1349

Yoga trabalha força e equilíbrio

Unir a yoga com a prática de esportes como a corrida melhora a desempenho do atleta. O objetivo da união da yoga com a atividade física é criar uma unidade no corpo, integrá-lo em sua potência. Os especialistas em yoga explicam que o corpo se divide em cinco. Primeiro existe o corpo denso, material. Em seguida vem o corpo energético, em terceiro o mental; em quarto o corpo de consciência, o criativo e, por fim, o quinto, é o espiritual. Juntos, esses cinco corpos formam uma trama e quando um deles é desenvolvido, um repercute no outro. A execução de posturas, chamadas asanas, unidas as técnicas de respiração, pranayamas, faz com que o atleta desenvolva alongamento e força, além da capacidade energética. Por evitar o risco de lesões por impacto e estresse muscular, ela torna a recuperação do atleta mais rápida após o exercício. Os movimentos da yoga que trabalham a força e sustentação do corpo gera equilíbrio interno. Sua musculatura não fica encurtada, mas sim, forte e alongada. A consciência corporal proporcionada por ela melhora a técnica de corrida. Por Carolina Abranches


Por: Diário do Grande ABC - Seção: Bem-Estar/Saúde

Publicado em: 28/09/2011

Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5916267/yoga-trabalha-forca-e-equilibrio.aspx

Suplementos de vitamina E aumentam risco de câncer de próstata

Efeito contrário

Homens que tomam suplementos diários de vitamina E apresentam um risco mais elevado de desenvolver câncer de próstata.

E os suplementos de vitamina E normalmente são recomendados justamente para reduzir os riscos de câncer.

A conclusão é de um estudo conduzido pelo Dr. Erik Klein para o programa SELECT (Selenium and Vitamin E Cancer Prevention Trial), que busca estudar os efeitos da própria vitamina E e do mineral selênio para a prevenção de câncer.

Selênio e vitamina E

O próprio programa SELECT recomendou, em 2001, que o selênio e a vitamina E poderiam reduzir o risco de desenvolver certos tipos de câncer.

Em 2008, um pequeno estudo mostrou que este poderia não ser o caso, mas os resultados não foram estatisticamente relevantes.

Agora, um novo estudo mostrou que um grupo de homens que tomou uma dose diária de 400 UI de vitamina E, de 2001 a 2008, apresentou um risco 17% maior de ter câncer de próstata do que homens que tomaram placebo no mesmo período.

Desta forma, o mesmo programa agora sugere que tomar suplementos de vitamina E na verdade aumenta o risco do câncer de próstata.

Risco da vitamina E

A pesquisa envolveu 35.000 homens nos Estados Unidos, Canadá e Porto Rico.

Os voluntários foram divididos em quatro grupo, conforme o que receberam: vitamina E e selênio; só vitamina E; só selênio; e placebo.

Apenas o grupo que tomou somente vitamina E apresentou um risco mais elevado de câncer. A combinação da vitamina E com o selênio não apresentou aumento de risco.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 14/10/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vitamina-E-aumenta-risco-cancer-prostata&id=7040

Vegetais neutralizam genes de risco cardíaco

Vegetais contra o gene

Pessoas que são geneticamente suscetíveis a doenças cardíacas podem reduzir seus índices de risco comendo muitas frutas e vegetais crus.

Cinco ou mais porções diárias são suficientes para neutralizar as versões de um gene no cromossomo 9.

Os pesquisadores estudaram mais de 27.000 pessoas em todo o mundo, incluindo Europa, China e América Latina.

Suas conclusões mostram que as dietas saudáveis enfraquecem o efeito do gene.

Refeições verdes

Os resultados sugerem que indivíduos com a versão de alto risco do gene (chamada 9p21) que consumiram uma dieta repleta de vegetais crus, frutas e bagas, apresentaram um risco de ataque cardíaco semelhante ao de pessoas com uma variante de baixo risco do mesmo gene.

"Nossos resultados suportam a recomendação de saúde pública para consumir mais do que cinco porções de frutas ou vegetais [por dia] como forma de promover a boa saúde," afirmou a professora Sonia Anand, da Universidade McMaster (Canadá).

Os cientistas afirmam que agora precisam fazer novos estudos para descobrir como a dieta age diretamente sobre esses genes.

Cinco porções de vegetais por dia

Uma porção de frutas ou vegetais pesa 80 gramas, o que equivale a uma banana pequena, ou uma cenoura pequena, ou uma maçã média.

A recomendação é que um adulto ingira cinco dessas porções por dia.

Veja o que conta para atender a essa recomendação:

Frutas e vegetais crus e frescos;
frutas e legumes congelados;
frutas secas, como passas, tâmaras, sultanas e figos;
frutas e vegetais enlatados;
frutas e legumes cozidos em pratos como sopas, guisados ou pratos de massas;
um copo (150 ml) de suco com 100% de frutas ou vegetais, sem açúcar;
feijões e leguminosas; estes contam apenas como uma porção por dia, não importando o quanto você coma.


Por: Diário da Saúde - Com informações da BBC

Publicado em: 21/10/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vegetais-neutralizam-genes-risco-cardiaco&id=7064

Por que a meditação tem tantos efeitos positivos?

Atenção no agora

Em tempos de estresse, muitas vezes somos incentivados a fazer uma pausa por um momento e simplesmente ficar no "agora".

Este tipo de consciência, ou "mente alerta", uma parte essencial das tradições budista e da ioga indiana, transformou-se em um comportamento predominante conforme as pessoas tentam encontrar formas de combater o estresse e melhorar sua qualidade de vida.

E as pesquisas sugerem que a meditação da mente alerta pode ter benefícios para a saúde e o desempenho individual, incluindo melhorias na função imunológica, redução da pressão sanguínea e melhorias nas funções cognitivas.

Mas como é que uma única prática pode ter efeitos tão amplos sobre o bem-estar?

Prática multifacetada

Um novo artigo, publicado na última edição da revista Perspectivas sobre as Ciências Psicológicas, varreu a literatura científica para elaborar uma estrutura capaz de explicar estes efeitos positivos da meditação.

O objetivo deste trabalho foi "proporcionar 'um quadro geral', organizando muitas descobertas, como as peças de um mosaico," afirma Britta Hölzel, da Universidade Harvard, uma das autoras do estudo.

A conclusão dos pesquisadores é que aquilo que chamamos de meditação da mente alerta não é uma habilidade única.

Pelo contrário, é uma prática mental multifacetada que engloba vários mecanismos.

Efeitos positivos da meditação

Os autores identificaram especificamente quatro componentes-chave de atenção que podem ser responsáveis pelos efeitos da meditação:

a regulação da atenção
a consciência corporal
a regulação da emoção
e o sentido do self

Juntos, esses componentes nos ajudam a lidar com os efeitos mentais e fisiológicas do estresse por métodos que não envolvem julgamentos.

Embora estes componentes sejam teoricamente distintos, eles estão intimamente entrelaçados.

A melhoria na regulação da atenção, por exemplo, pode facilitar diretamente a consciência do nosso estado fisiológico.

A consciência corporal, por sua vez, nos ajuda a reconhecer as emoções que estamos experimentando.

Compreender as relações entre esses componentes e os mecanismos cerebrais subjacentes a eles vai permitir aos médicos adequar melhor as intervenções da meditação da mente alerta para seus pacientes, diz Hölzel.

Treinamento e prática

No nível mais fundamental, o trabalho reforça a visão de que a meditação da atenção plena não é uma panaceia, capaz de curar qualquer coisa.

Uma meditação da mente alerta eficaz requer treinamento e prática, e tem diferentes efeitos mensuráveis sobre nossas experiências subjetivas, nosso comportamento e nossas funções cerebrais.

Os autores esperam que a pesquisa "permita que um conjunto muito mais amplo de indivíduos utilize a meditação da atenção plena como uma ferramenta versátil para facilitar mudanças - tanto na psicoterapia quanto na vida cotidiana."



Por: Diário da Saúde - Anna Mikulak

Publicado em: 07/11/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=meditacao-efeitos-positivos&id=7110

Fabricantes vão reduzir benzeno nos refrigerantes até 2017

Cinco anos

As principais marcas de refrigerante light ou diet cítrico terão menos benzeno nos próximos anos.

O benzeno é uma substância que pode provocar câncer.

Responsáveis por quase 90% do mercado brasileiro, as empresas Coca-Cola, Schincariol e Ambev comprometeram-se a reduzir a quantidade de benzeno em suas bebidas ao máximo de 5 ppb (partes por bilhão) ou 5 microgramas por litro.

Este é o mesmo parâmetro usado para a água potável.

Mas isto só em 2017. Até lá os consumidores que continuarem consumindo os produtos continuarão sujeitos ao benzeno.

Bebidas cítricas sem açúcar

A meta foi acertada com o Ministério Público Federal (MPF) em Minas Gerais.

A medida demorou dois anos, desde que, em 2009, a Associação de Consumidores Proteste apontou alta concentração de benzeno em refrigerantes no Brasil.

Em 2009, a associação analisou 24 amostras de diversos refrigerantes e detectou a presença de benzeno em sete delas.

Depois da pesquisa, o MPF começou a investigar o caso.

Benzeno nos refrigerantes

Nos refrigerantes, o benzeno surge da mistura do ácido benzóico com a vitamina C.

Nos refrigerantes normais esse processo não ocorre por causa do açúcar, que inibe a reação química.

No Brasil, não existe limite de benzeno para os refrigerantes.

A legislação sanitária prevê valor somente para a água potável, de 5 ppb (partes por bilhão), igual ao adotado pelos Estados Unidos.

De acordo com a associação Proteste, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece em até 10 ppb a quantidade de benzeno para a água. Na União Europeia, é 1 ppb.

Estudos de mais de três décadas atrás apontam que a exposição ao benzeno eleva o potencial de câncer e doenças no sangue.

"Ele é tóxico e causador de leucemia e outros tumores, dependendo da quantidade e do tempo de exposição", disse o presidente da Associação Brasileira de Hemoterapia e Hematologia (ABHH), Cármino de Souza.

Cancerígeno, benzeno requer controle social

Cuidado com o benzeno

A maioria das pesquisas avaliou públicos específicos, como trabalhadores dos setores petroquímico e de siderurgia, que lidam diretamente com a substância.

O médico explicou que ainda há pouca informação sobre os efeitos do benzeno na saúde da população em geral, mas advertiu que a menor exposição ao agente químico diminui as chances de doenças sanguíneas. "Temos contato com benzeno diariamente. O ideal é zero, o mínimo possível".

O benzeno está presente na fumaça do cigarro e dos carros. É também usado na fabricação de plásticos, borrachas e detergentes.


Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência Brasil

Publicado em: 07/11/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=benzeno-refrigerantes&id=7118

Frutas do Cerrado têm propriedades funcionais comprovadas

Frutas do Cerrado

Gabiroba, guapeva e murici são frutas comumente saboreadas por moradores das regiões do Cerrado brasileiro.

Apesar dos relatos populares de que várias delas têm efeitos positivos sobre a saúde humana, o potencial anti-inflamatório e antioxidante dessas espécies nunca havia sido devidamente pesquisado.

Um estudo pioneiro, realizado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), associando ciência de alimentos e saúde, confirmou resultados positivos em relação ao potencial biológico destas frutas.

Diante da comprovação, se utilizadas nas indústrias farmacêutica, alimentícia e cosmética, as frutas devem contribuir no combate ao desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas, tais como câncer e diabetes.

"As frutas podem ser usadas tanto na forma in natura ou como ingredientes funcionais nessas indústrias", ressalta Luciana Malta, autora da pesquisa.

Compostos ativos

Estas frutas do Cerrado, que estão sendo devastadas a um ritmo superior ao da própria Amazônia, sobretudo para a plantação da cana-de-açúcar, poderiam mudar a história de muitas pessoas na luta contra o câncer e outras doenças.

Comparadas a outras drogas já conhecidas no mercado, as frutas do Cerrado apresentaram alto potencial, segundo Luciana, podendo ser usadas no enriquecimento de produtos comestíveis pela indústria alimentícia.

"Além disso, seus compostos ativos poderiam ser retirados e encapsulados pela indústria farmacêutica, já que não observamos nenhum nível toxicológico ao testar os extratos em animais", enfatiza.

Ao aplicar os extratos das frutas em diferentes células cancerígenas humanas, Luciana também observou um alto potencial anticâncer. "As plantas impediram o crescimento celular", reafirma.

Esse resultado motivou o desenvolvimento de pesquisas com pacientes com câncer do Hospital das Clínicas da Unicamp. Por não terem sido tóxicas aos animais utilizados na pesquisa e fazerem parte da alimentação da população da região do Cerrado, as frutas podem ser testadas em seres humanos com segurança, se consumidas na dose certa, segundo Luciana.

100 vezes melhores

As espécies também demonstraram potencial superior quando comparadas com frutas estudadas nos Estados Unidos, onde Luciana fez pesquisas, na Universidade de Cornell.

"Algumas atividades mostraram que as espécies analisadas são 100 vezes mais potentes que outras tidas como frutas de alta atividade", acrescenta Luciana. De acordo com a pesquisadora, o extrato da casca de guapeva demonstrou alto potencial nos testes in vivo, enquanto a gabiroba foi eficiente em avaliações in vitro.

Diante dos resultados, Luciana acentua que a pesquisa não pode ser engavetada, mas deve abrir caminho para que outros testes sejam realizados e os resultados aprimorados até chegarem à fase de produto disponível para a população.

Um dos próximos passos é definir a quantidade ideal a ser consumida. "Tudo tem um limite para ser consumido, senão o organismo pode sofrer também com o excesso de algumas propriedades contidas nos alimentos. Então, é preciso avançar na pesquisa", esclarece.

Devastação do Cerrado

Assim como gabirobas e guapevas, outros vegetais podem estar em processo de extinção no Cerrado, devido ao processo acelerado de ocupação agrícola e à exploração extrativista e predatória.

As baixas são significativas nas safras dos produtos e há dados de que cerca de 40% do bioma já tenha sido desmatado.

Nos últimos 35 anos, mais de metade da extensão original do Cerrado foi substituída por plantações de soja e por pastos para a criação de gado de corte. Mais recentemente, com as crescentes restrições e o monitoramento na Amazônia, há uma crescente invasão do Cerrado sobretudo para o cultivo de cana para a produção de etanol.

De acordo com um relatório técnico da Conservação Internacional - Brasil, os desmatamentos anuais na região chegam a 1,1%, representando uma perda de 2,2 milhões de hectares ao ano. "Se esse ritmo for mantido, o bioma será eliminado por volta do ano 2030", adverte.


Por: Diário da Saúde - Com informações do Jornal da Unicamp

Publicado em: 17/11/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=propriedades-frutas-cerrado&id=7153

Tomate roxo criado no Brasil ajuda prevenir o câncer

Pesquisadores da ESALQ (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) da USP, desenvolveram uma nova variedade de tomate, sem utilizar transgênicos.

A particularidade do fruto é que ele é roxo, por ter predominância do pigmento antioxidante antocianina, que pode ajudar a prevenir o câncer.

Em 2008, cientistas do Centro John Innes, em Norwich (Reino Unido), desenvolveram um "tomate púrpura" com características parecidas, entretanto, utilizavam-se da transgenia, o que não acontece na pesquisa do professor Lázaro Eustáquio Pereira Peres.

Antioxidantes

De acordo com Peres, além da antocianina inserida nessa nova variedade, o tomate comum já é rico em antioxidante, o licopeno, que dá a cor avermelhada ao fruto e inibe a ação dos radicais livres no organismo, contribuindo para prevenir o desenvolvimento de várias doenças cardiovasculares e câncer.

"Na verdade, o que fizemos foi criar um alimento funcional. Ou seja, produzimos uma hortaliça que faz parte, em larga escala, da alimentação humana. Por meio de cruzamentos, criamos uma variedade com substâncias e funções terapêuticas no organismo", esclarece Peres.

A inserção da antocianina na fruta, além de modificar sua cor, também criou um vegetal mais completo, com prioridades nutricionais importantes e benéficas, principalmente para quem não ingere alimentos desse tipo com a frequência devida.

Vitamina C

Peres esclarece que o resultado do acúmulo de antocianinas não prejudica a quantidade de licopeno já existente na fruta. Trata-se de antioxidantes diferentes, e que não entram em contato um com o outro, por serem armazenados em locais distintos na planta.

"Há evidências de que alimentos que acumulam simultaneamente licopeno e antocianinas sejam mais eficazes como antioxidantes do que aqueles que acumulam separadamente, já que estes dois pigmentos são complementares", explica o professor.

"Outra utilidade surgida com essa nova variedade é o aumento da quantidade de vitamina C, sendo esse ganho inerente à via fisiológica explorada para criar o tomate não transgênico, o que não ocorre com o tomate roxo transgênico. Assim, elevamos significativamente o nível de compostos ativos num mesmo vegetal", completa o pesquisador da Esalq.

Vantagens de não ser transgênico

Além de todos os benefícios apresentados, a maior vantagem do tomate roxo desenvolvido no Brasil é sua criação não-transgênica.

Nessa pesquisa, todo o processo de melhoramento genético aconteceu por meio de simples cruzamentos, ao se identificar que determinadas mutações - que controlam o acúmulo de antocianinas - poderiam ser agrupadas em uma mesma variedade de tomateiro.

Por não ser transgênica, a fruta não precisa da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), que regula o tema no País.

O tomate roxo já pode ser cultivado por empresas de melhoramento genético, e, caso exista interesse comercial, poderá ser consumido pelos brasileiros em cerca de três anos.

Para obter o tomate roxo, os produtores precisariam comprar a semente original, uma vez que as plantas da primeira geração são homogêneas - isto é, tem a mesma aparência, mas não as da segunda, devido às suas mutações.




Por: Diário da Saúde - Com informações da Agência USP

Publicado em: 09/12/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=tomate-roxo&id=7222

Uma taça de vinho tinto ao dia reduz risco de câncer de mama

Álcool não, vinho tinto

Tomar vinho tinto com moderação pode reduzir um dos fatores de risco para o câncer de mama.

Para Chrisandra Shufelt, uma das médicas que aferiu os efeitos do vinho tinto, isto pode representar uma arma natural para combater uma das maiores causas de mortalidade entre as mulheres.

Embora a conclusão seja apenas mais uma na longa lista de benefícios atribuídos ao vinho tinto, ela vai contra a crença mais geral de que qualquer tipo de consumo de álcool eleva o risco de câncer de mama.

Pesquisas anteriores têm concluído que o álcool aumenta os níveis de estrogênio no corpo, fomentando o crescimento das células de câncer.

Branco não, tinto

Os cientistas norte-americanos agora descobriram que compostos químicos na pele e nas sementes das uvas vermelhas baixam ligeiramente os níveis de estrogênio e elevam os níveis de testosterona.

O efeito foi observado em mulheres que ingeriram uma taça de vinho tinto à noite, durante um mês.

O efeito não foi observado nas mulheres que tomaram vinho branco.

Os dois grupos de voluntárias passaram por dois períodos de testes, cada um dos quais tomando um dos tipos de vinho.

"Se você quer tomar uma taça de vinho no jantar, então escolha um vinho tinto," diz a Dra. Shufelt. "Essa mudança pode mudar o seu risco de contrair câncer de mama."



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 11/01/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vinho-tinto-reduz-risco-cancer-mama&id=7326

Medicamento reverte rapidamente efeitos do Mal de Alzheimer

Reversão do Mal de Alzheimer

Cientistas norte-americanos estão festejando uma descoberta que parece ser um dos mais importantes avanços no campo das neurociências nos últimos anos.

Usando um medicamento já aprovado, Paige Cramer e uma equipe coordenada a partir da Universidade Case Western (EUA) conseguiram reverter os danos patológicos, cognitivos e de memória causados pelo surgimento do Mal de Alzheimer.

Eles usaram um medicamento chamado bexaroteno, usado há mais de 10 anos no tratamento de alguns tipos de câncer, sobretudo no câncer do sistema linfático.

E os resultados de seu uso contra o Mal de Alzheimer foram muito além do esperado.

Bexaroteno

Camundongos que receberam o bexaroteno apresentaram uma rápida reversão no quadro clínico com relação aos efeitos gerados pelo Alzheimer.

O Mal de Alzheimer surge em grande parte pela incapacidade do corpo em eliminar do cérebro fragmentos de proteínas naturais, conhecidas como beta-amiloide.

Em 2008, o professor Landreth Gary, coordenador deste estudo, descobriu que o principal carreador de colesterol para o cérebro, a abolipoproteína (ApoE), facilita a remoção das proteínas beta-amiloide.

O grupo agora decidiu verificar se o bexaroteno era capaz de aumentar a expressão da ApoE. A elevação dos níveis da ApoE, por sua vez, acelera o processo de remoção das proteínas beta-amiloides do cérebro.

O bexaroteno atua estimulando receptores conhecidos como RXR, que controlam quanta beta-amiloide é produzida.

Ação rápida

Os cientistas ficaram particularmente surpresos com a velocidade com que o bexaroteno reverteu as perdas de memória e os problemas de comportamento.

Apenas seis horas após a administração da droga, os níveis de beta-amiloides solúveis, que se acredita serem as causadoras dos danos na memória no Alzheimer, caíram em 25%.

Mais da metade das placas foi eliminada em até 72 horas, e a redução final do tratamento chegou a 75%.

"Esta é uma descoberta sem precedentes," disse Cramer. O melhor tratamento disponível até agora para tratar o Alzheimer em camundongos exige vários meses para reduzir as placas no cérebro."

O próximo objetivo da pesquisa é verificar como será o funcionamento do medicamento em humanos.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 10/02/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=medicamento-cancer-reverte-mal-alzheimer&id=7425

Aspirina reduz risco de morte por câncer de intestino

Tomar ou não tomar aspirina

Tomar ou não tomar aspirina de forma preventiva?

Eis a questão, para a qual a resposta ainda é cuidadosa pela maioria dos especialistas.

Um estudo recente mostrou que a aspirina pode reduzir risco de metástase e morte por câncer, enquanto outro descobriu novos efeitos do medicamento que começam a esclarecer sua forma de atuação no organismo.

O assunto volta à imprensa hoje, com a publicação de um novo estudo no British Journal of Cancer, realizado pela equipe do Dr. Gerrit-Jan Liefers, da Universidade de Leiden, na Holanda.

Resultados e críticas

No estudo, que levou quase uma década, um quarto dos pacientes não usou aspirina, um quarto apenas usou aspirina depois de ser diagnosticado com câncer e a metade restante tomou aspirina antes e depois do diagnóstico.

A maior parte dos pacientes que tomaram aspirina o fizeram para evitar doenças cardiovasculares, como enfarte e acidentes vasculares - a recomendação da ingestão de aspirina por pacientes em risco de doenças cardiovasculares tem maior concordância entre os especialistas.

Tomar aspirina por qualquer período depois do diagnóstico de câncer de intestino reduziu a chance de morte por câncer em 23%.

Os pacientes que tomaram doses diárias do medicamento por pelo menos nove meses depois do diagnóstico tiveram a chance de morrer por câncer reduzida em 30%.

Nos pacientes que tomaram a aspirina antes e depois do diagnóstico, a redução do risco de morte foi de apenas 12%.

As críticas ao estudo são duas: o câncer de intestino ocorre sobretudo em pessoas mais idosas, o que pode dificultar a extensão dos resultados para outras faixas etárias.

E a ingestão de aspirina não foi comparada com a ingestão de um placebo.

Cuidados

O Dr. Liefers salienta que a aspirina não deve ser vista como alternativa a outros tratamentos, como a quimioterapia, mas poderia ser útil como tratamento adicional.

Já Sarah Lyness, da entidade Cancer Research UK ressalta que isso é diferente de recomendar que as pessoas sem qualquer diagnóstico passem a tomar aspirina continuamente para se prevenir do câncer.


Uso regular de aspirina pode fazer mais mal do que bem

"É possível que pessoas mais velhas tenham outros problemas de saúde que não permitam a quimioterapia. Câncer de intestino é mais comum em pessoas mais velhas, então esses resultados poderiam ser um grande avanço no tratamento da doença, particularmente para este grupo. Mas precisamos de pesquisa adicional para confirmar isso," afirmou.

"Qualquer um pensando em tomar aspirina para reduzir o risco de câncer deveria conversar com seu médico primeiro. Pessoas com câncer devem estar cientes de que a aspirina pode aumentar as chances de complicações antes de cirurgia ou outros tipos de tratamento, e devem discutir isso com o especialista," concluiu.



Por: Diário da Saúde - Com informações da BBC

Publicado em: 25/04/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=aspirina-reduz-risco-morte-cancer-intestino&id=7685

Óleo de abacate: o "óleo de oliva das Américas"?

Radicais livres nas mitocôndrias

Uma série de fatores ambientais - como poluição, fumaça de cigarro e radiação - podem transformar as moléculas de oxigênio encontrados nas mitocôndrias, as fontes de energia das células, em radicais livres.

Essas moléculas instáveis destroem moléculas importantes para a formação das células, tais como lipídeos, proteínas e até mesmo o DNA, transformando-as também em radicais livres.

Este fenômeno destrutivo está associado com o envelhecimento, mas ocorre também em uma variedade de doenças, incluindo a hipertensão e o diabetes.

Em busca dos antioxidantes

Isso tem motivado cientistas em todo o mundo a procurar substâncias que reforcem a resistência das células aos efeitos nocivos dos radicais livres.

Muitos estudos de antioxidantes - moléculas que combatem os radicais livres - presentes em frutas e legumes, como cenouras e tomates, têm sido concluídos com resultados pouco encorajadores.

"O problema é que os antioxidantes nessas substâncias não conseguem entrar nas mitocôndrias. Com isso, os radicais livres danificam as mitocôndrias, fazendo a produção de energia da célula parar, e ela entra em colapso e morre," explica Christian Cortés-Rojo, da Universidade de Michoacán (México).

Mas o próprio Cortés-Rojo tem as primeiras boas notícias na área.

Seus estudos revelaram que o óleo de abacate tem efeitos protetores contra os radicais livres nas mitocôndrias.

Os resultados reforçam conclusões de outro estudo realizado recentemente no Brasil:

Óleo de abacate substitui óleo de oliva e controla gordura no sangue

Óleo de abacate

Segundo o pesquisador, o óleo de abacate permitiu que células de levedura sobrevivessem à exposição a altas concentrações de ferro, que produz uma enorme quantidade de radicais livres, "mesmo em níveis mais elevados do que os encontrados em algumas doenças humanas."

"Esses resultados podem ser atribuídos ao fato de que o óleo de abacate acelera a respiração da mitocôndria, o que indica que o uso de nutrientes para a produção de energia para as funções celulares continua a ser eficaz, mesmo em células atacadas pelos radicais livres," explica o pesquisador.

"Em alguns países do Mediterrâneo, a pequena ocorrência dessas doenças, ou mesmo a inexistência delas, têm sido associadas com o alto consumo de óleo de oliva," explica ele.


Cientista destaca ingredientes sagrados da alimentação mediterrânea

"O azeite tem uma composição de gordura similar à encontrada no óleo de abacate. Portanto, o óleo de abacate poderia eventualmente ser chamado de azeite de oliva das Américas," concluiu.



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 22/05/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=oleo-de-abacate&id=7787

Extrato de chá verde destrói diretamente tumores na pele

Aplicação direta

Uma equipe de pesquisadores da Escócia usou um composto químico extraído do chá verde para tratar com sucesso dois tipos de câncer de pele.

Os pesquisadores, das universidades de Glasgow e Strathclyde, desenvolveram uma técnica para a aplicação do extrato, conhecido como epigalocatequina galato (EGCG), diretamente nos tumores.

Apesar de o chá verde estar associado com o combate ao câncer há muito tempo, aplicar compostos extraídos do chá diretamente no tumor, através da administração intravenosa convencional, não é muito eficaz, uma vez que uma quantidade pequena demais do extrato atinge o alvo.

Nanocarreadores

Agora, a equipe conseguiu tornar o extrato eficaz por meio de um sistema de entrega direcionada, usando os chamados nanocarreadores.

A técnica funciona através da fusão do extrato de chá verde com proteínas que transportam moléculas de ferro, as quais são por sua vez absorvidas pelo tumor.

Em um estudo de laboratório em dois tipos diferentes de câncer de pele, dois terços dos tumores diminuíram ou desapareceram dentro de um mês.

Além disso, não foram detectados efeitos colaterais para os tecidos normais associados com o tratamento.

Portas abertas

Um total de 40% dos dois tipos de tumores desapareceram, enquanto 30% de um e 20% de um outro tipo encolheram. Outros 10% de um dos tipos se estabilizaram.

"Estes resultados são muito encorajadores. Quando usamos o nosso método, o extrato de chá verde reduziu o tamanho de vários dos tumores dia a dia, em alguns casos, removendo-os por completo. Esta pesquisa pode abrir portas para novos tratamentos para aquela que ainda é uma das doenças que mais mata em muitos países," disse a Dra Christine Dufès, coordenadora do estudo.



Por: Diário da Saúde - Com informações da CORDIS

Publicado em: 31/08/2012

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=extrato-cha-verde-destroi-diretamente-tumores-pele&id=8116

Ômega-3 em suplementos pode aumentar risco de câncer de próstata

Mais um indício está depondo contra o uso de suplementos alimentares e vitamínicos.

Já se sabia que tomar suplementos alimentares pode ser uma faca de dois gumes.

O que os estudos estão mostrando é que nutrientes importantes para a saúde não trazem o mesmo benefício se forem ingeridos na forma de concentrados em cápsulas.

Por exemplo, a vitamina E protege contra o câncer, mas não em suplementos, e os suplementos de cálcio e vitamina D podem piorar a situação de homens com câncer de próstata, em vez do contrário, como seria de se supor.

Agora foi a vez de se lançar questionamentos sobre os benéficos de ingerir ácidos graxos ômega-3 preparados sinteticamente - os benefícios desses compostos quando contidos em alimentos são atestados e reconhecidos mundialmente.

Contudo, o ômega-3 na forma de cápsulas - e não em peixes, brócolis, rúcula, nozes e outros alimentos - pode estar associado ao aumento do risco do tipo mais letal de câncer de próstata.

Câncer de próstata e suplementos de ômega-3

Uma equipe de várias universidades norte-americanas constatou uma ligação entre altas concentrações sanguíneas de ômega-3 e o câncer de próstata mais agressivo.

"A consistência destes resultados sugere que estes ácidos graxos estão envolvidos na gênese do tumor, e recomendações para aumentar a ingestão de ômega-3, principalmente através de suplementos, devem considerar seus riscos potenciais", escreveram os autores do estudo, publicado no Journal of the National Cancer Institute.

De acordo com o estudo, o risco de homens que tomam suplementos de ômega-3 desenvolverem o tipo mais agressivo de câncer é até 71% maior do que entre os que não usam a substância.

No caso do tipo menos letal, o risco é até 44% mais alto entre os que consomem suplementos, em comparação a pessoas que não usam as cápsulas.

Em geral, ácidos gordurosos estão associados a um risco até 44% maior de câncer de próstata, dizem os pesquisadores.

O estudo não analisou casos de ingestão dos ácidos graxos através de alimentos, impedindo uma comparação direta entre as duas formas de ingestão. Inúmeros estudos comprovam os benefícios da ingestão de ômega-3 na dieta alimentar, e este estudo não altera em nada aquelas conclusões.



Por: Diário da Saude - Com informações da BBC

Publicado em: 17/07/2013

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=omega-3-suplementos-aumenta-risco-cancer-prostata&id=8999

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR