Artigos & Informações
Dieta com pouca proteína reduz risco de agravar diabetes e doença renal

Reduzir pela metade a quantidade de proteína animal na dieta e incentivar a mudança de hábitos alimentares são a chave para melhorar o quadro clínico de pacientes diabéticos e com doenças renais crônicas. É o que aponta estudo realizado pelo Centro Estadual de Tratamento de Doenças Renais do Hospital Regional do Vale do Paraíba, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, em Taubaté.

Foram acompanhados 93 pacientes da unidade, dos quais 38 diabéticos, que receberam dieta hipoproteica personalizada, com base na avaliação nutricional de cada participante. Durante o estudo, a equipe multiprofissional da unidade observou que a alimentação irregular era uma das maiores responsáveis pela piora no quadro dos pacientes.

“Logo no início, pudemos perceber que a maioria dos pacientes já chegava com várias dúvidas e mitos. O nosso maior desafio era conseguir que eles aderissem a uma dieta diferente, principalmente o paciente diabético, que trazia, além das orientações do médico, as famosas e preocupantes receitas caseiras”, comenta a nutricionista responsável pela pesquisa, Monise Ávila.

A dieta proposta utilizou 50% de proteína animal, com alto valor biológico, e resultou na redução de 24% de eliminação de proteinúria (proteína pela urina), que no caso de um paciente diabético é responsável por agravar a doença.

Os resultados foram significativos. Além da redução da proteinúria, houve menor consumo de calorias, refletindo no emagrecimento dos pacientes, e de proteína vegetal (com baixo teor biológico), além de diminuição das taxas de açúcar no sangue e da hemoglobina glicada, que mede com precisão o controle do Diabetes.



Por: Jornal de Barretos - On Line

Publicado em: 02/09/2010

Fonte: http://www.jornaldebarretos.com.br/novo/2010/09/14215

Yoga contra o Câncer de Mama

As duas frases que mais escuto quando digo que dou aulas de yoga são: “Preciso muito me alongar, e tenho que começar suas aulas!” ou “Yoga faz bem para “X” problema, e minhas respostas são sempre as mesmas: Sim!
Quando comecei a ensinar, vi e senti efeitos super bacanas em meu corpo e mente, e decidi compartilhar meus conhecimentos e experiências.

Antes de qualquer coisa, gostaria de esclarecer que o Yoga não é somente uma prática fisica, mas um estilo de vida que envolve práticas físicas, mentais e a partir do momento em que se entra no ritmo, uma reeducação alimentar. Com todo este conjunto, e sabendo que os passos iniciais devem ser dados em doses pequenas, pouco a pouco notamos a melhoria dentro de nós e em nossa volta: desde o estado físico, através de posições combinadas com a respiração, até a capacidade de focarmos melhor em metas, ao adquirirmos técnicas para acalmarmos a mente.

Sabendo-se esta básica e aproveitando o mês “rosa” de prevenção ao Câncer de mama, vamos aos benefícios do Yoga em relação a este problema.

Benefícios psicólogicos
Joanna Colwell em seu livro “The Yoga of Breast Health”, afirma que segundo pesquisas americanas, 80% de todos os tipos de câncer estão ligados ao meio ambiente.

Segundo minha experiência com pacientes de câncer, o Yoga os ajudou acima de tudo, a aumentar a capacidade de administrar o stress. A prática regular nos proporciona um contato maior com nossos recursos internos e sensações, e nos proporciona presença de espírito, fatores essenciais em períodos difíceis.

Benefícios físicos
Um dos importantes componentes de nosso sistema imunológico, é o sistema linfático, responsável por colaborar com nossos glóbulos brancos e combater bactérias e vírus. Os exercícios do Yoga aumentam a circulação dos fluídos linfáticos, contribuindo para que a linfa (líquido formado pelo plasma sanguíneo, proteínas e glóbulos brancos) flua pelo corpo estimulando os nódulos linfáticos (glândulas que filtram resíduos indesejáveis), que em sua maioria localizam-se nas axilas, perto dos seios.

Duas asanas (posições) indicadas para estes casos são:

PRASARITA PADOTTANASANA - mantendo uma distância média de 5 palmos entre os pés (paralelos), traga as mãos à cintura, inspire e ao expirar desça em direção ao chão, com a coluna reta e sem sentir desconforto, somente alongando. Relaxe o pescoço e, se sentir a lombar, dobre levemente os joelhos. Relaxe os braços. Fique por 5 respirações nasais.

UTTHITA TRIKONASANA - com a mesma distância entre os pés, inicie com o lado direito ao girar o pé direito 90 graus para fora, abrindo os braços paralelos ao chão e descendo lateralmente sem deslocar o quadril como se quisesse tocar o chão com os dedos direitos das mãos. Caso não toque os dedos no chão, os descanse sobre a perna direita, e mantenha o braço esquerdo estendido apontando para o teto, com o dedão esquerdo apontando para a cabeça. Mantenha a coluna alongada, peito aberto e tente olhar para cima, em direção aos dedos esquerdos, ou se sentir desconforto no pescoço, olhe para a frente. Caso sinta desconforto no joelho direito, dobre-o levemente. Fique por 5 respirações nasais, e repita o mesmo do outro lado.



Por: Eliane Carotta - Gazeta Brazilian News - Seção: Arte/Cultura

Publicado em: 26/10/2010

Fonte: http://www.gazetanews.com/arte_cultura.php?cd_noticia=10248&mes_ano=&ini=10

Coma frutas e vegetais, mas coma muito

Mais uma pesquisa ressalta os benefícios de comer frutas e vegetais, desta vez realizada por cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Os pesquisadores relatam que a ingestão de frutas e vegetais protege as pessoas da forma mais comum de doença cardíaca, e uma das principais causas de morte no mundo, o ataque cardíaco isquêmico.

Mas é bom prestar atenção não apenas na qualidade do cardápio, mas também nas quantidades, sobretudo nos benefícios de cada "refeição" adicional.

Porção de frutas e vegetais

Os cientistas verificaram que pessoas que comeram pelo menos oito porções de frutas e vegetais por dia, sim, oito porções, apresentaram um risco 22% menor de morrer de doença isquêmica cardíaca do que pessoas que consumiam menos de 3 porções por dia.

Uma porção pesa 80 gramas, o que equivale a uma banana pequena, ou uma cenoura pequena, ou uma maçã média.

O estudo mostrou "uma redução de 4% no risco de morrer por ataque cardíaco para cada porção adicional de frutas e hortaliças consumidas acima do consumo básico de duas porções diárias," afirma a Dra. Francesca Crowe, uma das autoras do estudo, publicado no European Heart Journal.

Assim, "o risco de isquemia fatal para alguém comendo cinco porções de frutas e verduras por dia seria de 4% menor em relação a alguém que consuma quatro porções por dia, e assim por diante, até oito parcelas ou mais," explica a pesquisadora.

Precauções

Os dados foram coletados de mais 300.000 pessoas, em oito países europeus, tendo ocorrido 1.636 óbitos por ataque cardíaco isquêmico durante o estudo.

Os pesquisadores levaram em conta influências de fatores como diferenças nos estilos de vida e hábitos alimentares.

No entanto, eles reconhecem que os resultados podem ter sido influenciados por erros na medição correta da ingestão de frutas, legumes e verduras.

Além disso, o estudo teve uma maior proporção de mulheres, o que pode não refletir com precisão o total da população.

Apenas 20% dos brasileiros consomem frutas, legumes e verduras suficientes


Por: Redação Diário da Saúde

Publicado em: 03/02/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=comer-frutas-vegetais&id=6159

Por que fazer dieta deixa as pessoas com raiva?

Raiva da dieta

Você acabou de decidir comer uma maçã em vez de uma barra de chocolate?

Então estar se sentindo feliz, porque está fazendo o que é bom para você mesmo, certo?

Bem, de acordo com pesquisadoras das universidades da Califórnia e Northwestern, ambas nos Estados Unidos, o mais provável é que você esteja com raiva.

Wendy Liu e suas colegas realizaram uma série de experiências com alunos de graduação e concluíram que o exercício do autocontrole gera sentimentos de raiva.

O achado não surpreendeu as pesquisadoras. "Ficamos surpresas que um monte de gente não veja isso", disse Liu.

Autocontrole e raiva

Outros estudos já haviam relacionado o autocontrole com o comportamento agressivo.

As pesquisadoras decidiram concentrar-se nas dietas porque esta é uma uma das formas de autocontrole mais comuns no dia-a-dia da vida moderna.

Os estudos médicos descobriram que pessoas em dieta tendem a ser irritáveis e agressivas, escrevem as pesquisadoras.

A teoria mais aceita para explicar o fenômeno é que o uso do autocontrole desgasta a pessoa, que se torna menos propensa o usar o autocontrole novamente, tornando mais difícil controlar o comportamento agressivo.

Mas as pesquisadoras projetaram seus experimentos para questionar essa teoria: elas queriam ver se as pessoas mostram uma tendência para a raiva mesmo quando não precisam exercer o autocontrole por uma segunda vez.

E foi justamente isso o que ocorreu.

"Não se trata de habilidades," disse Liu. "Você pode continuar exercendo o autocontrole, e ainda assim você fica com raiva."

Evitar as tentações

Então, se usar o autocontrole nos faz sentir raiva, haveria algo que possamos fazer a esse respeito?

Uma dica, segundo as pesquisadoras, é não se colocar em uma posição onde precise usar o autocontrole para escolher uma comida saudável.

Por exemplo, evite encher a geladeira com alimentos não saudáveis que você possa se sentir tentado a comer mais tarde. Para isso, vai ajudar bastante se, no supermercado, você simplesmente não passar pelo corredor das comidas não-saudáveis.

"Você não pode confiar somente na força de vontade", diz Liu.

Opção cognitiva

Você também pode tentar pensar de forma diferente sobre alguns alimentos.

"A razão pela qual nós pensamos que o chocolate é gratificante é porque nós o associamos a uma gratificação imediata", explica Liu.

Então, é só tentar mudar de ideia quanto àquilo que não faz bem à sua saúde - um sabor imediato e de curta duração realmente vale mais a pena do que dias, meses e anos inteiros lastimando o fracasso da sua dieta?



Por: Redação do Diário da Saúde

Publicado em: 13/05/2011

Fonte: http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=fazer-dieta-deixa-pessoas-com-raiva&id=6458

Evite dor nas costas e no pescoço com uma postura melhor

Na cultura eletrônica atual, quase tudo que fazemos – desde trabalhar ho­ras com computador até ver vídeos pelo celular – nos faz arredondar a parte de cima do corpo. E a vida diária raramen­te oferece oportunidades de alongar e endireitar as costas.

O resultado? Muitas pessoas desenvolvem uma postura corcunda, que pode contribuir para dores nas costas e no pescoço assim como dores de cabeça.

A crise é piorada com o hábito de colocar a “cabeça para frente”: a cabeça se sobressai à frente dos ombros, e seu peso puxa o peito mais para dentro. E com o queixo indo à frente, o pescoço é forçado mais ainda. Essa postura pode contribuir para o risco de desenvolver lesões por esforço repetitivo, assim com síndrome do túnel do carpo, porque diminui os músculos na frente do peito e pressiona os nervos e os vasos sanguíneos dos braços. Sentar-se curvado à frente também pode comprimir órgãos internos, contribuindo para problemas respiratórios, circulatórios e digestivos.

Yoga pode ajudá-lo a cortar o círculo vicioso de se curvar ensinando a prestar atenção ao alinhamento, não apenas enquanto estiver no mat, mas durante todo o dia. Além disso, posturas que contrapõem a corcunda aumentam a força e flexibilidade nos músculos que apoiam o alinhamento postural. Experimente essa sequência – diariamente, se possível – para alongar costas e peito e aumentar a mobilidade dos ombros.

Carol Krucoff é yogaterapeuta no Duke Integrative Medicine.



Por: YogaJournal

Publicado em: 27/12/2011

Fonte: http://yogajournal.terra.com.br/show_yoga.php?id=1379

[ - ] Voltar

Terapias Curitiba

Av. Visconde de Guarapuava, 3.444 - Conj. 606 - 6º Andar - CEP 80.250-220 - Bairro Centro - Curitiba - PR